1º Festival de Café Gelado agita Curitiba neste sábado

Neste sábado, dia 15 de dezembro, a Espresso Station, loja conceito da marca de cafés especiais Franck’s Ultra Coffee na cidade de Curitiba, vai promover o 1º Festival de Café Gelado, com preparos com o preço fixo de R$ 8. Os preparos são exclusivos da casa, feitos com os grãos da própria marca. Os destaques do evento serão o Cold Brew Nitro e o Espresso Tônica, duas composições refrescantes e perfeitas para celebrar o Verão que está chegando.

O Cold Brew da casa é extraído a frio dos exclusivos cafés maturados em barris de whiskey. A moagem dos grãos é bem grossa e depois ele é peneirado na Kruve para eliminar as partículas mais finas. Depois disso, ele fica em repouso por 4h em temperatura ambiente e mais 16h em local refrigerado a 5 graus.  Após esse tempo, o café é filtrado usando o coador da Bunn e removido com uma concha, por cima, sem mexer ou utilizar o que ficou decantado. “Dessa forma obtemos as notas de vanilina transportadas da madeira para o café sem projetar amargor para a bebida”, explica Marcelo Franck, barista e sócio fundador da marca.

A bebida que será preparada pelo barista no dia do evento tem um toque diferente. O Cold Brew Nitro é servido no post mix nitrogenado, uma espécie de garrafa que transforma o café em uma espuma cremosa. Já o Espresso Tônica é uma bebida mais clássica, com a preparação do café quente extraído diretamente no gelo, ao qual é adicionado água tônica.

Outro grande destaque do evento será o conceito “to go”, que possibilita ao cliente pegar seu café e consumir na rua mesmo. A Espresso Station vai disponibilizar, também, pacotes de cafés especiais para quem quizer levar os sabores exclusivos da Franck´s Ultra Coffee para casa, além de diversos equipamentos para quem ama a bebida e quer ter uma experiência diferenciada em casa.

O 1º Festival de Café Gelado será realizado na Espresso Station da Franck´s Ultra Coffee (Avenida Anita Garibaldi, nº 775), no Bairro Ahú, perto da Justiça Federal. O evento acontece das 14h às 19h. Mais informações no site www.fuc.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Homem fantasiado de Batman faz sucesso em Curitiba e na internet

Marcos Vinicius da Silva, o famoso “Batman de Curitiba”, viu no sorriso das pessoas uma oportunidade para “fazer o bem”. Com direito a Batmóvel, o homem tem feito sucesso em Curitiba e viralizou nas redes sociais.

“Minha história com o Batman teve início em 2017. Como eu tinha o carro, um Corvette Stingray, eu parei e pensei: esse carro parece o Batmóvel. Depois disso, comprei a roupa do Batman e comecei a fazer algumas ações sociais por Curitiba”, disse Silva, em entrevista à Banda B nesta segunda-feira (29).

Entre as ações promovidas pelo “Batman de Curitiba”, há entrega de cestas básicas, visitas a hospitais e distribuição de ovos das páscoa.

“Vi que aquilo levou muita alegria às pessoas e resolvi unir o útil ao agradável. No dia a dia eu tenho distribuído cestas básicas, ido a hospitais…”, afirmou.

Foto: Arquivo pessoal

Marcos conta que não existem dias específicos, como datas comemorativas, para levar alegria para as pessoas. De acordo com ele, até os finais de semana são destinados para algumas ações.

Bem como o próprio personagem inspirado nos quadrinhos da DC Comics, os carros de Souza também fazem sucesso por onde passam.

“Sempre gostei de carros antigos e tenho dois Batmóveis, um deles até abre a porta para cima”, disse.

Questionado sobre alguma ação já realizada por ele que o marcou, o “Batman de Curitiba” não hesitou em relembrar o dia em que incentivou uma criança a continuar seu tratamento no Hospital Pequeno Príncipe, porém com outro personagem.

“O hospital tinha um paciente de 5 anos que não queria mais fazer o tratamento. A médica dele me ligou e explicou que o menino era fã do Capitão América. Ele [paciente] precisava de um incentivo. Vesti a roupa e fui até lá. Foram umas 8 horas desde a preparação até o convencimento”, afirmou.

Informações Banda B

Para conter nova variante, Curitiba orienta quarentena e quer testar viajantes do exterior

Como plano para conter o avanço da nova variante Ômicron, Curitiba quer testar contra a Covid-19 o maior número possível de pessoas vindas do exterior. A informação foi confirmada pela secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, em entrevista concedida à Banda B nesta segunda-feira (29).

Segundo ela, o trabalho de monitoramento feito agora é o mesmo adotado pela cidade desde o início da pandemia, mas que ganha reforço com a identificação da variante Ômicron.

“Desde que tivemos o alerta da pandemia em março de 2020, a gente já montou todo um esquema e protocolos, que são bastante conhecidos pela população. Mesmo com a queda de casos, a gente insiste na testagem. Temos coletado de todas as pessoas que nos procuram, incluindo aquelas sem sintomas, mas que tiveram contato com infectados. Com o anúncio da nova variante, a orientação que fazemos para os viajantes que chegam a Curitiba, não só do Sul da África, mas de todos os países, é que façam quarentena usando máscara e nos procurem para testar”, disse a secretária.

O protocolo, porém, também trata dos países do Sul da África com a identificação da Ômicron. Segundo Huçulak, o alerta feito a todos os viajantes é que entrem em contato pela central (41) 3350-9000. “Desses países, especialmente do sul do continente africano, nós vamos testar independentemente de sintomas ou não, para a gente acompanhar bem de perto a situação da pandemia”, disse.

Também nesta segunda-feira (29), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que monitora seis passageiros que desembarcaram no Paraná e estavam no mesmo voo do brasileiro que veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19, podendo estar com a variante ômicron.

Novas variantes

Para evitar novas variantes, porém, Huçulak lembra da necessidade de cuidados. “O uso de máscara, o distanciamento social, ventilar os ambientes e a higienização constante das mãos são medidas fundamentais. Só a vacina não dá conta do vírus e essa variante está mostrando isso, a Europa está mostrando isso para nós. É uma variante que pode ter surgido em qualquer lugar e levada por conta das viagens que as pessoas fazem”, concluiu.

Informações Banda B