Nova York registra 1º infectado com variante brasileira da covid-19

ESTADÃO – O estado de Nova York, nos Estados Unidos, detectou o primeiro caso de paciente infectado com a variante P1 da covid-19, a nova cepa identificada inicialmente em território brasileiro. A informação foi divulgada neste sábado, 20, pelo governador Andrew Cuomo.

O caso foi identificado por cientistas do Hospital Mount Sinai, na cidade de Nova York, e verificado pelo Departamento de Saúde do Wadsworth Center Laboratories. O DOH está trabalhando com o Departamento de Saúde e Higiene Mental da cidade de Nova York para obter mais informações sobre o paciente e possíveis contatos.

Segundo comunicado, o infectado é uma pessoa de 90 anos, moradora do Brooklyn e que não possui histórico de viagens recentes. Ainda não se sabe como o paciente contraiu o vírus. “A detecção da variante brasileira aqui em Nova York ressalta ainda mais a importância de tomar todas as medidas adequadas para continuar a proteger sua saúde”, disse o governador.

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, 48 casos da variante brasileira estão em análise no país. O primeiro caso de contaminação pela variante P1 foi identificado em Minnesota, no dia 25 de janeiro.

A entrada de brasileiros nos Estados Unidos está proibida desde 29 de maio de 2020. A medida não se aplica, no entanto, a residentes do país, pessoas casadas com um cidadão americano e filhos ou irmãos de americanos menores de 21 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Papa Francisco e Bento 16 tomam primeira dose de vacina contra o coronavírus

Os dois líderes católicos fazem parte do grupo de risco da doença devido à idade avançada

O papa Francisco, 84, e o papa emérito Bento 16, 93, receberam a primeira dose da vacina contra o coronavírus, de acordo com um comunicado do Vaticano divulgado nesta quinta-feira (14).

Os dois líderes católicos fazem parte do grupo de risco da doença devido à idade avançada. Segundo um porta-voz da Santa Sé, o pontífice argentino foi vacinado nesta quarta-feira (13), e o alemão na manhã desta quinta.

Na semana passada, Francisco confirmou que participaria da campanha de imunização e criticou o “negacionismo suicida” de quem se opõe à vacinação. “Acredito que do ponto de vista ético todos devem ser vacinados, porque você não só põe em risco a sua saúde, a sua vida, mas também a dos outros”, disse o pontífice.

Informações Banda B.

Indonésia começa vacinação contra a covid-19 com uso da Coronavac

A vacina, desenvolvida pela chinesa Sinovac Biotech, é a mesma fabricada pelo Instituto Butantan no Brasil

A Indonésia iniciou a vacinação contra o novo coronavírus, após aprovar o uso emergencial da Coronavac no país. O presidente Joko Widodo recebeu a primeira dose do imunizante nesta quarta-feira. A vacina, desenvolvida pela chinesa Sinovac Biotech, é a mesma fabricada pelo Instituto Butantan no Brasil.

O programa de vacinação da Indonésia é o primeiro fora da China a usar a Coronavac em larga escala. O país já registrou mais de 846 mil casos do novo coronavírus, com mais de 24,6 mil mortes.

O uso condicional da vacina está programado para ser liberado nos próximos meses, com prioridade para os profissionais de saúde, funcionários públicos e outros grupos de risco. A imunização será gratuita para todos os cidadãos do país.

O ministro da Saúde da Indonésia, Budi Gunadi Sadikin, disse que o país precisa vacinar 181,5 milhões de pessoas, ou cerca de 67% da população, para alcançar a imunidade coletiva. Isso significa que a vacinação em duas doses exigiria quase 427 milhões de doses, incluindo uma taxa de perda estimada em 15%.

A Indonésia recebeu o primeiro lote da Coronavac no dia 6 de dezembro e o guardou em armazéns resfriados cercados por guardas armados. Autoridades começaram a distribuir o imunizante para locais considerados chave ao redor do país enquanto aguardavam a autorização para uso.

Informações Banda B.