Paraná ultrapassa 4 milhões de vacinas aplicadas contra o coronavírus

O Paraná ultrapassou nesta terça-feira (8) a marca de 4 milhões de aplicações da vacina contra a Covid-19. De acordo com o Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS), o quantitativo é composto por 2.793.678 primeiras doses (D1) e 1.232.380 segundas doses (D2), totalizando 4.026.058.

O painel, vinculado ao Ministério da Saúde, é atualizado com informações contidas na Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), abastecida pelos municípios.

A ferramenta revela também que o Estado alcançou 57% da imunização do grupo prioritário estabelecido pelo Plano de Saúde Nacional (PNI), do governo federal. Desses, 25% completaram o ciclo vacinal com a aplicação das duas doses. Atualmente, segundo a mais recente atualização da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), do dia 25 de maio, 4.906.706 pessoas são consideradas prioridades no Paraná.

“Estamos avançando dentro da realidade da chegada de vacinas. Mais do que nunca é necessária agilidade na aplicação para que possamos proteger o maior número de pessoas possível. Essa é a estratégia mais eficiente para derrubar os números de casos e mortes no Estado”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. “Mais do que nunca o pedido é para que os municípios vacinem, vacinem e vacinem”.

Ele reforçou que a meta do Governo do Estado é vacinar toda a população com mais de 18 anos até o fim deste ano.

E, como forma de acelerar o processo, a Sesa orientou na semana passada que as cidades em estágio mais avançado da aplicação comecem a vacinar a população em geral, de forma escalonada, sucessiva e decrescente, a partir da faixa etária de 59 e 58 anos. “Vamos gastar todas as vacinas que estão chegando”, disse Beto Preto.

PRIORITÁRIOS 

Considerando os números absolutos, foram imunizados com a primeira dose 550.304 pessoas com idade entre 60 e 64 anos; 419.801 entre 65 a 69 anos; 392.214 pessoas com comorbidades; 364.442 trabalhadores da saúde; 307.083 entre 70 a 74 anos; 227.908 com mais de 80 anos; 209.482 entre 75 a 79 anos; e 97.753 trabalhadores da educação do ensino básico. 

O painel aponta, ainda, que 35.688 primeiras doses foram destinadas para vacinar pessoas com mais de 60 anos institucionalizadas; 30.096 para pessoas com doenças permanentes graves; 16.123 para forças de segurança e salvamento; e 13.734 para gestantes e puérperas. Além desses, também há registros de vacinação nos outros grupos prioritários elencados no Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19.

TIPOS DE VACINA 

O painel do SUS aponta que a maior parte das doses aplicadas no Paraná é do imunizante Coronavac, produzido pela parceria Instituto Butantan/Sinovac. Já foram ministradas 2.247.848 doses dessa vacina (55,8%). Em segundo lugar aparece a Covishield, da parceria Fiocruz/AstraZeneca/Oxford, com 1.643.398 doses (40,8%). O imunizante Comirnaty, da Pfizer/BioNTech, completa o quadro com 134.698 doses (3,4%).

MUNICÍPIOS 

Em números absolutos, ainda segundo a ferramenta do SUS, Curitiba continua sendo a cidade que mais imunizou, com 721.468 aplicações, seguida por Londrina (228.058), Maringá (226.898), São José dos Pinhais (118.191), Cascavel (117.077) e Foz do Iguaçu (98.803). O quantitativo considera as duas doses.

Foto: Gilson Abreu/AEN

Proporcionalmente ao número de habitantes, contudo, o ranking de vacinação da Secretaria estadual da Saúde revela que os municípios mais adiantados em relação à dosagem inicial são São Jorge D’Oeste (54,25%), Kaloré (49,87%), Paranaguá (44,87%), Maringá (42,72%) e Rio Bom (42,38%).

Maringá (20,78%), São Jorge D’Oeste (20,23%), Capanema (19,30%), Miraselva (19,23%) e Terra Roxa (18,80%) são os destaques na imunização com a segunda aplicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fiscalização dispersa mais de mil pessoas e fecha 11 pontos comerciais em Curitiba

As equipes da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU) abordaram 18 pontos comerciais de Curitiba entre a noite de sexta-feira (30) a madrugada de domingo (01) – 11 foram fechados devido a irregularidades. Foram aplicadas 55 autuações administrativas.

