Policiais e guardas municipais começam a receber vacinas no Paraná

O Paraná recebeu nesta quinta-feira (1º) o 11° lote de vacinas contra Covid-19 do Ministério da Saúde. São 492.200 doses da Coronavac, produzida pela Sinovac e Instituto Butantan, e 33.250 doses da Covishield, produzida pela Universidade de Oxford com AstraZeneca e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Com a nova remessa, o Estado ultrapassa o marco das 2 milhões de doses recebidas, totalizando 2.253.300 vacinas. 

As doses da Covidshield são destinadas ao reforço do grupo dos trabalhadores de saúde. Já a Coronavac é destinada a cinco grupos prioritários. Três deles receberão doses de reforço: trabalhadores de saúde (21.212 doses), pessoas de 75 a 79 anos (186.137 doses) e pessoas de 70 a 74 anos (253.550 doses). Assim, parte dos vacinados com doses da 8ª, 9ª e 10ª remessas têm sua imunização garantida. A outra parcela se destina à continuação da vacinação de pessoas entre 65 e 69 anos e ao início da vacinação dos trabalhadores de segurança.

O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, comemorou o recebimento do lote, o maior desde o início da campanha da vacinação. “Essas doses vão completar a imunização de 500 mil paranaenses. Com esta grande quantidade vamos prosseguir com a vacinação, e pedimos às prefeituras que não estoquem essas doses e levem essas vacinas à população”, afirmou.

As doses chegaram na manhã desta quinta-feira ao Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, e foram encaminhadas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), onde serão organizadas e conferidas para o envio às 22 Regionais do Estado. A distribuição deve acontecer nesta sexta-feira (2).

NOVO GRUPO – A remessa de Coronavac destina 5.555 doses à primeira aplicação de pessoas de 65 a 69 anos e 2.277 doses ao início da vacinação da categoria de forças de segurança e salvamento e forças armadas, que incluem policiais, guardas municipais e militares. Cerca de 5% das doses recebidas no lote são destinadas à reserva técnica.

O secretário da Segurança Pública do Paraná, coronel Romulo Marinho Soares, afirmou que as vacinas são ansiosamente aguardadas pelas forças de segurança. “Agora vamos nos reunir para decidir o fluxo de quem será vacinado neste primeiro momento. Devemos receber mais doses ao longo de abril para avançar na vacinação deste grupo. Com certeza as doses chegam em boa hora para a segurança pública. Vamos priorizar aqueles que atuam diretamente nas ações relacionadas à Covid-19”, relatou o secretário. 

A inclusão das forças de segurança respeita a distribuição realizada pelo Ministério da Saúde. O grupo é considerado prioritário também pelo Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19.

VACINAÇÃO – Até a manhã desta quinta, 1.131.213 paranaenses receberam pelo menos a primeira dose do imunizante, e 242.179 já completaram sua imunização com a segunda dose. O Paraná tem uma campanha de vacinação de domingo a domingo e acelerou a aplicação das doses nos últimos dias, inclusive ultrapassando a média nacional.

“Nosso objetivo é dar celeridade à distribuição de vacinas. Iniciamos, na semana passada, a campanha de vacinação de domingo a domingo. E, naturalmente, esse novo volume dará condições para podermos continuar nesse fluxo. A ideia é não parar a vacinação, porque quanto mais velocidade temos na vacinação, naturalmente temos uma imunização mais rápida também”, afirmou Guto Silva, chefe da Casa Civil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pandemia pode manter níveis críticos ao longo de abril, diz Fiocruz

A manutenção da tendência de alta transmissão da covid-19 no Brasil na semana passada (4 a 10 de abril) indica que a pandemia pode permanecer em níveis críticos ao longo deste mês. O alerta foi feito hoje (16), pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no boletim Observatório Covid-19.

Os pesquisadores apontam que as medidas restritivas adotadas por alguns estados e municípios produziram “êxitos localizados”, que podem resultar na redução de casos graves da doença nas próximas semanas. 

Apesar disso, a flexibilização dessas medidas nesse momento pode fazer retornar o ritmo acelerado de transmissão, em um cenário em que o isolamento social mais rigoroso ainda não teve impacto sobre o número de óbitos e a demanda hospitalar dos pacientes com covid-19.

O boletim também aponta o risco de a pandemia se estabilizar em um patamar muito mais elevado que no ano passado. Indicam esse quadro a estabilização na incidência de novos casos da doença e a permanência de níveis críticos na ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) na maior parte do país. 

