Parceria com Itaipu prevê investimentos de cerca de R$50 milhões em segurança pública no Paraná

Considerado importante polo econômico e agroindustrial pela localização estratégica e pela fronteira com Argentina e Paraguai, e divisa com os estados do Mato Grosso do Sul e Santa Catarina, os quais são rotineiramente utilizados pelo crime organizado, o Oeste paranaense está ganhando um reforço na estrutura de Segurança Pública. A conquista se dá com apoio da Itaipu Binacional e pode envolver investimentos de cerca de R$ 50 milhões.

O objetivo é ampliar as atividades voltadas tanto à atuação preventiva contra a criminalidade quanto o suporte para os profissionais que trabalham com investigações e execução penal. O principal foco da parceria é construir melhores estruturas para os profissionais e para o cidadão.

Estão em tratativas projetos de construção, reformas e ampliações de unidades das instituições vinculadas à Secretaria, além da aquisição de veículos especializados para fortalecer a atuação do Corpo de Bombeiros. “Temos uma parceria excelente com Itaipu. Esses projetos fortalecerão a proteção da sociedade”, disse o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Segundo o diretor-geral brasileiro da Binacional, João Francisco Ferreira, a segurança pública é fundamental para o desenvolvimento regional e, por isso, continuará tendo o apoio da Itaipu. “Temos vários convênios firmados com os órgãos de segurança estaduais, mas também com as Forças Armadas, a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal. Já colhemos bons resultados com o aumento da segurança em nossa região. Por isso, a intenção é continuar mantendo os apoios dentro de nossa possibilidade. Seguimos juntos nessa batalha para consolidar a segurança pública”, afirmou.

Parceria e trabalho integrado são alguns dos principais pontos destacados pelo secretário de Segurança Pública, Romulo Marinho Soares. “O diálogo é fundamental para os ajustes dos projetos que estão nascendo em Foz do Iguaçu e região. Por isso, é preciso entender a realidade dos locais onde estão sendo aplicadas as obras e é necessário estar sempre presente para verificar o andamento para que as ações não parem”, acrescentou.

PROJETOS 

O aporte financeiro da Itaipu tira do papel projetos e obras relacionadas à Segurança Pública no Oeste e, a médio e longo prazos, mudará o cenário da região. Dos cerca de R$ 50 milhões previstos com a parceria, cerca de R$ 22 milhões devem ser aplicados na construção de uma Companhia do Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron) em Guaíra, na modalidade concorrência pública, prevista para junho. O local permitirá maior flexibilidade das equipes policiais para combater o crime organizado com operações, prisões e apreensões.

Outro ponto tratado com atenção é o fortalecimento de ações integradas entre as instituições da Secretaria da Segurança Pública em busca de melhores resultados. Além de fomentar operações e atividades conjuntas, será criado um Centro Integrado das Polícias em Foz para facilitar o atendimento ao cidadão em um mesmo lugar e permitir ações otimizadas pelas equipes policiais. O investimento da Itaipu nesta obra, após aprovação dos projetos, deverá ser em torno de R$ 2,6 milhões. Os projetos foram doados e estão em fase de aprovação pela Prefeitura de Foz do Iguaçu.

A Segurança Pública e a Itaipu, preocupadas em buscar meios para otimizar o andamento dos projetos e canalizar recursos, conta com parcerias com outras entidades, como é o caso da Associação dos Funcionários e Amigos da Polícia Civil de Foz do Iguaçu (AFAPC). Neste sentido, estão em andamento as tratativas para viabilizar a construção da Delegacia da Mulher e do Instituto de Identificação em Foz do Iguaçu. O terreno onde ficarão as unidades fica na região Central da cidade, já foi doado pela prefeitura e vai favorecer o atendimento à população. A obra, que terá investimento de aproximadamente R$ 1,7 milhão, está em fase de validação dos projetos.

Ampliações e reformas das unidades já existentes também estão em pauta. A Base Náutica de Entre Rios do Oeste, ponto estratégico para as operações da Polícia Militar no Rio Paraná, receberá investimentos para a reforma do espaço assim que houver a assinatura de convênio entre a Itaipu e o Governo do Estado, mesma condição da reforma de 20 delegacias da Polícia Civil da região, que objetiva melhorar as condições de trabalho dos policiais e, consequentemente, proporcionar um atendimento mais adequado ao cidadão. A reforma das unidades da Polícia Civil e da Base Naútica receberão investimento de cerca de R$ 3 milhões.

Na área de execução penal, a Secretaria está trabalhando juntamente com a Itaipu Binacional para que um convênio seja estabelecido a fim de proporcionar melhorias às unidades penais da região. A previsão é que o acerto entre as instituições possibilite cerca de R$ 2,8 milhões para a reforma e reparo de instalações do Depen.

