Prefeitura de Curitiba fará concurso público em 2019

A Prefeitura de Curitiba vai contratar a Universidade Federal do Paraná/Funpar para organizar o concurso público que será feito em 2019. A escolha se deve à vasta experiência que as duas instituições têm na realização de concursos públicos, com qualificação do processo de seleção e criteriosa condução de todas as etapas.

Houve dispensa de licitação para a contratação, de acordo com o que estabelece a Lei 8666/93, que trata das normas para licitações e contratos da administração pública. A dispensa foi publicada no Diário Oficial da União e no Diário Oficial do Município.

O prefeito Rafael Greca autorizou a realização do concurso para 23 cargos, com 134 vagas. Inicialmente, o prefeito havia autorizado a contratação para 15 cargos. Diante da necessidade de outras áreas, especialmente na de meio ambiente, o número de cargos foi elevado.

Os salários para o concurso de 2019 da Prefeitura de Curitiba variam de R$ 1.661,69 (agente administrativo) até R$ 8.877,58 (auditor fiscal de tributos municipais).

A publicação do edital de contratação será no primeiro quadrimestre de 2019. A Prefeitura segue os trâmites definidos pelo Tribunal de Contas do Estado para a realização do concurso.

Os 23 cargos que terão concurso público em 2019:

Agente Administrativo

Analista Organizacional

Arquiteto

Auditores Fiscais de Tributos Municipais

Biólogo

Engenheiro Agrônomo

Engenheiro Ambiental

Engenheiro Civil

Engenheiro de Segurança do Trabalho

Engenheiro Eletricista

Engenheiro Florestal

Engenheiro Químico

Engenheiro Sanitarista

Fiscal

Fiscal de Obras e Posturas

Gestor da Informação

Médico Veterinário

Nutricionista

Procurador

Professor de Educação Infantil

Profissional do Magistério- Docência II

Técnico Agrícola

Zootecnista

 

Saiba mais pelo site da Prefeitura: http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná confirma mais 844 casos e 19 óbitos por Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (21) mais 844 casos e 19 mortes pelo novo coronavírus. O boletim registra também 1.429 casos confirmados retroativos do período entre 14 de julho a 19 de dezembro. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 375.335 casos e 7.271 mortes em decorrência da doença.

Dos casos divulgados nesta segunda-feira (21), 2 são de julho; 1 de agosto; 3 de setembro; 2 de outubro; 149 de novembro e 2.116 de dezembro (entre os novos e retroativos).

INTERNADOS – Nesta segunda-feira são 1.575 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19. Destes, 1.229 ocupam leitos SUS (633 em UTI e 596 clínicos/enfermaria) e 346 da rede particular (137 UTI e 209 clínicos/enfermaria).

Há outros 1.206 pacientes internados, 471 em leitos UTI e 735 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

ÓBITOS – A secretaria estadual informa a morte de mais 19 pacientes. São 8 mulheres e 11 homens com idades que variam de 26 a 88 anos. Os óbitos ocorreram entre 22 de novembro e 21 de dezembro.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Cianorte (3), Cascavel (2) e Palmas (2), além de uma morte registrada em cada um dos seguintes municípios: Anahy, Foz do Iguaçu, Ibema, Ivaiporã, Marechal Cândido Rondon, Maringá, Pato Branco, Prudentópolis, Santa Helena, Santa Tereza do Oeste, São Jorge d’Oeste e Terra Roxa.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento contabiliza 2.956 casos de pessoas que não moram no Estado – 60 foram a óbito.

Proibição de fogos de artifício com barulho entra em vigor, em Curitiba; multas podem chegar a R$ 18 mil

A lei que proíbe fogos de artifício com barulho em Curitiba entrou em vigor no domingo (20).

A regra foi aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Rafael Greca (DEM) em 2019, mas o texto previa a entrada em vigor apenas um ano após a publicação em Diário Oficial.

Segundo o texto da lei, fica proibida a utilização de fogos de artifício e artefatos pirotécnicos “de alto impacto ou com efeitos de tiro”, tanto em locais fechados como em áreas abertas, públicas ou privadas.

Os fogos luminosos com “efeitos visuais sem tiro” permanecem liberados.

Segundo a prefeitura, a proibição beneficia animais, idosos e crianças portadoras do Transtorno do Espectro Autista.

Multas

A lei prevê apreensão e destruição dos fogos do material que infringir a lei.

Segundo a prefeitura, um decreto deve ser publicado nos próximos dias com as multas a quem desrespeitar a regra.

Os valores, segundo a administração municipal, vão variar de R$ 5,3 mil a R$ 18 mil, de acordo com a intensidade dos fogos, não interrupção do foguetório e reincidência.

A fiscalização será responsabilidade da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Guarda Municipal.

Via G1