Projetos sociais do Sul do País se unem para fortalecer triathlon brasileiro

O 2º Training Camp de Triathlon Mampituba reuniu quatro projetos sociais da modalidade em Criciúma, Santa Catarina, neste final de semana. Entre eles, a Escolinha de Triathlon Formando Campeões representou o Paraná no evento. Dos dias 19 a 21, as crianças puderam interagir e formar novas amizades, além de desenvolver habilidades técnicas. Para os professores, a troca de experiências foi pensada para fortalecer as categorias de base do esporte no Sul do País.

Cinco professores e cerca de 20 alunos da Escolinha de Triathlon Formando Campeões participaram do camp. O evento contou ainda com três projetos de Santa Catarina: a VAFTRIKIDS Escolinha de Triathlon Garopaba, a Escolinha de Triathlon ADTRISC/São José e a Escolinha de triathlon Mampituba, que ofereceu sua sede para as atividades. No total, participaram 13 professores e 77 crianças e jovens.

Durante os três dias, a criançada teve treinos em dois períodos, com técnicas de natação, ciclismo e corrida, dinâmicas de grupo e brincadeiras. Os alunos foram divididos em grupos de acordo com a faixa etária. No final, todos participaram de um simulado de triathlon.

“As crianças puderam aumentar o círculo de amizade, e tiveram uma grande experiência de vida. Simulamos um ambiente de regime militar, em que escolas diferentes se uniam num mesmo pelotão, para realizar os treinamentos. Foi muito legal porque eles dormiam juntos no mesmo local, comiam todos juntos”, conta Ricardo Júnior Cardoso, coordenador dos núcleos de Curitiba da Escolinha de Triathlon Formando Campeões. “Havia também um rodízio entre os professores e estagiários, passando por todas as modalidades e grupos de faixa etária.”

Esta foi a segunda edição do Training Camp de Triathlon Mampituba. A primeira foi realizada no ano passado. Antes, em 2019, a Escolinha de Triathlon Formando Campeões organizou uma imersão de uma semana de atividades em conjunto com a Escolinha da ADTRISC, em Santa Catarina.

“Acredito que a integração entre os estados do Paraná e Santa Catarina fizeram a diferença durante os treinamentos das crianças e adolescentes. O planejamento e a proposta pedagógica foram baseados em valores humanos como disciplina, civismo, respeito, educação, esforço, dedicação e socialização. Nesses três dias, conseguimos ajudar os alunos a superarem suas dificuldades para se tornarem pessoas ainda melhores”, destacou o professor Ronaldo Mateus, do núcleo CPM da Escolinha de Triathlon Formando Campeões.

Metas da Agenda 2030 na Escolinha

A formação de crianças e adolescentes por meio do esporte é a principal missão da Escolinha de Triathlon Formando Campeões. Mais do que as técnicas do nada, pedala e corre, a equipe técnica segue diretrizes pedagógicas para orientar os triatletas mirins em questões como organização pessoal, disciplina e respeito aos pais e professores.

Essas diretrizes também estão de acordo com os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável que integram a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, a ONU, com a qual o projeto está comprometido. A Escolinha busca atingir esses objetivos de forma individual, com ações de conscientização com os alunos, e coletiva. Faz parte do projeto o compartilhamento dos equipamentos de treino, a preocupação com uma educação escolar de qualidade, adoção da igualdade de gêneros no número de alunos e professores.

Formando Campeões

A Escolinha de Triathlon Formando Campeões, iniciada há sete anos em Curitiba (PR), é hoje um modelo de formação da modalidade no País. Idealizado pelo atleta olímpico curitibano Juraci Moreira, contempla 920 crianças e adolescentes em 18 núcleos espalhados por Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Distrito Federal e Ceará.

A unidade do Colégio da Polícia Militar do Paraná foi a primeira a ser criada, e é pioneira na formação de triatletas. Hoje, atende 60 alunos. As crianças contam com todos os equipamentos necessários e são treinadas por especialistas na modalidade.

A Escolinha de Triathlon Formando Campeões tem execução da Federação Paranaense de Triathlon e apoio do Colégio da Polícia Militar do Paraná. Os patrocinadores são Astra, Rede Condor, Thales, Enaex Brasil, Veneza e Golfleet.

