Unespar abre inscrições em cursos de idiomas para pessoas de baixa renda de todo o Paraná

A Universidade Estadual do Paraná (Unespar) está com inscrições gratuitas até 31 de agosto para novas turmas do Programa de Línguas Estrangeiras (Prolen). São 40 vagas para inglês e 40 para espanhol, ambos em nível básico e no formato remoto. Para participar é necessário ter mais de 18 anos e residir em um dos 399 municípios do território paranaense. As inscrições são exclusivas pela Internet (aqui <https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfvtxSc-UsLF63-HWz-f-pgUN1KL0gz3Ky4koFUc-Fl-BcvmA/viewform> ), sendo possível se inscrever nos dois cursos.

Além das oportunidades para os idiomas inglês e espanhol online, estão previstas mais 25 vagas no curso de português para falantes de outras línguas (Pfol), na modalidade presencial, exclusivas para Campo Mourão, na região Centro-Oeste do Paraná.

A carga horária total de cada curso será de 30 horas, o que equivale a três horas semanais. Para aprovação e certificação é preciso cumprir 75% da carga horária e obter aproveitamento de 70% do conteúdo avaliado.

Conforme o edital <https://www.unespar.edu.br/prolen/edital-08-2022-aberta-as-inscricoes-para-os-cursos-do-segundo-semestre-do-prolen-unespar.pdf> , a seleção de candidatos vai priorizar pessoas oriundas de famílias registradas no Cadastro Único (CadÚnico) para programas sociais do Governo Federal, com renda familiar mensal per capita igual ou inferior a meio salário mínimo nacional, na ordem cronológica de inscrições.

O resultado dos classificados será divulgado em 2 de setembro no site da Unespar (unespar.edu.br/prolen <https://unespar.edu.br/prolen> ). A matrícula será realizada entre 9 e 13 de setembro. Já a chamada para vagas remanescentes será divulgada em 14 de setembro. As aulas terão início em 17 de setembro.

Quaisquer dúvidas e outras informações sobre o programa podem ser consultadas via e-mail, pelo seguinte endereço eletrônico: prolen@unespar.edu.br <mailto:prolen@unespar.edu.br> .

Serviço:

Programa de Línguas Estrangeiras (Prolen) da Unespar

Inscrições: até 31 de agosto

Público: Pessoas com mais de 18 anos residentes do Paraná

Resultado: 2 de setembro

Matrícula: 9 a 13 de setembro

Início das aulas: 17 de setembro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Memória, história e identidade: por que o Patrimônio Histórico-Cultural é responsabilidade também dos jovens

Certa vez, a historiadora Emília Viotti da Costa disse que “um povo sem memória é um povo sem história. E um povo sem história está fadado a cometer, no presente e no futuro, os mesmos erros do passado”. A frase parece refletir uma tragédia constante da sociedade brasileira, mimetizada em episódios como o do incêndio no Museu Nacional, no Rio de Janeiro, ocorrido em 2018. Iniciativas voltadas ao Patrimônio Histórico são tentativas de incentivar a educação patrimonial e a preservação das riquezas materiais e imateriais da sociedade brasileira.

Quando se fala em patrimônio histórico, a imagem que chega imediatamente à mente é a das grandes e imponentes construções que fazem parte da paisagem de muitas cidades brasileiras, mas estão alheias à dinâmica da população em geral. No entanto, o próprio Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) atualizou a nomenclatura para patrimônio cultural, o que engloba um conjunto de bens materiais e imateriais. “Esse conjunto inclui tradições, expressões artísticas, rituais, práticas, conhecimentos, obras de arte e construtivas, sítios arqueológicos, espaços paisagísticos, núcleos históricos de determinadas cidades, entre outros”, explica o professor de História e coordenador do Núcleo de Evolução de Conteúdo do Sistema Positivo de Ensino, Norton Frehse Nicolazzi Jr.

De acordo com o especialista, o frequente abandono do patrimônio se deve, em parte, à falta de investimentos na conscientização das novas gerações, mas não apenas. “Na prática, a coletividade não se identifica com o patrimônio quando ele é definido e imposto por órgãos específicos do poder público, sem que haja um diálogo com a sociedade como um todo”, destaca. Para ele, é preciso aproximar o público em geral desse tipo de decisão. Atualmente, no Brasil, quem decide o que deve ou não ser preservado são as agências de fomento cultural (fundações, associações, sociedades culturais, instituições, etc.). “O objetivo é construir uma visão do passado do país, o que pode causar distorções enviesadas da realidade”, salienta.

