Vacina contra a varíola dos macacos deve chegar ao Brasil este mês

O primeiro lote de vacinas contra a varíola dos macacos deve chegar ainda este mês ao Brasil, afirmou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em entrevista ao programa Brasil Em Pauta, da TV Brasil.

A negociação, feita com o laboratório dinamarquês Bavarian Nordic, conta com a intermediação da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

Nessa primeira leva, devem estar disponíveis 50 mil imunizantes, os mesmos utilizados para o combate da varíola.

De acordo com o ministro, as vacinas não são para toda a população, e sim para grupos específicos. “Não há recomendação, no momento, para a vacinação em massa”, esclareceu Queiroga.

Entre os grupos específicos estão profissionais de saúde que lidam diretamente com amostras de infectados e pessoas que tiveram contato com portadores do vírus. “Estudos já mostram que uma dose dessa pode ser fracionada em cinco doses. Então nós podemos beneficiar um número maior de pessoas. A princípio são aqueles que têm contato com o material contaminado”, disse Queiroga.

O ministro da Saúde também reforçou as diferenças entre a varíola dos macacos e a covid-19. Segundo Queiroga, além da letalidade, o vírus da covid-19 apresentou inúmeras mutações no decorrer da pandemia, o que não se observa com a varíola dos macacos, que foi mapeada pela primeira vez na África, em 1976.

Queiroga reforçou ainda que os índices de contágio da varíola dos macacos estão em queda no mundo e em estabilidade no Brasil. “No mundo inteiro o surto tem diminuído, a velocidade de progressão dos casos é menor e nós estamos numa fase de platô com queda. Então esperamos que esse surto seja controlado”, defendeu Queiroga.

Além da importação emergencial de doses de vacina contra a varíola dos macacos, o Ministério da Saúde também recebeu autorização emergencial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para importar o antiviral Tecovirimat, que deve ser utilizado em situações graves e específicas. “O uso é diante de situações onde não temos mais alternativas para esses pacientes”, salientou o ministro da Saúde.

Vacina nacional

O Ministério da Saúde também trabalha com o desenvolvimento de um imunizante nacional para enfrentar a doença. A expectativa é que a vacina esteja operacional no segundo semestre do ano que vem. Mas para isso, segundo o ministro Queiroga, o cenário epidemiológico tem de indicar a necessidade de ampliação do público alvo da vacinação.

“É algo que está trabalhado, em pesquisas. Já recebemos a Universidade Federal de Minas Gerais, que nós chamamos de semente, que depois gera a produção do IFA, e a Fundação Oswaldo Cruz, através de Biomanguinhos, tem capacidade de fazer escala. Mas isso é se houver uma indicação de vacinação para um grupo maior de pessoas”.  

A varíola dos macacos tem sinais e sintomas que se caracterizam por lesões e erupções de pele, febre, dores no corpo, dor de cabeça, calafrio e fraqueza.

O programa Brasil Em Pauta com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, vai ao ar neste domingo (18), às 22h30, na TV Brasil.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Com música nas escolas, dentista ensina crianças a cuidar dos dentes

Com música nas escolas, dentista ensina crianças a cuidar dos dentes

O cirurgião dentista Alexandre Azuma sabe bem como convencer a criançada a abrir a boca e mostrar o sorriso: com música. Com o violão e rimas criadas por ele, o profissional faz os curitibinhas cantarem e aprenderem a importância de cuidar bem dos dentes e fugir das cáries.

Azuma e a equipe de saúde bucal da Unidade de Saúde Lotiguaçu, no Uberaba, levam a música e orientação sobre dentes saudáveis às crianças em Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e escolas municipais da região.

Nas visitas, ele anima os pequenos com ritmo acelerado da música que conta sobre a cárie: a bactéria que fica mais forte para fazer buracos nos dentes quando a criança exagera nos doces. No repertório, também tem a balada que ensina como escovar os dentes (e a língua) e o samba sobre a mastigação.

