Feirantes de Curitiba doam 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis

Feirantes de Curitiba entregaram, nesta sexta-feira (8/5), 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis para o programa Mesa Solidária da Prefeitura. Os produtos serão usados no preparo dos lanches distribuídos a pessoas em situação de rua. Além disso, a partir da próxima terça-feira (12/5), comerciantes das feiras da capital também vão participar de um projeto piloto de doação de hortifrutigranjeiros para o Mesa Solidária.

Lançado no fim de 2019, o Mesa Solidária é uma ação conjunta de vários órgãos do município, como Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN), Fundação de Ação Social (FAS) e Secretaria Municipal de Defesa Social, que cedem espaços e apoio logístico, com instituições religiosas, organizações não-governamentais (ONGs) e movimentos de apoio às pessoas em situação de rua, que adquirem, preparam e servem os alimentos.

O secretário municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, Luiz Gusi, parabenizou os comerciantes das 89 feiras da capital pela iniciativa de fazer a doação dos alimentos.

“Apesar da queda das vendas os feirantes durante a pandemia, eles tiveram a solidariedade despertada e se uniram para fazer a aquisição dos itens”, afirmou o secretário.

As marmitas e lanches do Mesa Solidária são servidos gratuitamente, no contraturno, nos restaurantes populares do Capanema (das 19h às 21h) e da Matriz (das 16h às 18h). O atendimento é feito por equipes da Prefeitura e voluntários das 30 instituições parceiras. Atualmente, são servidos 750 lanches e marmitas diariamente para pessoas em situação de rua.

Sensibilização

Gusi contou que, desde abril, a Prefeitura tem feito um trabalho de sensibilização dos feirantes para a importância de toda a comunidade apoiar o Mesa Solidária, que oferece dignidade às pessoas em situação de rua, ao ofertar alimentação com qualidade em espaços limpos e mais confortáveis.

“Os comerciantes conheceram o programa e, antes mesmo de começarem a fornecer hortaliças e verduras para as refeições, tomaram a iniciativa de comprar os alimentos não perecíveis para a doação”, recordou. Foram entregues itens como macarrão, fubá, trigo, óleo e feijão. Este último, inclusive, produção dos próprios feirantes.

Com bancas nas feiras noturnas e gastronômicas da capital, Oswaldo Brasil afirmou que todos os comerciantes estão mobilizados para ajudar o município a reduzir os impactos da doença junto à população mais carente. “A gente conheceu o trabalho da Prefeitura e das entidades parceiras que estão no Mesa Solidária e estamos conscientes da importância de apoiar”, observou o feirante.

Voluntária do Terreiro Vovó Benta, Luciane Macedo contou que os alimentos doados pelos feirantes são fundamentais para a continuidade do preparo dos lanches fornecidos nos restaurantes populares. “Antes, estávamos conseguindo os alimentos com as doações voluntárias feitas pelas pessoas atendidas por nossas terapias. Mas com a pandemia, os tratamentos foram suspensos e dependemos de ações solidárias como dos feirantes”, explicou. Desde o fim do ano passado, o Terreiro Vovó Benta participa do Mesa Solidária.

Hortifrútis

A partir das próxima terça-feira (12/5), os feirantes de Curitiba também participam de um projeto-piloto de doação de hortifrutigranjeiros que perderam o padrão comercial para o Mesa Solidária. Serão hortaliças, legumes e verduras com algum tipo de ‘machucadinho’, além de folhas e talos descartados pelo consumidor na hora da compra, mas que são muito ricos em nutrientes. O projeto-piloto começa pela Feira do Rebouças, que ocorre das todas as terças, das 7h às 11h30, na Rua Nunes Machado.

Segundo Gusi, a parceria do Mesa Solidária com os feirantes da Feira do Rebouças segue a missão da Prefeitura de reduzir o desperdício e promover o aproveitamento integral dos alimentos. “Precisamos entender que alimento não é lixo. Não podemos jogar comida fora enquanto tanta gente passa fome”, comentou o secretário. Ele prevê que, nos próximos meses, outras feiras também façam doação de hortifrútis ao programa. Curitiba conta com feiras livres diurnas, livres noturnas, gastronômicas e orgânicas.

Renato Borguetti faz show gratuito em Curitiba neste sábado

Neste sábado, dia 02 de julho, a área externa do Jockey Eventos, em Curitiba (PR), vai se transformar em um grande templo de celebração à boa música. Com oito horas de programação gratuita, o Blues Jazz Brasil Festival, sucessor do Festival BB Seguros de Blues e Jazz, vai reunir atrações nacionais e internacionais de peso em uma estrutura exclusiva com opções gastronômicas, ações de sustentabilidade e atividades para o público infantil. Entre os grandes destaques do evento, estará o gaúcho Renato Borghetti.