Durante as fiscalizações, os policiais militares, policiais civis, bombeiros e agentes municipais flagraram 1.025 pessoas em aglomerações, que foram orientadas e dispersadas dos locais. Três foram encaminhadas: uma por desacato, outra por infringir medida sanitária e promover propagação de doença contagiosa e a terceira por envolvimento com jogos de azar.

As abordagens ocorreram nos bairros Alto Boqueirão, Alto da XV, Batel, Barreirinha, Boqueirão, Bairro Alto, Cajuru, Centro, Centro Cívico, Cidade Industrial, Hugo Lange, Hauer, Jardim das Américas, Juvevê, Jardim Social, Lamenha Pequena, Lindóia, Parolin, Portão, Rebouças, São Francisco e Uberaba.

Segundo a coordenadora das equipes da Aifu, tenente Caroline Félix, em um estabelecimento no Batel as equipes encontraram 300 pessoas na madrugada de domingo. Um homem desacatou os policiais militares e foi conduzido para lavratura de Termo Circunstanciado.

“O estabelecimento foi fechado pelos agentes da Secretaria Municipal do Urbanismo e multado em R$ 100 mil por estar em funcionamento irregular, com aglomeração”, disse.

Na noite de sábado, no bairro Bacacheri, em um ponto comercial que funcionava como casa noturna, foram encontradas duas máquinas caça-níqueis. Os objetos foram apreendidos e o responsável encaminhado para assinatura do Termo Circunstanciado.  

Duas casas noturnas, nos bairros Centro e Jardim Social, foram fechadas durante a operação. A primeira foi atuada em R$ 30 mil e a segunda em R$ 20 mil. No bairro Cajuru, havia aglomeração de pessoas em um bar e foi aplicada multa de R$ 30 mil.

A fiscalização também chegou a uma tabacaria na Cidade Industrial, onde havia 108 pessoas sem usar máscara facial, ingerindo bebidas alcoólicas e utilizando narguilé. O local já tinha sido autuado outras vezes por desrespeitar as medidas sanitárias. O responsável também foi encaminhado para assinatura de Termo Circunstanciado e recebeu uma multa de R$ 50 mil da prefeitura.

Durante a ações também foi recuperado um carro que tinha alerta de furto desde novembro de 2020. A abordagem ocorreu no bairro São Braz na madrugada de sábado. O carro foi levado à Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV).

Secretaria da Saúde estabelece novas medidas para igrejas e templos religiosos; veja o que muda

A Secretaria da Saúde (Sesa) do Paraná publicou na última sexta-feira (30) as novas orientações sobre o funcionamento de igrejas e templos religiosos. O documento vem sendo atualizado conforme o cenário epidemiológico estadual e os decretos do Governo do Estado.

Com a diminuição no número de casos e ocupação dos leitos hospitalares exclusivos para a Covid-19, a Resolução Sesa nº 705/2021, sobre as igrejas e templos religiosos, aumenta de 35% para 50% a capacidade de público presencial, preservando na íntegra as medidas de distanciamento.

“O que nos baliza sobre a flexibilização das medidas restritivas é o cenário epidemiológico diário de casos da Covid-19 no Paraná. Porém, vale lembrar que os protocolos de prevenção devem permanecer, como distanciamento social, uso de máscaras, lavagem das mãos, uso de álcool gel 70% e a vacinação”, disse o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

O documento mantém a recomendação de prioridade para que as celebrações e cultos aconteçam de forma virtual.

“Enfatizamos que todos os cuidados devem permanecer. Estamos recebendo constantemente do Ministério da Saúde mais doses da vacina contra a Covid-19 e avançando na imunização por idade. Por isso, reforço a necessidade de ficar atento ao chamamento de cada município e a importância em tomar as duas doses da vacina”, disse o secretário.

Na sexta-feira (30) o Governo do Estado também atualizou as medidas restritivas. O novo decreto diminui em uma hora o período de restrição da circulação em espaços e vias públicas, que passa a ser das 24h às 5h – a exceção são as atividades e serviços essenciais. O mesmo vale para a comercialização e o consumo de bebidas alcoólicas em espaços públicos.

O texto também permite a realização de algumas categorias de eventos, desde que respeitadas todas as medidas de prevenção.