Tarifa de luz no Paraná aumentam mais uma vez

[ad_1]

Com a estiagem e os altos custos para a produção de energia elétrica no país, um novo adicional deve ser acrescido às contas de luz dos brasileiros a partir de setembro. A chamada bandeira vermelha 2 terá duração aproximada de seis meses e servirá para pagar a geração de energia por termelétricas, medida que ocorre sempre que os níveis dos reservatórios das hidrelétricas estão muito baixos. E pode preparar o bolso; os reajustes desta vez podem chegar a 58%.

No Paraná, o impacto deve ser ainda maior lá na frente, especialmente no agronegócio, pois a partir de 2023, os produtores rurais perderão o subsídio oferecido pelo Governo Federal destinado à energia rural, que atualmente chega a 60% do valor consumido nas propriedades. E também se dará o término definitivo da Tarifa Rural Noturna, que previa o desconto de 60% na conta de energia elétrica dos agricultores, consumida entre 21h30 e 6h.

“Essa será a herança deixada pelos Governos para os paranaenses. Um aumento fervoroso nas contas da produção de alimentos, que se refletirá na mesa dos consumidores. Somando isso aos novos pedágios que devem ser implantados no Estado, em mais rodovias, em pouco tempo o Custo Paraná será mais alto do que nunca”, alerta o deputado estadual Requião Filho (MDB).

O parlamentar também destaca o perfil inovador dos produtores rurais, que estão aderindo a outras fontes alternativas, como a energia solar, mas ainda encontram resistência e falta de programas de incentivo público para a aplicação disso na prática.

“É um Governo preocupado com o Agro só na propaganda, mas na realidade não há qualquer projeto para o futuro. Os próximos governantes terão um desafio a mais, pois terão que desenrolar este nó na economia que estão deixando os atuais comandantes do Executivo”, lamenta.

No ano passado, em sessão na Assembleia Legislativa do Paraná que aprovou um projeto de criação do “Dia da Energia Solar”, no Paraná, o deputado Requião Filho pediu que o Governo Estadual fosse além e desenvolvesse um projeto para diminuir os impostos sobre o setor de energias renováveis. Para o deputado, o Estado deveria criar um projeto para incentivar a aquisição de equipamentos para a captação e o uso de energia limpa.

“Temos aqui um dos ICMS’s mais altos sobre estes equipamentos de instalação, que captam e permitem o uso da energia solar. Ainda custa muito caro. Então sugiro que o Governo vá além e, ao sancionar este projeto, lance uma forma de incentivo, diminua os impostos, para que esse movimento ganhe força no Paraná”, sugeriu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com novo lote da Pfizer, Paraná vai acelerar vacinação de jovens de 12 a 17 anos

Mais 318.240 doses da vacinas Pfizer/BioNTech desembarcaram no Paraná nesta terça-feira (19). O lote contém 228.150 doses destinadas a adolescentes sem comorbidades, o primeiro lote carimbado para vacinação da população de 12 a 17 anos em geral. Outras 90.090 são para a segunda dose (D2), referente à 40ª pauta do Ministério da Saúde.

A remessa chegou no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, em dois voos distintos, um às 18h40 e o outro às 19h10. Os imunizantes fazem parte da 59ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde. As doses foram encaminhadas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) para conferência e armazenamento e serão enviadas nesta quarta-feira (20) por via terrestre para todas as Regionais de Saúde.

O Paraná já iniciou a imunização de adolescentes de 12 a 17 anos, sem comorbidades, utilizando o remanescente da reserva técnica enviada em todas as remessas para os municípios. Agora, a chegada de doses específicas para este grupo, vai acelerar a vacinação deste público.

De acordo com os dados do Vacinômetro nacional, o Paraná já aplicou 249.472 doses em adolescentes. No total, já são 14.619.702 vacinas contra a Covid-19, sendo 8.320.875 D1 e 5.780.512 da D2. Além disso, o Estado também registra a aplicação de 25.042 doses adicionais (DA) e 167.466 doses de reforço (DR).

Estado e Google firmam parceria para divulgar informações do transporte coletivo da RMC

A Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) firmou uma parceria com o Google para disponibilizar informações a respeito do serviço de transporte coletivo da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) nas plataformas da empresa.

Os horários e itinerários estão disponíveis a partir desta terça-feira (19) nas plataformas da empresa, uma das gigantes globais de tecnologia. Usuários podem consultar informações sobre as 201 linhas que atendem os 19 municípios da RMC.

As informações fazem parte do Google Maps, que também oferece dados sobre tempo estimado de viagem, horários de partida e chegada, quantidade de paradas, distâncias e canais de atendimento das empresas operadoras.

O presidente da Comec, Gilson Santos, disse que a medida facilita o acesso das informações, proporcionando inclusive mais segurança aos usuários. “Em uma rápida pesquisa por meio do celular em um site muito conhecido a pessoa poderá consultar a melhor rota, horários, conexões, evitando se perder e até esperas desnecessárias nos abrigos. É um passo importante para oferecer um serviço cada vez melhor para a população, aliando tecnologia e informação”, afirmou.

Os dados das linhas já estão disponíveis na plataforma e as atualizações serão feitas automaticamente por meio de uma sincronização com a base de dados da Metrocard, associação das empresas operadoras do sistema.

SITE DA COMEC – O site da Comec também reúne informações atualizadas sobre linhas, horários e tarifas do transporte metropolitano.