Startup desburocratiza cannabis medicinal e lança espaços físicos pioneiros no Brasil

A startup Anna Medicina Endocannabinoide promete fazer uma revolução no universo da cannabis medicinal no Brasil. A marca, que nasceu para facilitar o acesso dos brasileiros à cannabis medicinal, acaba de lançar um marketplace para a aquisição de produtos importados com canabidiol (CBD) e vai criar os primeiros espaços físicos sobre o tema no país: na Santa Casa de Curitiba, hospital referência no Estado, e no Eco Medical Center, um ecossistema completo de clínicas e serviços médicos. A expectativa é atender mais de 12 mil pessoas até 2024.

Os espaços físicos têm inauguração prevista para o início de 2023, já o marketplace acaba de entrar no ar com linhas de produtos próprios e de parceiros nacionais e internacionais. “Vai ser uma experiência sensorial completa. Não estamos vendendo só produtos, porque eles são importados e necessitam de receita médica para compra. Nosso propósito é acolher o paciente, tirar as suas dúvidas e apresentar os efeitos do CBD no corpo humano”, conta Kathleen Fornari, CEO e cofundadora da Anna Medicina Endocannabinoide. A startup tem como parceira a Productora Uruguaya de Cannabis Medicinal (PUCMED), uma das grandes referências do mercado mundial, fundada pelo médico Alfonso Ferretjans.

Atualmente, duas resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a 327 e a 660, regulam a importação e a aquisição de produtos com as propriedades do canabidiol, respectivamente. Uma das obrigações é a exigência de receita médica, independentemente do tipo de produto: dos óleos aos cosméticos, incluindo pomadas, bandagens e comprimidos.

O fato de estar dentro de espaços de saúde aproxima a startup dos médicos, que ainda estão se familiarizando com os tratamentos derivados do CBD. “É nosso dever fazê-los entender e acreditar no produto. Precisamos prestar esclarecimentos e treinamentos, até porque se trata de algo muito novo. Os profissionais precisam ter segurança para prescrever esses produtos”, ressalta Kathleen.

Ao atender tanto os pacientes quanto os profissionais, a Anna consegue unir as duas pontas e humanizar a aquisição dos produtos à base da cannabis medicinal. “O trabalho da Anna está pautado no serviço, muito além da venda dos produtos. Queremos despertar a curiosidade e esclarecer muitos dos mitos que cercam o uso desses produtos”, afirma a cofundadora.

Projeções otimistas

O interesse cada vez maior dos brasileiros pelos produtos com canabidiol para diversas enfermidades, a curiosidade e o volume de médicos interessados em prescrever esses produtos abre uma janela de oportunidades para a startup. Entre vendas, consultorias, orientações e esclarecimentos, a Startup espera atender mais de 12 mil pessoas até 2024.

Para isso, a expectativa da Anna é de oferecer diversas jornadas para o consumidor. “Para aquele que já conhece os produtos e tem uma prescrição, haverá o marketplace. Para o entusiasta, ele poderá tirar as dúvidas e usar nossa plataforma para se consultar com um médico”, explica Marcelo Velo, também cofundador da Anna. “Para aquele que já faz uso e colhe os benefícios, haverá garantia de recebimento do produto, algo que muitas pessoas sofrem hoje”, ressalta Velo.

As pesquisas sobre os benefícios do CBD seguem evoluindo a cada dia. Já há comprovação de que o corpo humano conta com um sistema endocanabinoide, que responde pela intersecção e comunicação de células, receptores e enzimas de vários órgãos. A presença do CBD auxilia na regulação de processos corporais, contribuindo para o sistema nervoso central e periférico, imunológico, endócrino e cardiovascular, entre outros.

Um potencial bilionário

O mercado da cannabis medicinal poderia se reverter em US$ 30 bilhões ao ano para o Brasil a partir de 2030, segundo os dados da Associação Brasileira das Indústrias de Cannabis (Abicann). Os diversos produtos com as propriedades terapêuticas poderiam beneficiar e reduzir sintomas de pelo menos 18 milhões de brasileiros, o equivalente a quase 10% da população.

Dados da consultoria Kaya Mind estimam que, após o quarto ano da legalização, a cannabis medicinal poderia movimentar R$ 9,5 bilhões ao ano. A entidade também é mais otimista em relação ao volume de pessoas que poderia se beneficiar dos tratamentos: quase 40% da população ou 78 milhões de brasileiros, considerando as comprovações do tratamento em diversas enfermidades.