VIATURAS 

Além de obras, a parceria vai possibilitar a renovação de parte da frota de veículos do Corpo de Bombeiros. A Secretaria já concluiu o plano de trabalho para aquisição de caminhões Auto Bomba Tanque e Resgate (ABTRs) e o documento está em análise na Itaipu para a celebração do convênio, com previsão de investimentos de aproximadamente R$ 5 milhões. As viaturas vão melhorar a efetividade dos bombeiros no atendimento de ocorrências nos municípios lindeiros da região Oeste.

PROPOSTAS 

Outros pautas em análise são a reforma do Colégio da Polícia Militar de Foz do Iguaçu, o antigo Bartolomeu Mitre. Análises preliminares apontam que a reforma custará aproximadamente R$ 3,8 milhões, mas ainda depende da elaboração de projetos para que o tema avance.

Ainda está em análise uma proposta de aquisição de um avião Airtractor de Combate a Incêndio Florestais para o Corpo de Bombeiros, que possibilitaria resultados mais efetivos nas operações em incêndios de maiores proporções. O investimento para compra da aeronave seria de aproximadamente R$ 12 milhões.

OUTROS PROJETOS 

A Itaipu também desenvolve outros dois projetos que incrementam a segurança regional no Paraná: o Muralha Inteligente, em parceira com a Receita Federal e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), no valor de R$ 18,8 milhões, e o Centro Integrado de Operações de Fronteira (Ciof), em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública e o PTI, no valor de R$ 2,4 milhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ratinho sanciona lei que permite monitoramento por vídeo de obras públicas no Paraná

O Governo do Estado e a população paranaense ganharam uma ferramenta importante para prevenir corrupção e desvio de recursos em construções de equipamentos públicos e estradas. O governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou, na última semana, a lei que prevê o monitoramento por vídeo de obras de engenharia do Estado.

O projeto foi elaborado pela Controladoria-Geral do Estado (CGE), recebeu emendas na Assembleia Legislativa e agora virou a Lei Estadual nº 20.685/21. O objetivo é aumentar a transparência e o controle social, além de permitir o acompanhamento remoto dos trabalhos contratados. O videomonitoramento permitirá a todo paranaense verificar a evolução de obras em tempo real pelo Portal da Transparência e denunciar irregularidades.

A novidade abrange obras e serviços de engenharia com valor superior a R$ 20 milhões, e o custo da implantação ficará a cargo da empresa vencedora da licitação. O cidadão também terá à disposição informações sobre o contrato, aditivos e valores por meio de um código QR-Code, que deverá estar impresso em todas as placas de obras do Governo do Paraná.

“O Paraná avança para ampliar a transparência e evitar que as obras públicas fiquem paradas, gastando recursos sem trazer benefícios à população. Agora todos os cidadãos paranaenses poderão contribuir com o Governo do Estado nesse controle”, afirmou Ratinho Junior.

INTEGRAÇÃO – O controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, explicou que o videomonitoramento integra o projeto Harpia, que reúne ferramentas de tecnologia para acompanhar todas as etapas de licitações. “As câmeras serão os ‘olhos’ da harpia, ave que ornamenta o brasão do Paraná”, comparou.

Ele explicou que essa inovação permitirá a participação das pessoas na fiscalização das obras. “Por meio das imagens, qualquer pessoa, inclusive a administração pública, poderá identificar se a obra está parada ou com baixa mobilidade, para que alguma providência seja tomada”, detalhou Siqueira.

Para ele, uma obra parada é pior que aquela não iniciada, principalmente pela deterioração natural da construção e por manter um “elefante branco”, que continua a consumir recursos públicos. “De certa forma, o videomonitoramento é uma garantia de continuidade da obra, que terá seu andamento acompanhado por servidores públicos, sem custos de deslocamento”, completou Siqueira.

Foto: AEN PR

CONTROLE SOCIAL – O projeto de videomonitoramento já está de acordo com a nova lei para licitações e contratos administrativos, a lei 14.133, de abril deste ano, que substituirá a Lei 8.666/93. No artigo 19, inciso III, da nova lei está explícito o acompanhamento de obras com recursos de imagem e vídeo. O mesmo artigo instrui a adoção de novas tecnologias e processos integrados.

O documento também atende a entidades de controle social ligadas à transparência pública, como Open Knowledge Brasil e Transparência Internacional. A disponibilização das imagens possui peso grande na avaliação dos estados feita pelas organizações da sociedade civil.

TRABALHO  O texto do projeto de lei foi elaborado pela Controladoria-Geral do Estado, sob a coordenação de Raul Siqueira. Ele elogiou, também, a colaboração de parlamentares estaduais na aprovação do videomonitoramento.

