Pelo menos três cidades da RMC seguem bandeira vermelha de Curitiba

As cidades, da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), Almirante Tamandaré, Rio Branco do Sul e Campo Magro publicaram novos decretos de combate à Covid-19 com restrições que se assemelham às regras da bandeira vermelha em Curitiba. A expectativa é que ainda outras cidades acompanhem a capital com medidas mais rígidas.

Os três municípios citados determinaram toque de recolher das 21h até as 5h da manhã do dia seguinte. O comércio está autorizado a funcionar de segunda a sábado, mas não de forma presencial.

Restaurantes também podem funcionar, porém apenas na modalidade delivery, drive-thru e retirada no balcão. Os mercados estão proibidos de abrir aos domingos.

Pinhais e Balsa Nova

As cidades de Pinhais e Balsa Nova também publicaram novos decretos, no entanto com medidas mais flexíveis.

Em Pinhais, o toque de recolher acontece das 21h às 5h, mas as atividades de rua não essenciais e prestação de serviços continuam presencialmente de segunda a sábado, das 9h às 18h, sendo suspensas apenas no domingo.

Já restaurantes, pizzarias, lanchonetes e bares, podem funcionar com limitação de 50% de ocupação. Aos domingos, o atendimento é apenas por meio das modalidades de entrega, ficando vedado o consumo no local.

Balsa Nova também manteve o comércio e mercados abertos, com 50% da capacidade do local, de segunda a sábado. Restaurante funcionam com metada da ocupação e no domingo somente na modalidade delivery, drive-thru e retirada no balcão. Bares ficam abertos de segunda a sábado. O toque de recolher vale a partir das 20h e vai até as 5h.

Os municípios de Araucária, Campina Grande do Sul, Colombo, Campo Largo, Fazenda Rio Grande, Piraquara, Pinhais, Quatro Barras e São José dos Pinhais ainda não apresentaram oficialmente novas definições de medidas restritivas.

Reunião

Representantes da Prefeitura de Curitiba se reuniram, nesta segunda-feira (31), com lideranças de municípios da Região Metropolitana, em mais um esforço para promover medidas conjuntas de combate à expansão da pandemia da covid-19. Segundo a gestão municipal, a falta de adesão das cidades vizinhas compromete os resultados necessários para redução da expansão da doença, além de manter a pressão da rede de saúde da capital.

Na reunião por videoconferência, a Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) discutiu a minuta de decreto que busca servir de base para cidades da Grande Curitiba ampliarem as restrições neste momento de agravamento da covid-19.

A base do documento é o decreto municipal nº 940/2021, que estabeleceu a bandeira vermelha em Curitiba e entrou em vigor no último sábado (29/5). A expectativa é a de que os municípios façam os ajustes necessários de acordo com a realidade de cada um.

O vice-prefeito Eduardo Pimentel, representando o prefeito Rafael Greca, que também é presidente da Assomec, reiterou a importância dos municípios da Grande Curitiba adotarem as medidas de ampliação das restrições de circulação.  

“Quanto mais alinhadas estiverem as ações da Região Metropolitana melhores serão os resultados no combate à pandemia. Não tem sentido uma cidade restringir atividades e outras deixarem livre. Aí o vírus vai continuar circulando”, argumentou Pimentel, que é coordenador municipal de Ações Integradas com a Região Metropolitana de Curitiba.

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, também pediu durante o encontro que os municípios metropolitanos adotem as restrições previstas na bandeira vermelha de Curitiba.

Informações Banda B

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com cenário mais estável, Estado amplia capacidade de público em eventos

Com o cenário mais estável da pandemia da Covid-19 no Paraná, diretamente relacionado com a vacinação em primeira dose (D1) ou dose única chegando a 95% da população adulta, o Governo do Estado decidiu atualizar o decreto nº 8.705/2021, editado no último dia 14, ampliando a capacidade de público em eventos.

De acordo com a nova normativa (nº 8.771/2021), assinada nesta terça-feira (21) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, eventos em espaços abertos, para público exclusivamente sentado ou delimitado, poderão ser realizados com capacidade máxima de lotação de 60% do previsto para o local, desde que não exceda 5 mil pessoas.

Já os eventos em ambientes fechados, novamente para público exclusivamente sentado ou delimitado, poderão ser realizados com capacidade máxima de lotação de 50% do previsto para o local, desde que não ultrapasse 2 mil pessoas. Segue valendo, contudo, a necessidade de os participantes estarem com o esquema vacinal completo contra a doença ou apresentar exame RT-PCR negativo, com no máximo 48 horas de antecedência.

O texto prevê excepcionalidade para concursos públicos e demais processos seletivos. A promoção de eventos esportivos com público, por sua vez, será regulamentada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Permanece proibida a realização presencial dos eventos, de qualquer tipo, que possuam uma ou mais das seguintes características: em local fechado que não tenha sistema de climatização com renovação do ar e Plano de Manutenção, Operação e Controle atualizados; que demandem a permanência do público em pé durante sua realização; com duração superior a 6 horas; que não consigam garantir o controle de público no local ou que possam atrair presença de público superior àquele determinado nesta norma, como exposições e festivais; de caráter internacional; realizados em locais não autorizados para esse fim; e que não atendam os critérios previstos nesta legislação e demais normativas vigentes.

O documento tem validade até 1º de outubro.

