Turismo em Foz do Iguaçu registra aumento em julho

Com certificados sanitários e muitos lugares ao ar livre para visitar, o turismo dá sinais de retomada. Antes mesmo de fechar o mês de julho, as visitas à Itaipu Binacional passaram de 20 mil turistas. As férias escolares impulsionam a visitação e trouxeram um total de 20.808 pessoas à usina de Itaipu, neste mês. De 1º a 26 de julho, 19.651 turistas passaram pelos atrativos da hidrelétrica, como a Visita Panorâmica e os roteiros no Ecomuseu e no Refúgio Biológico Bela Vista. Movimento é reflexo da campanha Vem para Foz, da Itaipu e parceiros, e da vacinação em massa da covid-19 no município. No Complexo Turístico do lado paraguaio da usina, foram 481 visitantes no mesmo período. As visitas institucionais, que também tinham sido afetadas pela pandemia, já voltaram a funcionar. No lado brasileiro, foram 118 no mês de julho. Na margem paraguaia, 558. O cenário de 2021 é muito diferente do ano passado. Como grande parte dos atrativos de Foz, a usina só voltou a receber turistas em 22 de julho, tendo permanecido fechada para visitação devido a um decreto estadual. Na ocasião, foram 579 visitantes entre os dias 22 e 31 de julho. A recuperação também é sentida em outros atrativos de Foz, como no Parque Nacional do Iguaçu, onde estão as Cataratas, carro-chefe do turismo local. Em junho, foram 27.739 visitantes. O Parque permaneceu fechado de 1º de julho a 3 de agosto de 2020, também em função da pandemia.

Vem pra Foz

Considerado destino seguro pela adoção de práticas sanitárias pioneiras, no ano passado, Foz do Iguaçu saiu na frente e conseguiu mitigar os efeitos da pandemia, promovendo uma visitação segura. A campanha ganhou uma nova edição neste ano e foi lançada neste mês. “Estamos trabalhando cada vez mais para que a atividade turística seja retomada. Além da campanha Vem para Foz, estamos investindo em capacitação dos serviços, oferecendo oportunidade de reciclagem para muitos trabalhadores do ramo”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira. “Quando tudo voltar ao normal, como já está ocorrendo, o Destino Iguaçu sairá mais uma vez na frente”, completou. A superintendente de Comunicação Social e de Turismo de Itaipu, Patrícia Iunovich, área responsável pela campanha em construção com todo o trade, acredita que o resultado positivo se deve em boa parte à adesão do público de forma geral. A segunda edição da campanha “Vem pra Foz!” começou a ser divulgada em vários veículos de comunicação no último dia 12. Assim como na primeira edição, divulgada em setembro do ano passado, a campanha incentiva a volta dos turistas ao Destino Iguaçu, um dos mais bonitos de todo o mundo e que foi bastante impactado pela crise provocada pelo novo coronavírus. A iniciativa tem o turismo como principal atividade econômica da região de Foz do Iguaçu, cidade-sede da usina de Itaipu. O turismo é um dos pilares da missão da binacional. Com o mote “Natureza, emoção e muita energia. Várias viagens num só destino”, a ideia da campanha é mostrar que a região tem um grande pacote de atrativos, como as Cataratas do Iguaçu, a Itaipu, o Marco das Três Fronteiras, aliados a shows e diversão para toda as idades, boa hotelaria e estrutura de conforto que inclui compras e gastronomia diversificada em uma região que reúne três fronteiras: Brasil, Paraguai e Argentina. A produção é da agência Gpac com argumentação da Comunicação Social e de Turismo de Itaipu.

Destino seguro

Outro ponto positivo é a celeridade na imunização da comunidade contra o coronavírus. Um total de 73% da população de Foz do Iguaçu já tomou a primeira dose da vacina. A cidade deve ser a primeira a vacinar 100% da população adulta (acima de 18 anos) entre os principais destinos turísticos do País. Pesquisas apontam que a preferência do brasileiro, no pós-pandemia, é por destinos turísticos próximos de casa e, por isso, os atrativos de Foz do Iguaçu já figuram entre os mais procurados. A cidade também tem três grandes eventos marcados até início de dezembro e que devem atrair 12 mil participantes. Para informações sobre os atrativos da Itaipu, acesse https://www.turismoitaipu.com.br. Moradores de Foz do Iguaçu a municípios lindeiros ao lago de Itaipu não pagam (confira o regulamento no site).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Foz do Iguaçu deve liberar grandes eventos a partir de outubro

A prefeitura de Foz do Iguaçu antecipou o calendário de retomada de eventos na, motivada, principalmente, pelo avanço da vacinação contra a covid-19 e pela Campanha Vem para Foz, da Itaipu Binacional. Quase 80% da população adulta já recebeu a primeira dose dos imunizantes. A partir de agosto, estão liberados eventos corporativos com até 1.000 pessoas e eventos sociais com até 250 convidados.

O decreto que modifica o quantitativo do calendário de retomada dos eventos, divulgado no início de julho, foi publicado no Diário Oficial do Município nesta sexta-feira (30). A decisão da prefeitura toma por base o percentual de pessoas já vacinadas, além da expectativa do recebimento de mais um lote extra de vacinas, já anunciado pelo Ministério da Saúde, e o entendimento de que os eventos são catalisadores do turismo e da economia do município.

“Toda essa flexibilização está sendo possível graças à adesão da população à vacinação e a união do empresariado. É um esforço coletivo da sociedade e todos estão fazendo sua parte para a retomada”, disse o prefeito Chico Brasileiro (PSD).

“O turismo de eventos e negócios é um dos mais importantes do setor e movimenta toda a economia. Traz prosperidade para toda a população diretamente ou indiretamente”, afirma o secretário municipal de Turismo e Projetos Estratégicos, Paulo Angeli.

Em setembro, serão liberados os eventos corporativos com até 1.500 participantes e sociais com até 500 pessoas – nestes casos ficando proibidos bailes e pistas de dança. Também serão permitidos jantares de formatura com até 1.500 pessoas.

A partir de 15 de outubro, com a expectativa de que 70% da população adulta esteja vacinada com as duas doses e conforme o cenário epidemiológico, serão liberados todos os eventos corporativos, independente do número de pessoas, desde que seja respeitada a capacidade máxima de 70% dos espaços.

Também serão permitidos eventos sociais com pista de dança e baile, independente do número de convidados, desde que  respeitada a capacidade de 70% dos espaços.

Horário das atividades

Outra mudança oficializada por meio de decreto e também possibilitada devido ao avanço da vacinação e da redução do número de casos e internamentos por covid foi a ampliação dos horários das atividades gastronômicas até 1h. Também foi revogado o toque de recolher no município.

A prefeitura vai reforçar as fiscalizações de trânsito nos finais de semana, especialmente à noite e de madrugada, em relação ao uso excessivo de álcool, para evitar o aumento do número de acidentes de trânsito e garantir maior segurança à população.

Foz do Iguaçu será primeiro destino turístico do País a vacinar 100% da população

Foz do Iguaçu caminha célere para ser a primeira cidade a vacinar 100% da população adulta (acima de 18 anos) entre os principais destinos turísticos do País. Ranqueada entre 2º e 3º lugares na preferência de visitantes nacionais e estrangeiros, Foz está vacinando os moradores com 26 anos ou mais, à frente de São Paulo (28/29 anos), Rio de janeiro (35), Salvador (34), Maceió (33 anos), Natal (33) e Gramado (37 anos).


A vacinação em Foz está na frente das principais cidades do Paraná: Curitiba (36 anos), Londrina (28/27 anos), Ponta Grossa (35 anos), Maringá (34 anos) e Cascavel (32 anos) e São José dos Pinhais (36 anos). “Esperamos em breve o segundo lote extra de vacinas e completar a imunização dos moradores da cidade com pelo menos a primeira dose”, disse o prefeito Chico Brasileiro.


Foz do Iguaçu já tem 73% da população adulta vacinada com a primeira dose. Desde o início da vacinação, em janeiro, foram aplicadas 190.643 doses da vacina contra a covid, 144.608 de primeira dose, 39.556 de segunda dose e 6.479 doses únicas.


Fronteira

Vice-presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, Chico Brasileiro articulou junto ao Ministério de Saúde o envio das doses extras às 122 cidades da fronteira brasileira com o Paraguai, Argentina, Uruguai, Bolívia, Peru, Colômbia, Venezuela e Guianas. “A proposta é a de criar um cordão de segurança e evitar, o máximo possível, a circulação de novas variantes do coronavírus através das cidades fronteiriças”, disse o prefeito.


As quatros cidades da fronteira o Paraná (Foz, Barracão, Guaíra e Santo Antônio do Sudoeste) receberam 45 mil doses (faltam mais 45 mil doses), 29 cidades gaúchas, 126 mil doses; 13 cidades do Mato Grosso do Sul (165,5 mil) e nove cidades de Rondônia (nove mil). Um total de 392 mil doses extras para 55 municípios.

As vacinas extras vão acelerar também a retomada do turismo, principal atividade econômica da cidade. Pesquisas apontam que a preferência do brasileiro, no pós pandemia, é por destinos turísticos próximos de casa e por isso os atrativos de Foz do Iguaçu já figuram entre os mais procurados. A cidade  já tem três grandes eventos marcados até início de dezembro e que devem atrair 12 mil participantes.

Movimentação


A segunda edição da campanha Vem pra Foz procura chamar o visitante mais próximo num raio de até 500/1000 quilômetros através do turismo rodoviário e aéreo. A rodoviária registrou aumento de 41% no comparativo entre os dois últimos semestres. Este ano, de janeiro a junho, 241.197 pessoas passaram pelo terminal, contra 170.648 de julho a dezembro do ano passado. 


O aeroporto internacional registrou, de janeiro a junho deste ano, 345.207 embarques e desembarques, um aumento superior a 42% no comparativo aos 241.765 embarques e desembarques de julho a dezembro do ano passado. “A expectativa é a volta das viagens turísticas. No ano passado, destacamos roteiro seguro e agora queremos reforçar não apenas esse conceito, mas valorizar a diversidade de experiências que o Destino Iguaçu oferece”, diz o presidente do Codefoz, Felipe Gonzales.


Dados da segunda edição do Insights para o Turismo, uma pesquisa do setor, afirmam ser alta a probabilidade de fazer uma viagem a lazer nos seis meses após a segunda dose da vacina. A insegurança com a pandemia é uma das razões que desmotivam a viajar, para 72,37% dos entrevistados. O comportamento dos outros é preocupação para 34,43%. No entanto, a quantidade de pessoas vacinadas no destino também entrou para a lista de aspectos considerados pelos viajantes na hora de escolher que lugar visitar.