Prefeitura de Curitiba realizará Concurso Público

O prefeito Rafael Greca autorizou, nesta terça-feira (7/8), a realização de um novo concurso público para a contratação de servidores municipais para 15 diferentes cargos. São 111 novas vagas. Este será o primeiro concurso público da gestão. O último foi feito em 2016.

“A Prefeitura ficou velha. Nós encontramos uma deficiência de recursos humanos expressiva pela ausência de planejamento e gestão de política de recursos humanos”, disse o prefeito Rafael Greca.

O concurso será aberto para os seguintes cargos: Agente Administrativo, Analista de Desenvolvimento Organizacional, Arquiteto, Auditor Fiscal de Tributos Municipais, Engenheiro Civil, Engenheiro Eletricista, Engenheiro Sanitarista, Engenheiro de Segurança de Trabalho, Fiscal, Fiscal de Obras e Posturas, Nutricionista, Professor de Educação Infantil, Profissional do Magistério – Docência II, Procurador e Técnico Agrícola.

Os editais com os conteúdos programáticos, datas e locais de provas serão divulgados neste semestre. A Prefeitura calcula que os novos servidores terão um custo adicional de R$ 800 mil por mês no orçamento do município.

“A ideia é cobrir os desligamentos por aposentadoria, sempre respeitando as limitações da Lei de Responsabilidade Fiscal e as limitações orçamentárias”, ressaltou o prefeito. O secretário municipal de Administração e Recursos Humanos, Heraldo Alves das Neves, também participou da reunião que autorizou a realização do concurso público.

Guardas Municipais

O prefeito também anunciou que serão chamados mais 100 novos guardas municipais este ano, além dos 60 que já foram incorporados. Greca também adiantou que mais guardas serão chamados nos próximos anos, sempre respeitando a disponibilidade orçamentária.

“Haverá novos concursos públicos para aos poucos suprir as necessidades da máquina pública, tomando sempre o cuidado de não inchá-la”, alertou Greca.

 

//MATÉRIA: AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DA PREFEITURA DE CURITIBA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná confirma mais 844 casos e 19 óbitos por Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (21) mais 844 casos e 19 mortes pelo novo coronavírus. O boletim registra também 1.429 casos confirmados retroativos do período entre 14 de julho a 19 de dezembro. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 375.335 casos e 7.271 mortes em decorrência da doença.

Dos casos divulgados nesta segunda-feira (21), 2 são de julho; 1 de agosto; 3 de setembro; 2 de outubro; 149 de novembro e 2.116 de dezembro (entre os novos e retroativos).

INTERNADOS – Nesta segunda-feira são 1.575 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19. Destes, 1.229 ocupam leitos SUS (633 em UTI e 596 clínicos/enfermaria) e 346 da rede particular (137 UTI e 209 clínicos/enfermaria).

Há outros 1.206 pacientes internados, 471 em leitos UTI e 735 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

ÓBITOS – A secretaria estadual informa a morte de mais 19 pacientes. São 8 mulheres e 11 homens com idades que variam de 26 a 88 anos. Os óbitos ocorreram entre 22 de novembro e 21 de dezembro.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Cianorte (3), Cascavel (2) e Palmas (2), além de uma morte registrada em cada um dos seguintes municípios: Anahy, Foz do Iguaçu, Ibema, Ivaiporã, Marechal Cândido Rondon, Maringá, Pato Branco, Prudentópolis, Santa Helena, Santa Tereza do Oeste, São Jorge d’Oeste e Terra Roxa.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento contabiliza 2.956 casos de pessoas que não moram no Estado – 60 foram a óbito.

Proibição de fogos de artifício com barulho entra em vigor, em Curitiba; multas podem chegar a R$ 18 mil

A lei que proíbe fogos de artifício com barulho em Curitiba entrou em vigor no domingo (20).

A regra foi aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Rafael Greca (DEM) em 2019, mas o texto previa a entrada em vigor apenas um ano após a publicação em Diário Oficial.

Segundo o texto da lei, fica proibida a utilização de fogos de artifício e artefatos pirotécnicos “de alto impacto ou com efeitos de tiro”, tanto em locais fechados como em áreas abertas, públicas ou privadas.

Os fogos luminosos com “efeitos visuais sem tiro” permanecem liberados.

Segundo a prefeitura, a proibição beneficia animais, idosos e crianças portadoras do Transtorno do Espectro Autista.

Multas

A lei prevê apreensão e destruição dos fogos do material que infringir a lei.

Segundo a prefeitura, um decreto deve ser publicado nos próximos dias com as multas a quem desrespeitar a regra.

Os valores, segundo a administração municipal, vão variar de R$ 5,3 mil a R$ 18 mil, de acordo com a intensidade dos fogos, não interrupção do foguetório e reincidência.

A fiscalização será responsabilidade da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Guarda Municipal.

Via G1