Prefeitura começa produção de acessório que dá mais conforto no uso de máscaras

O FabLab do Cajuru começou a produzir em impressoras 3D, nesta terça-feira (19/5), extensores de máscaras faciais que serão doados a servidores da saúde, do resgate social e da Defesa Social de Curitiba. A invenção, que tem regulagem, prende os elásticos das máscaras aliviando a pressão sobre as orelhas dos profissionais, que precisam passar longas horas do dia com o equipamento de proteção individual (EPI) contra a covid-19.

O extensor feito no espaço de prototipagem da Prefeitura, na Rua da Cidadania do Cajuru, é uma evolução de dois outros dispositivos já desenvolvidos na capital.

“A partir de um trabalho de modelagem digital, chegamos a uma versão que combina o melhor das duas invenções anteriores, tanto em conforto como em rapidez de impressão 3D”, conta Cleverson Fuzetti, gestor do FabLab.

Os estudantes curitibanos Jhony Minetto Araújo e João Pedro de Ribas Nunes, de 16 anos, são os responsáveis pela criação de um dos extensores que deram origem à versão do FabLab. Eles se basearam em uma invenção do adolescente canadense Quinn Callander, de 13 anos, e já produziram e doaram 3,5 mil itens para hospitais e postos de saúde do município. “Agora, também vamos fabricar o extensor desenhado pelo FabLab”, afirma Jhony, que dedica boa parte do seu dia à fabricação do pequeno dispositivo em sua própria impressora 3D.

O extensor do FabLab também é uma evolução de uma peça desenhada por Márcio Hauagge Salatiel, fundador da startup curitibana Maha 3D, que oferece soluções técnicas em impressão digital. Desde março, o empresário também é voluntário na equipe que está produzindo máscaras-escudo no FabLab. “Começamos fazendo os ajustes para tornar mais simples a fabricação da máscara e, no mês passado, iniciamos também a modelagem digital de um protótipo de extensor. Chegamos a fazer alguns protótipos”, lembra ele.

“O FabLab tem essa missão de mobilizar as pessoas e empresas para o compartilhamento e desenvolvimento de produtos a partir de uma modelagem digital”, frisa Fuzetti.

Na  terça-feira (19/5), os primeiros extensores feitos no FabLab foram entregues para profissionais de saúde que estão fazendo a vacinação contra a gripe na Rua da Cidadania do Cajuru. A enfermeira Carmen Lúcia Ferreira, que atua no Posto de Saúde do bairro, testou o dispositivo e aprovou. “É uma ótima ideia, pois torna o uso da máscara muito mais confortável. Dependendo da máscara, a gente acaba com dor de cabeça usamos por muitas horas”, garante ela.

Além do extensor, também já são feitos no FabLab máscaras-escudos por impressão 3D e corte a laser, bem como protetores de acrílico para os setores de atendimento dos 39 Centros de Referência da Assistência Social (Cras) do município.

Linha de produção

Diariamente, o FabLab vai fabricar 130 extensores, que vão sair das 25 impressoras 3D que já produzem máscaras-escudo. As pequenas peças são de plástico, feitas em camadas de impressão. O filamento de plástico passa pela impressão 3D, esfria e solidifica no formato programado.

Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, lembra que é preciso um grande volume de matéria-prima de fabricação dos dispositivos no FabLab. “Pedimos que empresas do Vale do Pinhão e a população nos ajudem doando insumos, como as chapas PET, elástico e os filamentos para as impressoras 3D”,  reforça ela.

Ruas da Cidadania do Boqueirão e Boa Vista sediam mutirões de emprego

Ruas da Cidadania do Boqueirão e Boa Vista sediam mutirões de emprego

Quem está em busca de emprego terá duas chances para buscar recolocação no mercado de trabalho nesta semana. Serão 120 oportunidades para atuar no setor atacadista de Curitiba.

O primeiro mutirão é o Circuito Atacadista e acontecerá nesta terça-feira (22/11), das 9h às 16h, a sede do Sine (Sistema Nacional de Emprego), da Rua da Cidadania do Boa Vista, na Avenida Paraná, 3.600.

Os candidatos devem levar documentação. Um dos requisitos básicos para pleitear as vagas é ter ensino fundamental completo.

Na sexta-feira (25/11), na Rua da Cidadania do Boqueirão (Avenida Marechal Floriano Peixoto, 8.430, Boqueirão), acontece das 9h às 16h a seleção de candidatos para atuar no Max Atacadista, do Grupo Muffato.

Nesta oportunidade serão ofertadas 90 vagas para diversas funções em supermercado. O contingente vai operar a nova loja do grupo, que será inaugurada em breve no bairro Hauer. Não é necessário ter experiência, bastando ter o ensino fundamental completo.

Oportunidades nos bairros

Os processos seletivos são organizados pela Fundação de Ação Social (FAS), responsável pela política do trabalho e emprego em Curitiba, que oferta espaços públicos para as empresas que buscam profissionais.

Empresas interessadas em ofertar vagas de emprego e usar gratuitamente os espaços públicos do município para seleção de trabalhadores devem enviar e-mail para vagas@curitiba.pr.gov.br ou entrar em contato com a Central de Vagas do Sine pelo telefone (41) 3250-7436.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Imperatriz da Liberdade encerra no ano das Caravanas Étnico-Culturais em Curitiba

Escola de Samba Imperatriz da Liberdade se apresentou na Caravana Étnico-Cultural do Tatuquara. Foto: Divulgação

Os sambas-enredos da escola de samba Imperatriz da Liberdade encerraram, no sábado (19/11), a Caravana Étnico-Cultural do Tatuquara e as atividades do projeto implementado este ano pela Prefeitura.

A escola tem um histórico de sambas que remetem às religiões de matriz africana e à cultura negra.

A capoeira, arte afro-brasileira que é fortemente identificada com o movimento negro, também teve destaque. Foram duas apresentações, do Grupo Arte e Raça (que tem 25 anos dedicados a essa arte) e da Associação Berimbau Rosa.

Como parte da Caravana, mas realizada no dia 18/11 no Memorial de Curitiba, uma oficina abordou outra tema importante da cultura negra, as bonecas Abayomi. Confeccionadas com tecidos e retalhos, consta que originalmente eram feitas pelas mães escravizadas como forma de amenizar o sofrimento dos filhos. Se transformaram em símbolos de resistência.

As caravanas de Santa Felicidade, realizada no começo do mês, e do Tatuquara fizeram parte das celebrações do Dia da Consciência Negra (21/11).

“É necessário trazer cada vez mais temas da cultura negra, indígena e cigana para as pessoas”, defende Marli Teixeira Leite, titular da Assessoria de Promoção da Igualdade Étnico-Racial. “É a melhor forma de combater preconceitos e discriminações.”

Ano cheio

Além do Tatuquara, as regionais CIC, Cajuru, Bairro Novo e Santa Felicidade tiveram este ano suas edições do evento, que abre espaço para artistas e empreendedores negros, indígenas e ciganos, com apresentações artísticas, oficinas e feira de artesanato.

O objetivo é reforçar as ações afirmativas do município, ampliando a representatividade das etnias na cidade.

Como parte do Plano de Governo, os eventos voltarão a ser realizados em maio do ano que vem, com programação no Boqueirão, Boa Vista e Matriz. Todas as dez regionais da capital receberão sua Caravana.

LEIA MAIS

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba