Um novo filme do Máscara pode estar a caminho, e com Jim Carrey no papel principal

De acordo com informações obtidas pelo site We Got This Covered, a Warner Bros. planeja levar de volta aos cinemas um personagem muito querido dos anos 1990. Aparentemente, a empresa considera ressucitar ninguém menos que o Máscara!

E o melhor disso tudo? O estúdio tem como primeira opção trazer Jim Carrey novamente para o papel de Stanley Ipkiss e da personalidade insana que vem à tona quando ele veste a máscara nórdica possuída pelo espírito do deus Loki.

Não se sabe, porém, se o ator já foi contatado sobre a proposta, mas segundo a fonte contatada pelo portal, existe muito interesse por parte da Warner em fazer esse projeto acontecer.

A primeira e única vez que Carrey viveu o personagem foi em 1994, no longa de sucesso O Máscara, que arrecadou US$351 milhões nas bilheterias. Naquele mesmo ano, ele interpretou também Ace Ventura e Loide (da dupla Debi & Loide), três filmes que alavancaram a carreira do astro.

Mas o que nem todo mundo sabe, é que o filme é uma adaptação de uma série homônima de histórias em quadrinhos, produzida entre 1982 e 1985 por Mike Richardson, e publicada no final dos anos 1980 pela editora Dark Horse Comics. E vale notar que, apesar do tom e da estética “cartunescas”, as HQs são repletas de violência, sangue e conteúdo não recomendado para menores de idade, como pode ser visto na capa abaixo.

 

Via: Rolling Stones

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Motoristas não precisam utilizar máscara no próprio carro, apenas em transporte de uso coletivo

O motorista que estiver no próprio carro, sozinho ou acompanhado de familiares, não precisa utilizar a máscara. A dúvida surgiu depois que muitos paranaenses receberam em seus celulares mensagens falsas afirmando que os motoristas sem a proteção contra o coronavírus estariam sendo multados no Paraná. A informação foi desmentida nesta quarta-feira (29) pelo deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Paraná e um dos autores da lei que tornou obrigatório o uso da máscara em ambientes públicos de uso coletivo em todo o estado.

Romanelli explica que a lei é clara ao determinar que o uso da máscara é obrigatório somente nos meios de transporte de uso coletivo. “Onde é obrigatório o uso da máscara: dentro do transporte coletivo, em todos os ônibus que circulam em qualquer cidade paranaense; no táxi tem que usar a máscara; no transporte por aplicativo tem que usar a máscara. Pessoa no transporte individual não precisa usar a máscara, nem no carro nem na motocicleta. Foi criado uma fake news e é importante a gente desmentir isso. A regra é clara: saiu de casa tem que usar a máscara, mas obviamente a pessoa não está expondo ninguém nem se expondo ao usar o automóvel dela”.

Já as multas previstas na lei ainda não começaram a ser aplicadas. “O Poder Executivo está fazendo a regulamentação da lei em relação às multas. No mais, a lei é autoaplicativa. A obrigatoriedade já existe e as autoridades constituídas podem exigir o uso da máscara, apenas a multa que não será aplicada até a regulamentação”.

Legislação – A lei nº 20.189/2020 torna obrigatório o uso das máscaras por todas as pessoas que estiverem fora de suas residências enquanto perdurar a pandemia do coronavírus. A determinação abrange todos os espaços abertos ao público e de uso coletivo, como vias públicas, parques, praças, pontos de ônibus, terminais de transporte coletivo, rodoviárias, portos, aeroportos, veículos de transporte coletivo, táxi, transporte por aplicativo, repartições públicas, estabelecimentos comerciais, industriais, bancários, empresas prestadoras de serviços e quaisquer estabelecimentos congêneres e ainda outros locais em que possa haver aglomeração de pessoas.

Também obriga o fornecimento gratuito das máscaras para funcionários e servidores e a disponibilização de locais para higienização das mãos com água corrente e sabonete líquido ou pontos com solução de álcool em gel a 70%.

Assim que estiver regulamentada a fiscalização, quem não cumprir poderá ser multado com valores que variam de R$ 106,60 até R$ 533,00 para pessoas físicas e de R$ 2.132,00 até R$ 10.660,00 para empresas.

Via: Assembleia Legislativa do Paraná

Assembleia Legislativa aprova obrigatoriedade do uso de máscara em todo Paraná

A Assembleia Legislativa aprovou nesta quarta-feira, 22, o projeto de lei dos deputados Luiz Claudio Romanelli (PSB), Alexandre Curi (PSB) e Tercílio Turini (CDN), que torna obrigatório o uso de máscara em todo o Paraná. Em forma de substitutivo geral, a proposta foi apensada aos projetos dos deputados Douglas Fabrício (CDN) e Michele Caputo (PSDB).

“O projeto obriga às pessoas que vão à indústria, comércio ou qualquer estabelecimento, o uso de máscaras de pano. Segundo o Ministério da Saúde é o melhor instrumento para evitar a propagação do coronavírus”, disse Romanelli.

O projeto, aprovado em primeiro turno, volta às sessões na semana que vem em mais três votações e depois segue para sanção do governador Ratinho Junior. “Tenho absoluta certeza que se adotarmos a máscara como barreira, vamos reduzir muito a transmissão e ao mesmo tempo a contaminação do coronavírus no Paraná”, disse Romanelli.

O deputado ainda afirma que apesar de desagradável, o uso de máscara é extremamente necessário. “A máscara deve ser simples, de tecido, artesanal, elaborado nos parâmetros que o Ministério da Saúde recomenda. As pessoas que confeccionam as máscaras ajudam muito nesse processo. O ideal é o isolamento social, mas se tiver a necessidade de sair, tem que usar a máscara”, completa.

Luvas – 
A proposta do deputado Douglas Fabrício, anexada ao substitutivo geral, obriga também o uso de luvas de proteção em estabelecimentos públicos, industriais, comerciais, bancários e empresas que prestam serviço de transporte rodoviário, metroviário e de passageiros com mais de 30 funcionários. Os artefatos devem ser fornecidos gratuitamente pelos empregadores.      

Também prevê a disponibilização de locais para higiene das mãos ou de álcool em gel. Quem descumprir a regra poderá ser multado, em forma definida em regulamento. Os recursos arrecadados com as multas serão destinados para o combate da covid-19. O deputado argumenta que o objetivo é proteger os trabalhadores que não tiveram as atividades suspensas durante a pandemia do novo coronavírus.

Ambiente coletivo – 
Já a obrigação do uso de máscara se estende a qualquer ambiente coletivo, mesmo que em céu aberto, como vias públicas, transporte coletivo, parques, comércio, repartições públicas, instituições bancárias e estabelecimentos similares. “Aqui na Assembleia todas as pessoas são obrigadas a usar. Queremos estender isso a todos os paranaenses. Além de se proteger, a pessoa protege outras pessoas”, disse Romanelli.

Os modelos descartáveis, segundo o deputado, deverão estar disponíveis para utilização de profissionais da área médica.  O descumprimento da determinação traz sanção de multa no valor de uma Unidade Padrão Fiscal do Paraná. Hoje o valor está fixado em R$ 106,60. A multa pode ser dobrada em caso de reincidência. O projeto não prevê outras sanções.

O projeto do deputado Michele Caputo tem objetivo similar e também foi anexado à proposta aprovada. O projeto dispõe sobre a obrigatoriedade do uso e fornecimento de máscaras à funcionários em estabelecimentos públicos e privados enquanto durar o período de calamidade pública.