Parque Nacional do Iguaçu retoma atividades a partir de hoje

O Parque Nacional do Iguaçu vai retomar as atividades de forma gradativa a partir de hoje (4), após meses fechado em decorrência da pandemia de covid-19. A unidade estará aberta ao público de terça-feira a domingo, das 9h às 16h, e, na entrada, os visitantes serão orientados sobre os novos procedimentos e cuidados em relação à prevenção contra o novo coronavírus.

O parque, que está localizado em Foz do Iguaçu, no Paraná, abriga as Cataratas do Iguaçu e foi reconhecido como Patrimônio Natural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em 1986.

De acordo com informações do Ministério do Turismo, entre as medidas obrigatórias para acessar a unidade de conservação estão a redução da capacidade do local, a aferição da temperatura, o distanciamento entre as pessoas e o uso correto da máscara, cobrindo o nariz e a boca, durante todo o passeio. A estação Porto Canoas, que abrange o restaurante e outras lojas, seguirá fechada e será reaberta em uma próxima etapa.

As visitas devem ser agendadas e os ingressos serão vendidos exclusivamente pelo site do parque . Serão disponibilizados o máximo de 350 vagas de ingressos por hora. Moradores de Foz do Iguaçu e de cidades vizinhas têm 90% de desconto com o Passe Comunidade, que deve ser adquirido nos terminais de autoatendimento, localizados no centro de visitantes do parque, mediante comprovação de residência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Paraná, 95% das escolas já receberam materiais para prevenção da Covid-19

A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte investiu R$ 5,9 milhões na compra de materiais de proteção para os mais de 2 mil colégios da rede estadual que se preparam para iniciar o ano letivo com segurança. Até esta quarta-feira (13) cerca de 95% das escolas do Estado já tinham recebido os itens.

Foto: AEN PR

Entre os materiais adquiridos estão 21,8 mil galões de 5 litros de álcool em gel, 25,1 mil galões de 5 litros de álcool líquido 70%, 6,9 mil termômetros, 31,7 mil dispensers e 16,3 mil macacões para equipes de limpeza. Além disso, 2,1 milhões de máscaras de tecido serão entregues aos estudantes (duas para cada). 

Foto: AEN PR

Outros itens — como produtos de limpeza, luvas e botas para profissionais de limpeza e fitas adesivas para orientar o distanciamento em salas de aula e espaços comuns — estão sendo adquiridos pelas próprias escolas. Os recursos para essas compras são do fundo rotativo, verba liberada mensalmente para as escolas, destinada à aquisição de materiais e à execução de pequenos reparos.

Foto: AEN PR

Os diretores de cada escola têm liberdade para implementar medidas adicionais de segurança e ampliar os cuidados para prevenção da Covid-19. É o caso de José Marcos de Paula, diretor do Colégio Estadual Pedro Macedo, em Curitiba. Ele comprou totens para álcool em gel e está construindo 15 novos lavatórios em áreas externas para que os estudantes possam higienizar as mãos com água e sabão em ambientes abertos.

“Já estamos preparados para receber nossos alunos com toda a segurança. Eles, assim como os professores, sentem muita falta do cotidiano na escola”, afirma José Carlos. “Os alunos estão conscientes de todo o cuidado que precisam ter e sabem que não é só na escola. Precisam se prevenir onde quer que eles forem e também levar essa conscientização para dentro de casa”.

ANO LETIVO 2021 – Com início previsto para 18 de fevereiro, o ano letivo nos colégios estaduais terá formato híbrido, com parte dos alunos assistindo às aulas de forma presencial nas escolas, enquanto o restante dos estudantes acompanha a mesma aula de maneira remota, simultaneamente.

A intenção é que haja um revezamento semanal entre os estudantes (uma semana em aula remota e uma semana em aula presencial). Aqueles que não têm acesso à internet ou a aparelhos eletrônicos, e que tiveram que buscar atividades impressas nas escolas ao longo de 2020, têm preferência para a aula presencial. Os demais participarão do revezamento, desde que haja autorização dos pais ou responsáveis legais.

Ao chegar à escola, todos os alunos terão suas temperaturas verificadas. O uso de máscara é obrigatório, assim como a disponibilização de álcool em gel e o distanciamento mínimo de 1,5 metro dentro das salas. A capacidade de cada sala de aula será limitada ao máximo de 50% de ocupação (o percentual vai depender do tamanho da sala).

