Todos os municípios do Paraná já estão vacinando a população em geral

A vacinação contra a Covid-19 no Paraná avançou para além dos grupos considerados prioritários. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou nesta terça-feira (8) que todos os 399 municípios paranaenses já estão em processo de imunização da população adulta em geral, parcela da sociedade formada por pessoas com idade variando entre 18 e 59 anos e que não se enquadram entre as prioridades estabelecidas pelo Plano Nacional de Imunização (PNI).

A expansão do cronograma de vacinação foi possibilitada pela iniciativa do Governo do Estado de reservar parte da 22ª pauta de distribuição do governo federal para dar início ao escalonamento etário abaixo dos 60 anos. A remessa enviada aos municípios na semana passada separou 137.353 (38%) das 360.250 doses para o novo público. Os imunizantes são da Covishield, desenvolvido em parceria pela Fiocruz/AstraZeneca/Oxford.

“As vacinas estão chegando e não podemos ficar parados. A ordem é ir ampliando o público que será imunizado conforme a idade, chegando até aqueles mais novos que estão fora das prioridades. O objetivo do Governo do Estado é no fim do ano ter todas as pessoas acima de 18 anos vacinadas contra a Covid”, ressaltou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

O protocolo estabelecido pela Sesa determina que a aplicação neste novo público-alvo seja escalonada de forma sucessiva e decrescente, iniciando na faixa etária de 59 e 58 anos.

EXEMPLOS 

Além do avanço natural, algumas cidades, contudo, estão com o calendário ainda mais adiantado. Paranavaí, no Noroeste, já começou a vacinar o público de 57 anos. Campo Mourão, no Centro-Oeste, trabalha para fechar a semana com todos os acima de 56 anos imunizados. E em Cornélio Procópio, no Norte Pioneiro, e em Foz do Iguaçu, no Oeste, a faixa etária alcançou os 53 anos.

Mesmo público que Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, espera atingir até sábado (12) – atualmente está em 55 anos. E, gradativamente, ir diminuindo a idade até alcançar o pessoal de 45 anos até o fim de junho.

Paranaguá, Antonina e Guaraqueçaba, todas no Litoral, também projetam imunizar o grupo a partir de 45 anos neste mês. “Nossa expectativa é que, até o final desta semana, a população de até 39 anos receba a primeira dose da vacina”, disse o prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque.

Paranaguá e Antonina, no Litoral, avançam na vacinação e imunizam a população na faixa dos 40 anos. Foto: Prefeitura de Paranaguá

Ele explica que mobilizou um grande efetivo da prefeitura para tornar a logística mais ágil. “Não escolhemos dia para começar a vacinar. A vacina chega e nós começamos imediatamente o processo. Temos uma equipe de 130 pessoas da prefeitura dedicada a isso”, explicou.

Durante o feriado de Corpus Christi, a prefeitura imunizou 7,5 mil pessoas na quinta e na sexta – nesse último caso, até as 2h30 de sábado.

A cidade tem 105 mil pessoas com mais de 18 anos aptas a serem vacinadas. Até segunda (7), 47 mil parnanguaras já haviam recebido a primeira dose da vacina contra a Covid-19, cerca de 45% da população. 

Bem perto de Paranaguá, outro município que se destaca na aplicação das vacinas é Antonina. Com cerca de 13 mil pessoas computadas para receber o imunizante com 18 anos ou mais, Antonina já vacinou cerca de 8,3 mil habitantes.

MAIS POPULOSAS 

Entre as cidades mais populosas, Curitiba estima terminar a semana com as pessoas de 56 anos protegidas contra o vírus. Londrina e Maringá pretendem chegar na sexta-feira (11) com as pessoas de 55 anos imunizadas. Cascavel também reservou a sexta-feira, mas para proteger quem tem a partir de 58 anos. Ponta Grossa, por sua vez, dá início nesta quarta-feira (09) à vacinação de quem já completou 58 e 59 anos.

“Estamos nos organizando para avançar cada vez mais. As vacinas estão chegando com um ritmo melhor ao Estado, o que nos permite programar a ampliação das pessoas imunizadas. Contamos com a parceria dos municípios para que as doses cheguem o mais rapidamente possível ao braço dos paranaenses”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. “É com vacina e rapidez na aplicação que vamos vencer a pandemia”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná registra o maior número de novos casos de Covid-19 dos últimos 10 meses em um mesmo boletim

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (18) mais 23.870 casos confirmados e 21 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Um número de novos casos maior do que esse foi registrado apenas em 7 de março do ano passado, quando o boletim apontou 44.967 novos diagnósticos da doença. Os dados deste novo boletim são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas, que são de 16.809 casos e três óbitos. 

