Viacredi ultrapassa R$ 10 bilhões de ativos no primeiro semestre

A Viacredi, cooperativa do Sistema Ailos, fechou o primeiro semestre de 2022 com um crescimento de 8% em ativos, registrando o total de R$ 10,2 bilhões. Comparado ao mesmo período do ano anterior, a evolução foi de 22%. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (19), na live de prestação de contas aos cooperados, disponível no canal do YouTube do Sistema Ailos.

Ainda no primeiro semestre, o crescimento da carteira de crédito na Viacredi alcançou 6,32%, atingindo a marca de R$ 6,9 bilhões em operações. Quando comparado ao mesmo período do ano anterior, a evolução chega a 20%, o que mostra a força da cooperativa no cenário econômico.

“Este resultado é reflexo de como a cooperativa, mesmo em um cenário de crescimento nos juros, vem trabalhando o crédito como forma de solução para seus cooperados, levando sempre condições diferenciadas para as necessidades de cada associado”, ressalta o diretor executivo da Viacredi, Vanildo Leoni.

O resultado das operações da cooperativa é apresentado todos os meses, com destaque especial do fechamento do semestre, como forma de consolidar a transparência, um dos princípios do cooperativismo e da gestão democrática da Viacredi.

Neste semestre, mais de 616 mil pessoas foram impactadas pelas ações educativas e sociais promovidas pela cooperativa aos cooperados e à comunidade. Atualmente, a Viacredi conta com mais de 850 mil cooperados, com crescimento de 7% no período.

Para o segundo semestre, a Viacredi pretende inaugurar quatro novos postos de atendimento, dois no Paraná e dois em Santa Catarina, e conquistar a adesão de 60 mil novos cooperados.

Sobre a Viacredi  

  

Maior cooperativa de crédito do Brasil, a Viacredi é uma cooperativa do Sistema Ailos, com 850 mil cooperados, presença em 29 municípios de Santa Catarina e Paraná, 110 Postos de Atendimentos e mais de 2 mil colaboradores. São R$ 10 bilhões em ativos, R$6,8 bilhões em operações de crédito e R$ 6,7 bilhões em depósitos totais. Constituída em 1951, a Cooperativa tem como propósito unir pessoas para transformar vidas, sempre comprometida com os princípios cooperativistas, com seus cooperados e com as comunidades onde está presente. Atua com solidez, agilidade e simplicidade, qualidade, ética e transparência.   

Para mais informações: www.viacredi.coop.br.   

Na imagem Ligia Melissa Oechsler Brandt – Secretária do Conselho de Administração; Sergio Cadore, presidente da Viacredi e Vanildo Leoni, diretor executivo da Viacredi.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Com investimento da Itaipu, Projeto Trilha Jovem terá 300 participantes em 2022

Número de alunos será o dobro do atual. Anúncio foi feito em cerimônia de encerramento da turma de 2021, nesta terça-feira (14)

O Projeto Trilha Jovem terá 300 participantes na edição do ano que vem, o dobro de alunos que participaram este ano. O anúncio foi feito na tarde de terça-feira (14), durante a cerimônia de encerramento da turma de 2021. No evento, o 1º Workshop de Empregabilidade Jovem, 12 participantes puderam apresentar o que aprenderam ao longo de cinco meses de qualificação profissional. A Itaipu é apoiadora do projeto.

A cerimônia aconteceu na sede da Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (Acifi) com transmissão pela internet para cerca de 50 pessoas, entre participantes do Trilha, profissionais de entidades parceiras, gestores de RH e empresários. Representaram Itaipu o gerente da Divisão de Iniciativas de Responsabilidade Social (RSIR.GB), Adriano Hamerschmidt, e o gestor do convênio com o Trilha Jovem, Rodrigo Cupelli, da Divisão de Educação Ambiental (MAPE.CD).

“Itaipu está sempre disposta a investir em projetos que trazem resultados para a população. E este, com certeza, traz muitos resultados”, resumiu Hamerschmidt, que falou em nome do diretor-geral brasileiro, general João Francisco Ferreira. “O Trilha tem essa característica de trazer ao jovem a oportunidade de crescimento pessoal e profissional. Ele deixa um legado à cidade, o legado da educação”, complementou Cupelli.

Participaram da 12ª edição do Trilha Jovem 150 estudantes de 16 a 24 anos em quatro áreas de formação: turismo e atendimento, hospedagem, eventos e comércio. Desde que o projeto foi criado, 1.670 jovens foram capacitados para ingressar no mercado de trabalho – 60% conseguiram uma inserção profissional e, para muitos deles, o primeiro emprego.

“Eu tive a sorte de ser contratado por minha própria professora do Trilha”, lembra o presidente do Conselho Municipal do Turismo (Comtur) e do Complexo Turístico Itaipu (CTI), Yuri Benites, que participou da primeira turma, em 2006. “Vocês precisam aproveitar essa oportunidade para criar um futuro melhor para vocês, suas famílias, seus filhos e netos.”

Segundo Fernanda Fedrigo, presidente do Instituto Polo Internacional Iguassu, entidade promotora do Trilha Jovem, o sucesso do projeto se deve, principalmente, ao esforço dos participantes, mas também ao patrocínio das empresas. “A Itaipu apoia o projeto desde o início, porque ela percebeu seu potencial e seus resultados”, afirmou.

