Recolocação: demissões em startups trazem desafio de reposicionamento de profissionais no mercado

Após a ascensão de investimentos nos últimos dois anos, as startups brasileiras enfrentam um momento de desaceleração no ritmo de aportes. No último mês de maio, segundo dados da Distrito, as startups brasileiras captaram US$ 298,5 milhões, uma queda de cerca de 60% em relação aos US$ 772,6 milhões registrados em maio de 2021. A alta inflação, os sucessivos aumentos dos juros pelos bancos centrais e as incertezas globais contribuíram para uma queda do setor, gerando demissões em massa. Mas a crise acontece em meio ao déficit de talentos em empresas que há muito tempo precisavam de pessoal altamente qualificado nas áreas de tecnologia.

Isso tem feito com que profissionais especializados, demitidos na onda de cortes de startups, possam encontrar recolocação mais rapidamente. De acordo com especialistas, a demanda por mão de obra de tecnologia segue intensa no país, ainda que os desligamentos possam sinalizar fragilidade no setor em um momento de alta de juros da economia. “Quando startups grandes demitem muita gente com boa experiência nas áreas mais demandadas pelo mercado, abre uma oportunidade para as outras empresas ‘absorverem’ esse talento que foi desligado”, sinaliza o diretor executivo da TOTVS Curitiba, Márcio Viana.

Segundo o executivo, essa nova fase do ecossistema vai mexer em um problema antigo: a relação entre oferta e demanda. “Essa estrutura sempre esteve em desequilíbrio. Enquanto havia muitas necessidades a serem supridas no mercado, a falta de profissionais qualificados era evidente. Acredito que daqui para frente essa distorção vai continuar, mas com correções importantes”, ressalta. Em relação aos cargos que mais sofrem com o apagão de talentos, o diretor cita programadores, cientistas de dados e designer UX.

Momentos difíceis também trazem oportunidades

Muitos chamam de crise, as startups definem como estratégia operacional e algumas empresas que acompanham de fora veem como oportunidade. Características de ex-funcionários de startups atraem recrutadores independentemente do cargo, segundo Márcio Viana. “É um perfil que é muito valorizado no mercado. A pessoa é desafiada a fazer outras atividades que não estão dentro do ‘quadradinho’ dela. E sabemos que o fluxo dentro das startups muda com muita frequência”, afirma.

Mesmo num momento de cortes e enxugamento orçamentário, o mercado de trabalho ainda tem números otimistas, especialmente para a área de tecnologia. Levantamento da Robert Half, empresa de recrutamento de trabalhadores qualificados, aponta para a criação de 19,3 mil vagas no primeiro trimestre deste ano, sendo que o setor de tecnologia liderou o ranking com saldo de 5,7 mil vagas. Os números têm base em dados do Ministério do Trabalho.

Uma das portas de entrada para a recolocação no mercado, o Linkedin ecoa publicações de pessoas que perderam o emprego ou decidiram seguir em uma nova área. Por isso, atualizar e melhorar o perfil dessa rede social é um passo importante, uma vez que a rede vem funcionando como importante ferramenta de busca para empresas que nem sempre têm tempo para processos de seleção mais longos. “O Linkedin é essencial, pois hoje é o canal mais usado por empresas que querem encontrar talentos”, finaliza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pizza e café: saiba como investir em duas paixões nacionais e ter seu próprio negócio

Pizza e café são as grandes paixões gastronômicas do brasileiro e disso ninguém tem dúvidas. De acordo com uma pesquisa realizada em junho de 2022 pela Associação Pizzarias Unidas do Brasil – APUBRA, 54% das mais de 80 mil pizzarias abertas no território nacional pertencem a microempreendedores individuais (MEI), o que demonstra a potência desse mercado. O café, por sua vez, é consagrado como a segunda bebida mais consumida no país, um dado revelado pela  Organização Internacional do Café (OIC), que apontou que o brasileiro consome 5,8 kg de café por ano. É possível unir essas paixões nacionais investindo em um próprio negócio no formato de franquia e começar a trabalhar com aquilo que realmente gosta. Confira:

Uma das opções é a Pizza Prime, rede de pizzarias com mais de 20 anos de experiência e que conta com 70 unidades em todo o país. Apostando nas tradições regionais, a franquia investe na criação de sabores típicos a fim de se aproximar do consumidor. Para Gabriel Concon, CEO da franquia, a identificação com o produto e a facilidade na hora da entrega são diferenciais importantes para quem quer abrir um negócio na área. “O consumidor precisa ter o sabor que está acostumado a ter na sua mesa, porque isso gera identificação e curiosidade de experimentar esse ingrediente na pizza. A disponibilidade, rapidez e qualidade do produto também é essencial para fidelizar o cliente”, afirma.