Desde o lançamento de seu primeiro álbum, em 1984, Renato Borghetti, consagrou-se como um dos grandes executores da gaita ponto, um dos instrumentos musicais mais marcantes da música sulista. Figura frequente em grandes festivais no Brasil e no mundo, ele sabe como poucos mesclar o som brasileiro, o latino e muito mais com criatividade, energia e assinatura própria.

Além de Renato Borghetti, o Blues Jazz Brasil Festival, que contará também com diversas opções gastronômicas e recreação infantil, vai receber outros sete grandes nomes da música nacional e internacional: Yamandu Costa, Hélio Brandão Sexteto, Tia Caroll (EUA), Orleans Street Jazz Band, Escalandrum (Argentina), O Bando Rock & Blues e Isabela Morais.

O Blues Jazz Brasil Festival será realizado neste sábado, dia 02 de julho, das 11h às 19h, na área externa do Jockey Eventos (Rua Dino Bertoldi, nº 740 – Tarumã), no bairro Tarumã. A entrada é gratuita. Mais informações no perfil oficial do evento no Instagram (@bluesjazzbrasil).

Café Cultura lança café em cápsula com venda para todo o Brasil

O Café Cultura, uma das principais redes de cafeterias do Brasil, acaba de lançar um novo produto focado em clientes que querem aproveitar o melhor dos cafés especiais da marca de forma prática e saborosa, em casa. A partir de agora, a rede disponibiliza café em cápsula, que pode ser adquirido nas unidades físicas do Café Cultura ou no site oficial (www.cafeculturabrasil.com), com entrega em todo o Brasil. Para abrir a nova linha, foi escolhido o House Blend, sucesso nas 32 lojas físicas espalhadas pelo país.

O House Blend traz equilíbrio entre doçura, acidez e corpo. Na composição, leva os grãos Bourbon Amarelo, Catuaí Vermelho e Icatú Amarelo. O café especial é torrado e moído, protegido em atmosfera diferenciada, valorizando o aroma mais rico e sabor marcante do espresso. A caixa, que custa R$ 34,90, conta com dez cápsulas, feitas de alumínio e compatíveis com as máquinas Nespresso. Mais sustentáveis, vêm com instruções para reciclagem, valorizando o cuidado com o meio ambiente.

Em franca expansão, a rede Café Cultura está presente em cinco estados brasileiros, e figurou no Prêmio Melhores Franquias 2021 como a quinta maior rede de cafeterias do Brasil, e em 2022 ganhou o Selo de Excelência em Franchising ABF. Além dos espaços físicos em cidades como Rio de Janeiro, Florianópolis, Curitiba, Cuiabá e Porto Alegre, o Café Cultura agora amplia seu atendimento com produtos para consumo em casa. “Os produtos disponíveis no site são uma forma de alcançar um maior público interessado em cafés especiais que está em cidades que ainda não temos presença física”, comenta Luciana Melo, CEO do Café Cultura.

A venda de cafés especiais em cápsulas se une a outras pedidas da rede catarinense que, além de servir seus cafés próprios nas lojas, resolveu apostar no consumo de seus blends em casa, com entregas em todo o Brasil, ampliando seu alcance territorial. Há escolhas como os cafés em pó, que incluem blends como o Peaberry, de grãos Bourbon Amarelo, que traz uma bebida mais aveludada e adocicada com toques de baunilha. Outro produto de destaque é o Drip Coffee: café em sachê que filtra direto na xícara, em processo semelhante ao chá, mas com um processo particular de preparo que mantém as principais características do café.

Sobre o Café Cultura

A rede Café Cultura foi fundada pelo casal Joshua Stevens e Luciana Melo em 2004, em Santa Catarina. A preocupação com toda a cadeia de produção dos cafés é foco da marca, que ganhou projeção nacional com o conceito Farm to Cup, de controle dos grãos da fazenda até a xícara. São selecionados grãos plantados acima de 1000m de altitude em fazendas do Espírito Santo e Minas Gerais, e os blends são elaborados no Café Cultura Lab, laboratório próprio da marca.

O novo House Blend em Cápsulas já está disponível nas lojas físicas da rede Café Cultura e no site www.cafeculturabrasil.com, com entregas em todo o Brasil.