Youtuber Rezende lança fast food próprio e distribui mil lanches e R$ 10 mil em dinheiro em Londrina  

Conhecido no mundo virtual como RezendeEvil, o youtuber e empresário Pedro Afonso Rezende lançou nesta terça-feira (8) a Rezendog, marca própria de fast-food que pretende popularizar no país um lanche famoso em Londrina: o dog frango.    

No lançamento, Rezende fez uma ação especial, com a distribuição de mil unidades do dog frango e um valor de R$ 10 mil entre as pessoas que experimentarem o lanche, além disso, o estabelecimento vendeu 1 lanche por minuto pelo aplicativo de delivery da loja.  

Após passar por uma série de testes e aprimoramentos, o cachorro-quente paranaense conta em sua receita com salsichas cortadas ao meio, frango desfiado, maionese especial, mostarda, catchup e tomate. O lanche é prensado e será vendido a R$ 18,90.   

O estabelecimento tem delivery 24 horas, e já está aberto ao público. O cardápio oferece diversas opções de hot dog e tem como carro-chefe o de sabor frango. O modelo opera como franquia com o objetivo de chegar até 1.000 franqueados até 2030. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posso publicar fotos do trabalho nas redes? Advogado explica que tipo de post pode te dar dor de cabeça

Quem não tem alguma insatisfação com o trabalho que atire a primeira pedra. Um chefe autoritário, um colega inconveniente, um horário de trabalho insalubre. Incômodo com o próprio emprego é normal, mas a era das redes sociais tem tornado relativamente comum que essa queixa extrapole a intimidade e ganhe as redes sociais. Quando isso acontece, a consequência pode ser um processo na Justiça. Levantamento do Data Lawyer Insights revelou que, em todo Brasil, há 157 processos sobre o assunto em tramitação.

O número segue tendência de alta. No primeiro semestre deste ano, 42 processos deram entrada no Judiciário. No ano passado foram 29. “O crescimento deste tipo de ação na Justiça serve de alerta para empresas e trabalhadores. No limite, o uso indevido das redes sociais pode levar à demissão por justa causa e até processos criminais e indenizatórios. As empresas precisam ter normas claras para evitar que os colaboradores violem as leis sofram uma punição drástica”, acredita o advogado especialista em Direito do Trabalho Fernando Kede, do escritório Schwartz e Kede.

O especialista orienta que o trabalhador evite fazer fotos e vídeos dentro do local de trabalho para preservar segredos industriais e também para não violar o direito de imagem dos colegas. “Decisões sobre casos recentes, como o da colaboradora que postou uma dancinha no TikTok ao lado das testemunhas de um processo que ela movia contra o empregador, e do rapaz que gravou um vídeo dentro de uma empresa de Goiás caluniando um colega, mostram que a Justiça vem confirmando demissões por justa causa e determinando o pagamento de indenizações a colaboradores que manchem a imagem da empresa onde trabalham nas redes sociais. Por isso, é preciso adotar uma série de cuidados”, afirma Kede.

Normas claras

O advogado afirma que as empresas devem elaborar regras claras e objetivas sobre o que é permitido e vetado. “O melhor caminho é definir as normas de conduta dentro da empresa, incluindo as redes sociais, que acabam sendo uma extensão do cotidiano das pessoas. Coisas aparentemente inofensivas, como registrar um trabalho que o colaborador executou e postar no Linkedin, por exemplo, pode ferir cláusulas de segredo industrial e dar margem a uma concorrência desleal”, observa Kede.

Por isso a empresa precisa informar todos os colaboradores sobre essas normas e deixar claro quais são as possíveis punições em caso de desobediência. “Todo colaborador deve ter acesso ao regimento interno e é preciso fazer palestras para explicar os motivos dessas normas, bem como as implicações legais que a quebra delas pode representar”, diz o advogado.

O especialista em Direito do Trabalho explica que as punições variam de acordo com o teor das postagens. “O funcionário pode ser advertido, suspenso e até sofrer uma demissão por justa causa, tudo depende do ato praticado. O ideal é que todas as punições estejam expressas no regimento interno”, ensina.