“O trabalho educativo com música faz com que a criança aprenda de um jeito lúdico o que pode fazer para manter a saúde bucal”, explica o cirurgião dentista.

Informação e cuidado

A proposta de levar informação e cuidados com os dentes das crianças em CMEIs e escolas municipais é das equipes de Saúde Bucal da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). A ação integra o Curitiba Viva Bem, política pública de promoção da qualidade de vida na cidade.

Além das ações educativas com as crianças, as equipes de saúde bucal realizam a escovação com aplicação de flúor (quando recomendado). “Também capacitamos as equipes da Educação para conduzir a escovação diária das crianças e para adotarem, nas escolas e nos CMEIS, cuidados que promovam a saúde dos dentes”, explica a coordenadora de Saúde Bucal da SMS, Viviane Gubert.

Dente novinho

Nas visitas, também é feita a avaliação da dentição curitibinhas e, em caso de necessidade de procedimentos odontológicos, as famílias são acionadas para levarem os pequenos à Unidade de Saúde para atendimento.

Foi assim com Esther Victória, 5 anos, no CMEI Ana Proveller, no Uberaba. A avaliação mostrou que a pequena tinha algumas cáries e a família atendeu ao convite.

Depois do tratamento na Unidade de Saúde, Esther exibiu aos coleguinhas o dente restaurado e contou aos dentistas que cuida dele direitinho. “Meu dentinho agora tem uma massinha, está novinho. Escovo os dentes todos os dias”, contou a menina.

A diretora do CMEI, Melissa Vital Godoy, conta que a aproximação da Educação com a Saúde é muito positiva para as famílias. “A criança é principal beneficiada em ter o CMEI e a Unidade de Saúde dialogando, seja para tirar dúvidas ou para ações como esta, que, de forma lúdica, com música, ensina os pequenos a se cuidarem”, diz.

Cinco dicas para manter os dentes das crianças saudáveis

1.Escovar os dentes todos os dias é essencial. A escovação antes de dormir é a mais importante: a noite é o período mais longo que as bactérias têm para agir caso não forem eliminadas pela escovação;

2.Importante usar o creme dental com flúor, a quantidade para crianças de até 4 anos deve ser do tamanho de um grão de arroz e de 4 a 6 anos deve ser do tamanho de uma ervilha;

3. Beliscar entre as refeições deve ser evitado, pois prejudica a ação da saliva, que precisa de tempo para neutralizar a acidez causada pelas bactérias;

4.Evitar o uso de chupetas, elas podem interferir na formação da arcada dentária, entortando os dentes;

5. Prefira sempre o aleitamento materno, a mamadeira é causa de muitas cáries nas crianças pequenas.
Curitiba Viva Bem é uma política pública e uma das principais agendas da gestão do prefeito Rafael Greca, assim como a mobilidade urbana, sustentabilidade, empreendedorismo de impacto, cultura da inovação como processo social e cidade educadora. A importância da saúde e bem-estar para os curitibanos motivou a Prefeitura a mobilizar todas as áreas da gestão pública, que estão ampliando as ações de forma conjunta através do Curitiba Viva Bem. 

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Correios lançam selo em homenagem à flora brasileira

Correios lança selo em homenagem à flora brasileira

Os Correios lançaram, nesta semana, o selo especial da Série Mercosul: Fauna e Flora – Suculentas. Segundo a empresa, o 14° selo especial anunciado destaca a relevância e a beleza dessas plantas, capazes de acumular água no caule, nas folhas e até nas raízes.

“Suculência é uma característica altamente associada à resiliência. Por isso, ela está tão presente em plantas que habitam regiões áridas do globo, porque a falta de água é o maior fator que impede a sobrevivência de uma planta”.

Os Correios destacam que, por conta desse mecanismo, é possível encontrar suculentas habitando desde os rochedos do Rio Grande do Sul até a Floresta Amazônica.

A estimativa é de que existam mais de 12 mil espécies, distribuídas sobretudo na África, na Cordilheira dos Andes e nos desertos da América do Norte.