Paraná lança prêmio para queijos produzidos no Estado

Segundo maior produtor brasileiro de leite, o Paraná terá a maior premiação de derivados lácteos do Brasil: o Prêmio Queijos do Paraná. Lançado nesta quarta-feira (31), no Mercado Municipal de Curitiba, em um evento de degustação a autoridades e convidados, o concurso tem o objetivo de divulgar a qualidade e valorizar os derivados produzidos no Estado. Idealizado e promovido pelo Sistema FAEP/Senar-PR, Sebrae/PR, Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná) e Sindileite-PR, o prêmio é voltado tanto a queijeiros artesanais quanto à indústria. Outras 28 entidades apoiam a iniciativa.

Além de avaliar e condecorar os queijos, o prêmio também contempla uma série de ações voltadas ao desenvolvimento do setor, como a qualificação de produtores de leite, de produtores artesanais de queijo e de indústrias lácteas. A iniciativa também vai contar com eventos promocionais, oficinas e minicursos direcionados ao público consumidor e a empórios e lojas especializadas em queijos. Também está prevista uma campanha sobre a qualidade do leite produzido no Paraná.

“O Paraná é destaque nacional na produção de leite, não só em quantidade, mas também na qualidade. Nossos produtores também fabricam queijos de excelência, alguns premiados internacionalmente. Esse prêmio vem reconhecer a importância desse setor, em diversos aspectos”, disse o presidente do Sistema FAEP/Senar-PR, Ágide Meneguette.

O prêmio faz jus à importância do setor leiteiro estadual: há produção de leite em todos os 399 municípios do Paraná. O Estado é o segundo maior produtor de leite do país, com 12 milhões de litros/dia, dos quais 5 milhões de litros são destinados à fabricação de queijos. É um derivado que, além de ter valor nutricional, permite agregar valor à matéria prima, fortalecendo o setor e gerando empregos e renda.

“Produtos de qualidade, segurança alimentar, inovação, valorização da atividade e do queijo paranaense. O prêmio reconhece todo um ecossistema que também trabalha ações para melhorar a produção de queijo, com a participação efetiva dos empreendedores rurais e instituições parceiras”, ponderou Vitor Roberto Tioqueta, diretor-superintendente do Sebrae Paraná.

Prêmio

O Prêmio Queijos do Paraná será realizado em 19 categorias: 12 voltadas a variedades produzidas a partir de leite de vaca; duas, de leite de cabra; duas de leite de ovelha; duas, de leite de búfala; e uma categoria para criações (como queijos aromatizados ou condimentados). Um dos pré-requisitos é que os queijos participantes – tanto os artesanais, quanto os industriais – tenham sido produzidos no Paraná.

“O prêmio permitirá mostrar a qualidade e a tradição dos produtos do nosso Estado à sociedade. Por meio da programação, será possível apresentar como os trabalhos realizados com os produtores promovem inovação, tecnologia, sustentabilidade e ganho na densidade de renda. O IDR-Paraná está comprometido com o prêmio porque vê uma oportunidade de apresentar novas formas de agregação de renda e qualidade de vida ao agricultor familiar”, apontou o diretor-presidente do IDR-Paraná, Natalino Avance de Souza.

O diferencial do prêmio é que os queijos não concorrem diretamente uns com os outros. Eles serão avaliados por uma banca especializada e receberão pontos de 0 a 20, de acordo com critérios preestabelecidos. Os produtos que obtiveram 18 pontos ou mais serão condecorados com a medalha de ouro. Para receber medalha de prata, é preciso fazer pelo menos 16 pontos. Quem fizer 14 pontos, fica com o bronze. A comissão julgadora pode, ainda, indicar os melhores queijos à seleção final, que podem ser reconhecidos com a medalha super ouro.

“O queijo e a produção de leite do Paraná têm uma história que precisa ser contada. A nossa entidade, por exemplo, tem uma história de 90 anos. Somos 242 indústrias de leite no Paraná”, destacou o presidente-executivo do Sindileite-PR, Wilson Thiesen.