Caso extremo

A demissão por justa causa é a punição mais severa estabelecida na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). “Se ela for aplicada, o trabalhador perde todos os direitos de rescisão, recebendo apenas saldo de salários e férias vencidas, com acréscimo do terço constitucional. É uma medida drástica, que tira do empregado o direito ao aviso prévio, 13º salário, multa do FGTS e seguro-desemprego”, complementa.

Difamação virtual

O advogado explica que todas as leis que funcionam no mundo real podem ser aplicadas para ofensas e atos praticados por meio da internet. “Então se a pessoa usar as redes sociais para difamar alguém, ela pode ser processada por difamação e até ser condenada a pagar uma indenização ao empregador. Além disso, um crime cometido pela internet pode ter a pena agravada pelo amplo alcance das redes sociais. Todo cuidado é pouco e o bom senso deve prevalecer”, orienta.

Piercings e tatuagens na boca: é possível diminuir riscos?

Quem tem piercings e tatuagens, em geral, não se contenta apenas na primeira experiência, já que as opções são infinitas. As tão populares modificações corporais têm um custo acessível e uma grande disponibilidade de locais onde podem ser feitas. E entre as partes do corpo escolhidas para os piercings e tatuagens, a boca tem aparecido com mais frequência nos últimos anos, principalmente no interior dos lábios, língua e gengiva.

Mas as modificações nesses pontos podem provocar complicações, por conta de características como a posição dos nervos e vasos sanguíneos. “Há um risco alto de contrair infecções pelas características da mucosa, já que os furos atingem muitos vasos sanguíneos que absorvem a tinta, ou então pelas condições dos materiais utilizados para realização das tatuagens ou aplicação dos piercings. Por isso, é importante sempre escolher profissionais confiáveis, respeitar o período de cicatrização e higienizar o local”, explica o dentista e especialista em saúde coletiva da Neodent, João Piscinini.

Tatuagem nos lábios

Por serem regiões com alto nível de vascularização, os lábios são áreas perigosas para incisões como tatuagens. “A boca humana possui centenas de espécies de bactérias e precisa de acompanhamento médico constante. Os problemas mais comuns de piercing oral incluem sangramento excessivo, infecções e lesões na boca e nos dentes. Há também inchaço, cicatrizes e danos aos nervos”, ressalta a infectologista do Hospital Marcelino Champagnat, Camila Ahrens.

Além de ser arriscado, o procedimento também não é permanente: a mucosa se renova com facilidade e não absorve a tinta como outras partes do corpo. Após algum tempo, será necessário fazer o retoque da tatuagem. Em contrapartida, essa habilidade de renovação das células propicia uma rápida cicatrização do procedimento, desde que feito com agulhas finas e que não agridam tanto o local. 

Piercings

Também por conta do alto número de microrganismos, a boca precisa de um cuidado especial quando se trata de aplicar piercings. É necessário manter a higiene bucal antes mesmo do procedimento, para evitar complicações decorrentes de alguma infecção não detectada. “É importante conversar com seu dentista sobre qualquer procedimento na boca. Exames de rotina identificam possíveis alterações na saúde bucal que podem se transformar em complicações pós-cirúrgicas”, explica o dentista.

Os piercings podem ser aplicados em diversas áreas: nos lábios e suas extremidades, gengiva e língua. O material deve ser hipoalergênico e colocado por profissionais com experiência, e em locais que sigam as normas de biossegurança recomendadas pelo Ministério da Saúde. “Além da atenção com o local e aplicação, é essencial perceber que patologias prévias podem causar complicações. Embora seja incomum, alguns pacientes precisam de internação hospitalar e tomar antibióticos intravenosos para tratar infecções na língua e no assoalho da boca”, alerta a infectologista.

Sobre a Neodent®

Fundada há mais de 25 anos, a Neodent® é a empresa líder em implantes no Brasil, onde vende mais de um milhão e meio de implantes anualmente. A Neodent® está entre os três principais fornecedores de implantes do mundo e está disponível em mais de 80 países. O sucesso da marca se deve a suas soluções odontológicas diretas, progressivas e acessíveis, que trazem novos sorrisos para milhões de pessoas. Sediada em Curitiba, Brasil, a Neodent®️ é uma empresa do Grupo Straumann (SIX: STMN), líder global em substituição de dentes e soluções odontológicas que restauram sorrisos e confiança.