Todos os terminais de Curitiba terão marcação de distância e ônibus com 50% de lotação máxima

A Urbanização de Curitiba (Urbs) vai implantar a marcação de distanciamento de 1,5 metro entre os passageiros nas filas em todos os 22 terminais da cidade. Desde segunda-feira (27/4) funcionam marcações  nos terminais Pinheirinho, Santa Cândida, Cabral, Campo Comprido, Boqueirão e Centenário e nos tubos da Rui Barbosa, Carlos Gomes e Estação Central. 

Fiscais e agentes da Guarda Municipal estão orientando a população sobre a necessidade de manter a distância de pelo menos quatro passos entre os passageiros e a obrigatoriedade do uso de máscaras. Nos terminais, os ônibus só podem sair com lotação máxima de 50%. As medidas seguem as normas editadas na resolução 01/2020, da Secretaria Municipal da Saúde, para combater a pandemia do novo coronavírus.


“É preciso que a população tenha a consciência de que essas medidas são fundamentais para evitar o avanço da Covid-19. O passageiro terá que esperar o próximo ônibus se o primeiro já estiver com metade da ocupação”, diz Ogeny Pedro Maria Neto, presidente da Urbs.


Também é necessário, segundo ele, que os patrões tenham flexibilidade em relação às mudanças que a pandemia está provocando na rotina dos trabalhadores. “A frota está bem acima da demanda, mesmo com o aumento do fluxo nos últimos dias. Então, temos carros disponíveis para atender a todos. Mas o passageiro, em algumas vezes, terá que aguardar o próximo ônibus para evitar aglomeração e se expor ao risco de contágio do novo coronavírus ”, completou.

De acordo com a Guarda Municipal, desde o início da ação, na segunda-feira, foram realizadas 457 orientações a passageiros referentes ao uso de máscaras e distanciamento. Audios transmitidos em eixos do transporte coletivo também orientam sobre as novas normas. Na próxima segunda-feira (4/5) começam a ser distribuídos aos passageiros 50 mil folders explicativos sobre as novas regras de conduta. Também serão colocadas faixas nos terminais e cartazes nas estações-tubo. 

As ações dos fiscais estão concentradas no pico do horário da manhã, entre 6h e 8h, nos terminais, e no pico da noite, entre 17h e 19h, nas estações-tubo das praças Carlos Gomes, Rui Barbosa e na Estação Central.

Horários alternativos

Maia Neto também reforça a necessidade de o comércio estabelecer horários alternativos de funcionamento, para evitar a superlotação no início e no fim do dia. Em reunião na Associação Comercial do Paraná (ACP) nessa semana, Maia Neto pediu que a entidade oriente seus associados a seguir o horário proposto por ela, das 10h às 16h, para evitar a superlotação dos ônibus em horários de pico e colocar em risco a vida dos trabalhadores do setor. 

Capacidade

O sistema de transporte coletivo opera com uma frota quase cinco vezes maior que a demanda atual,  que é de 237 mil passageiros por dia. Para se ter uma ideia, antes da pandemia, esse volume era de 759 mil pessoas. A queda é de quase 70%.
“Não se trata de aumentar a frota, que opera com folga em relação à demanda para evitar a superlotação. A questão é evitar que os ônibus lotem em alguns horários específicos. E para isso é preciso a colaboração e responsabilidade de todos”, diz Maia Neto.  
O monitoramento da frota é diário e a Urbs mantém ônibus reservas para serem acionados em caso de super demanda. A Urbs também fez um apelo para a Comec (Coordenação da Região Metropolitana ) para reorganizar o fluxo de veículos vindos da Região Metropolitana, evitando a lotação nos terminais de Curitiba.

Deixar animais soltos em ruas e praças pode gerar multa de até R$ 2 mil em Curitiba

Projeto de lei que reforça punição à maus-tratos foi aprovado em 1º turno na Câmara Municipal.

Os vereadores de Curitiba aprovaram nesta quarta-feira (16), por unanimidade e em 1ª discussão, o projeto de lei que, entre outras coisas, estabelece multa de R$ 200 a R$ 2 mil para quem abandonar animais em ruas e espaços públicos. O projeto modifica  modifica lei já existente e amplia as práticas consideradas como crime de maus-tratos a animais.

A proposta da vereadora Katia Dittrich (Solidariedade) lista 24 ações ou omissões como maus-tratos, o dobro do que previa a lei de 2011. Entre os novos comportamentos que caracterizam o crime, o mais significativo é o de abandono.

“Deixar o animal solto em vias e logradouros públicos” como diz o texto do projeto, vai passar a doer no bolso, com multas de até R$ 2 mil no caso de flagrante ou denúncia comprovada. As medidas seguem a linha de projeto semelhante porém ainda mais rigoroso e que prevê responsabilização criminal, aprovado no Senado Federal na semana.

Outros dois pontos polêmicos do projeto são a proibição expressa de ‘passeios’ desacompanhados e abandono de animais idosos ou doentes. No primeiro caso está prevista responsabilização dos tutores com multa, pelo risco do animal sofrer ou causar acidentes, além de permitir uma possível cria indesejada” e no segundo uma característica de agravante ao crime de maus-tratos, pela vulnerabilidade dos bichos.

Para entrar em vigor, o projeto precisa ser aprovado em 2ª discussão para depois ser sancionado ou não pelo prefeito.  Caso seja sancionada, a lei então terá um prazo para regulamentação.

Informações Banda B.

Sérgio Moro recebe carteira da OAB e abre escritório em Curitiba

Antes de começar a advogar, no entanto, Moro deverá acabar de cumprir a quarentena de seis meses determinada pela Comissão de Ética da Presidência.

O ex-juiz federal que conduziu a Lava Jato e colecionou desafetos entre alguns criminalistas vai atender sua futura clientela em um endereço de Curitiba, base e origem da maior operação já desencadeada no País contra a corrupção.

Antes de começar a advogar, no entanto, Moro deverá acabar de cumprir a quarentena de seis meses determinada pela Comissão de Ética da Presidência. Levando em consideração a data em que anunciou sua renúncia e acusou o presidente de suposta tentativa de interferência na Polícia Federal, 24 de abril, a quarentena do ex-juiz terminará no fim de outubro.

Informações Banda B.