Pelo menos três cidades da RMC seguem bandeira vermelha de Curitiba

As cidades, da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), Almirante Tamandaré, Rio Branco do Sul e Campo Magro publicaram novos decretos de combate à Covid-19 com restrições que se assemelham às regras da bandeira vermelha em Curitiba. A expectativa é que ainda outras cidades acompanhem a capital com medidas mais rígidas.

Os três municípios citados determinaram toque de recolher das 21h até as 5h da manhã do dia seguinte. O comércio está autorizado a funcionar de segunda a sábado, mas não de forma presencial.

Restaurantes também podem funcionar, porém apenas na modalidade delivery, drive-thru e retirada no balcão. Os mercados estão proibidos de abrir aos domingos.

Pinhais e Balsa Nova

As cidades de Pinhais e Balsa Nova também publicaram novos decretos, no entanto com medidas mais flexíveis.

Em Pinhais, o toque de recolher acontece das 21h às 5h, mas as atividades de rua não essenciais e prestação de serviços continuam presencialmente de segunda a sábado, das 9h às 18h, sendo suspensas apenas no domingo.

Já restaurantes, pizzarias, lanchonetes e bares, podem funcionar com limitação de 50% de ocupação. Aos domingos, o atendimento é apenas por meio das modalidades de entrega, ficando vedado o consumo no local.

Balsa Nova também manteve o comércio e mercados abertos, com 50% da capacidade do local, de segunda a sábado. Restaurante funcionam com metada da ocupação e no domingo somente na modalidade delivery, drive-thru e retirada no balcão. Bares ficam abertos de segunda a sábado. O toque de recolher vale a partir das 20h e vai até as 5h.

Os municípios de Araucária, Campina Grande do Sul, Colombo, Campo Largo, Fazenda Rio Grande, Piraquara, Pinhais, Quatro Barras e São José dos Pinhais ainda não apresentaram oficialmente novas definições de medidas restritivas.

Reunião

Representantes da Prefeitura de Curitiba se reuniram, nesta segunda-feira (31), com lideranças de municípios da Região Metropolitana, em mais um esforço para promover medidas conjuntas de combate à expansão da pandemia da covid-19. Segundo a gestão municipal, a falta de adesão das cidades vizinhas compromete os resultados necessários para redução da expansão da doença, além de manter a pressão da rede de saúde da capital.

Na reunião por videoconferência, a Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) discutiu a minuta de decreto que busca servir de base para cidades da Grande Curitiba ampliarem as restrições neste momento de agravamento da covid-19.

A base do documento é o decreto municipal nº 940/2021, que estabeleceu a bandeira vermelha em Curitiba e entrou em vigor no último sábado (29/5). A expectativa é a de que os municípios façam os ajustes necessários de acordo com a realidade de cada um.

O vice-prefeito Eduardo Pimentel, representando o prefeito Rafael Greca, que também é presidente da Assomec, reiterou a importância dos municípios da Grande Curitiba adotarem as medidas de ampliação das restrições de circulação.  

“Quanto mais alinhadas estiverem as ações da Região Metropolitana melhores serão os resultados no combate à pandemia. Não tem sentido uma cidade restringir atividades e outras deixarem livre. Aí o vírus vai continuar circulando”, argumentou Pimentel, que é coordenador municipal de Ações Integradas com a Região Metropolitana de Curitiba.

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, também pediu durante o encontro que os municípios metropolitanos adotem as restrições previstas na bandeira vermelha de Curitiba.

Informações Banda B

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nível de reservatórios melhora e rodízio da RMC terá mais um dia com água

A Sanepar acrescentará mais um dia com água no rodízio da Região Metropolitana de Curitiba a partir de segunda-feira (17). O tempo de abastecimento será de três dias e meio (84 horas com água) e até 36 horas de suspensão. Este novo modelo é possível devido à elevação do nível das barragens do Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba e Região Metropolitana (SAIC), que chega nesta sexta-feira (14) a 73,81%.

A tabela do rodízio no novo modelo já tem a programação até 28 de janeiro (confira AQUI ).

As chuvas deste início de ano têm reforçado a recuperação dos reservatórios, iniciada gradualmente a partir de outubro e que vem mantendo o nível médio acima dos 70%, a partir de 6 de janeiro, maior patamar desde a implantação do rodízio em março de 2020. A expectativa da Companhia é manter este modelo até que as barragens atinjam o nível médio de 80% e seja então possível suspender o rodízio.

Segundo Claudio Stabile, diretor-presidente da Sanepar, a preocupação é com a sustentabilidade de médio e longo prazos. “O esforço da Companhia e também da população que tem nos ajudado a manter a META20 com o uso racional da água permitiu essa nova flexibilização no sistema de rodízio”, afirma.

Em 2021, o País viveu a pior seca em 91 anos. O Paraná tem sido afetado pela crise hídrica desde 2020, quando os reservatórios atingiram níveis mínimos históricos. O estado está sob Decreto de Emergência em todo o seu território devido à estiagem.

EXCEÇÕES – Em parte das cidades de Almirante Tamandaré e Colombo, o rodízio segue em horários diferentes por serem regiões abastecidas por sistemas isolados, e não pelo SAIC. Em Almirante, o abastecimento é feito também pelo Rio Barigui; e, em Colombo, por poços do aquífero Karst. Os horários podem ser consultados em tabela divulgada no site da Sanepar www.sanepar.com.br.

Com aumento de casos, Prefeitura de Curitiba reduz para 70% a capacidade em eventos esportivos

Prefeitura de Curitiba divulgou, nesta quinta-feira (13), um decreto que limita em 70% a capacidade de público em estabelecimentos, incluindo eventos esportivos. A alteração impacta os clubes da capital paranaense. O documento é válido por sete dias, podendo ser prorrogado.

A medida, segundo a administração municipal, é uma “cautela sanitária” devido ao aumento expressivo dos casos de Covid-19 pela variante ômicron e à declaração de epidemia de Influenza H3N2 feita, nesta quarta-feira (12), pela Secretaria de Estado da Saúde (SESA).

Com isso, caso o decreto seja renovado, Athletico, Coritiba e Paraná Clube só vão poder receber 70% da capacidade de seus estádios em suas estreias no Campeonato Paranaense. Isso afeta diretamente o clássico entre Athletico x Paraná Clube, marcado para o dia 23 de janeiro, na Arena da Baixada.

Decreto mantém medidas de segurança

O novo decreto mantém as medidas de combate à pandemia adotadas desde o início de dezembro –  como a obrigatoriedade do uso de máscara em espaços públicos ou de uso coletivo em Curitiba e a proibição de consumo de bebidas alcoólicas em via pública, além de determinar que a ocupação não deve ultrapassar 70% da capacidade de público prevista no Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros (CLCB).

Conforme a prefeitura, as medidas determinadas pelo decreto visam contribuir para a contenção das transmissões de coronavírus e influenza (gripe) com a menor circulação de pessoas ao mesmo tempo nos ambientes, favorecendo o distanciamento físico.