Com uma regulação mais aberta, os produtos derivados da cannabis medicinal também poderiam ter fabricação própria nacional, incluindo seus insumos – algo vedado pela legislação atual. Essa atuação reduziria o seu preço, fazendo com que se tornassem mais acessíveis para boa parte da população.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pensamentos e atitudes para ser um empreendedor de sucesso em 2023

Com o início de 2023, muitas pessoas estão com motivação extra para investir ou começar um novo negócio. Nem sempre quem se torna empreendedor está totalmente preparado para o desafio, mas com determinação, dedicação e disciplina é possível chegar onde se almeja. Para ajudar quem está começando, há alguns pensamentos e atitudes que podem ser praticados.

Esclareço, antes de tudo, que não há como existir um líder sem ser inspirador e motivador. A equipe é o reflexo do líder. Então, seja um líder determinado para ter uma equipe determinada, forte e vencedora.

Uma atitude de um empreendedor de sucesso é saber resolver problemas. Eles podem ser com algum fornecedor, um conflito na própria equipe ou até mesmo uma insatisfação do cliente. Nesses casos, cabe ao gestor entender e saber gerir, da melhor forma e com equilíbrio, os desentendimentos para minimizar os impactos focando na solução e não no problema. A gestão de conflitos é o processo em que um gestor atua na mediação de cenários onde há divergência entre duas ou mais pessoas dentro de uma empresa.

Outra estratégia para ter sucesso é criar um plano de negócios. Fazê-lo é antecipar situações e criar estratégias para lidar com elas. Modelos de negócios servem para começar um empreendimento e mantê-lo competitivo. O documento descreve o conceito do seu negócio, objetivos e os passos que devem ser dados para alcançá-los, diferenciais de mercado e viabilidade do empreendimento sob diversos pontos de vista estratégicos, mercadológicos, operacionais e financeiros.

O modelo tem planejamento para atividades como identificação dos potenciais consumidores, inserção no mercado, administração da operação e cálculo das finanças. Além disso, estima a viabilidade da empresa em cenários pessimistas e otimistas. Assim, erros que viriam da falta de análise podem ser descobertos.

Um pensamento que se deve ter em mente é como estruturar o negócio. Para isso, conheça o mercado, estude sobre ele, sobre a concorrência, informe-se sobre os riscos, fluxo de caixa, capital de giro, vendas e marketing. Além disso, contrate bons profissionais, deixe clara a responsabilidade e autoridade de cada um, energize seu time, faça sua equipe crescer e cresça ao lado dela.

Outra atitude que vemos em empreendedores de sucesso é saber a hora de pivotar e corrigir. O termo pivotar significa fazer uma mudança significativa no negócio, mudar algo que não estava dando certo ou testar novas estratégias. Com isso, o empreendedor pode usar os erros do passado como lição para acertar essas falhas.

Outra medida importante e que define o sucesso é ter disciplina. A motivação não vai estar todo dia batendo na sua porta, lembre-se de que é 10% motivação e 90% transpiração, mas a disciplina vai te “obrigar” a fazer o que deve ser feito e estava planejado. É o compromisso que estabeleceu com você mesmo! Muitas pessoas falham por não serem disciplinadas. Coloque isso como fator determinante para realizar a sua lista de metas a serem alcançadas.

Lembre-se que você precisa de duas coisas para fazer dar certo. Pessoas certas, mas não apenas isso. Precisa que elas estejam nos lugares certos. Você pode ter o melhor funcionário do mundo, mas se ele estiver no lugar errado, ele não funciona da melhor forma. Só assim o seu negócio vai funcionar.

Inclusive, saiba que não tem como viver de motivação. Você precisa acreditar em você e acreditar no que você está fazendo. Tenha uma ação, faça acontecer. Não apenas quando você estiver motivado, mas todos os dias.

(*) Leonardo Chucrute é Gestor em Educação, CEO do Zerohum, Professor de matemática, ex-cadete da AFA e autor de livros didáticos.

Comunicação como fortalecimento do negócio: a estratégia diferenciada da agência Páprica

Que a presença digital é essencial para as empresas, não há dúvida, mas muitas marcas ainda não entendem como isso pode se tornar de fato conversão em lucro. Ter uma rede social e postar fotos está muito longe de criar laços que vendam o conceito da empresa para os clientes. O planejamento de comunicação que consiga aliar os setores da empresa, do marketing às vendas, é que vai ser o diferencial no fim das contas. E é com essa visão mais fluída e aprofundada que a agência Páprica tem conquistado clientes cujos faturamentos ultrapassam a casa do bilhão.

