Taxa de transmissão da Covid-19 cai no Paraná, aponta estudo

A taxa de transmissão da Covid-19 caiu no Paraná. O Estado tem um Rt médio de 0,77, o que significa que cada 100 pessoas com Covid-19 podem contaminar outras 77, como mostram os dados atualizados no domingo (21) pelo sistema Loft, que analisa como está a transmissão do coronavírus no Brasil. Neste momento, o Paraná tem a menor taxa de reprodução (Rt) entre os estados brasileiros.

“De forma simples, o Rt indica a média de pessoas que serão infectadas pelo Sars-CoV-2 a partir de uma pessoa doente. Quando o Rt for igual a 1, a doença está estável, quando é maior, temos o crescimento do número de casos. Com essa taxa, abaixo de 1, há uma remissão no contágio”, explica a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde, Acácia Nasr. “A variação dessa taxa considera as mudanças no comportamento da população, como a quarentena, uso de máscaras, teletrabalho, suspensão de aulas e fechamento do comércio”, afirma.

A média de transmissão no País é de 1,04, sendo que o Estado com o maior índice de reprodução é o Ceará, com o Rt de 1,2. Somente em outros quatro essa média é igual ou inferior a 1: Amazonas (0,89), Rio Grande do Norte (0,89), Bahia (0,98) e Rio de Janeiro (1).

Desde o início da pandemia, há um ano, é a quarta vez em que há uma remissão na transmissão do vírus no Paraná, o que ocorre desde a última quarta-feira (17). O Rt chegou a um pico de 1,88 entre março e abril do ano passado e teve algumas variações, sempre superior a 1, até o início de setembro. A média oscilou entre 0,97 e 1 até o início de novembro, quando voltou a subir.

Entre 26 de dezembro e 7 de janeiro também houve uma queda da taxa de transmissão, que depois de uma leve alta voltaria a cair pelo período de um mês, entre 18 de janeiro e 18 de fevereiro de 2021. A transmissão, então, voltou a crescer até atingir um pico de 1,58 em 11 de março – naquela data, cada 100 pessoas infectadas contaminavam outras 158.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná recebe mais 368 mil doses de vacinas contra a Covid-19

Um novo carregamento com 368.050 doses de vacinas contra a Covid-19 chega ao Paraná na noite desta quinta-feira (15). A previsão é que a 13a remessa de imunizantes encaminhadas pelo Ministério da Saúde chegue às 23h30 no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. São 142.800 doses da CoronaVac/Butantan e 225.250 doses da vacina de Oxford/AstraZeneca/Fiocruz.

Do aeroporto, os imunizantes serão encaminhados para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba, para que seja feita a divisão entre as 22 Regionais de Saúde do Estado e o armazenamento correto até o momento da distribuição. A previsão da Secretaria de Estado da Saúde é que elas comecem a ser enviadas às regionais na tarde de sexta-feira (16).

Com este novo lote, o Paraná ultrapassa as 2,8 milhões de doses recebidas do Ministério da Saúde desde o início do ano e pode dar prosseguimento à aplicação das doses nos grupos prioritários definidos no Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19. São 225.453 primeiras doses (61% do total) e 109.139 segundas doses, fora a reserva técnica.

As vacinas da AstraZeneca estão divididas em 201.994 para aplicar em idosos de 65 a 69 anos e 2.741 em idosos de 60 a 64 anos, ambas para a primeira dose. É parte de um lote de 3.879.000 de vacinas Covishield que será distribuído pelo Ministério da Saúde.

As doses do Butantan estão divididas em 8.103 para trabalhadores de saúde, 2.277 para forças de segurança pública e salvamento (incluindo as Forças Armadas) e 10.338 para idosos de 60 a 64 anos para a primeira dose; e 6.061 para trabalhadores de saúde e 103.078 para idosos de 65 a 69 anos para a segunda dose. É parte de um lote de 2.500.000 doses a ser distribuído para todo o País.

Quase 72 mil paranaenses não retornaram para 2° dose e governador reforça apelo por vacinação

Levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde aponta que quase 72 mil paranaenses não retornaram para a dose de reforço da vacina contra a Covid-19. Segundo o balanço divulgado nesta terça-feira (13), o estado é o sexto com maior número de pendências para o complemento da imunização. São 71.855 pessoas que não retornaram para a 2ª dose da CoronaVac e duas para a Astrazeneca/Oxford.

Na manhã desta quarta-feira (14), o governador Ratinho Junior reforçou o apelo para que todos façam a imunização completa. “Nós temos cobrado também da população e das secretarias municipais de saúde que a 2ª dose é tão importante quanto a primeira. Nós temos praticamente meio milhão de doses que estão nos municípios para fazer a 2ª dose e a ideia é não parar, uma vez que quanto mais pessoas imunizadas, menos chances a gente tem de ter pacientes nos hospitais se tratando”, disse.

Em Curitiba, 97% das pessoas concluíram o ciclo de proteção. Pelo levantamento divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde, das 74.442 pessoas que estão dentro do prazo para a segunda aplicação, apenas 2.438 ainda não compareceram a um ponto de vacinação da cidade.

Novo lote

Durante a manhã, a Secretaria Estadual de Saúde confirmou que o Paraná receberá nos próximos dias mais 368.050 doses de vacinas contra a Covid-19. São 225.250 da AstraZeneca e 142.800 da CoronaVac.

Segundo o governador Ratinho Junior, o Paraná espera que as doses cheguem “no mais tardar” até sexta-feira (16).

As doses da AstraZeneca estão divididas em 201.994 para aplicar em idosos de 65 a 69 anos e 2.741 em idosos de 60 a 64 anos, ambas para a primeira dose.

As doses do Butantan estão divididas em 8.103 para trabalhadores de saúde, 2.277 para forças de segurança pública e salvamento (incluindo as Forças Armadas) e 10.338 para idosos de 60 a 64 anos para a primeira dose; e 6.061 para trabalhadores de saúde e 103.078 para idosos de 65 a 69 anos para a segunda dose.

Informações Banda B