Praia Clube-MG vence Umuarama-PR no fim da prorrogação e avança na LNF

[ad_1]

O Praia Clube, de Uberlândia (MG), conquistou uma classificação heróica neste domingo (8) jogando fora de casa contra o Umuarama-PR. O time mineiro avançou às quartas de final da Liga Nacional de Futsal (LNF) após arrancar um empate em 2 a 2 no tempo normal e levar a decisão para a prorrogação. No tempo extra, o time mineiro abriu o placar logo nos primeiro minutos, cedeu ao empate, mas no minuto final do segundo tempo passou à frente do marcador, vencendo por 2 a 1. A menos de meio segundo para o jogo terminar, o Umuarama sofreu falta e podia ter mudado o placar. O juiz assinalou tiro livre (equivalente ao pênalti no futebol): Batista cobrou, mas o goleiro Gustavinho fez uma defesaça, garantindo a vaga dos mineiros nas quartas de final.

A partida, realizada no Ginásio Amário Vieira da Costa, em Umuarama (PR), foi transmitida ao vivo pela TV Brasil.  O adversário na próxima fase sairá do confronto de logo mais, às 15h30, entre Tubarão-SC e São José-SP, em Santa Catarina. O Aurinegro segue na busca do título inédito na LNF, após um intervalo de nove anos fora da competição. O time mineiro disputou o torneio de 2008 a 2011. A melhor colocação foi obtida em 2009, quando terminou na 15ª posição.

Jogo

O Praia Clube começou melhor e teve duas boas chances de abrir o placar logo os primeiros minutos, mas o goleiro Alê Falconi, atento, fez boas defesas. A partir dos quatro minutos, o Umuarama equilibrou a partida e o goleiro Gustavinho do Praia espalmou um bola venenosa de Hugo. Mas ele acabou abrindo o placar para o Umuarama cinco minutos depois. Após o gol, o time paraense começou a pressionar o adversário na saída de bola. E surtiu efeito: aos 15 minutos Ouchita ampliou para os donos da casa. 

A classificação do Azulão parecia bem encaminhada, mas nos minutos finais veio a reação dos mineiros, com uma bomba de Neto para o fundo da rede. 

Após o intervalo, o Praia Clube voltou com tudo e chegou ao empate quase aos cinco minutos com Humberto que recebeu uma bola da direita e chutou forte. Tudo igual no Ginásio Amário Vieira da Costa. Os mineiros dominaram o jogo e não faltaram oportunidades de ampliar. Mas a partida terminou mesmo empatada, e a definição foi para a prorrogação.

Por ter feito melhor campanha na primeira fase, o Umuarama tinha a tranquilidade de precisar apenas do empate para se classificar.  Bola em jogo, e com menos de um minuto, Zazá recebe um passe açucarado de Neto pela direita e marca para o Praia Clube. O Aurinegro teve ainda boas oportunidades de ampliar, três delas com Macdowell, mas ele as desperdiçou.

No segundo tempo da prorrogação, Batista recebeu pelo lado direito e garantiu o empate para o Umuarama, que novamente ficou com a classificação encaminhada. Por pouco Neto não desempata, mas Alê Falconi fez uma defesa incrível. Mas a vaga parecia mesmo destinada ao Praia Clube: no minuto final, Neto deu o passe pela direita para Zazá, que se antecipou à marcação e chutou com categoria. Era o gol da classificação: 2 a 1 para o time mineiro. Ainda deu tempo para o Umuarama empatar em um tiro livre, a menos de um segundo do final, com um tiro livre: Batista cobrou mal e Gustavinho defendeu. 

Outros jogos deste domingo (8):

domingo (8):

Tubarão x São Jos

15h30 – Tubarão x São José

Joinville x Assoeva


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp libera função para mensagens desaparecerem automaticamente

O WhatsApp liberou nesta segunda-feira (6) uma função para que mensagens desapareçam de conversas de modo automático.

Mark Zuckerberg, presidente da Meta (dona de WhatsApp, Facebook e Instagram), disse em seu perfil que “nem todas as mensagens precisam durar para sempre”.

Usuários do aplicativo poderão definir que mensagens desapareçam de conversas, por padrão, após 24 horas, sete dias ou 90 dias.

A configuração vale para mensagens de novas conversas –conteúdos enviados ou recebidos antes dessa ativação, portanto, não serão afetados.

Em uma conversa individual, os dois usuários podem ativar ou desativas mensagens temporárias. Em grupos, qualquer pessoa pode fazê-lo. Os administradores, porém, podem permitir que apenas eles definam mensagens como temporárias no grupo.

Segundo a empresa, os conteúdos desaparecem conforme a definição mesmo que o usuário não abra o WhatsApp nesse período.

“Se uma mensagem temporária for encaminhada para uma conversa em que esse recurso está desativado, ela não desaparecerá dessa conversa. Se um usuário fizer backup antes de uma mensagem desaparecer, essa mensagem temporária será incluída no backup. Contudo, a mensagem temporária será apagada quando o usuário restaurar o backup”, explicou o WhatsApp em nota.

A recomendação é que esse recurso seja ativado apenas em conversas de confiança porque o interlocutor consegue tirar uma captura de tela ou fotografar qualquer mensagem antes que ela suma.

Nem todos os aparelhos já estão com o recurso disponível.

Para ativar essa função, tanto no iPhone como no Android, é preciso tocar na área de configurações, depois em conta, em privacidade e em duração padrão, selecionando o período desejado.

O Instagram também já permite mensagens temporárias, mas não por padrão.

Telegram e Signal, concorrentes do WhatsApp, já disponibilizam há tempos essa opção, uma camada extra de privacidade a quem não deseja armazenar mensagens. Entre os mensageiros, o Signal é o mais protetivo, pois não permite captura de tela.

Barroso pede manifestação do governo sobre passaporte da vacina

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Barroso concedeu nesta segunda-feira (6) prazo de 48 horas para que o governo federal se manifeste sobre uma ação judicial que pede a obrigatoriedade de quarentena e comprovação de vacinação contra a covid-19 para quem entra no país.

A ação, protocolada pela Rede Sustentabilidade, chegou ao Supremo no dia 26 de novembro e foi distribuída para o ministro, que é o relator do caso. A legenda pretende tornar obrigatória a adoção de recomendações feitas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Determino a oitiva das autoridades das quais emanou a Portaria nº 658/2021, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, tendo em vista a aproximação do recesso. Transcorrido o prazo, os autos devem retornar à conclusão, para apreciação das cautelares”, despachou Barroso.

De acordo com a Anvisa, a política brasileira para fronteiras deveria ser revista, com o estabelecimento da cobrança de prova de vacinação para turistas e outros viajantes que desejam entrar no país de avião ou por via terrestre, em combinação com protocolos de testagem.