Cinemateca apresenta mostra de filmes sobre refugiados

  A Cinemateca de Curitiba apresenta a partir desta quinta-feira (1º) a mostra “Olhares sobre o Refúgio”, com exibição até domingo (4), sempre às 19h, de produções sobre o drama de refugiados. A mostra é promovida pela ACNUR – Agência da ONU para Refugiados como parte das comemorações pelo Dia Mundial do Refugiado, celebrado em 20 de junho.

A mostra está sendo exibida em cinco capitais brasileiras. Em Curitiba, serão apresentados quatro documentários: o curta-metragem canadense “Bem-vindo ao Canadá”; o filme “Estou com a Noiva”, uma co-produção da Itália e Palestina; “Exodus – De onde eu vim não existe mais”, realização conjunta de Brasil e Alemanha; e a produção nacional “Era o Hotel Cambridge”. A entrada é franca.

Serviço:

Mostra Olhares sobre o Refúgio

Local: Cinemateca de Curitiba – R. Carlos Cavalcanti, 1174

Data: 1º a 4 de junho de 2017 (quinta-feira a domingo)

Horário: 19h

Entrada franca

Informações: (41) 3321-3310

 

 

MOSTRA “OLHARES SOBRE O REFÚGIO”

 

BEM-VINDO AO CANADÁ. Welcome to Canada

Direção: Adam Loften e Mary Fowles. 19 min. Canada, 2016. Documentário

Este curta-metragem conta a história de Mohammed Alsaleh, um jovem refugiado sírio que vive no Canadá desde 2014. Depois de ter sido preso e torturado, Mohammed busca reconstruir a sua vida no Canadá. Ele aconselha famílias sírias recém-chegadas pela mesma ONG de Vancouver que o ajudou durante seu próprio processo de acolhida no país. Como Mohammed, essas famílias deixaram seus entes queridos para trás e estão se esforçando para se adaptar a uma nova terra, encontrando resiliência e esperança para um novo começo.

 

ESTOU COM A NOIVA. Io sto con la sposa.

Direção: Antonio Augugliaro, Gabriele Del Grande e KhaledSoliman Al Nassiry.  89 min. Itália/Palestina. 2014. Documentário

Um poeta palestino e um jornalista italiano conhecem um grupo de sí­rios e palestinos em Milão, que entraram na Europa através da ilha italiana de Lampedusa, com o objetivo de escapar da guerra na Síria. Eles decidem ajudar os refugiados a completarem sua jornada rumo à Suécia por meio de um casamento arranjado e, com sorte, assim evitar que sejam presos como traficantes. Com um dos palestinos vestido de noiva, e sírios e italianos como supostos convidados do casamento, eles cruzam metade da Europa em uma jornada de quatro dias e três mil quilômetros. Inspirado em fatos reais que aconteceram na estrada entre Milão e Estocolmo no ano de 2013.

 

EXODUS – DE ONDE EU VIM NÃO EXISTE MAIS

Direção: Hank Levine. 105 min. Brasil/Alemanha. 2016. Documentário.

Acompanhando as jornadas de seis refugiados, Napuli, Tarcha, Bruno, Dana, Nizar e Lahtow, esta é uma observação sobre o estado do mundo frente à crise dos refugiados que se espalhou por todo o planeta, visto que cada vez mais pessoas deixam seus lares para fugirem de motivos diversos como guerras e epidemias, buscando um porto seguro para recomeçar suas vidas.

 

ERA O HOTEL CAMBRIDGE

Direção: Eliane Caffé. 93 min. Brasil. 2017. Ficção Documental.

Refugiados recém-chegados ao Brasil dividem com um grupo de sem-tetos um velho edifício abandonado no centro de São Paulo. Além da tensão diária que a ameaça de despejo causa, os novos moradores do prédio terão que lidar com seus dramas pessoais e aprender a conviver com pessoas que, apesar de diferentes, enfrentam juntos a vida nas ruas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Oficinas gratuitas fazem parte do Festival Internacional de Videomapping 

Oficinas gratuitas de audiovisual fazem parte da programação do FIV – Festival Internacional de Videomapping de Curitiba, que acontece de 25 a 27 de agosto, no Paço da Liberdade (Praça Generoso Marques – Centro). Com foco na projeção mapeada, tema central do evento, os cursos e palestras vão apresentar conceitos e técnicas iniciais tanto para videomakers quanto para o público em geral.
 
A primeira oficina acontece entre 16 e 19 de agosto, no Sesc Paço da Liberdade. Manolo Fraga, o VJ Iluminous, vai apresentar a história e técnicas de videotecagem e projeção mapeada. As aulas acontecem das 13h às 18h na Sala de Cinema do Paço. São 35 vagas (inscrições devem ser feitas pelo site fivbr.com/oficinas).
 