O monitoramento da Covid-19 mostra que o Paraná soma 1.721.264 casos confirmados e 40.727 mortos pela doença.

Os casos divulgados nesta data são de janeiro (22.499) de 2022; dezembro (113), novembro (49), outubro (90), setembro (159), agosto (218), julho (66), junho (83), maio (76), abril (49), março (85), fevereiro (29) e janeiro (34) de 2021; e dezembro (83), novembro (128), outubro (28), setembro (26), agosto (26), julho (24), junho (3), maio (1) e abril (1) de 2020.

Os óbitos são de março (3), abril (4) e dezembro (2) de 2021 e janeiro (12) de 2022.

Internados

68 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados em leitos SUS (27 em UTIs e 41 em leitos clínicos/enfermaria) e nenhum em leitos da rede particular (UTI ou leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 856 pacientes internados, 305 em leitos de UTI e 551 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Mortes

A Sesa informa a morte de mais 21 pacientes. São sete mulheres e 14 homens, com idades que variam entre 38 e 92 anos. Os óbitos ocorreram entre 25 de março de 2021 e 18 de janeiro de 2022.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (6), Ponta Grossa (2), Maringá (2), Umuarama, Rosário do Ivaí, Pontal do Paraná, Pinhais, Pato Branco, Londrina, Ibiporã, Curiúva, Borrazópolis, Araucária e Almirante Tamandaré.

O monitoramento da Sesa registra 8.301 casos de residentes de fora do Estado – 224 pessoas foram a óbito.

Monitoramento

A Sesa está monitorando a situação epidemiológica do Paraná e o crescimento no número de casos diários divulgados pela pasta. A Secretaria reforça que as medidas de prevenção como uso de máscaras, lavagem das mãos e uso do álcool em gel permanecem sendo necessárias, juntamente com a continuidade da vacinação contra a Covid-19.

Vacinação infantil ganha velocidade em Curitiba, cidade com maior número de crianças

O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, acompanhou o início simbólico da vacinação de crianças contra a Covid-19 em Curitiba, nesta terça-feira (18). O evento foi na Unidade de Saúde Mãe Curitibana, no bairro São Francisco, e contou com a participação do prefeito Rafael Greca, do vice-prefeito Eduardo Pimentel e da secretária municipal da Saúde interina, Beatriz Battistella Nadas. São 164.821 crianças na Capital.

“É muito importante que a Capital esteja envolvida na mobilização e na missão de levar a informação positiva da necessidade da vacina para os pais e para nossas crianças”, disse Beto Preto, que deu a largada para a vacinação infantil no Paraná no último sábado (15), em Londrina, no Norte. 

O pequeno Miguel, de 10 anos, foi um dos vacinados. A mãe, Márcia Stankiwich, ressaltou a importância de não acreditar em notícias falsas e vacinar as crianças.

“Não devemos acreditar em fake news, notícias de fontes não confiáveis e duvidar das pesquisas feitas para as vacinas. Para mim, para o Miguel e toda a família, essa vacinação é um momento importante e muito esperado, para que tudo volte ao normal, principalmente na questão pedagógica”, disse Márcia.

Neste momento, Curitiba está vacinando crianças de 9 a 11 anos com comorbidades e deficiência permanente. A orientação é que a imunização seja realizada de forma escalonada, iniciando pelos grupos prioritários. A Capital também já imunizou crianças de 5 a 11 anos acamadas, institucionalizadas e indígenas.

“É uma imensa alegria podermos imunizar quase 165 mil crianças. Estamos vencendo a pandemia em um grande esforço para superar também a variante Ômicron”, disse Greca. “Vacina é vida e a vida para as crianças é o patrimônio mais valioso para uma cidade”.

CAMPANHA – A estimativa do Ministério da Saúde é que o Estado tenha 1.075.294 crianças de 5 a 11 anos. Na sexta-feira (14) a Secretaria da Saúde recebeu 65.500 doses no primeiro lote para este público e menos de quatro horas depois, já descentralizou os imunizantes para as 22 Regionais de Saúde.

Nesta segunda-feira (17) mais um lote com o mesmo quantitativo de vacinas foi enviado ao Paraná e deve ser descentralizado na tarde desta terça-feira (18). A expectativa é que a vacinação infantil com a primeira dose se estenda até abril.

Foto: Gilson Abreu/AEN

“Devemos aplicar a primeira dose até começo de abril e em meados de março já iniciar a aplicação da segunda dose”, explicou Beto Preto. “Vamos ter que trabalhar desta maneira, chegando doses, automaticamente já são fracionadas para que os municípios tenham acesso e continuem sua vacinação”.