Patrimônio é identidade

Faz parte do patrimônio cultural de determinada sociedade tudo o que tem importância para a constituição de sua identidade e memória. Por isso é tão relevante trabalhar para que esse patrimônio seja sempre preservado. Assim como afirma Emília Viotti da Costa em sua frase mais famosa, não é possível guardar a história se não há preocupação com a memória.

De acordo com o Iphan, “a Educação Patrimonial constitui-se de todos os processos educativos formais e não formais que têm como foco o patrimônio cultural, apropriado socialmente como recurso para a compreensão sócio-histórica das referências culturais em todas as suas manifestações, a fim de colaborar para seu reconhecimento, sua valorização e preservação”. O órgão ainda destaca a importância de que esse processo de educação seja uma “construção coletiva e democrática do conhecimento”, sempre por meio de uma participação das comunidades que produzem as referências culturais. “O patrimônio cultural pode abarcar tudo o que consideramos que traz contribuições relevantes para a constituição da identidade e da memória da nossa sociedade”, finaliza Nicolazzi.

________________________ 

Sobre o Sistema Positivo de Ensino 

É o maior sistema voltado ao ensino particular no Brasil. Com um projeto sempre atual e inovador, ele oferece às escolas particulares diversos recursos que abrangem alunos, professores, gestores e também a família do aluno com conteúdo diferenciado. Para os estudantes, são ofertadas atividades integradas entre o livro didático e plataformas educacionais que o auxiliam na aprendizagem. Os professores recebem propostas de trabalho pedagógico focadas em diversos componentes, enquanto os gestores recebem recursos de apoio para a administração escolar, incluindo cursos e ferramentas que abordam temas voltados às áreas de pedagogia, marketing, finanças e questões jurídicas. A família participa do processo de aprendizagem do aluno recebendo conteúdo específico, que contempla revistas e webconferências voltadas à educação.

Planeta PUCPR retorna ao presencial em 2022

Depois de dois anos de atividades remotas em razão da pandemia de Covid-19, o Planeta PUCPR, tradicional feira de cursos e profissões da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), retorna à presencialidade em 2022. Em Curitiba, o evento será realizado nos dias 23 e 24 de setembro, enquanto em Londrina e em Toledo o Planeta PUCPR está marcado para os dias 06 de outubro e 29 de setembro, respectivamente.

“Há mais de duas décadas o Planeta PUCPR vem ajudando vestibulandos a tomarem melhores decisões sobre o seu futuro. Com o passar dos anos, o evento foi se aprimorando e hoje busca mostrar aos futuros universitários que a PUCPR é um ambiente que fomenta a inovação e valoriza a pluralidade de ideias”, afirma Vidal Martins, vice-reitor da PUCPR.

A PUCPR conta com graduações nas modalidades presencial, semipresencial e EAD (Educação a Distância). A Universidade é considerada a melhor instituição de ensino superior privada do Paraná e uma das melhores do Brasil, de acordo com o ranking da Times Higher Education, revista inglesa referência em Educação.

No Planeta PUCPR, os participantes poderão tirar dúvidas sobre projetos de pesquisa, bolsas, financiamento e internacionalização. 

Multiversidade – A programação do evento inclui sessões de bate-papo com os professores dos cursos, tour pelos câmpus, jogos e atividades interativas, experiências imersivas, apresentações culturais e food trucks. Ainda, serão realizadas oficinas para vivenciar os cursos na prática – em Curitiba, serão mais de 100 oficinas.

“Dizemos que a PUCPR é mais do que uma Universidade: é multiversidade. E se preparar para um futuro multi demanda vivenciar experiências de aprendizagem interdisciplinares e inovadoras, capazes de impulsionar e desenvolver todas as versões dos acadêmicos”, acrescenta Vidal.

A participação no Planeta PUCPR é gratuita, mas é necessário se inscrever previamente pelo site oficial do evento (https://planetapuc.com.br/), onde também estão disponíveis mais informações sobre a feira.

Vestibular – As inscrições do vestibular presencial da PUCPR para ingresso no primeiro semestre de 2023 podem ser realizadas durante o evento com a isenção na taxa de inscrição para o vestibular tradicional e o de Medicina.

Confira os dias e horários:

Câmpus Curitiba

Dia 23 de setembro (sexta-feira), das 13h às 18h, e dia 24 de setembro (sábado), das 9h às 17h

Rua Imaculada Conceição, 1155 – Prado Velho

Câmpus Londrina

Dia 06 de outubro (quinta-feira), das 8h30 às 18h

Av. Jockei Club, 485 – Hípica

Câmpus Toledo

Dia 29 de setembro (quinta-feira), das 8h às 11h30, das 13h30 às 17h e das 19h às 22h

Av. União, 500 – Vila Becker