Paraná recebeu menos vacinas que outros estados, admite ministro; deputado cobra reavaliação

A defasagem de doses de vacinas contra a covid19 que o Paraná recebeu em relação a outros estados foi admitida pelo ministro da Saúde Marcelo Queiroga nesta terça-feira (6) durante reunião, em Brasília, com o governador Carlos Massa Ratinho Junior. O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), 1º Secretário da Assembleia Legislativa do Paraná, disse que espera a reavaliação do Ministério Saúde na distribuição das cotas de vacinas contra o coronavírus entre os estados.

Romanelli tem alertado, desde as primeiras remessas, que o Paraná vem sendo prejudicado na divisão das vacinas, recebendo uma quantidade menor de doses em relação a outros Estados que possuem populações semelhantes ou até menores.

“Tenho questionado desde o início sobre o volume de vacinas entregues ao Paraná. Para se ter uma ideia, capitais como Fortaleza, Salvador e Campo Grande, já estão na faixa etária de 62 anos e nós aqui em Curitiba estamos travados nos 67 anos. Tem que ter uma explicação lógica”, disse.

Queiroga disse a Ratinho Junior que pode estar havendo defasagem na entrega de vacinas ao Paraná em relação às outras unidades da federação. As informações utilizadas pelo Ministério, em relação aos grupos prioritários, foram extraídas do censo de 2010, o que, segundo Queiroga, gera um descompasso com os dados atuais.

O ministro se comprometeu a reavaliar os dados para possivelmente incorporar, nos próximos lotes, doses que compensem essa defasagem.

Doses – Além da recomposição de quantitativos de vacinas contra a Covid-19, a pauta do encontro envolveu reedição da lei federal 13.979/20, que permitia contratações emergenciais, com dispensa de licitação, para atender necessidades de enfrentamento célere da pandemia.

“Tivemos uma boa conversa com o ministro, que nos confirmou a chegada de novas doses entre quinta ou sexta-feira e uma previsão de mais de 30 milhões de doses para o Brasil em abril, garantindo assim a primeira dose a mais grupos e as segundas doses de quem já foi imunizado”, afirmou o governador.

A previsão do Ministério da Saúde, segundo Queiroga, é de distribuir 30,5 milhões de doses nas próximas semanas e começar a imunizar até 1 milhão de pessoas por dia. O Paraná já recebeu 11 lotes de vacinas do Ministério da Saúde, totalizando 2.253.300 unidades, e imunizou mais de 1,2 milhão de pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Problemas no ferry-boat levam Guaratuba a decretar estado de calamidade pública

Os constantes problemas no ferry boat de Guaratuba, no Litoral do Paraná, levaram o município a decretar estado de calamidade pública nesta quarta-feira (14). Segundo a Prefeitura, no dia anterior ao decreto, uma balsa que fazia a travessia com o balneário Caiobá, em Matinhos, ficou à deriva.

Sobre a ocorrência, o prefeito da cidade, Roberto Justus, afirmou o serviço tem apresentado constantes problemas que oferecem riscos à integridade física dos usuários. Além disso, tem gerado atrasos na rotina de moradores e visitantes que vão à cidade.

“O decreto que acabo de assinar apenas formaliza uma situação que todos nós guaratubanos e as pessoas que frequentam a nossa cidade estamos constatando há várias semanas (…). Aquilo que em um primeiro momento poderia parecer apenas um dissabor em razão dos atrasos nas filas extrapola todos os limites (…)”, disse o prefeito em um pronunciamento nas redes sociais da Prefeitura, no fim da tarde de quarta (14).

O momento que a balsa ficou à deriva foi registrado por diversos internautas nas redes sociais. Segundo testemunhas, o ferry-boat ficou preso em um banco de areia. Há suspeitas que uma falha mecânica pode ter levado a situação.

O serviço, ainda na tarde de quarta, voltou a ficar normalizado após 40 minutos, de acordo com os usuários. A empresa que opera o serviço não se pronunciou sobre o caso.

Decreto

O município, a partir do momento que emitiu o decreto, exigiu que a dona da concessão para explorar a travessa na Baía de Guaratuba, apresente o alvará de funcionamento e atestados de vistorias das embarcações.

A medida, ainda de acordo com a Prefeitura, também permite a suspensão imediata do serviço prestado pela empresa.

Informações Banda B

Baleia jubarte é encontrada morta nesta terça-feira no Litoral

Uma baleia jubarte (Megaptera novaeangliae) foi encontrada morta em estado avançado de decomposição nesta terça-feira, 13 de julho, no balneário Shangrilá, em Pontal do Paraná. A comunidade local acionou a equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação de Mamíferos e Répteis Marinhos da UFPR (LEC) por volta das 8 horas da manhã, informando o encalhe do animal.

A equipe do LEC-UFPR, via Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS/UFPR), isolou a área, registrou o encalhe, avaliou a carcaça e coletou materiais biológicos e para a análise de saúde do animal.

A equipe de biólogos, médicos veterinários, e outros profissionais da área técnica conta também com o apoio da Prefeitura de Pontal do Paraná e Instituto Água e Terra (IAT) por meio da rede de encalhes de animais marinhos do Paraná. A rede atua em conformidade com o Protocolo de Atendimento a Encalhes de Animais Marinhos no Litoral do Paraná – PRAE (SEDEST/IAT/IBAMA), e com os protocolos nacionais da Rede Brasileira de atendimento a encalhe de mamíferos aquáticos/REMAB (CMA/ICMBIO).

Os pesquisadores vão investigar a causa da morte da baleia. Foto: Cesar Ramires/Prefeitura Pontal do Paraná.

A baleia é fêmea juvenil, com esqueleto completo, medindo 7 metros e, segundo informações prévias dos pesquisadores, não apresenta marcas de redes de pesca. Uma investigação completa em busca da informação da causa de morte do animal será realizada com auxílio de exames complementares laboratoriais.

Jubarte

As baleias jubartes da população do oceano Atlântico Sul vem ao Brasil anualmente para reprodução, mas passam o verão se alimentando na região Antártica. A principal área brasileira de reprodução é o litoral da Bahia, mas jubartes têm saindo avistadas com frequência na região sudeste e sul do Brasil.

No Paraná, desde o início do PMP-BS, já foram registrados encalhes de 14 baleias da mesma espécie, incluindo indivíduos adultos e jovens. Só nestes dois últimos meses, esta é a terceira baleia jubarte encalhada no litoral do Paraná.

O PMP-BS é realizado desde Laguna (SC) até Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos. O Laboratório de Ecologia e Conservação da Universidade Federal do Paraná (LEC/UFPR) é responsável por monitorar e avaliar os encalhes no Trecho 6, abrangendo os municípios de Guaratuba, Matinhos, Paranaguá, Pontal do Paraná e Guaraqueçaba (PR).

Vídeo:  Cesar Ramires/Prefeitura Pontal do Paraná.

Texto: LEC-UFPR.