Ao final das apresentações, o coordenador geral do Capacita Foz, Lee Chih Li, fez um resumo sobre o projeto, patrocinado pela Itaipu Binacional, que tem o objetivo de apoiar os profissionais do turismo de Foz do Iguaçu por meio de treinamentos e com o fornecimento de uma bolsa mensal de R$ 550 durante os três meses do curso. O objetivo é capacitar 2.250 pessoas nos próximos dois anos.

Participantes

Gabriel Garcia Rocha, 17 anos, estava se sentindo perdido quando chegou a Foz do Iguaçu, há sete meses, vindo de Viamão (RS) com a família. Foi quando ele viu num jornal da cidade a propaganda do Trilha Jovem. “Eu precisava começar uma carreira e, hoje, posso dizer que o projeto mudou a minha vida. Sei que vai mudar a vida de muitos outros jovens”, contou Gabriel, participante da turma de Eventos.

Já Higor Josue Almeida Chagas, 19, buscou orientação na figura paterna do coordenador do Programa de Iniciação e Incentivo ao Trabalho (PIIT) da Itaipu, Vinícius Ortiz, quando participou do programa, em 2018. “Ele tinha me sugerido participar do Trilha e, de início, não dei muita bola. Depois avaliei com calma e fiz a inscrição. Entrar no Trilha Jovem foi, com certeza, a melhor escolha que fiz na vida”, afirmou Higor, que participou da turma de Turismo e Atendimento.

Para sua colega de turma, Franciele Gobi, 21, o treinamento ajudou muitos jovens, especialmente, a vencer a timidez. “No início, a gente tinha muita vergonha de se expressar, o professor perguntava algo e a gente não respondia, por timidez. Graças ao Trilha, nós ganhamos confiança para manifestar nossa opinião, eu não conseguiria estar aqui agora, fazendo essa apresentação, se não tivesse feito o curso”, disse.

Ter confiança para interagir com o público facilita a entrada dos jovens no mercado de trabalho, mas não é a única qualidade procurada pelas empresas. “O mais importante é o comprometimento com o trabalho. Nós buscamos saber quais são os valores dos jovens, se eles batem com os nossos. Então, chamamos para a entrevista”, explica a analista de RH do Grupo Muffato, Cassia Macente, que acompanhou o workshop presencialmente. Só em Foz do Iguaçu, a rede de supermercados tem sete lojas, com cerca de 190 funcionários cada.

Itaipu eleva produtividade para garantir abastecimento energético no Brasil

A informação foi destacada pelo diretor-geral brasileiro da usina, general João Francisco Ferreira, na abertura do Fórum de Vice-Governadores, nesta quinta-feira (17).

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira, foi um dos convidados especiais do Fórum de Vice-Governadores, realizado de forma remota na manhã desta quinta-feira (17). De Foz do Iguaçu, o general Ferreira abriu o Fórum fazendo um panorama sobre a usina de Itaipu e ressaltando o papel da hidrelétrica no abastecimento energético do Brasil e do Paraguai, especialmente, em um ano de grande estiagem.

Foto: Sara Cheida / Itaipu Binacional

O Fórum reuniu aproximadamente 15 vice-governadores de todas as regiões do País. O encontro é feito mensalmente, sempre com um tema de destaque. O tema de junho foi a crise hídrica e as ações de combate à estiagem.

Também participou do Fórum, representando o ministro Bento Albuquerque, o secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia (MME), Christiano Vieira da Silva, que falou sobre as ações do MME para garantir o provimento de energia elétrica em território brasileiro.

O diretor de Itaipu falou sobre os recordes de produtividade que Itaipu vem batendo seguidamente nos últimos tempos, ou seja, tem conseguido produzir mais energia utilizando menos água, o que é de extrema importância nesses tempos de escassez.

No primeiro trimestre de 2021, por exemplo, Itaipu bateu o próprio recorde atingindo a produtividade média de 1,0785 megawatt médio gerado a cada metro cúbico por segundo de água (MWmed/m³/s).

Foto: Sara Cheida / Itaipu Binacional

“Estamos bem acima da produtividade média. Se compararmos o índice com outras usinas do Brasil e do mundo, somos benchmark”, afirmou o general Ferreira. “Tudo isso graças aos cuidados com o meio ambiente, com nossos equipamentos e com a formação profissional de nossos empregados.”

Ele também destacou a produção histórica da empresa, que está prestes a atingir a marca de 2,8 bilhões de MWh – energia suficiente para suprir o consumo de eletricidade do mundo todo por 45 dias. A marca deve ser atingida no mês que vem. Nenhuma outra usina produziu, ao longo de sua história – são 37 anos de geração –, tanta energia.

Na visão do diretor, é fundamental que as geradoras de energia do País trabalhem de forma conjunta para atender às demandas do Sistema Interligado Nacional. “Garanto que Itaipu está fazendo a sua parte da melhor maneira possível, observando as orientações do Ministério de Minas e Energia e do Operador Nacional do Sistema para que o Brasil possa superar esse cenário hídrico difícil sem maiores problemas”, concluiu.