Além de poderem usar os selos das medalhas na embalagem de seu produto, os produtores dos queijos condecorados também receberão outros prêmios, que vão desde consultoria de gestão e de design de embalagem até treinamentos voltados ao processo de produção.

Inscrições

O regulamento completo do prêmio está disponível no site www.sistemafaep.org.br/premio-queijos-do-parana. As inscrições podem ser feitas até 1º de março de 2023, no mesmo site. A avaliação e premiação estão marcadas para 1º de junho de 2023.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cachorro quente pra viagem!

Muito comum em eventos americanos, o corn dog já apareceu em filmes adolescentes e até na mão de socialites como Kim Kardashian, e desde então fez salivar o brasileiro faminto que habita em nós. Basicamente a receita é esta: a salsicha no palito, envolta em uma massa – ao invés do pão -, frita e com molhos tradicionais como ketchup e mostarda. Não se deixe enganar pela simplicidade: as pequenas mudanças na apresentação fazem toda a diferença!

O corn dog é crocante por fora, pois a massa feita à base de farinha de milho faz com que a crosta preserve essa textura e o interior continue cremoso. A salsicha retoma o sabor original, sem deixar saudades do que a gente já aprendeu a gostar. Lá no estrangeiro, não é comum misturar muitos acompanhamentos, então o ketchup e a mostarda são dupla suficiente para dar o tempero final. É, já deu para encher os olhos e dar água na boca. Para experimentar não é nada complicado, o American Way Cafe & Food fica aberto todos os dias no bairro Batel em Curitiba, e quem quiser acompanhar o cardápio e as novidades pode ficar de olho nas redes sociais. São muitos sabores esperando você!

Serviço: The American Way Cafe

Cafeteria e espaço gastronômico com culinária norte-americana

Rua Gonçalves Dias, 151 – Batel, Curitiba/PR, 80.240-340

(41) 3121-2917

Instagram @theamericanwaycafe

Open de vinho é a pedida dos fins de semana na Pizzaria da Mathilda

Pedindo uma pizza em qualquer unidade, o cliente pode pedir o open de vinho que dura 3 horas; promoção acontece de quinta a domingo

A combinação de vinho com pizza é celebrada na Pizzaria da Mathilda com preços especiais. O Open de vinho da rede está disponível nas três unidades, de quinta-feira a domingo. Quem consumir uma pizza do cardápio, tem acesso ao open, que dura por 3 horas a partir do pedido e inclui uma seleção de tintos. Na quinta, o valor é especial: sai a R$ 49,90 por pessoa. De sexta a domingo, o open fica por R$ 55, 90 por pessoa.

Os vinhos combinam muito bem com as pizzas da Mathilda, que seguem o tradicional estilo napolitano. Sabores clássicos e releituras fazem parte do menu, elaborado pelo pizzaiolo Daniel Mocellin. A tradição nascida em Nápoles (e considerada patrimônio imaterial da humanidade pela UNESCO) consiste em pizzas individuais feitas com insumos de alta qualidade, massa de fermentação lenta e diversos detalhes do processo de produção, passando até pelo forno ao estilo italiano.

O formato napolitano conquistou o público curitibano, com a Mathilda abrindo seu terceiro endereço em dois anos de existência. Sabores clássicos como a Marguerita (de mozzarela de búfala com parmesão ralado, basílico e azeite extravirgem), se aliam a criações como a vegana León (de basílico com berinjela em cubos, cebola roxa, azeitona preta e orégano) para um cardápio variado e saboroso.

O Open de Vinho da Pizzaria da Mathilda acontece na quinta-feira, a R$ 49,90 por pessoa, e de sexta a domingo, a R$ 55,90 por pessoa. Para ter acesso ao open, basta consumir uma pizza em qualquer uma das lojas. A Mathilda conta com três unidades em Curitiba: Água Verde (Avenida dos Estados, 1066), Juvevê (R. Rocha Pombo, 265) e Vicente (Av. Vicente Machado, 859). As três lojas funcionam de terça-feira a domingo, das 18h às 23h. Mais informações no site www.pizzariadamathilda.com.br ou no perfil oficial da rede no Instagram (@pizzariadamathilda).