EDUCAR PARA PREVENIR – O ano letivo de 2021 contará com o programa Educar para Prevenir. Parceria entre as secretarias da Educação e da Saúde, o projeto vai levar orientações sobre doenças, como prevenção e cuidados, para dentro da grade escolar dos alunos. De acordo com o planejamento, entre 10% e 15% do conteúdo de Ciências para alunos do Ensino Fundamental nos anos finais e de Biologia no Ensino Médio abordarão o tema.

A ação se dará uma vez por semana, com objetivo de tornar a escola um agente de disseminação de informação sobre prevenção de doenças, inicialmente com foco na pandemia do novo coronavírus e depois expandindo para outras doenças endêmicas e doenças crônicas não degenerativas.

Leia mais sobre o ano letivo AQUI.

Informações AEN.

60% dos novos casos de Covid no Paraná são de jovens até 35 anos, diz secretário Beto Preto

E quem mais sofre são os idosos com 76% das mortes entre os que tem mais de 60 anos

Aquele encontro num bar, num posto de gasolina, aquela festa na casa de alguém, aquela aglomeração para beber na calçada. É em situações como essas que o coronavírus está se espalhando no Paraná. A afirmação é do secretário estadual de saúde, Beto Preto, que conversou ao vivo nesta quinta-feira (14), com Luiz Carlos Martins, na Rádio Banda B. Segundo ele, 60% dos novos casos de Covid no Paraná são de jovens até 35 anos.

“Tínhamos algo em torno de 40% das contaminações entre este grupo de até 35 anos há cerca de quatro meses, hoje este índice quase chega a 60%. E quem mais sofre com isso? Os idosos acima de 60 anos que representam 76% das mortes pelo coronavírus no estado. Na maioria das vezes, são pessoas que ficam em casa e são contaminadas por jovens que continuam aglomerando, infelizmente”, afirmou.

Beto Preto reforçou que esses jovens são, muitas vezes, assintomáticos ou com sintomas brandos. E vai além, afirmando que o Paraná deve ter  quatro ou cinco vezes mais contaminados do que os números oficiais, hoje em 423.024.

“Temos muitas pessoas que se contaminaram e não procuraram atendimento médico, seja por terem tido sintomas brandos ou por serem assintomáticas. Calculamos que cerca de 2,5 milhões de paranaenses já tenham tido contato com o vírus. Muitos talvez nem saibam disso”, completou.

Vacinação

O secretário disse ainda na Banda B que a vacinação deve começar entre os dia 23  e 26 de janeiro, dependendo do dia em que o Ministério da Saúde vai distribuir as doses. Reforçou que até maio, cerca de 4 milhões de paranaenses deverão ser imunizados.

“Vamos começar pelos profissionais de saúde da linha de frente e pessoas que vivem em aldeias isoladas. Na sequência, os demais profissionais de saúde e idosos acima de 75 anos. Depois virão os acima de 70, acima de 60, aí os portadores de doenças crônicas como hipertensos, diabéticos,  quem faz hemodiálise entre outros. Vamos vacinar os que têm acima de 18 anos. Não há previsão de vacinar crianças e adolescentes porque não existem testes para estas faixas etárias que, na grande maioria, apresentam sintomas brandos ou nenhum”.

Locais de vacinação

O secretário disse que o Paraná tem 1850 salas de vacina nas Unidades Básicas de Saúde e são estes locais que irão aplicar as doses.

“A vacinação vai acontecer prioritariamente nas unidades básicas, onde os profissionais conhecem a maioria da população. Ouvi ontem que o prefeito Rafael Greca está propondo o Pavilhão do Barigui como centro de vacinação, o que também é válido, mas nossa prioridade é vacinar nas unidades”.

Segundo ele, o Paraná deve aplicar vacinas da AstraZeneca/Oxford e também a Conoronac, do Instituto Butantã com a Sinovac.

“Vai dar tudo certo. O paraná está preparado e na terça-feira (19) já devermos ver o ministro Pazuello anunciando o início do plano nacional de vacinação”, concluiu.

Informações Banda B.