Fundada há dez anos por Renan Vargas, diretor geral que comanda a equipe de 45 profissionais, Páprica traz desde sua criação um novo olhar para o processo criativo. “O processo padrão de uma agência comum perde sinergia, ao passar por diferentes etapas que não se comunicam, o produto final perde alma”, conta Vargas, que queria elaborar projetos de maneira mais fluida. A agência nasceu “low size”, enxuta e com um estúdio de desenvolvimento de projeto mais conectado.

Apesar da visão mais abrangente do processo, dificuldades foram surgindo. “Em 2018, me vi tendo problemas idênticos aos das agências que eu não queria ser”, revela. Vargas retomou o ideal que foi ponto de partida da Páprica, corrigindo os erros e apostando ainda mais na proximidade da agência com o cliente, no entendimento do negócio. O método funcionou tanto para a própria empresa quanto para os clientes. Para o especialista, o marketing precisa estar obrigatoriamente ligado ao setor de vendas. “Não acreditamos numa comunicação vazia, só para ter um canal. Buscamos atingir os objetivos do cliente com a comunicação e fortalecer o negócio”, explica. Muitas vezes, Vargas percebe que esses setores não se relacionam nas empresas. “Um quer vender mais, o outro quer marcar presença no meio digital. Mas os resultados aparecem mesmo quando ambos conseguem dialogar”, destaca o fundador da Páprica.

“É preciso entender aonde a empresa quer chegar e o formato que essa empresa quer se apresentar no mercado”, define Vargas. Isso vai muito além de manter presença digital. “Precisamos andar junto com o CEO, com o time de vendas, com a comunicação”. Adaptando expectativas e formatos, é possível ter resultados nos mais diferentes setores. A Páprica já atendeu em formatos que vão da elaboração de projetos pontuais (feitos para marcas como Renault e Itaú) até acompanhamentos mais prolongados – que permitem avaliação mais completa de resultados.

Entre os clientes, estão dois grandes nomes: a Docol e a Alegra. A Docol está entre as maiores do Brasil no setor de metais sanitários, e a indústria alimentícia paranaense Alegra ultrapassou o bilhão em vendas no ano passado. A comunicação efetiva em projetos bem elaborados, focados nessa conexão entre os diferentes setores, favorecem as vendas e o fortalecimento das marcas. “Quero mostrar que a comunicação impacta financeiramente no negócio”, comenta Vargas.

Para que isso seja efetivo, é preciso entender o processo por completo. “Entramos em diversos fatores do cliente, levantando questões interessantes para entender o funcionamento da empresa, em conversas focadas e produtivas”, fala o diretor da Páprica. A campanha publicitária é uma parte do processo, que precisa ainda de análise de conversão e resultados. “Levamos insights, questionamentos que por vezes acabam mostrando uma realidade diferente do que o cliente nos apresentou”. Quando são observados problemas diferentes do que o cliente apontou, uma rápida mudança no planejamento é essencial.

Essas análises foram definitivas para reestruturar cases de outros clientes, que vem trabalhando há anos com a agência e obtendo grandes resultados, como a Rede Marista de Colégios, a Neodent e Universidade Católica de Santa Catarina. O reconhecimento vem ainda por prêmios ao longo dos anos. O formato mais integrado de elaboração e avaliação das campanhas, gerando lucros mais consistentes e uma comunicação eficaz, foi celebrada até internacionalmente. O projeto Tamo Junto da Aliança Empreendedora venceu o MIT Solve Challenge 2020 na categoria Good Jobs & Inclusive Entrepreneurship Solver, na etapa mundial, e também foi finalista do Global Citizen Prize by Cisco, na categoria tecnologia e causa.

No Brasil, o case do Grupo Marista foi condecorado por diversas vezes pelo Prêmio Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial), além de outro projeto para o Hospital Marcelino Champagnat. O trabalho constante com o Grupo Marista, sendo reconhecido ao longo dos anos, confirma mais uma vez o sucesso dessa integração de setores em prol do fortalecimento do negócio promovido pela Páprica.

O trabalho da agência é reconhecido até pelo Google. A Páprica recebeu a certificação Partner Premier Google, por estar no top 3% de parceiros da gigante da tecnologia com melhor desempenho no Brasil. O destaque é concedido a empresas que mais criam novas relações comerciais e oferecem ajuda aos clientes para se desenvolverem. São confirmações vindas diretamente do mercado que consagram o modelo inovador da agência.

A Páprica está localizada no Batel Office Tower em Curitiba (Av. Sete de Setembro, 4698 – Sexto Andar – Batel), além de ter um escritório na Cidade do México. Contatos podem ser feitos pelo e-mail contato@paprica.ag e por telefone no (41) 3095-8585. Mais informações no site páprica.ag.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com