As empresas que estiverem com obras em curso terão seis meses para se adaptar ao novo modelo, que passará a constar em todos os editais de obras e serviços de engenharia contratados com o Governo do Paraná.

Ratinho confirma investimento de R$ 82 milhões para melhorar infraestrutura das escolas

Além do programa Robótica Paraná, que vai habilitar o curso de programação nas escolas da rede pública de ensino do Estado, o governador Carlos Massa Ratinho Junior confirmou nesta segunda-feira (30), durante evento no Palácio Iguaçu, o investimento de R$ 82 milhões em tecnologia para melhorar a infraestrutura dos colégios.

“Educação é prioridade do Estado. E, com esse aporte tecnológico, passaremos por uma transformação no setor. Ofereceremos preparação e atualização para um ensino moderno, que realmente prepare os jovens paranaenses para o futuro”, destacou o governador.

O montante é dividido em três ações, todas previstas já para esse semestre. A partir de outubro serão instalados 7,9 mil novos computadores nos laboratórios de informática em cerca de 400 escolas da rede, perfazendo um investimento de R$ 30 milhões.

Haverá um upgrade de velocidade da internet fibra, que passará dos atuais 25 ou 40 megabit por segundo (mbps) para 100 mbps em 1.628 escolas, todas localizadas em áreas em que a tecnologia está liberada. Por ano, o custo será de R$ 20 milhões.

Além disso, destacou Ratinho Junior, na segunda quinzena de outubro começam a ser entregues para o Núcleos Regionais de Educação (NREs) novos equipamentos de wi-fi (internet sem fio) para todas as salas de aula da rede estadual, em um investimento de R$ 31,9 milhões.

Ao todo serão distribuídos 23,5 mil access points (dispositivos de rede que permitem aos dispositivos sem fio se conectarem a uma rede cabeada), 2.150 switchs (dispositivo que conecta todos os aparelhos de uma mesma rede) e uma solução de gerenciamento centralizado para a Secretaria de Estado da Educação. 

“Estamos avançando e vamos avançar ainda mais. A tecnologia será aliada dos alunos, professores e pais em uma evolução sem precedentes”, disse Ratinho Junior.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior lançou nesta segunda-feira (30), no Palácio Iguaçu, o Programa Robótica Paraná. Mais de 2,5 mil kits de robótica serão entregues nas próximas semanas para 257 colégios da rede estadual do Paraná. – Foto Gilson Abreu/AEN

APLICATIVO  Aos suportes anunciados nesta segunda soma-se a recente atualização do aplicativo Escola Paraná para alunos da rede estadual e pais ou responsáveis. Lançado em 2017, o app é gratuito e permite o acompanhamento do dia a dia da escola. É possível consultar, por exemplo, a grade com horários de aulas, professores do dia, notas parciais e consolidadas, tela de avisos e agenda com datas de avaliações e entrega de trabalhos.

Agora, após passar por uma grande atualização, a ferramenta está com nova interface, mais intuitiva e fácil de navegar, e com novas funcionalidades para a comunidade escolar. Uma delas é o acesso, que antes era pelo código de matrícula mais o token enviado por SMS e, agora, pode ser feito pelo @escola, login pelo qual os estudantes já acessam demais plataformas educacionais em uso, como o Google Classroom.

Outra novidade é o controle de frequência, que mostra já na tela inicial o percentual de faltas do aluno – anteriormente havia apenas o número das ausências e era necessário fazer cálculos para ter essa informação. Estudantes e pais também podem agora ter acesso ao conteúdo planejado das aulas futuras, para saber o que provavelmente será abordado em determinado dia/disciplina. Após a aula, é possível confirmar o que foi realizado, conforme informado pelo professor. Além disso, foi criado um canal direto de atendimento, o “Fale com a escola”, para envio de solicitações, sugestões e dúvidas para a administração do colégio.

“Uma ferramenta aperfeiçoada, que vem para melhorar a relação entre aluno, escola e pais. Um novo passo que o Paraná dá para passar um ensino realmente de primeiro mundo para os estudantes”, comentou o secretário de Estado da Educação e do Esporte, Renato Feder.

Também está mais fácil, nessa versão 2.0, ter acesso ao histórico de notas de trimestres anteriores e foi inserido um espaço com as notícias do portal da Secretaria. Até três pessoas podem ter acesso ao mesmo usuário – o próprio estudante e mais duas: pai e mãe e/ou responsáveis. O desenvolvimento foi feito em conjunto pela Celepar com a Diretoria de Tecnologia e Inovação (DTI) da Secretaria da Educação.