‘Rocketman’ HOJE nos cinemas de todo Brasil

Chegou o grande dia! A partir de hoje, quinta-feira, dia 30 de maio, ‘Rocketman’ está nos cinemas de todo o país. Para aquecer a voz e se preparar para cantar muito os hits de Elton John contemplados no filme, a Paramout Pictures acaba de lançar a prévia de uma cena emblemática do longa, ao som de “Rocket man”, na voz de Taron Egerton, que vive o astro da música na produção.

O produtor musical Giles Martin falou sobre a gravação da cena e como ela foi pensada. “Ninguém pensa em ‘Rocket man’ como uma canção de estádio. Mas a gente resolveu meio que dar uma pirada. Tem um coro de 50 pessoas e uma orquestra de cem membros. Virou um negócio gigantesco. Não fizemos essas coisas só por fazer. Fizemos para ficar divertido, bom de ouvir e bom de ver. No fim das contas, acho que ninguém ganha pontos pela coragem, acho que ganhamos pontos pelo entretenimento”.

Dirigido por Dexter Fletcher, o longa é uma fantasia musical épica sobre a incrível história da carreira de Elton John. O filme mostra a fantástica jornada de transformação do tímido garoto e pianista prodígio Reginald Dwight no superstar internacional Elton John, uma das figuras mais icônicas da cultura pop.

Além de Taron Egerton no papel de Elton John, o elenco estrelar conta com Jamie Bell, interpretando o compositor parceiro de longa data de Elton John Bernie Taupin, Richard Madden, como o primeiro empresário de Elton, John Reid, e Bryce Dallas Howard, como a mãe de Elton, Sheila Farebrother.

TRAILER OFICIAL:

Sobre a Paramount Pictures Corporation

A Paramount Pictures Corporation (PPC), uma importante produtora e distribuidora global de entretenimento filmado, é uma unidade da Viacom (NASDAQ: VIAB, VIA), casa de marcas globais famosas que cria emocionantes programas de televisão, filmes de longa-metragem, conteúdo de curta-metragem, apps, jogos, produtos de consumo, experiências nas mídias sociais e outros conteúdos de entretenimento para audiências de mais de 180 países

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil atinge metade da população completamente imunizada

O Brasil chegou, nesta quarta-feira (20), a mais de 50% da população com esquema vacinal completo contra a Covid. Ou seja, metade dos brasileiros tomaram as duas doses da vacina ou o imunizante de dose única.

Foram as 651.053 segundas doses registradas nesta quarta que levaram o país a passar dos 50%. Também foram notificadas 292.943 primeiras doses, 40.389 doses únicas e 116.585 doses de reforço.

Com as doses registradas, já são 152.325.559 brasileiros com a primeira dose. Ao todo, 106.874.272 já tomaram também a segunda ou a dose única, o equivalente a 50,1% da população.
Vale, porém, destacar que a imunização só é considerada efetiva duas semanas após a aplicação da segunda dose.

Outros países

Nas redes sociais, o marco foi comemorado por especialistas, que aproveitaram o momento para enfatizar a importância da vacinação e do uso da máscara como equipamento de proteção pessoal.
Há quase quatro meses, entre junho e o começo de julho, Chile (o primeiro da América do Sul, em 22 de junho), Reino Unido e Uruguai atingiram esse patamar de vacinação. Na segunda metade de julho e início de agosto, foi a vez de Portugal, Alemanha, Estados Unidos e França ultrapassarem a marca de metade da população imunizada.

Gibraltar, em 14 de março deste ano, foi o primeiro no mundo a alcançar a marca de 50%.
Na América do Sul, além de Chile e Uruguai (2 de julho), Equador e Argentina completaram a vacinação de metade da população em 8 de setembro e 3 de outubro, respectivamente.

Os Estados Unidos, que tiveram um processo inicial rápido de vacinação nos primeiros meses de 2021, perderam velocidade com o tempo e só alcançaram os 50% de vacinados em 1º de agosto.
O país vem sofrendo para avançar com o programa vacinal devido à resistência da população e conta com somente 57,1% dos americanos vacinados, segundo dados do CDC (Centro de Controle de Doenças dos EUA) de terça-feira.

O Brasil, ao contrário do vizinho Chile, dos EUA e do Reino Unido, teve um início de campanha vacinal lento. Um dos motivos foi a falta de disponibilidade de imunizantes. Outro fator que pesou contra o país foi a inação do governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

O país, nos primeiros meses deste ano, apoiou-se, basicamente, na Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, para levar adiante a campanha de vacinação. Os grandes lotes da Covishield, vacina da AstraZeneca/Oxford produzida pela Fiocruz, sofreram sucessivos atrasos de produção e entrega, o que também contribuiu para menores valores de vacinação iniciais e concentração de uso de Coronavac.

Com o passar dos meses e críticas constantes sobre a falta de ação do governo federal, mais acordos por vacinas foram realizados, como no caso da Pfizer, que tentava, desde o segundo semestre de 2020, vender o seu imunizante para o Brasil.

No momento, além dos imunizantes já citados, o país também tem aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a vacina de dose única da Janssen.

