sexta-feira, fevereiro 23, 2024
spot_img
InícioParanáProdutores da Cantuquiriguaçu depositam pedido de Indicação Geográfica para caprinos e ovinos...

Produtores da Cantuquiriguaçu depositam pedido de Indicação Geográfica para caprinos e ovinos | ASN Paraná


Mais qualidade, suculência, maciez e processos de manejo diferenciados desde o princípio. Esses são apenas alguns dos diferenciais que os produtores da região da Cantuquiriguaçu (formada por vinte municípios que estão entre as regiões Oeste e Centro do Paraná) apresentaram no pedido de Indicação Geográfica dos Caprinos e Ovinos produzidos pelos associados da Associação e Cooperativa Caprivir, depositada em dezembro de 2023 no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

O trabalho começou há cerca de dois anos, quando os mais de 70 produtores da região perceberam que os padrões de qualidade adotados eram diferenciados e, por isso, mereciam mais destaque no mercado. Sendo assim, procuraram o Sebrae/PR para entender os caminhos até a Indicação Geográfica.

“Os associados já contavam com a nossa parceria e passaram a buscar mais conhecimento sobre a Indicação Geográfica e as vantagens que isso poderá agregar. Rapidamente, nos unimos aos produtores para melhorar ainda mais os processos e, com isso, deixar ainda mais visíveis os diferenciais das carnes de cordeiros e cabritos da região. Houve engajamento de todos os envolvidos até chegarmos ao depósito, feito em dezembro do ano passado”, narra o consultor do Sebrae/PR, Edson Braga.

Produtores associados à Caprivir realizam vários encontros para promover a valorização local do produto. Crédito: Divulgação Caprivir.

Carne de qualidade

Segundo o produtor Vilson Buskevicz, a carne da região é diferenciada e merecia ser vista de forma mais qualificada no mercado. Por isso, quando começaram as discussões sobre a busca pela IG, os associados e cooperados se uniram ainda mais.

“Com a IG, buscamos melhor divulgação e poderemos agregar mais valor ao produto. É um passo importante porque seremos os primeiros do Brasil nesta categoria e já estamos há mais de 18 anos na atividade. Isso poderá abrir portas de comercialização e melhor renda para os produtores”, comenta Vilson.

O presidente da Associação Caprivir, Wilian Clay Wachak, concorda. Ele conta que para que o resultado seja bom e diferente, os animais recebem, inclusive, manejo diferenciado desde muito cedo, o que também representa mais qualidade no final.

“Nossos animais são criados com todo cuidado, preservando o bem-estar, confinados e recebendo no local toda a alimentação que tem origem na região, como pastagens diversificadas, com grande variedade de gramíneas, leguminosas e outras plantas, silagem de milho e de aveia. Assim, os cordeiros e cabritos não fazem grandes esforços ou muita locomoção, não sobem morros. Isso quer dizer que as fibras musculares permanecem delicadas e menos desenvolvidas, resultando numa carne mais macia e suculenta, com sabor característico da região”, enaltece Willian Clay.

Diante da profissionalização e união dos produtores, Caprivir já conta com resultados significativos no que diz respeito ao aumento da produtividade. Crédito da foto: Vilson Buskevicz.

Trajetória

No ano de 2005, após se capacitarem, doze produtores dos municípios que formam a região da Cantuquiriguaçu resolveram trazer algo diferente, que agregasse mais valor financeiro para suas propriedades e que se aproveitasse as áreas de declividade da região, onde bovino ou outras espécies não se adaptaram.

Com isso em 2006, foi formalizada a Associação de Criadores de Caprinos e Ovinos de Virmond e Região, com a ideia de vender em conjunto para formação de lote e carga. Neste período, a produção não passava de 40 a 50 animais por ano.

Hoje, a Caprivir conta com mais de 70 produtores e, quinzenalmente, prepara a carga de 80 a 115 animais.

Para isso, os produtores organizam várias edições dos jantares e almoços a base de carne de cabrito e ovelha e pretendem, em breve, lançar uma unidade com o conceito de “boutique de carne”, que venderá apenas produtos selecionados e diferenciados, com cortes nobres e embalagens específicas.

A expectativa é de que o processo, da análise do INPI até a concessão, leve menos de um ano. Já a abertura da Unidade de Cortes Nobres e a Boutique está prevista ainda para o primeiro semestre deste ano.

Espaço da Unidade de Cortes Nobres e boutique já está em construção. Expectativa é de inaugurar o local ainda no primeiro semestre deste ano. Crédito: Divulgação Caprivir.

IG no Paraná

Hoje, o Paraná conta com 14 produtos com Indicação Geográfica: Camomila de Mandirituba, Bala de Banana de Antonina; Melado de Capanema; Goiaba de Carlópolis; Queijo de Witmarsum; Uvas de Marialva; Café do Norte Pioneiro; Mel do Oeste; Mel de Ortigueira; Erva-Mate São Matheus; Morango do Norte Pioneiro; Vinhos de Bituruna; Barreado do Litoral do Paraná e a Aguardente de Cana e Cachaça de Morretes.



Leia a matéria no site do Sebrae

MATÉRIAS RELACIONADAS
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img

As últimas do Busão