Curta a Fã page – Escolinha de Triathlon – Formando Campeões

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paranaense TEXX apresenta linha Pista testada durante o Campeonato Brasileiro de Motovelocidade

Referência na produção de vestuário e acessórios para motociclistas, a paranaense TEXX, marca da Laquila, empresa líder do mercado de motopeças na América Latina, apresenta sua linha completa para alta cilindrada, a TEXX PISTA. Desenvolvida para oferecer design anatômico, alta performance e muita eficiência em proteção, a linha conta com macacões de uma e duas peças, botas e luvas, todos testados durante o Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, o SuberBike, principal campeonato de motociclismo do país.

André Verissimo, campeão brasileiro da categoria Evolution 1000cc em 2020 e campião paulista em 2021, foi um dos pilotos responsáveis pela testagem e sugestão de melhorias dos equipamentos. “Foi muito legal fazer parte desse projeto e poder ajudar a criar produtos que eu e minha equipe acreditássemos ser os melhores possíveis nos quesitos segurança e conforto”, conta. “Atualmente, com a linha pronta, coloco o macacão pela manhã e fico o dia inteiro com ele no corpo sem incomodar, cansar ou apertar. Ele é realmente confortável”, diz.

Todo o processo de criação da linha levou aproximadamente dezoite meses. Para começar, os pilotos foram convidados para conhecer a sede da Laquila, em Campina Grande do Sul (PR), e conferir os protótipos. “Vimos os primeiros modelos e já pudemos opinar na hora, então quando a primeira versão chegou faltavam poucos detalhes para alcançar o que acreditávamos ser o ideal”, aponta. Em seguida, os pilotos testaram os equipamentos direto nas pistas, em corridas teste e provas oficiais do SuperBike.

“A TEXX desenvolve equipamentos para motociclistas há aproximadamente 30 anos, e durante essa história salvamos muitas vidas dentro e fora das pistas. Nosso conhecimento sobre produtos nos auxilia muito durante o desenvolvimento, e não foi diferente na linha PISTA. Mas um dos pontos altos desse desenvolvimento foi, com certeza, a participação dos pilotos do SBK, eles nos auxiliaram com a experiência pratica que é valiosíssima, resultando em um trabalho único no Brasil”, destaca explica Renier Holtz, responsável pelo setor de Criação e Desenvolvimento de Produtos da Laquila.

Para garantir a mais alta confiabilidade dos equipamentos, a Laquila fez diversos testes de abrasão e impacto nas fábricas da marca antes dos produtos serem utilizados pela primeira vez pelos pilotos nas pistas, já os testes de uso foram o grande diferencial para fornecer conforto, mobilidade, flexibilidade e, principalmente, a segurança do equipamento. “O macacão PISTA oferece nível de segurança altíssimo, já que, além de possuir uma construção superior e matérias primas premium, também possui protetores internos de absorção de impacto com nivel de Certificação Europeia. Tudo isso dentro de um caimento slim e design moderno que traz os gráficos de mapas topográficos dos principais autódromos do mundo”, diz.

A bota TEXX PISTA conta com um sistema de articulação externa rígida, além de diversos protetores e placas de torção. Com fechamento duplo, possui zíper e velcro e também uma presilha que permite uma regulagem mais fina sem a necessidade de remover a bota para ajustar. Outros de seus recursos são slider raspador de alumínio removível na parte frontal e protetores na parte traseira e calcanhar, oferecendo conforto, segurança e um ótimo desempenho durante a pilotagem.

Já a luva PISTA dispõe de diversos protetores rígidos externos produzidos em liga polimérica de alta resistência a abrasão com inserções em fibra de carbono em diferentes pontos para aumentar o deslizamento sem ocasionar danos ao piloto. A luva também possui protetores de impacto internos em PU no dorso da mão e construção premium, feita em dupla camada e em couro bovino legítimo, que tem entre suas propriedades alto índice de resistência a abrasão e grande flexibilidade para movimentação. “É importande ressaltar que a luva PISTA possui finger union e duplo fechamento de velcro, que possibilita melhor pilotagem e segurança, além de acessibilidade para o celular com o dedo touche”, aponta.