No último dia do evento (27 de agosto), o VJ Ygor Marotta, do duo VJ Suave, vai promover para adolescentes de 12 a 14 anos um workshop de Tagtool – um aplicativo de desenho e animação colaborativo para iPad que possibilita realizar projeções na fachada de edifícios. Serão abertas quatro turmas para até 12 inscritos cada. O workshop será realizado no Cine Passeio (R. Riachuelo, 410 – Centro). 
 
Outros cursos e palestras, apresentados por nomes de referência em videomapping, passarão por temas como interação entre som e imagem, uso de projeção mapeada em diferentes expressões artísticas e intervenção urbana. Haverá opções presenciais e online. A programação completa, com informações sobre requisitos para as oficinas e formulários de inscrição, será disponibilizada no site do Festival (fivbr.com). 
 
Sobre o FIV
Em sua primeira edição, o FIV – Festival Internacional de Videomapping levará uma extensa programação de projeções mapeadas ao Paço da Liberdade, no centro de Curitiba, entre os dias 25 e 27 de agosto. As projeções são inéditas e foram criadas por artistas audiovisuais de três continentes. Os melhores trabalhos – recebidos por meio de um edital de divulgação, em julho – serão premiados.
 
Além dos espetáculos visuais, o FIV oferece oficinas e masterclasses com artistas conceituados na área do videomapping. O evento tem apoio da Lacta, realização da Labirinto Produções e incentivo do Profice (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná), além de apoio cultural do Sesc Paço da Liberdade/Fecomércio e do Cine Passeio/Instituto Curitiba de Arte e Cultura (Icac)/Fundação Cultural de Curitiba.
 
Mais informações
fivbr.com
facebook.com/fivbrasil
instagram.com/fiv_br

“Sublime ao Entrar” une fotografia e o debate sobre o autismo em exposição no Centro Cultural Sistema FIEP

Tema de grande relevância em todos os meios sociais, o autismo ganha um novo espaço de debate em Curitiba a partir do dia 16 de julho. É a exposição Sublime ao Entrar, de Aline Provensi, que chega ao Centro Cultural Sistema FIEP, Unidade Dr. Celso Charuri, no centro da cidade.

Psicóloga, especialista em autismo, artista e também autista, foram três anos de construção até que o trabalho de Aline chegasse ao formato que será exibido ao grande público. Sublime ao Entrar surgiu a partir da vivência da artista como acompanhante terapêutica de Felipe, um menino autista acompanhado por ela dos 7 aos 9 anos, tempo no qual participou ativamente da sua rotina diária

“Sublime ao entrar é uma forma que encontrei de expressar como precisei dissolver minhas barreiras para acessar o Felipe e construir uma relação horizontal com ele. Acredito ser impossível pensar em inclusão sem dissolvermos estes padrões tradicionais de o que é inteligência, o que é normal, o que é aceitável. Há formas diferentes de comunicar, de pensar e de ser, e todas elas são versões igualmente válidas de ser. Sublime ao entrar fala um pouco sobre isso”, diz Aline.

A vivência com Felipe permitiu à artista um novo olhar sobre si mesma e a identificação crescente de semelhanças entre os dois. Alguns anos depois, aos 25 anos, Aline teve também o diagnóstico de autismo. A curadora Milena Costa explica que “Sublime ao Entrar percorre o universo de Felipe e Aline, suas percepções enquanto pessoas autistas e seus processos de encontro de si”.

Familiarizada com o desenho como forma de se expressar, Aline Provensi administra a página Tirinhas da Sara (@tirinhasdasara), que conta histórias em quadrinho da personagem principal Sara, uma menina autista, e de seus amigos, todos pessoas com algum tipo de deficiência. “A arte veio naturalmente para a minha vida. Utilizo as ilustrações e as fotografias majoritariamente como forma de expressão e de aprofundamento na minha atuação na psicologia. Meu pensamento é visual, então naturalmente eu penso em fotos. Sempre precisei desenhar para me expressar melhor ou me regular emocionalmente. A imagem é como eu vivencio o mundo, para mim esse é o cotidiano. Eu experiencio a arte como forma de me entender e entender o que está à minha volta”, conta Aline.

Sublime ao Entrar tem abertura em 16 de julho de 2022 e será uma exposição com obras interativas, inclusiva para autistas e adaptada para as demais deficiências. Acompanhe as novidades em @sublimeaoentrar.

SERVIÇO:

Sesi Cultura Paraná apresenta: Sublime ao Entrar: fotografias por Aline Provensi
Abertura: 16 de julho de 2022, a partir das 14 horas
Horário: De segunda a sábado, das 10h às 18h com monitoria disponível se segunda à sexta-feira.
Local: Centro Cultural Sistema FIEP, Unidade Dr. Celso Charuri – Rua Paula Gomes, 270 – São Francisco – Curitiba – PR
Informações: (41) 3271 9560 e @sublimeaoentrar
Entrada Franca