Aulas GRATUITAS de surf em Curitiba

Não tem onda nem areia. Mesmo assim, um grupo de crianças e adolescentes, de 9 a 17 anos, se diverte e aprende durante aulas de surf indoor promovidas no Clube da Gente Santa Felicidade.

A atividade é gratuita, acontece às sextas-feiras, das 8h às 9h30, e tem vagas disponíveis para a garotada. Para fazer a inscrição basta procurar a secretaria do Clube da Gente, na Rua Daniel Cesário Pereira, 681. É preciso apresentar atestado de aptidão física e dermatológico.

Aula do projeto de iniciação ao surf no Clube da Gente de Santa Felicidade. Curitiba, 18/10/2019.
Foto: Levy Ferreira/SMCS

O objetivo é treinar com a prancha na piscina para que a garotada aprenda o básico do esporte e desenvolva conhecimentos e habilidades para depois entrar no mar.

Nas aulas a turma aprende a subir em diferentes modelos de prancha, remar, se equilibrar. Também são ensinadas as técnicas de como cair da prancha na água e apneia, para ampliar a resistência respiratória embaixo da água.

Força e resistência

O projeto de iniciação esportiva e transição para a prática do surfe é desenvolvido pelo professor da Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Cláudio Filietaz, o Crispim, com a participação de voluntários.

Adepto ao surfe, o professor explica que a modalidade desenvolve força, potência e resistência muscular nos praticantes, além de agilidade, coordenação, velocidade e equilíbrio.

O projeto também ensina a confecção e conserto de pranchas de surfe e de stand up padle. “É uma oportunidade para desenvolver o interesse das crianças em aprender uma atividade diferente, de dedicar o tempo para algo que pode ser lúdico e também gerar renda, além de promover sustentabilidade”, diz o professor.

Esporte apaixonante

O estudante Denis Eduardo Almeida Rosa, 15 anos, estava sedentário, sem motivação para praticar qualquer atividade física.

“Resolvi tentar e logo me apaixonei pelas aulas de surfe. Hoje eu já consigo subir na prancha, remar, dar peixinho e ficar em apneia”, conta Denis.

O projeto é também uma experiência positiva em inclusão. Tiago Evanoski, 25 anos, tem autismo e participa do projeto na companhia da mãe, a dona de casa Priscila Neri Evanoski, que observa semanalmente melhora no desenvolvimento do filho.

“Ele desenvolveu força física e coordenação motora. Tem o ensinamento do professor, a ajuda dos amigos e a colaboração dos voluntários que estão fazendo ele progredir muito bem”, revela Priscila.

Batismo no mar

Boa parte dos alunos do projeto chegam para as aulas sem nunca terem vivenciado uma experiência de surfe. Alguns sem nem saber nadar. Em pouco mais de quatro meses de aulas, a turma já está preparada para o batismo no mar.

A experiência vai acontecer no domingo (27/10), pela manhã, na praia de Matinhos, no litoral do Paraná. A estreia será acompanhada pelos voluntários que auxiliam Crispim nas aulas, como a empresária e ativista pelo meio ambiente Amália Pereira.

“Participar do projeto é uma forma de promover educação ambiental, de formar multiplicadores de ações de preservação, especialmente da vida marinha”, diz Amália.

 

Serviço: aulas de surfe indoor

Local: Clube da Gente Santa Felicidade (Rua Daniel Cesário Pereira, 681)
Telefone: (41) 3296-3261

 

Via: Prefeitura de Curitiba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TRAGÉDIA: Grave acidente na BR-277 na noite de domingo(2)

Na noite deste domingo (2) aconteceu um gravíssimo acidente na BR-277 envolvendo vários carros com 30 vitimas ao total, 7 mortos e o restante feridos. INFORMAÇÃO ATUALIZADA LOGO ABAIXO.

Segundo o site Plantão 190, um incêndio na vegetação foi uma das causas da tragédia. Várias lives aconteceram no local, que ficam na divisa de Curitiba e São José dos Pinhais, na altura da ponte do Rio Iguaçu.

INFORMAÇÃO ATUALIZADA

Ao todo o acidente fez 30 vítimas. Dessas 30 vítimas, 7 morreram no local. Duas vítimas foram socorridas em estado grave. Cinco vítimas foram socorridas com lesões sem risco de morte e 16 pessoas sofreram ferimentos leves.

Plantão 190

Tradição de Curitiba, Mercado Municipal faz 62 anos hoje

O Mercado Municipal de Curitiba comemora, neste domingo (2/8), 62 anos de atividades e de referência para curitibanos e turistas quando assunto é hortifrutigranjeiros, cereais, carnes, peixes, especiarias e comidas de todas as partes do mundo. Devido à pandemia do novo coronavírus, o tradicional espaço da Prefeitura não está abrindo aos domingos (Decreto 940), mas de terça a sábado é possível fazer compras no local com todos os cuidados necessários para evitar aglomerações e proteger fregueses e funcionários. 

De acordo com o prefeito Rafael Greca, mesmo sem festa neste ano para celebrar a data, é preciso comemorar o aniversário do Mercado Municipal, devido à excelência dos alimentos e dos serviços oferecidos pelos comerciantes do espaço.

“São décadas de história e de vidas que se entrelaçam, ligando frequentadores, permissionários e trabalhadores que transformaram o Mercado Municipal em um dos principais centros de compra da cidade e referência em todo o país”, afirma Greca.

O prefeito destaca ainda a parceria da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN), responsável pelo local, com a Associação dos Comerciantes Estabelecidos no Mercado Municipal de Curitiba (Ascesme).

“Nestes quatro anos, várias ações foram promovidas, como a remodelação da fachada da Rua General Carneiro, a criação de um calendário de eventos e a melhoria do trânsito na região”, lembra ele.

O presidente da Ascesme, Cleverson Augusto Schilipacke, conta que atualmente são 192 comerciantes permissionários que vendem mais de 72 mil itens. Nas bancas e boxes, é possível adquirir hortifrutigranjeiros, bebidas, queijos e vinhos de diversas procedências, ervas medicinais, temperos e especiarias, iguarias, conservas, pescados, embutidos e carnes exóticas e com cortes especiais.

“O Mercado Municipal reúne cores, sabores, aromas e sons. Permissionários que têm suas tradições e origens nos quatro cantos do mundo, e que muito representam a nossa cultura curitibana e jeitinho de ser”, completa.

Os frequentadores podem conferir ainda pratos de inúmeros restaurantes que são referências gastronômicas da capital. “Além disso, o Mercado Municipal é um espaço pioneiro, pois foi o primeiro do gênero no País a receber um setor de orgânicos”, acrescenta do secretário municipal de segurança alimentar e nutricional, Luiz Gusi.

Pandemia

Com limite de clientes e controle nas entradas, o Mercado Municipal de Curitiba pode receber até 300 pessoas por vez, de terça-feira a sábado, das 8h às 18h.  Se o número limite for alcançado, filas são organizadas na parte externa com marcação no solo – para, assim, respeitar o distanciamento mínimo de 1,5 metro.

Outra restrição é a quantidade de pessoas trabalhando dentro do espaço. Esse número varia, conforme o tamanho do boxe. Fregueses e funcionários precisam usar máscaras. Álcool em gel é ofertado em vários pontos do espaço e informações de prevenções e cuidados estão afixados em locais visíveis.