Média diária de mortes e UTI

Na semana passada, o Brasil voltou a superar a média diária de mais de 3 mil mortes, e, em 12 de abril, chegou ao recorde de 3.123 mortes na média móvel de sete dias, segundo dados do painel Monitora Covid-19, da Fiocruz. 

A ocupação de UTIs para pacientes com covid-19 permanece acima de 80% em 22 estados e no Distrito Federal. Apesar disso, a fundação destaca a saída do Maranhão da zona de alerta crítico para a zona de alerta intermediário, com 78% de ocupação; além de quedas significativas do indicador no Pará (de 87% para 82%), Amapá (de 91% para 84%), Tocantins (de 95% para 90%), Paraíba (de 77% para 70%) e São Paulo (de 91% para 86%). 

O boletim mostra ainda que, até a sexta-feira da semana passada, 30,2% das pessoas vacinadas contra a covid-19 haviam recebido as duas doses do imunizante, enquanto 69,8% receberam apenas uma dose. 

A Fiocruz reforça que tanto a CoronaVac quanto a Oxford/AstraZeneca preveem duas doses para que o esquema vacinal seja completo. Diante disso, é recomendado planejamento da imunização, monitoramento e busca ativa dos faltosos na segunda dose, o que é necessário para alcançar a proteção pretendida pela vacinação e não desperdiçar recursos.

Colombo oficializa chegada de 15 novas empresas com expectativa de geração de 1,2 mil empregos

Iniciando o planejamento da mudança de patamar na economia local, a Prefeitura Municipal de Colombo através da Secretaria de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, anunciou nestes 100 dias de gestão em ato com autoridades e empresários paranaenses na tarde desta quinta-feira (15), a oficialização da instalação de 15 empresas e geração de aproximadamente 1.200 empregos diretos a população do município. No evento foi realizada a assinatura do protocolo de intenções dos empresários que irão ampliar seus negócios e investir em Colombo.

Prefeito de Colombo, Helder Lazarotto, ao lado do vice-governador Darci Piana (Foto: Divulgação)

Para o prefeito Helder Lazarotto, a chegada de novas empresas marcam o início dos trabalhos para elevar a economia local. “Com todas as dificuldades, em apenas 100 dias de gestão, nosso município já atraiu novas empresas e com isso vai gerar emprego e renda diretamente a população daqui. “Neste momento de pandemia, onde muitas famílias enfrentam dificuldades, oficializar a chegada de novas oportunidades nos enche de esperança e a confiança de que estamos no caminho certo. Com trabalho, mais pessoas garantem o sustento dos seus lares”.

O vice-governador do Paraná, Darci Piana declarou seu apoio ao desenvolvimento de novas ações para a cidade e investimentos em diversos setores. “A chegada de novos empresários e ampliação dos negócios de quem já faz parte do setor empresarial do município é um marco para gestão com oportunidades para as famílias que aqui residem”.

Já o Secretário Estadual da Saúde, Beto Preto destacou que Colombo tem tudo para avançar. “Estamos vendo boas ações administrativas e o investimento de empresários na cidade vai alavancar a economia do município, fazendo de Colombo um município com excelente desenvolvimento econômico”.

O secretário Municipal de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, Plínio Toniolo Schmidt, ressaltou que a implantação dos novos negócios gera oportunidade e renda para os colombenses. “Com o projeto Colombo + Emprego & Renda vamos trazer esperança e também novas conquistas para cidade, caminhando para atrair mais empresas e investimentos ao município. Ainda temos muito a fazer, mas tenho certeza que estamos no caminho para aquecer a economia local com a chegada de novos investidores”.

Oportunidades

Ao todo 15 empresas estão iniciando a ampliação e investindo em novas instalações na cidade de Colombo. O projeto desenvolvido pela Secretaria de Indústria e Comércio atraiu as seguintes empresas:

– Jandira Alimentos – 120 empregos;
– Max Muffato – 350 empregos;
– Hotel Rural – 50 empregos;
– Indústria Química Bonardi – 90 empregos;
– Sorvetes Vêneto – 30 empregos;
– Iswara Indústria Química – 40 empregos;
– Alvorada Auto Peças – 30 empregos;
– CRV Parafusos – 120 empregos;
– RK Ferramentaria LTDA – 120 empregos;
– Dacla Reboque e Engates – 60 empregos;
– Jallcard Personalização de cartões – 120 empregos;
– LP Frios – 40 empregos;
– JG Transportes – 250 empregos;
– Gim Colombo e Franciscon – estruturando projeto para futuras instalações na cidade.

Informações Banda B