Saque do FGTS começa sexta-feira; tire suas dúvidas!

Anunciado no fim de julho, por meio da Medida Provisória (MP) 889 de 2019, o saque de até R$ 500 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) está prestes a começar. A primeira leva de resgates poderá ser feita já a partir de sexta-feira (13), de acordo com o calendário estabelecido pela Caixa Econômica Federal.

Confira, em cinco perguntas, quais são as regras para a retirada do dinheiro pelos contribuintes:

1. Quem tem direito ao saque de R$ 500 do FGTS a partir de sexta?

O saque imediato do FGTS fica disponível a partir de sexta-feira (13), mas não são todos os cotistas que poderão retirar o dinheiro nessa data. Os prazos variam entre os que são ou não correntistas da Caixa e, além disso, de acordo com a data de aniversário dos trabalhadores. Para quem tem poupança no banco, o depósito é automático, de acordo com o seguinte calendário:

Aniversário entre janeiro e abril – crédito a partir de 13/09/2019
Aniversário entre maio e agosto – crédito a partir de 27/09/2019
Aniversário entre setembro e dezembro – crédito a partir de 09/10/2019

Para quem tem conta-corrente na Caixa, as regras são distintas. Nesses casos, o correntista precisa autorizar o débito na conta, entrando em contato com o banco em um dos canais de atendimento. A Caixa prorrogou o prazo para a realização desse procedimento, conforme o seguinte calendário:

Aniversário entre janeiro e agosto – Autorização até 22/09/2019, para recebimento do crédito a partir de 27/09/2019
Aniversário entre setembro e dezembro – Autorização até 04/10/2019, para recebimento do crédito a partir do dia 09/10/2019.

2. Não sou correntista da Caixa. Como faço para receber o dinheiro?

Para quem não tem nem conta-corrente nem poupança na Caixa, os saques acontecerão mais tarde. Para retirar o dinheiro, o trabalhador pode ir até as casas lotéricas (com limite de saque de R$ 100) ou a uma agência do banco. É preciso ter em mãos o CPF e o documento de identificação. Quem tem o Cartão Cidadão pode utilizar os terminais de autoatendimento.

O calendário para esses contribuintes também é definido segundo o mês de aniversário. Confira:

Mês de aniversário Data inicial de saque
Janeiro 18/10/2019
Fevereiro 25/10/2019
Março 08/11/2019
Abril 22/11/2019
Maio 06/12/2019
Junho 18/12/2019
Julho 10/01/2020
Agosto 17/01/2020
Setembro 24/01/2020
Outubro 07/02/2020
Novembro 14/02/2020
Dezembro 06/03/2020

3. Quanto poderei sacar?

As retiradas valem tanto para contas ativas quanto inativas. Para o saque imediato, o limite é de R$ 500. Quem tiver menos do que esse valor na conta do FGTS poderá retirar o saldo total. Além disso, se o contribuinte tiver mais de uma conta, está autorizado a retirar até R$ 500 de cada uma delas.

Para saber qual é o valor disponível na sua conta do FGTS, o trabalhador pode consultar o aplicativo do fundo; o internet banking da Caixa; ou o site disponibilizado para o saque imediato.

 

4. Eu perco algum direito por sacar o FGTS agora?

Não. A retirada dos valores do saque imediato não muda as regras do fundo para o trabalhador. Ou seja, em caso de demissão sem justa causa, o contribuinte poderá ter acesso ao saldo completo do FGTS. A retirada também é autorizada em outras situações, como aposentadoria, falecimento ou casos de doenças graves.

5. Se sacar R$ 500 agora, poderei retirar o mesmo valor todos os anos?

Não. O saque imediato vale apenas para 2019. Mas, na MP que criou o programa “Saque Certo”, o governo também instituiu uma nova modalidade de retiradas do fundo, denominada saque-aniversário. Nesse caso, o trabalhador poderá retirar valores do saldo do FGTS todos os anos, mas perderá o direito de acessar todo o fundo em caso de demissão sem justa causa. Para aderir a essa modalidade, o contribuinte precisa entrar em contato com a Caixa.

Via: Tribuna PR

E aí, o que achou? Deixe seu comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Avenida Silva Jardim terá bloqueios para a apresentação de Natal do Pequeno Príncipe

Avenida Silva Jardim terá bloqueios para apresentação de natal do Pequeno Príncipe. - Foto: Daniel Castellano / SMCS

Motoristas que forem trafegar nesta semana pela Avenida Silva Jardim, no bairro Água Verde, deverão ficar atentos às intervenções de trânsito ocasionadas pela programação do Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2022. 

A apresentação “Papai Noel na Sumiçolândia” acontece às 21h nos dias 9, 10 e 11/12 (sexta-feira, sábado e domingo, respectivamente), em frente ao Hospital Pequeno Príncipe, com duração de aproximadamente 45 minutos.

Para garantir a segurança dos espectadores durante as apresentações, trechos da Avenida Silva Jardim terão bloqueios temporários. De acordo com a Superintendência de Trânsito (Setran), a pista direita da avenida ficará bloqueada no acesso pela rua Desembargador Motta. Já a pista esquerda terá bloqueios nos acessos pelas Rua Desembargador Motta, Buenos Aires e no acesso à pista direita localizado entre a Pasteur e a Buenos Aires.

Os bloqueios começam a ser feitos às 20h e se encerram às 22h30, com desvios realizados pelas ruas Buenos Aires e Desembargador Motta. Agentes da Setran estarão no local orientando os motoristas.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Endividamento atinge 78,9% das famílias brasileiras, revela pesquisa

A parcela de famílias com dívidas, em atraso ou não, ficou em 78,9% em novembro deste ano. A taxa é inferior aos 79,2% de outubro, mas superior aos 75,6% de novembro de 2021.

Os dados – divulgados hoje (6) no Rio de Janeiro – são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

As famílias inadimplentes, ou seja, com dívidas em atraso, somavam 30,3% em novembro deste ano, mesmo patamar do mês anterior, mas acima dos 26,1% de novembro de 2021.

Já as famílias que não terão condições de pagar suas contas subiram para 10,9%, acima dos 10,6% de outubro e dos 10,1% de novembro do ano passado.

A parcela daqueles que se consideram muito endividados aumentou de 14,8% em novembro de 2021 para 17,5% em novembro deste ano. O comprometimento médio da renda com dívidas ficou em 30,4%, acima dos 30,3% de outubro deste ano e de novembro de 2021.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil