Volvo abrirá 300 vagas de emprego em Curitiba em 2019

Depois de ampliar suas vendas em quase 80% no ano passado, e de não ter crescido mais em razão da falta de capacidade produtiva, a fabricante de caminhões e ônibus Volvo anunciou nesta quarta-feira, 13, investimentos de R$ 250 milhões e contratação de 300 funcionários para ampliar a produção na fábrica de Curitiba (PR) neste ano.

O grupo tinha em andamento um plano de aporte de R$ 1 bilhão para o período de 2017 a 2019, mas decidiu antecipar o novo investimento. A maior parte do valor adicional será gasta em 2020, principalmente em novos produtos, informa o presidente da Volvo América Latina, Wilson Lirmann.

“Esse é um momento de otimismo com a recuperação da economia, melhora do nível de empregos e da confiança”, diz o executivo. “Muitos investimentos começam a ser destravados em vários tipos de negócios e precisamos acompanhar esse movimento”.

Depois de ampliar suas vendas em quase 80% no ano passado, e de não ter crescido mais em razão da falta de capacidade produtiva, a fabricante de caminhões e ônibus Volvo anunciou nesta quarta-feira, 13, investimentos de R$ 250 milhões e contratação de 300 funcionários para ampliar a produção na fábrica de Curitiba (PR) neste ano.

O grupo tinha em andamento um plano de aporte de R$ 1 bilhão para o período de 2017 a 2019, mas decidiu antecipar o novo investimento. A maior parte do valor adicional será gasta em 2020, principalmente em novos produtos, informa o presidente da Volvo América Latina, Wilson Lirmann.

“Esse é um momento de otimismo com a recuperação da economia, melhora do nível de empregos e da confiança”, diz o executivo. “Muitos investimentos começam a ser destravados em vários tipos de negócios e precisamos acompanhar esse movimento”.

Segundo Lirmann, a empresa também voltou a operar com rentabilidade no ano passado, depois de dois anos seguidos de prejuízos e um de equilíbrio. Ele não revela montantes, mas ressalta que a matriz na Suécia espera que, de agora em diante, a subsidiária local gere o suficiente para bancar suas operações e investimentos.

Focada na produção de caminhões de grande porte – usados, por exemplo, nos setores de agronegócio e mineração -, a Volvo vendeu 10.642 unidades no ano passado nos segmentos classificados como pesados e semipesados, com capacidade de transportar mais de 16 toneladas de carga. O mercado total desses produtos cresceu 63%, somando 52,6 mil unidades.

Para este ano, a Volvo prevê nova alta de 30%, para cerca de 68 mil caminhões de todas as marcas, porcentual que a marca dever acompanhar.

Segundo Alcides Cavalcante, diretor comercial da montadora, no ano passado a fábrica estava “sem capacidade suficiente” para dar conta de toda a demanda, que ficou acima do esperado pelo setor. Somando as exportações para a América Latina, a fábrica paranaense produziu cerca de 15 mil caminhões.

Com as 300 contratações, que eleva para 3,7 mil o total de funcionários da fábrica, a Volvo vai ampliar o segundo turno de trabalho na linha de caminhões. No período da crise, o quadro total de trabalhadores foi reduzido a 2,8 mil pessoas. “Agora estamos retornando ao patamares do pré-crise”, diz Lirmann.

As vendas de ônibus urbanos e rodoviários da marca somaram 430 unidades, 26% a mais do que em 2017. O mercado total cresceu 28,3%, para 15 mil unidades, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Incluindo os segmentos de semileves, leves e médios, foram vendidos no ano passado 75.987 caminhões, um crescimento de 46,3% em relação ao ano anterior, também segundo a Anfavea.

Autônomos

O presidente da Volvo diz que espera ampliar neste ano o mercado do caminhão autônomo VM, que teve sete unidades vendidas no ano passado para o Grupo Usaçucar, de Maringá (PR), para uso na colheita da cana-de-açúcar.

“Temos mais interessados, mas ainda estamos negociando”, informa Lirmann. O veículo foi desenvolvido no Brasil com ajuda de técnicos da matriz e tem nível 3 de automação (se movimenta por conta própria, em um traçado, mas o condutor precisa estar ao volante para assumir o controle em situação de risco).

O grupo já dispõe de veículos totalmente autônomos (que se movem sem motoristas) operando em uma subterrâneas e de calcário na Suécia e na Noruega. Já os veículos 100% elétricos da marca estarão disponíveis na Europa a partir deste ano e, por enquanto, não há planos de introduzi-los no Brasil, afirma Lirmann.