Agora, mesmo com a linha pronta, a empresa aponta que o canal de comunicação com os pilotos continua. “Estamos sempre acompanhando as provas e melhorando continuamente os produtos. Nós entendemos que não estamos apenas desenvolvendo produtos, mas sim garantindo a segurança dos pilotos e ajudando-os para que sejam ainda mais vitoriosos nas corridas”, complementa Renier Holtz.

A linha TEXX PISTA está disponível em centenas de lojas multimarcas espalhadas pelo Brasil. No site da TEXX é possível acessar todos os detalhes de diferenciais tecnológicos e as especificações técnicas dos itens: https://texx.com.br/.

No congresso de futebol, o tema da discussão será o mercado de apostas esportivas no país

A Brasil Futebol Expo 2022 será um grande evento para a indústria brasileira de apostas esportivas. É o maior evento de futebol da América Latina e acontecerá em São Paulo de 4 a 8 de setembro. Este evento é focado em educação, negócios e experiências, além de inovação.

Este tema está sendo discutido devido ao crescimento deste mercado no Brasil. Hoje, 32 clubes do Campeonato Brasileiro têm patrocínio de sites de apostas. 19 das 20 equipas da Série A são patrocinadas por empresas associadas a casas de apostas desportivas. 13 equipes disputam a Série B por meio de parcerias comerciais. É uma importante fonte de renda para as associações por meio de patrocínio.

De acordo com a casa de apostas esportiva Bet22, devido ao seu potencial de geração de renda, as apostas esportivas no Brasil estão legalizadas desde 2018. A lei federal 13.756 tornou isso possível. O governo federal ainda precisa regular a indústria de apostas esportivas. Esse prazo é dezembro de 2022. As empresas podem operar no Brasil de acordo com a lei, porém, ainda não está regulamentado no Brasil. Devem ter sede no exterior.

Esse setor já vale bilhões de reais. A consultoria Sports Value estima que os brasileiros gastem cerca de R$ 4 bilhões anualmente em apostas esportivas. De acordo com o governo, é possível cobrar impostos em sites de apostas que regulam R$ 400 milhões a R$ 700 milhões. Essa estimativa conservadora foi feita.

O Brasil Sports Betting Summit será realizado pela BFExpo e pela Sports Betting Community (SBC), empresa que produz conteúdo sobre o tema. Serão dois dias de discussões sobre a regulamentação das apostas esportivas no Brasil e como expandir esse mercado. Especialistas do Brasil e do exterior também estarão presentes.

O painel “Regulamento das Apostas Esportivas na América Latina” será realizado no dia 6 de setembro às 9h. Ludovico Calvi (consultor executivo sênior no mercado de apostas esportivas, membro do Comitê Executivo do Global Lottery Monitoring System); Magnho José, jornalista especializado em loterias, presidente do Instituto Brasileiro Jogo Legal – IJL; Rafael Rodrigo Bruno, Carlos Gonçalves Sócios Junior do escritório GBSA;

LudovicoCalvi diz: “Discutiremos todo o ciclo de apostas, desde o início até a dinâmica e transparência de uma operação e o forte compromisso, integridade, jogo responsável e responsabilidade social”. “O objetivo é fornecer todas as informações e insumos estratégicos, baseados nas melhores práticas internacionais, sobre a gestão de uma organização de apostas esportivas recém-criada.”

O painel discutirá “Mercado de Apostas Esportivas no Brasil – Oportunidades e Desafios para Clubes e Operadoras de Futebol” no dia seguinte, às 9h. Martin Lycka (vice-presidente sênior de assuntos regulatórios dos EUA na Entain) liderará as discussões. Ele também é membro do Conselho de Administração da American Gaming Association e do National Council on Gaming Issues. Representantes do Estrela Bet, além de Alberto Simão (diretor-executivo de futebol feminino do Palmeiras); Jorge Avancini (v. presidente de marketing do Internacional RS); Rafael Soares (diretor de marketing do Santos); e Rodrigo Ganem (diretor comercial do Botafogo).