Confira informações sobre pagamento do auxílio emergencial

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, falou nesta quarta-feira (6) sobre o pagamento do auxílio emergencial.

Veja na íntegra

Caixa diz que conseguiu reduzir filas nas agências

A Caixa divulgou hoje (6) nota em que informa sobre uma “redução considerável das filas nas agências em todo o país”. Em muitos casos, diz o banco, unidades que antes tinham aglomeração de pessoas em busca do saque do auxílio emergencial tiveram suas filas zeradas antes da abertura das portas, às 8h.

O banco reforça que não é preciso madrugar nas filas. Todas as pessoas que chegarem às agências durante o horário de funcionamento, de 8h às 14h, serão atendidas, garante a Caixa. Mesmo com as unidades fechando às 14h, o atendimento continua até o último cliente do dia.

Cerca de 2 milhões sem conta ainda não resgataram auxílio de R$ 600

Até a tarde de ontem, dos 18,5 milhões de brasileiros sem conta bancária que receberam a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), 16,49 milhões resgataram o benefício, disse o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Cerca de 2 milhões receberam o dinheiro nas contas poupanças digitais, mas ainda não o movimentaram.

A maior parte dos desbancarizados que fez o resgate optou por transferir o dinheiro para contas da Caixa em nome de parentes ou de amigos. Segundo Guimarães, 7,34 milhões fizeram essa opção, que, conforme explicou, equivale à retirada do auxílio. Uma hipótese para essa opção é de que a conta poupança digital permite transferências ilimitadas e sem custo para outras contas da própria Caixa.

Saiba como pedir a renda básica emergencial de R$ 600

Paga a trabalhadores informais de baixa renda e a beneficiários do Bolsa Família, a renda básica emergencial de R$ 600 ou de R$ 1,2 mil para mães solteiras será depositada de forma automática para quem já está inscrito no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) e tem conta no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal. Os demais trabalhadores terão de se cadastrar no aplicativo Caixa Auxílio Emergencial ou no site Auxílio Caixa.

Edição: Liliane Farias / Agência Brasil

Agência do Trabalhador de Curitiba promove ação de inclusão da pessoa com deficiência

A Agência do Trabalhador de Curitiba promove na próxima semana uma ação para inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho. Entre os dias 21 e 27 será disponibilizado um site exclusivo (www.diadonline.pr.gov.br) para cadastro de currículos e laudos médicos para oportunidades de emprego. Até o momento, são ofertadas 515 vagas e 34 empresas confirmaram a participação. Os setores com maior número de vagas disponíveis são os de Serviços, Comércio, Construção Civil e Indústria.

Nas demais Agências do Trabalhador do Paraná a ação acontecerá no Dia D, em 21 de setembro, apenas de forma presencial, e contará com participação de empresas dos municípios (regiões) para incentivar a inclusão social e profissional de trabalhadores com deficiência e reabilitados do INSS ao mercado. A realização é do Departamento do Trabalho e Estimulo à Geração de Renda e do Departamento da Política para Pessoa com Deficiência da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho.

Devido à pandemia, os interessados devem agendar um horário para atendimento a partir do dia 18 pelo site http://justiça.pr.gov.br/trabalho.

As empresas devem atender ao artigo 93 da Lei nº 8.213/91, que determina que os empregadores com 100 ou mais funcionários precisam preencher de 2% a 5% dos seus cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas com deficiência, em um índice que varia de acordo com a quantidade total de empregados.

Informações AEN.

Deixar animais soltos em ruas e praças pode gerar multa de até R$ 2 mil em Curitiba

Projeto de lei que reforça punição à maus-tratos foi aprovado em 1º turno na Câmara Municipal.

Os vereadores de Curitiba aprovaram nesta quarta-feira (16), por unanimidade e em 1ª discussão, o projeto de lei que, entre outras coisas, estabelece multa de R$ 200 a R$ 2 mil para quem abandonar animais em ruas e espaços públicos. O projeto modifica  modifica lei já existente e amplia as práticas consideradas como crime de maus-tratos a animais.

A proposta da vereadora Katia Dittrich (Solidariedade) lista 24 ações ou omissões como maus-tratos, o dobro do que previa a lei de 2011. Entre os novos comportamentos que caracterizam o crime, o mais significativo é o de abandono.

“Deixar o animal solto em vias e logradouros públicos” como diz o texto do projeto, vai passar a doer no bolso, com multas de até R$ 2 mil no caso de flagrante ou denúncia comprovada. As medidas seguem a linha de projeto semelhante porém ainda mais rigoroso e que prevê responsabilização criminal, aprovado no Senado Federal na semana.

Outros dois pontos polêmicos do projeto são a proibição expressa de ‘passeios’ desacompanhados e abandono de animais idosos ou doentes. No primeiro caso está prevista responsabilização dos tutores com multa, pelo risco do animal sofrer ou causar acidentes, além de permitir uma possível cria indesejada” e no segundo uma característica de agravante ao crime de maus-tratos, pela vulnerabilidade dos bichos.

Para entrar em vigor, o projeto precisa ser aprovado em 2ª discussão para depois ser sancionado ou não pelo prefeito.  Caso seja sancionada, a lei então terá um prazo para regulamentação.

Informações Banda B.