“A esperança é de um final de ano muito mais livre que em 2020”, destaca infectologista da Prefeitura

O avanço da vacinação contra a covid-19 em Curitiba, que já imuniza a população em geral abaixo de 60 anos, traz a esperança de que as Festas de Final de Ano em 2021 sejam diferentes das do ano passado. A opinião é da infectologista da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, Marion Burger, que deixou ressalvas de que, além da imunização em massa, as medidas de distanciamento social e uso de máscaras serão necessários até se ter um controle total da situação.

“A minha esperança é de um fim de ano mais livre do que foi em 2020, mas até lá ainda teremos uma grande jornada para a normalidade. A gente espera uma população imune e mais protegida, mas sozinha ela não é a prevenção. Devemos por um tempo ainda evitar aglomerações, deixar os ambientes arejados e usar máscaras, que são fatores para você prevenir novos picos da doença”

Na entrevista nesta quinta-feira (10) à Banda B, a infectologista destacou que a imunização dos idosos acima de 70 anos, com a Coronavac, já deixaram o recado da importância da vacinação.

“Nós temos um número muito maior com duas doses de Coronavac que a Astrazeneca. A gente não pode fazer uma análise pessoal, mas sim populacional, porque a vacina não garante 100% de imunização. O impacto da Coronavac é muito importante, não à toa tivemos uma redução excelente em internamentos e óbitos da população acima de 70 anos. Além disso, os números da cidade de Serrana, em São Paulo, mostram isso também”

Como a população mais jovem não recebeu a imunização completa ainda, este público tem sido o principal afetado, com o aumento considerável de mortes.

“Se comparar todas as mortes entre 1° de novembro e 31 de dezembro de 2020, com os que aconteceram entre 1° de março e 30 de abril, a gente vê que, apesar do número de mortes ser bem maior, você tem uma mudança na faixa etária. Havia uma preponderância muito grande de pessoas acima de 60 anos, especialmente de 70, e isso mudou”

Além disso, com a imunização e o público mais jovem sendo afetado, mudou o principal fator de risco para doença.

Mudou, não só de faixa etária, mas também há comorbidade. Especialmente a obesidade se tornou um grande fator de complicação dos pacientes mais jovens. A faixa etária de 20 a 59 anos é 70% dos casos positivos e cerca de 7% interna. Como são muitos pacientes infectados, inevitavelmente acabam morrendo mais”

O boletim de ontem da covid-19 em Curitiba, por exemplo, 25 mortes pela covid-19, com 60% dos pacientes tendo menos de 60 anos.

Informações Banda B

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Drive do Zoo de Curitiba vai arrecadar ração para pets resgatados

Quem agendar visitas de carro ao Zoo de Curitiba a partir da próxima semana vai poder colaborar com o Banco de Ração da Rede de Proteção Animal da Prefeitura. No passeio, podem ser doadas rações comerciais para cães e gatos secas ou úmidas, em embalagens fechadas, que serão distribuídas às ONGs e protetores de animais parceiros da Rede. 

Os interessados podem entrar no Agenda Online a partir das 20h desta sexta-feira (18). Serão abertos quatro horários por dia (10h, 11h, 14h e 15h) de terça-feira a sábado. As rações serão entregues na entrada do drive-thru à equipe de recepção dos visitantes.

Foto: Pedro Ribas/SMCS

“Além de matar as saudades dos animais do Zoo e aprender sobre eles de um jeito diferente, a população vai poder ajudar pets resgatados”, diz o diretor do Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna, Edson Evaristo.

O Banco de Ração da Prefeitura de Curitiba existe desde 2019. Até hoje foram distribuídas 107 toneladas de alimento para os animais resgatados.

Leia mais aqui

Butantan entrega mais 2,2 milhões de doses de vacina contra a covid-19

O Instituto Butantan fez hoje (18) a entrega de mais 2,2 milhões de doses da vacina contra o coronavírus CoronaVac. O imunizante vai ser distribuído pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) para ser usado em todo o país. 

Com o lote de hoje, o Butantan alcança a marca de 52,2 milhões de doses entregues desde janeiro. A previsão é que até o final de setembro o instituto tenha disponibilizado 100 milhões de doses da vacina ao PNI.

A entrega de hoje é referente ao processamento de 3 mil litros de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) recebidos da China no último dia 25 de maio. A matéria-prima permitiu a produção de 5 milhões de doses.

O Butantan espera receber até o fim deste mês mais uma remessa com 6 mil litros de IFA para poder envazar mais 10 milhões de doses. 

Segundo os últimos dados disponibilizados pelo governo estadual, já foram aplicadas em São Paulo 20,2 milhões de doses, sendo 5,8 milhões da segunda dose da imunização.