Pinhais terá Muralha Digital que fará até leitura de placa de veículos

A Prefeitura de Pinhais, região metropolitana de Curitiba, investirá em câmeras que farão a leitura da placa de veículos, implantando assim a Muralha Digital. A iniciativa faz parte do plano de governo e tem um investimento previsto de 2,5 milhões, para criar uma estrutura que vai estar interligada com o sistema de alarmes, câmeras patrimoniais, câmeras de ruas e a Secretaria Estadual de Segurança Pública do Paraná (SESP-PR).

Atualmente, Pinhais possui a Central de Monitoramento, com várias câmeras de segurança instaladas nas vias públicas. Os equipamentos têm movimentação de 360º e alto nível de zoom. A Central de Monitoramento conta também com imagens captadas pelas câmeras dos prédios e equipamentos públicos. Agora, virá a Muralha Digital, como destacou ao Jornal Metropolitano*, da Rádio Banda B, o secretário de Segurança e Trânsito de Pinhais, Ricardo Pinheiro.

“Nós temos em nosso plano de governo a implantação da Muralha Digital ainda neste ano de 2021, que é o fechamento de todas as entradas da cidade com câmeras de leitura de placas, que é para saber quando chega ou sai um veículo roubado ou até mesmo envolvido em um acidente de trânsito. Além disso, também está prevista instalação das mesmas câmeras em pontos estratégicos da cidade, para ajudar na Segurança Pública”

O secretário destacou que é um investimento 100% da Prefeitura de Pinhais, para dar mais segurança ao morador.

“É mais um investimento para a Segurança. Já adquirimos também neste ano viaturas altas (caminhonetes) para a Guarda Municipal e também teremos viaturas baixas (carros). Além disso, planejamos a municipalização do trânsito, para regulamentar os estacionamentos e ter uma cidade bem controlada”

A prefeita de Pinhais, Marli Paulino, enfatizou que esse é um investimento de grande valor na área de segurança, onde a administração cumprirá mais uma proposta do plano de governo.

“A concretização deste novo projeto é para deixarmos a nossa cidade mais segura. A Muralha Digital vai aumentar o monitoramento da cidade proporcionando a Guarda Municipal melhores condições de executar o seu trabalho que já é tão bem realizado. Esse é um investimento onde cumpriremos mais uma das propostas do plano de governo, reforçando uma área extremamente importante para a população, oferecendo tecnologia de primeiro mundo”

Além da aquisição destas novas câmeras de segurança, a Central de Monitoramento será revitalizada. O local ganhará novas telas que serão mais avançadas, com um novo layout, para a equipe que opera tenha maior agilidade e rapidez na captura das imagens, auxiliando os trabalhos na GM.

*O Jornal Metropolitano, apresentado por Luiz Henrique de Oliveira e com a coordenação de Jornalismo de Geovane Barreiro, vai ao ar sábado às 23h e domingo às 6h. O programa destaca as principais informações sobre as cidades da região metropolitana de Curitiba

Informações Banda B

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Novos radares começam a funcionar nesta segunda e terça em Curitiba

Nesta semana, dois novos pontos de Curitiba passam a ter fiscalização eletrônica de trânsito. Os radares foram instalados na Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes com a Rua Arnaldo Francisco Scremin, no bairro Atuba, e na esquina da Rua Ubaldino de Amaral com a Rua Amintas de Barros, no Alto da XV.

Segundo a prefeitura, em ambos os locais, o alto índice de acidentes foi fator decisivo para implantação dos equipamentos.

No Atuba, o cruzamento entre a Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes com a Rua Arnaldo Francisco Scremin acumulou 30 acidentes de trânsito no período de cinco anos. O radar começou a fiscalizar os veículos nesta segunda-feira (8). São fiscalizados os veículos que passarem pelas duas vias, com diferentes velocidades máximas permitidas. Pela Mascarenhas de Moraes, o limite é de 60 km/h. Já pela Arnaldo Francisco Scremin, 50 km/h.

Conforme a Setran, a velocidade excessiva é uma infração recorrente na Mascarenhas de Moraes, que está recebendo reforço na sinalização de regulamentação de velocidade. Neste cruzamento, os equipamentos de fiscalização também estão programados para registrar as seguintes infrações de trânsito: avanço do sinal vermelho, parada sobre a faixa de pedestres, conversão obrigatória, conversão proibida e retorno proibido.