Com um investimento inicial de R$ 269 mil, incluindo taxa de franquia, reforma predial, equipamentos de cozinha e atendimento, fachada, verba para planejamento de mídia inicial e projeto arquitetônico, a unidade precisa de sete funcionários para começar a sua operação e tem como faturamento médio mensal R$ 170 mil, com previsão de retorno entre 18 a 36 meses.

Já a Mais1 Café, rede de cafés especiais, tem o conceito ‘to go’, ou seja, oferecem atendimento ágil para que as pessoas possam tomar a bebida de alta qualidade e levá-la para onde quiserem. Presente em 17 estados, a franquia possui mais de 200 unidades em todo o país e busca expandir a partir da praticidade dos seus produtos. De acordo com Alan Parise, diretor de expansão da rede, atender a necessidade dos consumidores em locais estratégicos é um grande diferencial para investir em uma loja do segmento. “Com a correria do dia a dia, ter um lugar onde é possível tomar o seu café sem filas ou simplesmente pegar a sua bebida e levá-la para casa, trabalho ou até mesmo para o transporte facilita muito. E esse pode ser um grande atrativo para conquistar os clientes”, conclui.

A rede, que trabalha com a otimização da experiência do cliente, levando um atendimento personalizado e digitalizado, oferece várias opções de bebidas de alta qualidade para o público. Com um investimento inicial a partir de R$ 150 mil, incluindo taxa da franquia e publicidade, cada unidade fatura, em média, R$ 30 mil por mês, com retorno do investimento entre 18 a 24 meses.

Negócios, chope, música e empreendedorismo: Happy Tech acontece dia 16, em Curitiba

Imagine um evento em que você vai conhecer pessoas novas e que tenham a mesma sinergia. Adicione boas doses de chances reais para novos negócios e match de soluções que podem fazer toda a diferença para o seu negócio.

Tudo isso, com discussões descontraídas e embaladas por boa música em um ambiente descolado e stand up no palco, é o que propõe a primeira edição do Happy Tech, evento direcionado para quem é do Paraná e atua no segmento de tecnologia. A iniciativa é do Ecossistema de Inovação do Estado do Paraná e conta com o apoio de alguns segmentos do setor. A estreia será no Armazem Garagem Bar, um mega bar com exposição permanente de carros antigos e chope artesanal, além da assinatura que remete há algumas décadas e casa com o estilo rock in roll.

O Happy Tech, que espera reunir até 300 convidados, está em contagem regressiva: ele acontece no dia 16 de agosto e tem como projeção se tornar uma agenda mensal de encontro entre os empresários, recebendo sempre novos interessados e empreendedores da categoria. Para a primeira edição, estão sendo convidadas todas as empresas do setor de tecnologia da informação (TI) do Paraná.  

Quem participar, também será convidado a ingressar na Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-PR), para, a partir disso, estreitar o relacionamento e ter acesso a toda oferta de ações que a entidade defende e promove. “O ingresso de novos associados é sempre muito bem-vindo. Além disso, quem entra, ajuda a oxigenar ideias e fortalece a categoria. A expectativa é bastante grande para essa primeira, de muitas, edições”, comenta o presidente da entidade, Lucas Ribeiro.

Como participar

A presença depende uma inscrição através de um link (veja mais em Serviço). O investimento é de R$ 30 e dá direito a dois chopes. Além da noite agradável e de novos relacionamentos, para amizades e negócios, o Happy Tech conta ainda com um convidado especial, o apresentador e humorista Zico Lamour, que fará um show de stand-up e imitações. 

Tecnologia no Paraná

O Estado é o quarto em quantidade de empresas de tecnologia em desenvolvimento de softwares no País. No quesito inovação, o Paraná também é destaque. O Mapeamento das Startups Paranaenses 2022, realizado pelo Sebrae-PR (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná), divulgado em março, mostra que o Estado tem 522 startups a mais que no último levantamento, totalizando 1.956 empresas inovadoras em atividade em 108 municípios.

SERVIÇO

O que

Happy Tech

Quando

Dia 16/08

Local e horário

Armazém Garagem Bar – Rodovia Curitiba/Ponta Grossa BR-277, 2630 – Santo Inácio, a partir das 18 horas

Como participar

Inscrição pelo link: https://www.sympla.com.br/happy-tech__1641402 [vagas limitadas]

Investimento

R$ 30,00