Universidade do Paraná oferece apoio psicológico gratuito durante a pandemia

Intitulado ‘Aldeia Solidária’, o projeto da PUC do Paraná oferece atendimento psicológico gratuito durante a pandemia de covid-19. A ação é iniciativa dos pesquisadores ligados ao Núcleo de Direitos Humanos da universidade, ao Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos e Políticas Públicas.

O público alvo são pessoas em situação de vulnerabilidade social e psíquica. A iniciativa, que atualmente conta com 23 psicólogos voluntários, começou em maio de 2020 e, de lá para cá, já foram realizadas cerca de 420 sessões, com 140 pessoas atendidas.

Os encontros são agendados de acordo com a disponibilidade da pessoa inscrita e do profissional voluntário e realizados de segunda a sexta-feira, por videochamada, normalmente. Em alguns casos, a conversa ocorre por telefone. As sessões duram de 30 a 60 minutos e a média tem sido de cinco sessões para cada inscrito.

“O momento pelo qual passamos, marcado pela pandemia de covid-19, pode gerar uma grande carga de sofrimento psíquico na sociedade. O cenário no qual estamos inseridos hoje agrava inseguranças, medos e ansiedades. Criamos esse projeto considerando a urgência do momento atual em relação à saúde mental da população”, explica o coordenador do projeto, Rodrigo Alvarenga, professor da PUC-PR.

O serviço é gratuito. Podem participar qualquer pessoa com 18 anos ou mais que necessite de apoio psicológico. Os interessados devem se inscrever pelo site oficial do projeto e aguardar o contato da equipe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid-19 segue em aceleração e Paraná confirma quase 15 mil casos em 24 horas

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta sexta-feira (14) mais 14.924 casos confirmados e duas mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus.

Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.675.879 casos confirmados e 40.707 mortos pela doença.

Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (14.822) de 2022, dezembro (27), novembro (2), outubro (4), setembro (1), agosto (7), julho (6), junho (7), maio (4), abril (6), março (6), fevereiro (5) e janeiro (6) de 2021 e dezembro (5), outubro (1), setembro (5), agosto (3) e julho (7) de 2020.

Os óbitos divulgados nesta data são de maio (1) e março de 2021.

Monitoramento

A Sesa está monitorando a situação epidemiológica do Paraná e o crescimento no número de casos diários divulgados pela pasta. Neste momento, o aumento está diretamente ligado com a maior circulação de pessoas em todo o Estado, devido às festividades de fim de ano.

Além disso, deve-se considerar um atraso no envio de amostras para os laboratórios credenciados do Estado como o Laboratório Central do Paraná (Lacen/PR) e Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP) na última semana, também relacionado com os recessos e feriados.

A secretaria reforça que as medidas de prevenção como uso de máscaras, lavagem das mãos e uso do álcool em gel permanecem sendo necessárias, juntamente com a continuidade da vacinação contra a Covid-19.

Internados

65 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados em leitos SUS (28 em UTI e 37 em leitos clínicos/enfermaria) e nenhum em leitos da rede particular (UTI ou leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 769 pacientes internados, 259 em leitos UTI e 510 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos da rede pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Mortes

A Sesa informa a morte de mais dois pacientes. São dois homens, um de 78 anos que residia em Curitiba e o outro de 62 anos, morador de Ponta Grossa. Os óbitos ocorreram entre 30 de março e 29 de maio de 2021, respectivamente.

Com aumento de casos, Prefeitura de Curitiba reduz para 70% a capacidade em eventos esportivos

Prefeitura de Curitiba divulgou, nesta quinta-feira (13), um decreto que limita em 70% a capacidade de público em estabelecimentos, incluindo eventos esportivos. A alteração impacta os clubes da capital paranaense. O documento é válido por sete dias, podendo ser prorrogado.

A medida, segundo a administração municipal, é uma “cautela sanitária” devido ao aumento expressivo dos casos de Covid-19 pela variante ômicron e à declaração de epidemia de Influenza H3N2 feita, nesta quarta-feira (12), pela Secretaria de Estado da Saúde (SESA).

Com isso, caso o decreto seja renovado, Athletico, Coritiba e Paraná Clube só vão poder receber 70% da capacidade de seus estádios em suas estreias no Campeonato Paranaense. Isso afeta diretamente o clássico entre Athletico x Paraná Clube, marcado para o dia 23 de janeiro, na Arena da Baixada.

Decreto mantém medidas de segurança

O novo decreto mantém as medidas de combate à pandemia adotadas desde o início de dezembro –  como a obrigatoriedade do uso de máscara em espaços públicos ou de uso coletivo em Curitiba e a proibição de consumo de bebidas alcoólicas em via pública, além de determinar que a ocupação não deve ultrapassar 70% da capacidade de público prevista no Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros (CLCB).

Conforme a prefeitura, as medidas determinadas pelo decreto visam contribuir para a contenção das transmissões de coronavírus e influenza (gripe) com a menor circulação de pessoas ao mesmo tempo nos ambientes, favorecendo o distanciamento físico.