A partir desta terça-feira (9) entram em operação os radares na esquina das ruas Ubaldino do Amaral e Amintas de Barros, trecho que concentrou 101 acidentes em cinco anos. No entorno estão localizados hospitais e unidades de ensino, incluindo a Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Neste cruzamento, os equipamentos vão fiscalizar limite de velocidade, avanço de sinal, parada sobre a faixa de pedestres e conversão obrigatória pela Rua Amintas de Barros. Este é um dos principais acessos de saída da Área Calma, além de escoamento do transporte coletivo da região central para os bairros. Já a Ubaldino do Amaral é a ligação entre os bairros Alto da Glória e Jardim Botânico.

Paraná é o primeiro estado a aderir ao plano nacional que buscar reduzir mortes no trânsito

O Paraná foi o primeiro estado a firmar compromisso com o novo Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans), do governo federal. O documento, que foi revisado, aprimorado e publicado no dia 17 de setembro, é um plano de metas focado em reduzir o índice de mortos no trânsito e conta com a inclusão de princípios e ações que alinham o País à agenda global de segurança viária. Também reforça o compromisso de reduzir em pelo menos 50% as mortes no trânsito brasileiro dentro de um período de 10 anos.

A formalização do compromisso do Paraná foi assinada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, durante o evento de abertura da Semana Nacional de Trânsito, em 20 de setembro, e que contou com a presença do secretário Nacional de Trânsito, Frederico de Moura Carneiro.

“O Paraná faz a adesão ao Pnatrans porque é uma iniciativa importante para nossa meta de reduzir vítimas do trânsito, o que é a prioridade nesta área, e que consequentemente reduz custos com saúde pública”, disse Ratinho Junior.

“O Detran-PR é um dos mais modernos e inovadores do País e reforça constantemente ações de segurança e, principalmente, de educação no trânsito. Seguimos sempre em busca de novas soluções para as cidades paranaenses e para aperfeiçoar o serviço que é entregue à população. E o Pnatransé uma ferramenta essencial para isso”, afirmou o governador.

A Senatran, do Ministério da Infraestrutura, é o órgão federal à frente do Plano. Segundo Frederico Carneiro, as ações e metas previstas no novo Pnatrans têm o potencial de preservar 86 mil vidas no período. Os gastos evitados com saúde pública e previdência chegariam a R$ 290 bilhões. Além da redução de mortes e lesões, o plano também busca aumentar em 20% a participação de modos ativos na mobilidade urbana do Brasil.

Seis pilares dão direção às ações do Pnatrans: gestão de segurança no trânsito, vias seguras, segurança veicular, educação para o trânsito, atendimento às vítimas e a normatização e fiscalização. “O Pnatrans conseguirá nos guiar para vias mais seguras e menos vítimas”, afirmou o secretário nacional.

NOVOS CONCEITOS  O Pnatrans também incorporou conceitos de Visão Zero e sistemas seguros, abordagens que partem do princípio de que seres humanos cometem erros, e a responsabilidade por evitar feridos e mortos no trânsito é compartilhada entre quem utiliza, projeta, constrói e fiscaliza o espaço viário.

Para promover sistemas seguros, o governo, em todas as suas esferas, deve agir de forma integrada e proativa para evitar que erros cometidos no trânsito resultem em mortes ou ferimentos graves. Da infraestrutura ao socorro às vítimas, passando por fiscalização e educação, a gestão da mobilidade segura envolve múltiplos órgãos governamentais, além do setor privado e a sociedade civil organizada.

A revisão do Plano reuniu esses setores, trabalhando de forma coordenada.

ARTICULAÇÃO – A articulação do Pnatrans a outras políticas de trânsito e mobilidade, como a Política Nacional de Mobilidade Urbana (PNMU) e o Código Brasileiro de Trânsito (CTB), subsidia a operacionalização das ações previstas nessa composição de estratégias e normativas. O plano fortalece o avanço institucional conjunto dessas políticas e se coloca como uma alternativa para a execução das ações orientadas pelos sistemas seguros.