Uber permite que motoristas mulheres levem apenas passageiras

O programa ‘Elas na Direção’ busca aumentar o número de mulheres como motoristas, promovendo recursos de segurança e incentivo como o “U-Elas” que permite motoristas escolherem apenas passageiras

A Uber lançou nesta quinta-feira (24) a plataforma “Elas na Direção” em parceria com a Rede Mulher Empreendedora (RME), que busca aumentar o número de motoristas no aplicativo. O grande diferencial é o recurso “U-Elas”, que permite motoristas selecionarem apenas passageiras mulheres em prol da segurança. O formato começou ontem, em Campinas, Curitiba e Fortaleza, como teste.

Segurança em aplicativos de mobilidade é uma conversa que não vem de hoje e é uma explicação para o baixo número de mulheres motoristas. Na Uber existem apenas 6% de motoristas mulheres e, com o intuito de ampliar este número, a empresa desenvolveu a plataforma ‘Elas na Direção’ que conta com vantagens exclusivas para mulheres que querem conquistar a independência financeira dirigindo.

Entre as vantagens está o novo recurso “U-Elas”, que permite que motoristas selecionem apenas passageiras mulheres, não cobrando nenhum custo adicional e que pode ser ligado e desligado ao longo do dia, baseado na vontade da profissional. “Esperamos que esse seja um primeiro passo para que, no futuro, tenhamos um número suficiente de mulheres dirigindo com a plataforma para também oferecer essa opção para usuárias mulheres com a mesma eficiência, que é a marca registrada da Uber”, afirmou a Diretora Geral da Uber no Brasil, Claudia Woods.

O intuito é expandir o programa para todo o Brasil em 2020 e, com o eventual aumento de motoristas, permitir também que passageiras possam escolher apenas motoristas mulheres.

Além disso, o programa fornece uma Rede de Apoio com especialistas nos Espaços Ubers das cidades piloto, e a possibilidade de participar do programa de vantagem da plataforma (Uber Pro) e ter descontos em escolas e academia, assistir palestras e cursos online sobre educação financeira via conteúdo em YouTube e WhatsApp. Outro benefício fala de acessibilidade e promove o desconto de 10% no aluguel de carros pela Localiza Hertz e, nas cidades teste do programa, a possibilidade de alugar sem cartão de crédito.

Ainda, outra ferramenta oferecida pela plataforma é a promoção de ganhos mínimos que, durante as primeiras 100 viagens, cobre o gasto médio da profissional caso ela não atinja o valor médio dessas corridas – algo que varia em cada localidade, mas que gira em torno de R$ 1500 e R$ 1600. Segundo Woods, o intuito é oferecer a maior quantidade de recursos e possibilidades para as motoristas aliarem seu dia a dia com o trabalho em aplicativos de uma maneira segura e confiável.

Ana Fontes, fundadora da RME, afirma que a independência financeira das mulheres é um elemento importante para que ciclos de violência sejam rompidos. Ainda, segundo uma pesquisa realizada pelo grupo, as mulheres empreendem para compor as rendas de sobrevivência familiar e buscam trabalhos com horários flexíveis para articular com as atividades diárias.

Quando questionado sobre a demora da plataforma em lançar um serviço parecido, quando outras iniciativas como o Lady Driver já o promovem, Woods afirmou que o projeto já está sendo trabalhado há um ano, mesmo período em que a Uber firmou o compromisso global com a igualdade de gênero.

Via: Olhar Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Venda de pinhão está liberada a partir de quarta-feira

Está liberada a partir dessa quarta-feira (01) a colheita, venda, transporte e armazenamento do pinhão. A recomendação é que a semente seja colhida de pinhas que já caíram, sinal mais garantido de sua maturação. Além disso, evita que a pessoa corra o risco de queda ao subir numa araucária.

A semente da araucária se forma dentro de uma pinha, fechada, que com o tempo vai abrindo até liberar o pinhão, o qual precisa de quatro anos para completar o seu amadurecimento.

As pinhas maduras desprendem dos galhos geralmente entre os meses de abril a agosto e quando arrebentam esparramam as sementes do seu interior.

“Além de servir de alimento para a fauna local, o hábito de comer pinhão foi herdado de algumas tribos indígenas, sendo agora produto tradicional nas festas juninas e também utilizadas em várias receitas”, relata Góes.

PROIBIDO

Mesmo sendo colhido na data permitida, é proibido o consumo e venda do pinhão verde. As pinhas imaturas apresentam casca esbranquiçada e alto teor de umidade. Se consumido, pode muitas vezes prejudicar a saúde, podendo causar problemas como a má digestão, náuseas e até episódios de constipação intestinal.

Isso acontece, em grande parte, porque neste estado a semente apresenta um alto teor de umidade, o que favorece a presença de fungos, podendo o alimento se tornar até tóxico para o consumo humano.

MULTA

De acordo com as normas ambientais, a pessoa que for flagrada na venda, transporte ou no armazenamento do pinhão antes de 1º de abril está sujeita a responder a processos administrativo e criminal, além de receber auto de infração ambiental e multa de R$ 300,00 para cada 60 quilos de pinhão.

DENÚNCIAS

A venda de pinhões trazidos de outros Estados também não é permitida, sendo obrigatório respeitar as normas locais. Denúncias sobre a venda irregular de pinhão e demais infrações ambientais, podem ser feitas no link Fale Conosco, no site do órgão, pelo telefone do IAT Curitiba: (41) 3213-3700 ou regionais do IAT e Polícia Ambiental.

Mulher com dor de estômago descobre gravidez e dá à luz 45 minutos depois

Todo mundo já teve um desconforto no estômago e dor nas costas uma vez na vida, né? Bom, no caso da inglesa Sal Guest, de 24 anos, a situação que parecia apenas um problema de má digestão teve um desfecho bem diferente. Isso tudo porque, assim que a dor começou, ela não fazia ideia de que estava grávida. As informações são do Daily Mail.

Ela conta que tudo aconteceu em janeiro de 2018, quando acordou com dores abdominais e, sem saber que estava em trabalho de parto, deu à luz 45 minutos depois. “Não acreditei que carreguei um bebê por nove meses sem me dar conta. Graças a Deus ele nasceu saudável. Eu estava tomando pílula, não tinha barriga nenhuma e levava uma via normal, inclusive tomando bebida alcoólica por todo este tempo”, disse ela, que menstruou normalmente durante toda a gestação.

De acordo com a mamãe, ela reencontrou um grande amigo de escola no início de 2017 e os dois começaram a namorar, mas se separaram meses depois. Em junho do mesmo ano, ela perdeu a mãe, e lidou com a tristeza saindo com os amigos e bebendo. “Estava muito deprimida”.

No dia em que acordou com dor, Sal tomou remédio para aliviar. Sem resultado, ligou para uma amiga e pediu ajuda. Em seguida, a amiga dela ligou para chamar uma ambulância e explicou os sintomas de dores no estômago, nas costas e vontade de ir ao banheiro. Do outro lado da linha, disseram que ela poderia estar em trabalho de parto. 

“Eu ri. Era impossível. Ela insistiu em dar uma olhada lá embaixo. Minutos depois, ela parecia ter visto um fantasma e disse ‘tem uma cabeça de bebê – você está coroando!’. Fiquei em choque”, relembra. Minutos depois, os paramédicos chegaram e a levaram para o Russells Hall Hospital, em Dudley, na Inglaterra.

O menino, Denny, hoje tem dois anos e passa bem!

Via: Revista Glamour