A Volkswagen, do grupo Traton, já vende no País caminhões elétricos, mas de pequeno porte, que serão usados inicialmente no transporte de bebidas.

Via: Metro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Casamento Coletivo na Arena da Baixada é adiado para março de 2023

O Casamento Coletivo que seria realizado no dia 10 de dezembro no Estádio Joaquim Américo Guimarães (Arena da Baixada), em Curitiba, foi adiado para o dia 25 de março de 2023. 

De acordo com a 2ª vice-presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJPR) e coordenadora do programa Justiça no Bairro, a Desembargadora Joeci Machado Camargo, a data foi adiada por conta dos jogos da Copa do Mundo e, também, porque na mesma data em que se comemora o aniversário de Curitiba, o programa Justiça no Bairro completará 20 anos de atuação em todo o Paraná. 

“Iremos ter uma dupla comemoração. Mais uma vez em conjunto com a nossa cidade vamos oferecer uma grande festa, que ficará marcada no coração não só dos curitibanos, mas de todos os paranaenses”, enalteceu a Desembargadora.    

A iniciativa faz parte do Programa Justiça no Bairro Sesc Cidadão, uma parceria entre o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJPR) e o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR.  

Esta edição do casamento coletivo tem como parceiros o Club Athletico Paranaense, os Cartórios de Registro Civil de todo o estado e as Prefeituras de Curitiba e dos demais municípios paranaenses.  

Inscrições  

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas nos Cartórios de Registro Civil de todo o Paraná. Já na capital, os interessados devem procurar as unidades do CRAS. O prazo para se inscrever se encerra no dia 1º. de março. As inscrições já realizadas continuarão válidas para a nova data. 

Doação de trajes 

As unidades do Sesc PR de todo o estado continuarão recebendo doações de trajes para os noivos. Vestidos, ternos, calçados e acessórios podem ser doados até março de 2023.  

Serviço 

Casamento Civil Coletivo na Arena da BaixadaData da cerimônia: 25 de março de 2023Local: Estádio Joaquim Américo Guimarães (R. Buenos Aires, 1260, Curitiba/PR)*Inscrições gratuitas até 1º de março de 2023 em Cartórios de Registro Civil de todo o estado. Em Curitiba serão feitas exclusivamente nas unidades do CRAS. 

Restituição do Imposto de Renda pago sobre alimentos/pensão alimentícia

Você ou seu filho menor de idade recebem ou receberam alimentos/pensão alimentícia nos últimos 5 anos? Caso sim, saiba que você pode ter direito à restituição integral desses valores!

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por meio da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) 5422, que os alimentos e a pensão alimentícia não configuram renda (acréscimo patrimonial) sujeita à tributação do imposto de renda.

A ação foi movida pelo Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM), mas toda e qualquer pessoa que tenha recebido a pensão ou os alimentos e pago o imposto de renda poderá ser beneficiar ingressando com a ação.

Quem recebeu a pensão ou os alimentos e não declarou, ou declarou e não pagou o imposto de renda, também pode ingressar com a ação judicial e pedir a anulação do débito tributário, para que não venha a ser cobrado pelo Fisco.

Atenção: a restituição do imposto de renda pago pelo recebedor da pensão ou dos alimentos não se confunde com a dedução que o pagador dos alimentos/pensão alimentícia tem direito no seu próprio imposto de renda.

Lembrando que os alimentos ou a pensão alimentícia estavam sujeitos à declaração no imposto de renda como receita tributável, devendo ser somado aos valores do representante legal e aplicando-se a tabela progressiva (até 27,5%).

A partir da próxima declaração, o contribuinte poderá declarar os alimentos e a pensão alimentícia como receita “isenta ou não tributável”.

Para a ação judicial de restituição de valores, é necessário:

– últimas 5 (cinco) declarações do imposto de renda e respectivos comprovantes de entrega;

– comprovante de pagamento do imposto de renda;

– documento pessoal.

Existindo interesse na restituição dos valores do imposto de renda pagos nos últimos 5 anos decorrentes de pensão alimentícia e alimentos, o contribuinte deverá procurar orientação de um contador.

* Rafael Conrad Zaidowicz é contador e advogado, respectivamente, da Zaidowicz Contabilidade Empresarial Ltda e Zaidowicz & Soares advogados.

Serviço:

Zaidowicz Contabilidade Empresarial

Av. Sete de Setembro, 4751 – conj 1 – Água Verde

(41) 2104-8686

https://www.zaidowicz.com.br

Facebook e Instagram: @zaidowicz

Fotos: Agência Vulgata.