Pri Lacerda reflete o significado do amor e cumplicidade entre mães e filhos em novo single

Depois de abraçar as próprias contradições e rir de si mesma no clipe “Capricorniana” e se mostrar intensa na balada “Não quero”, a cantora e compositora Pri Lacerda revela a cumplicidade das relações entre mãe e filhas no emocionante single e clipe “Quando Tudo Faz Sentido”. A música traz a artista curitibana em um dueto com Letícia Lacerda, sua filha.

Assista ao clipe “Quando tudo faz Sentido”: https://youtu.be/MCCqhUyZWHo 

Ouça “Quando tudo faz Sentido”: https://pomar.fanlink.to/quandotudofazsentido 

A inspiração da letra veio de uma crise que a levou a reflexões enquanto observava a filha na Praia de Ipanema. “Diante de todo aquele cenário, eu em pé na areia olhando a Lelê no mar, admirando a imensidão da vida e como os barcos ficam minúsculos no horizonte, gravei no celular essa melodia e a letra que simplesmente fluíram. A vida cada vez mais tem esse significado de movimento, de aprendizado, de seguir em frente com o foco na leveza que a vida deve ter, apesar de todas as pedras que enfrentamos ao longo do caminho”, resume Pri Lacerda.

E sua filha Letícia complementa: “Eu fiquei muito feliz quando descobri que uma parte da música falava sobre mim. Eu sei que a minha mãe me ama muito, mas estar na música me fez sentir especial e muito amada. Achei super legal o convite para cantar com ela. Foi a primeira vez que cantei em um estúdio e fiquei nervosa e animada. Fico feliz de ter sido ao lado da minha mãe.”.

Pri Lacerda é conhecida como cantora, compositora e vocalista da banda de jazz e blues Snap Jazz. Ela embarcou no seu projeto solo com o primeiro EP, lançado em 2018 com cinco canções que faziam a ponte entre a nostalgia do soul e a música pop atual. Além de canções próprias, o trabalho contou com “Catch the Ash” e “River of Stars”, ambas do americano Jesse Harris (autor do sucesso “Don’t Know Why”, de Norah Jones). 

Atuando no cenário musical de Curitiba desde 2013, Priscilla soma a uma trajetória profissional como jurista, mestre em Direito Econômico e Social, professora universitária há mais de 10 anos e escritora, tendo publicado um livro de Direito sobre igualdade e, recentemente, participou da Bienal do Livro com o seu primeiro livro infantil “O Mundo Colorido da Girafa Zazá”. A música foi rapidamente de uma paixão dormente e hobby a alguns dos principais festivais e palcos da região, participando inclusive do Sofar Curitiba.

Este ano, Pri Lacerda está pronta para dar mais um passo em sua carreira musical, absorvendo o aprendizado de seu primeiro trabalho e as reflexões diante de acontecimentos que têm nos colocado em contato com questões íntimas e emocionais. Depois da bem-humorada “Capricorniana” e da intensa “Não Quero”, a artista mostra sua versatilidade com mais um single.

Assista ao clipe “Não quero”: https://youtu.be/ddiKZKm7OfQ

Assista a “Capricorniana”: https://youtu.be/ZXCozxDgnE4

Fazendo dessa nova fase uma entrega pessoal e criativa sem precedentes até aqui na carreira da artista, os novos singles de Pri Lacerda atestam seu crescimento lírico e musical, coroando o atual momento com uma nova canção inédita.

Ficha técnica

Voz/composição – Pri Lacerda

voz refrão – Letícia Lacerda

Produção/guitarra/baixo/teclas/

Samples – Eduardo Rozeira

Mix e Master – Nico Bragalholo

Preparadora Vocal: Paola Pagnosi

Backing-vocal –  Paola Pagnosi

Gravado por Eduardo Rozeira e Alvaro Paz no Estúdio Gota e estúdio Nicos

Direção –  Izabella F. e Rosano Mauro Jr

Dir. Fotografia e Montagem: Rosano

Ass. de fotografia: José Eduardo pereira

Make: Amanda Andrade

Figurino: Daniela Carvalho

Acompanhe Pri Lacerda:

facebook: https://www.facebook.com/aprilacerda/ 

instagram: https://www.instagram.com/aprilacerda/ 

tiktok: https://www.tiktok.com/@aprilacerda 

twitter: https://twitter.com/aprilacerda 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seyren presta tributo ao Nightwish no palco do Blood Rock Bar em Curitiba

A banda Seyren é um tributo a banda finlandesa Nightwish, uma das maiores bandas do mundo, que mescla o peso do Metal com vocais líricos. O grupo curitibano se apresenta na sexta-feira, 20 de janeiro, no palco do Blood Rock Bar, um dos mais conceituados espaços para shows da cidade.

A Seyren preparou um repertório especial com o melhor de todas as épocas do Nightwish. Os finlandeses têm, no decorrer de mais de duas décadas, três momentos distintos na carreira: a fase clássica, com os vocais líricos de Tarja Turunen; depois, com a cantora Anette Olzon e a atual, com Floor Jansen no vocal.

A vocalista do Seyren, Vanessa Rafaelly, tem 25 anos de carreira e formação acadêmica em canto, ensino e educação musical, e além do vocal lírico, domina outras técnicas, como o vocal gutural. O show no Blood Rock Bar também contará com a presença do Nightfall, tributo aos grandes nomes do metal melódico como Edguy, Blind Guardian, Helloween, Stratovarius e Rhapsody. A casa abre às 19 horas, e os shows começam às 22 horas.

O Blood Rock Bar oferece fartas opções de drinks e gastronomia para seus frequentadores, e nesta data haverá happy hour com double de chopp e promoção de hambúrgueres até às 21h. Até este horário, a entrada custa 10 reais; depois, 15.

Mais informações sobre a Seyren no Instagram @nightwishcoverbr.

SERVIÇO

Seyren (Nightwish) e Nightfall
Data: 20 de janeiro de 2023 (sexta-feira)
Local: Blood Rock Bar
Endereço: Rua Carlos Cavalcanti, 1212 – São Francisco
Horário: 19h (abertura da casa), 22h (shows)
Entrada: R$ 10 (até 21h), depois, R$ 15
Ingressos no local

Foto: Ju Mayumi

Exposição celebra a lineart de artista curitibano no Nex

A força da simplicidade nas linhas desenhadas sobre o canvas cria espetáculos visuais na nova exposição artística de Manoel Felipe Doria. A mostra “infinito a infinito” reúne obras do artista, arquiteto e ilustrador, focadas na técnica lineart, e ganharão as paredes do Nex – Casa de Pedra a partir de 26 de janeiro (quinta-feira). Nesta data, acontece o coquetel de lançamento, a partir das 19h30, com bate-papo com o artista. A exposição ficará aberta até 26 de abril.

Graduado em Arquitetura e Urbanismo e sócio do escritório Doria+Arquitetos, Manoel Felipe Doria carrega sua expressão artística tanto na vida profissional como na pessoal, que permitem o uso de seus desenhos em interesses diversos. Com a lineart, técnica focada no uso de linhas, encontrou uma forma de trabalhar as camadas simbólicas da sua percepção sobre a linearidade da vida por meio do traçado ágil e intuitivo, uma expressão que define sua particularidade. Como artista já desenvolveu outros trabalhos variados, que vão do EP musical, “Olhos Nus” (2015) e o material ilustrativo da Bienal Internacional do Cairo (2018) até produções encomendadas para galerias particulares, como o caso da obra “O Mural” (2022).

Em “infinito a infinito”, Doria explora a ideia do movimento que direciona uma narrativa através do espaço ocupado por linhas. “É surpreendente a possibilidade de representar tudo o que é complexo através de uma simples linha”, conta. A técnica aplicada pelo artista pretende revelar sua expressão mais íntima concentrada no essencial.

O título da exposição reflete a característica dessa tipologia de traçado: “linhas paralelas possuem muito em comum, mesmo que jamais se cruzem. Por outro lado, qualquer outro par de linhas retas se encontram somente uma vez e depois se afastam no infinito”, reflete o artista sobre a visão de seus trabalhos. As obras carregam a magnitude da linha, seus movimentos e suas infinitas possibilidades de uso. A curadoria é de Monica Hirano e a produção de Altieres Fim Biela.

A exposição “infinito a infinito”, de Manoel Felipe Doria, será inaugurada no dia 26 de janeiro (quinta-feira), a partir das 19h30, com coquetel e bate-papo com o artista. O Nex – Casa de Pedra fica na Alameda Presidente Taunay (nº 130), no bairro Batel. A exposição pode ser visitada até 26 de abril. Mais informações no perfil oficial do Nex no Instagram (@nexcoworking).

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com