Os dados da vacinação contra a Covid-19, também coletados pelo consórcio, foram atualizados em 24 estados.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Imunidade de Rebanho

Apesar dos números de vacinas recentes animadores no país, co mo atingir mais de 100 milhões de pessoas com o esquema vacinal completo e 50% da população imunizada, nesta quarta, tais dados devem ser vistos com cautela.

Com a variante delta, que se dissemina mais e com mais facilidade, a possibilidade de atingir a imunidade de rebanho se tornou uma realidade mais distante no mundo, segundo afirmou recentemente à Folha Denise Garrett, epidemiologista e vice-presidente do Instituto Sabin.

“Não existe um número mágico para a imunidade de rebanho”, disse a especialista. “Ao que tudo indica, o vírus está aqui para ficar. Como isso vai se desenrolar, vai variar muito de país para país”.

O poder da delta ficou claro em outros países com a vacinação consideravelmente mais avançada, como em Israel, por exemplo. O país já flexibiliza até mesmo o uso de máscaras, quando a delta começou a aumentar o número de infecções e reverteu as medidas menos restritivas.

Além disso, com o passar dos meses, percebeu-se a queda dos níveis de proteção das vacinas -algo que não chega a ser surpreendente- e se passou a verificar a necessidade de doses de reforço, pelo menos até o momento destinadas a pessoas mais velhas, pessoas com problemas de imunidade (uma terceira dose, na verdade) e profissionais de saúde.

Com isso, fica claro que, apesar do otimismo que os dados vacinais podem trazer, os cuidados preventivos básicos contra a Covid devem permanecer, inclusive o uso de máscaras.

Filme gravado em Curitiba é indicado para representar o Brasil no Oscar 2022

O filme Deserto Particular, produzido por ex-alunos do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), foi indicado na semana passada pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais para representar o Brasil no Oscar 2022. O longa-metragem venceu a disputa com outros 15 filmes nacionais.

A obra será avaliada em conjunto com as indicações de outros países e, se aprovada, deve passar por duas etapas: a primeira em uma lista com 15 pré-indicados no mês de dezembro e a segunda, em fevereiro, com os cinco finalistas que concorrerão ao Oscar. 

Premiado no Festival de Veneza 2021, o longa fará sua estreia brasileira na 45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, que começa na próxima semana. Em 25 de novembro, chega aos cinemas de todo o País.

O diretor Aly Muritiba, radicado no Paraná, é um dos egressos e destaca a importância do curso na sua formação profissional. “O curso foi de extrema importância para que eu pudesse conhecer profissionais parceiros na minha jornada profissional. Estar em uma universidade pública com professores de qualidade foi determinante para que eu me tornasse um realizador”, explicou.

Outros 15 profissionais que também estudaram na Unespar integram a equipe técnica do filme. Eles fizeram parte da etapa de produção, direção de fotografia, edição e da elaboração do roteiro. O curso de Cinema e Audiovisual é uma das graduações mais concorridas da instituição.

O produtor Antônio Gonçalves Junior, por exemplo, se formou na universidade em 2011. Segundo ele, indústria audiovisual tem talentos incríveis no Paraná.

“Um curso público de cinema é extremamente estratégico para um Estado e para um País. A Coreia do Sul conseguiu fazer com um filme ganhador do Oscar (Parasita) e a série mais assistida da história (Round 6) com investimentos públicos que começaram na década de 90 e hoje estão no seu ápice. Com uma política pública aplicada de forma contínua é possível alcançar mais resultados expressivos”, afirmou.

Para a reitora da Unespar, Salete Machado Sirino, a indicação para a principal e mais relevante premiação da indústria cinematográfica nitidamente representa um diferencial do filme. “O fato de os realizadores dessa obra serem ex-alunos de uma universidade estadual atesta a excelência do ensino e reforça a importância das artes como uma grande área do conhecimento”, afirmou.

REFERÊNCIA – O curso de Cinema e Audiovisual, criado em 2005, é referência nacional na formação produtores, diretores de fotografia, diretores, roteiristas, editores e pesquisadores. Em 2020, o filme Alice Junior, que também tem a participação de estudantes dessa graduação, foi selecionado para uma mostra oficial do Festival de Berlim.

O coordenador do curso, professor Luis Fernando Severo, destaca a projeção que o Oscar proporciona para a produção cinematográfica do Paraná. “A participação dos nossos ex-alunos em premiações é importantíssima, não só para o reconhecimento do curso, mas também para o cinema paranaense. Com isso, conseguimos atrair mais investimentos e novas parcerias. O curso produz materiais de qualidade, contribuindo para a arte e a cultura do Estado”, afirmou.

Segundo ele, a Unespar já formou 400 profissionais para os mercados brasileiro e internacional da sétima arte.

SINOPSE – Deserto Particular será lançado pela Pandora Filmes e também contou com participação da Grafo Audiovisual e da Fado Filmes. O filme tem cenas em Curitiba. Na trama, Daniel é um policial exemplar, mas acaba cometendo um erro que coloca em risco sua carreira. Quando nada mais parece o prender ao Paraná, parte em busca de Sara, mulher com quem se relaciona virtualmente.

Confira o trailer do filme: