Paraná recebe mais 209,1 mil doses da Pfizer

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) recebeu na noite desta segunda-feira (9) mais 141.570 vacinas contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech. As doses se somam às 67.600 CoronaVac/Butantan entregues à tarde. Os 209.170 imunizantes fazem parte da nova remessa anunciada pelo Ministério da Saúde no final da noite de domingo (8).

As vacinas da Pfizer desembarcaram no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, e foram encaminhas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba. A distribuição está programada para esta terça-feira (10).

Foto: AEN PR

“Cada remessa de vacina recebida é uma dose de esperança a mais para todos nós. Contamos com a colaboração dos municípios, para que tão logo recebam essas doses, façam chegar até o braço dos paranaenses. Juntos vamos vencer o coronavírus”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. 

Segundo ele, nesse momento as doses estão sendo utilizadas para acelerar a imunização na população geral acima de 18 anos. “O Estado tem feito uma distribuição justa e respeitosa com todos os municípios. A maioria está desde o começo da campanha caminhando mais ou menos junta, isso mesmo com 399 realidades distintas. Queremos alcançar 80% dos vacinados com ao menos uma dose já até o fim desse mês”, afirmou Beto Preto.

INFORME TÉCNICO 

Segundo o Informe Técnico do Ministério da Saúde, metade das doses da CoronaVac (33.800 doses) é destinado à primeira aplicação (D1) e metade à segunda dose (D2). Já o lote da Pfizer (141.570 doses) é dedicado integralmente à D1. Portanto, 175.370 vacinas (83,84% do lote) possibilitarão novas imunizações no Paraná, enquanto 33.800 (16,16%) finalizarão o esquema vacinal de pessoas já vacinadas com a D1. 

DISTRIBUIÇÃO 

A logística de distribuição das doses será realizada à tarde, nesta terça, para as Regionais de Saúde de Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Londrina, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Toledo e Ivaiporã (via aérea) e pela manhã para as Regionais de Saúde de Paranaguá, Metropolitana, Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão e Telêmaco Borba por meio terrestre.

VACINÔMETRO 

O Paraná já conta com 6,1 milhões de vacinados com a primeira dose e 2,5 milhões de imunizados (segunda dose ou dose única). Mais de 8,6 milhões de doses já foram aplicadas no Estado, o quarto que mais vacinou a sua população com ao menos uma dose. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reforço de marca diferente é mais eficaz para vacinados com CoronaVac

A pesquisa analisou dados de 1.240 voluntários em São Paulo e Salvador que receberam doses da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, em um intervalo de seis meses antes do início do estudo. Os voluntários receberam doses de reforço da Janssen, Pfizer-BioNTech e AstraZeneca e da própria CoronaVac.

Os índices de aumento da concentração de anticorpos, 28 dias após a dose de reforço, ficaram em 152% para a vacina da Pfizer-BioNTech; 90% para a da AstraZeneca; 77% para a da Janssen, e 12% para a CoronaVac.

“Em adultos idosos, a diferença dos títulos de anticorpos neutralizadores foi entre 8 e 22 vezes maior em esquemas heterólogos de reforço do que no reforço homólogo com a CoronaVac”, relataram os autores do estudo.

Conforme os autores, o uso das doses de reforço mostrou eficácia contra variantes como a Delta e a Ômicron. O estudo também apontou a necessidade da dose de reforço para quem completou o ciclo com a CoronaVac.

A pesquisa foi publicada no periódico científico Lancet.

Saúde reativa quase 500 leitos para pacientes com Covid-19 e H3N2 no Paraná

A Secretaria estadual da Saúde iniciou na sexta-feira (21) o processo de reabertura de novos leitos de enfermaria para atender a demanda de pacientes infectados pelo coronavírus e que precisam de internamento hospitalar.

A decisão foi tomada por conta do aparecimento da nova variante Ômicron e o aumento no número de casos de Covid-19 e também de influenza (H3N2) desde o início do ano. A capacidade de internamentos praticamente será dobrada, passando dos atuais 515 para 1.000 leitos enfermaria, um aumento de mais de 94%. De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, nas últimas semanas, a Central de Regulação de Leitos apresentou uma alta na taxa de ocupação.

“Ao longo desses meses, com a redução da demanda e para atender outros casos, desativamos vários leitos, já que os internamentos haviam chegado a um número baixo. Mas nesses últimos 15 dias vimos os casos da Covid-19 dispararem e não queremos ninguém desassistido”, afirmou.

A reabertura de leitos para Covid-19 será, nesse primeiro momento, direcionada para o Hospital Universitário Regional do Norte do Paraná, em Londrina, com 15 leitos para receber novos pacientes. Nos próximos dias será a vez do Hospital Santa Casa de Irati (12 leitos), Hospital Universitário de Ponta Grossa (9 leitos) e Hospital Universitário de Maringá (10 leitos). Até ao final do mês está prevista a abertura de pelo menos 485 vagas.

“Aproximadamente mil leitos estarão disponíveis para atender a demanda. No momento, não haverá abertura de leitos UTI, mas estamos monitorando tanto a situação no avanço dos casos de Covid-19 como a epidemia de gripe. Conforme a necessidade, faremos as mudanças necessárias para atender a população”, disse o diretor de Gestão em Saúde, Vinícius Augusto Filipak.

NOVOS CASOS  Desde o início de 2022 foram registrados 167.278 novos casos pela Covid-19. No final do ano passado, o número não ultrapassou 9,4 mil.

A última vez que o Paraná teve registro de mais de 100 mil pessoas infectadas pelo vírus SARS-CoV-2 foi em junho do ano passado, contabilizando 162.523 casos. O número de pessoas com a infecção da H3N2 (um tipo do vírus Influenza A) já chegou a 1.516. Foram registrados 48 óbitos.