Prefeitura de Curitiba realizará Concurso Público

O prefeito Rafael Greca autorizou, nesta terça-feira (7/8), a realização de um novo concurso público para a contratação de servidores municipais para 15 diferentes cargos. São 111 novas vagas. Este será o primeiro concurso público da gestão. O último foi feito em 2016.

“A Prefeitura ficou velha. Nós encontramos uma deficiência de recursos humanos expressiva pela ausência de planejamento e gestão de política de recursos humanos”, disse o prefeito Rafael Greca.

O concurso será aberto para os seguintes cargos: Agente Administrativo, Analista de Desenvolvimento Organizacional, Arquiteto, Auditor Fiscal de Tributos Municipais, Engenheiro Civil, Engenheiro Eletricista, Engenheiro Sanitarista, Engenheiro de Segurança de Trabalho, Fiscal, Fiscal de Obras e Posturas, Nutricionista, Professor de Educação Infantil, Profissional do Magistério – Docência II, Procurador e Técnico Agrícola.

Os editais com os conteúdos programáticos, datas e locais de provas serão divulgados neste semestre. A Prefeitura calcula que os novos servidores terão um custo adicional de R$ 800 mil por mês no orçamento do município.

“A ideia é cobrir os desligamentos por aposentadoria, sempre respeitando as limitações da Lei de Responsabilidade Fiscal e as limitações orçamentárias”, ressaltou o prefeito. O secretário municipal de Administração e Recursos Humanos, Heraldo Alves das Neves, também participou da reunião que autorizou a realização do concurso público.

Guardas Municipais

O prefeito também anunciou que serão chamados mais 100 novos guardas municipais este ano, além dos 60 que já foram incorporados. Greca também adiantou que mais guardas serão chamados nos próximos anos, sempre respeitando a disponibilidade orçamentária.

“Haverá novos concursos públicos para aos poucos suprir as necessidades da máquina pública, tomando sempre o cuidado de não inchá-la”, alertou Greca.

 

//MATÉRIA: AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DA PREFEITURA DE CURITIBA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Semana começa com 11 mil vagas ofertadas pelas Agências do Trabalhador do Paraná

O Paraná começa a semana com 11.002 oportunidades de emprego com carteira assinada nas 216 Agências do Trabalhador do Estado. Nas unidades de Curitiba e Região Metropolitana estão disponíveis 2.516 postos de trabalho. A regional de Toledo é o destaque no Interior, com 1.478 vagas abertas. Destas, 522 são para auxiliar de linha de produção. A regional de Cascavel oferece 1.145 vagas, sendo 382 para auxiliar de linha de produção.

“Nos empenhamos em várias frentes para atrair novos investimentos, ofertar cursos de capacitação, motivar a contratação de jovens para o primeiro emprego, entre outras iniciativas. Emprego é o melhor programa social que existe. Traz renda, dignidade para a população, faz a economia gerar, o Estado prosperar” disse o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

As Agências do Trabalhador são coordenadas pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho. O secretário Ney Leprevost observa que o Paraná é o estado que mais emprega pelo Sistema Nacional de Emprego (Sine). “Em números absolutos, os resultados das Agências do Trabalhador do Paraná são melhores do que de estados mais populosos como São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro”, afirmou Leprevost.

Na sexta-feira (26), a Secretaria vai organizar mais um mutirão de oferta de emprego, desta vez no estacionamento do Santuário do Carmo, no bairro Boqueirão, na Capital, com a oferta de 1.800 vagas. Pela Agência do Trabalhador de Curitiba já foram realizados mutirões setorizados para preenchimento de vagas na área de telemarketing, em supermercado e shoppings centers.

ATENDIMENTOS – Os interessados em alguma das vagas ofertadas devem buscar orientações entrando em contato com a Agência do Trabalhador do município. Na capital paranaense, a Agência do Trabalhador de Curitiba voltou a atender o público de forma presencial. Para evitar aglomeração, e respeitando todas as orientações das autoridades sanitárias, o atendimento é feito somente com horário marcado, das 9h às 17h. Os interessados devem fazer o agendamento pelo site da secretaria através do link www.justica.pr.gov.br/Trabalho.

Na COP26, Curitiba fica no grupo das cidades com compromisso ousado na redução de emissões de carbono

Curitiba está entre as 1.049 cidades do mundo a confirmar um compromisso mais ousado em relação às emissões de carbono. O acordo faz parte da campanha Race to Zero (corrida para o zero, em tradução livre), que teve seu balanço divulgado nesta terça-feira (2/11) pela Rede de Cidades C40 na COP26, a 26ª Conferência das Nações Unidas para o Clima, em Glasgow, na Escócia.

As informações são do prefeito Eric Garcetti, de Los Angeles, ao passar a presidência da Rede C40 ao prefeito de Londres, Sadiq Khan. “Mais de mil cidades seguem unidas pelo histórico compromisso de fazer desta década uma ação exponencial em relação ao futuro”, disse.

Segundo novas estimativas das cidades, ações coletivas têm potencial de reduzir as emissões em pelo menos 1,4 gigatoneladas de carbono até 2030. O acordo prevê que a redução das emissões deva chegar à metade nos próximos nove anos e à neutralidade em 2050.

As 1.049 cidades e governos locais representam, segundo a C40, cerca de 722 milhões de pessoas. Além da capital paranaense, o Brasil tem, entre as signatárias, mais sete capitais: Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo, Recife, Fortaleza e João Pessoa.

Como chegar lá

Curitiba lançou, no final de 2020, o Plano Municipal de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas de Curitiba (PlanClima), que consolida o compromisso da cidade com o enfrentamento às Mudanças Climáticas, com a melhoria da qualidade urbana e ambiental e com a qualidade de vida de seus habitantes. O material teve o apoio da C40 em sua elaboração.

O objetivo é tornar a cidade neutra em carbono, adaptada às mudanças climáticas e resiliente até 2050, alinhando-a às metas internacionais de enfrentamento do aquecimento global. A principal delas, do Acordo de Paris, é de conter o aumento da temperatura média global no limite dos 2°C, com esforços para que o aquecimento estabilize-se em torno de 1,5°C.

Com vocação ambiental, Curitiba já tem uma série de ações que visam a recuperação do ambiente urbano, a redução de emissões de gases e a mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. Entre elas, destacam-se:

Amigo dos Rios e 100 Mil Árvores

Programas que promovem melhorias ambientais com a participação da comunidade e consistem, basicamente, na limpeza dos corpos hídricos e na recomposição da vegetação nativa.

Curitiba Mais Energia

O programa busca popularizar o uso da energia limpa na cidade. Já foi responsável pela implantação de painéis fotovoltaicos no Palácio 29 de Março e pelos projetos para instalação da Usina Solar do Caximba no aterro sanitário desativado, em terminais de ônibus e na rodoferroviária. Os projetos foram selecionados pelo C40, Cities Finance Facility, para apoio na elaboração. O Curitiba Mais Energia ainda conta ainda com painéis no Salão de Atos do Parque Barigui e com a CGH Nicolau Kluppel, que gera energia na queda d’água do Parque Barigui.

Gestão de Risco Climático Bairro Novo do Caximba

Com o financiamento de US$ 57 milhões da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), aborda principalmente a questão de adaptação e do aumento da resiliência urbana, com ações de relocação de famílias de áreas de risco, implantação de um dique para a contenção de cheias, reestruturação urbana e a construção de um parque linear.

Mobilidade urbana

A melhoria da infraestrutura de calçadas e cicloviária para promover a mobilidade ativa e a modernização do Inter 2 e do BRT Leste-Oeste, também são exemplos de projetos que reforçam a importância da redução de emissões de GEE provenientes dos combustíveis fósseis.

Segurança alimentar

Implantação de hortas comunitárias e da Fazenda Urbana, com seus respectivos Jardins de Mel, garantindo a população de abelhas sem ferrão para polinização, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. Além de garantir alimentação de qualidade, reforça a infraestrutura verde da cidade com cultivos naturais.

Reserva Hídrica do Futuro

Projeto busca ampliar a capacidade de reservação de água para o consumo da população, com implantação de caixas d’água em comunidades que sofrem com os problemas do abastecimento e com a reservação hídrica nas áreas das cavas do Rio Iguaçu.