NÚMEROS – De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Sesa nesta segunda-feira (20), o Paraná soma 1.486.040 casos e 38.274 óbitos pela Covid-19. A média móvel de casos é 51,2% menor do que há 14 dias. A redução de mortes no mesmo período ficou em 49,2%. O atual índice de retransmissão (RT) é de 0,93, ou seja, cada 100 pessoas contaminadas transmitem o vírus para outras 93.

Já a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para tratamento da doença está em 58%, enquanto taxa de ocupação dos leitos de enfermaria é de 38%.

Nesta semana, o Estado confirmou o início da imunização de adolescentes e do reforço em idosos. Em números absolutos, 12.472.079 doses já foram aplicadas na população adulta. Dessas, 7.911.196 são relacionadas à D1 e 4.560.883 são D2 ou DU.

A estimativa do Ministério da Saúde é que o Paraná tenha 8.720.953 pessoas elencadas como população acima de 18 anos. Sendo assim, o Estado atingiu agora 94,4% deste grupo com ao menos uma dose ou dose única. A Sesa quer fechar setembro com 100% da população adulta vacinada com a primeira dose ou dose única.

Piraquara terá novo terminal de ônibus; confira

Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, vai ganhar um novo e moderno terminal de ônibus. O governador Carlos Massa Ratinho Junior autorizou nesta terça-feira (21), no Palácio Iguaçu, o início do processo de licitação para a construção da estrutura. O investimento estimado pelo Governo do Estado é de R$ 14 milhões, valor que pode ser reduzido conforme a concorrência dentro do processo de licitação. A obra é coordenada pela Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) e deve começar ainda neste ano.

O projeto executivo, também contratado pela Comec, já está pronto e custou R$ 162.779,37. “Piraquara é uma cidade que cresceu muito e já necessita de uma estrutura de transporte mais moderna e adequada para a população. Ao investir em transporte público, o Estado está agindo diretamente para melhorar a qualidade de vida da população de toda a Região Metropolitana de Curitiba, permitindo, por exemplo, uma integração maior entre os municípios”, destacou.

Projeto do novo terminal de Piraquara. Imagem: Comec

Ratinho Junior citou como exemplo prático dessa maior unificação entre cidades a nova linha de ônibus que será instalada na cidade, ligando diretamente Piraquara a São José dos Pinhais – atualmente quem precisa percorrer o trajeto tem de fazer a conexão em Pinhais. “O Estado é parceiro de Piraquara em grandes projetos, um terminal à altura da cidade”, disse.

A nova edificação terá 2.467,35 metros quadrados de área construída e será instalada em um terreno do Governo do Estado com área total de 18.326,54 metros quadrados, no bairro Jardim Esmeralda, no cruzamento das avenidas São Roque e Brasília, próximo a um dos centros médicos de especialidades do município.

O antigo complexo, com área total de 1.857 metros quadrados, dos quais apenas 610 de área coberta, passará a funcionar como um ponto de apoio para linhas alimentadoras. De acordo com a mais recente estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Piraquara conta com 116.852 habitantes.

“O novo terminal será quatro vezes maior que o atual, que foi construído em 1996. Mas, além do tamanho, a localização será estratégica, mais próxima de Curitiba. As instalações também serão mais seguras e confortáveis, permitindo uma reorganização do atendimento em Piraquara, com possibilidade de novas linhas e conexões”, afirmou o presidente da Comec, Gilson Santos.

Segundo ele, atualmente oito linhas operadas pela Comec utilizam o equipamento rodoviário. “O tamanho do terminal e a distribuição das linhas passarão ser condizentes com o desenvolvimento e a necessidade do município”, disse.

ESTRUTURA  A estrutura do novo terminal será em aço, apoiada em pilares também metálicos e com telhas termoacústicas, que proporcionam maior conforto e menos custo de manutenção. O perímetro externo da cobertura terá um anteparo metálico com iluminação em LED embutida, deixando a estrutura mais moderna.

No seu interior, um conjunto de quatro lojas e duas lanchonetes trarão mais comodidade aos passageiros, assim como toda a estrutura de banheiros, incluindo banheiros específicos para pessoas com deficiência. Ele terá também piso tátil, perceptível por pessoas com deficiência visual. “Teremos, sem sombra de dúvidas, um transporte coletivo muito mais eficiente a partir deste terminal”, ressaltou o prefeito de Piraquara, Josimar Fróes.

Projeto do novo terminal de Piraquara. Imagem: Comec

Nos arredores será contratado todo um paisagismo com floreiras em alvenaria, plantas, árvores, incluindo área de recreação com bicicletário, duas quadras poliesportivas e playground. “Acessibilidade, área de lazer, comércio e ônibus novos, tudo funcionando em uma estrutura moderna. Isso mostra o respeito do Governo do Estado para com a população”, afirmou o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega.

OUTRO TERMINAL – A Região Metropolitana ganhará também outro terminal de ônibus. Em São José dos Pinhais, a nova estrutura, em fase final de elaboração do projeto, substituirá o atual terminal Afonso Pena. O equipamento será instalado em novo endereço, na Avenida Rui Barbosa, esquina com a Rua Anneliese Gellert Krigsner, no bairro Iná. Deverá ter cerca de 6.400 metros quadrados.

“É uma das maiores regiões da cidade e o atual terminal ficou pequeno, não atende a realidade atual de São José dos Pinhais”, disse o presidente da Comec.