Paraná está preparado para a vacinação, afirma governador

O governador Carlos Massa Ratinho Junior destacou nesta sexta-feira (11) que o Paraná está preparado para a campanha de vacinação contra o novo coronavírus assim que as vacinas forem aprovadas pelos órgãos reguladores. Ele também disse que a imunização respeitará o calendário nacional, que o Estado continua conversando com laboratórios e que tem R$ 200 milhões disponíveis para eventual aquisição, se necessário.

Ratinho Junior ressaltou que o Estado pretende oferecer a vacina a toda a população. “Estamos muito organizados. Esse programa precisa de uma série de instrumentos e de uma logística robusta. A Secretaria de Saúde já vem há bastante tempo preparando o Estado para quando aparecer a vacina comprovadamente eficaz e com autorização dos órgãos responsáveis”, disse o governador Ratinho Junior.

Ele também frisou que o Paraná está trabalhando com base em orientações técnicas e científicas desde o início da pandemia e que o mesmo se dará em relação à vacinação. “Não vamos fazer da vacina um programa eleitoral. Estamos tratando de forma técnica e científica para dar o melhor resultado para a população. Tratamos a pandemia desde o começo com decisões técnicas”, disse.

MATERIAL – O governador citou as estratégias já estabelecidas pela Secretaria de Estado da Saúde, entre elas a aquisição de 11 milhões de seringas e a abertura de registro de preço para aquisição de mais 16 milhões de unidades; a contratação de mais de 200 câmaras frias e quatro contêineres de 40 pés para armazenamento. Além disso há uma preparação de 1.850 salas de vacinações já existentes em parceria com os municípios, e uma licitação de R$ 22 milhões para comprar mais Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

“Estamos organizados em termos logísticos e de equipamentos, com agulhas, seringas, câmaras frias e profissionais. E torcendo para que a vacina ou as vacinas venham o quanto antes, independente da bandeira e da origem. Olhamos em cima de uma metodologia. É o compromisso do Governo do Paraná”, disse Ratinho Junior.

VACINAS – O governador também ressaltou que o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) se colocou à disposição de diversos laboratórios de todo o mundo para a transferência de tecnologia e que, existindo garantias de eficiência e segurança de imunização, o Governo do Estado poderá ativar um processo de compra.

Ele citou que o acordo com o Instituto Gamaleya (Rússia) ainda está em vigor e que depende de documentação para ativar o protocolo de fase 3 na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Além disso, o Estado realizou uma reunião em outubro com a Pfizer e vem conversando com outros laboratórios que desenvolvem vacinas, como a Oxford/AstraZeneca e a Coronavac/Butantan.

“O sistema de imunização do País é conduzido pelo governo federal. Não é um laboratório que vai resolver a questão, mas vários laboratórios fornecendo as vacinas para os países. Não vamos fazer o paranaense ser cobaia. Vamos aplicar as vacinas cientificamente eficazes. Não serão vacinas políticas, mas com segurança para trazer a imunização necessária”, disse Ratinho Junior.

UNIÃO – O secretário estadual de Saúde, Beto Preto, afirmou que o Paraná trabalha em parceria com o governo federal e com os municípios diariamente. Ele citou que todas as 399 cidades terão acesso ao imunizante e precisam estar preparadas para o momento da vacinação.

“Trabalhamos em alinhamento com o Plano Nacional de Imunização (PNI), criado em 1973 e responsável pela erradicação e atenuação de diversas patologias”, explicou. Ele reforçou o processo de compra de materiais e equipamentos para o processo de vacinação. “O Paraná está preparado para toda a logística do material imunibiológico”.

Beto Preto falou que o calendário de imunização respeitará o cronograma nacional e deverá priorizar os trabalhadores de saúde e idosos/grupos de risco, mas não descartou a possibilidade de ações mais ostensivas em áreas de muita circulação e para outros grupos.

“As salas de vacina do Paraná contam com profissionais experientes. Fizemos uma capacitação em 2019 com 1.200 vacinadores. É uma rede robusta. Também temos expertise de distribuição para todo o Estado. Contratamos quatro contêineres refrigerados de 40 pés para armazenamento de 100 mil doses de vacinas cada”, explicou, revelando que o armazenamento será no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar).

ALERTA – O governador Ratinho Junior também destacou que a população do Paraná tem demonstrado respeito e compromisso com o próximo no combate à pandemia. Ele lembrou a ativação de 2,8 mil leitos em todas as regiões do Estado desde o começo da pandemia e o esforço ininterrupto de profissionais da saúde das redes pública e privada para ajudar os paranaenses a enfrentar essa crise.

“Temos que agradecer os profissionais de saúde e reforçar a mensagem: continuem se cuidando. Temos que lavar as mãos, passar álcool em gel, usar a máscara e evitar ficar próximos. A vacina ainda é uma esperança. Nesse momento precisamos da colaboração dos jovens. É uma época em que as pessoas costumam se reunir, mas não podemos descuidar”, disse o governador.  “Ano que vem a gente volta à normalidade e se abraça”.

Ele também citou o decreto que restringe a circulação de pessoas das 23h às 5h e impõe novas medidas para conter o avanço da nova onda de casos. “A estratégia utilizada nos últimos dias para controlar a circulação de madrugada tem dado resultado, ajudou a amenizar o estresse no sistema hospitalar. Já registramos uma queda de 35% a 40% de traumas, o que tem ajudado os profissionais da saúde”, concluiu o governador. “É uma medida que atende quem trabalha no sistema e alivia a pressão dos policiais para poder assessorar a saúde”.

Confira as medidas que estão em andamento:

– 11 milhões de seringas já adquiridas;

– Registro de preço para aquisição de 16 milhões de seringas;

– 21 câmaras frias já adquiridas e 180 em processo de aquisição;

– Contratação de 31 câmaras frias para armazenamento em parceria com o governo federal;

– 1.850 salas de vacinação aptas, em estratégia com os municípios;

– Possibilidade de ampliação de locais de vacinação com a estratégia extramuros;

– R$ 200 milhões na LOA 2021 para aquisição de vacinas;

– Abertura de processo de aquisição de agulhas;

– R$ 22 milhões para aquisição de EPIs: máscaras, luvas, gorros, avental, algodão;

– Freezers (produção de gelo) e equipamentos de ar-condicionado já adquiridos;

– 4 contêineres refrigerados de 40 pés para armazenamento de 100 mil doses de vacinas cada no Cemepar;

– 17 ª Regional de Saúde já locou um contêiner de 20 pés para armazenamento de 50 mil doses de vacina;

– 4 caminhões refrigerados para distribuição vacinas e possibilidade de aquisição de novos veículos;

– Perspectiva de implantação de câmaras modulares para armazenamento de frios nas 22 Regionais de Saúde;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PRF encontra toneladas de maconha em meio a carga de milho; é a maior apreensão do ano no Paraná

A apreensão aconteceu na manhã de sexta (22), em Marechal Cândido Rondon, na região oeste do Paraná

Cerca de 2.560 quilos de maconha foram apreedidos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na manhã de sexta (22), em Marechal Cândido Rondon (PR), na região oeste do Paraná. A apreensão da droga foi a maior deste ano no Paraná, até o momento.

Por volta das 7h, uma equipe da PRF abordou uma carreta, com placas de Palhoça (SC) e Rio do Sul (SC) que transitava na BR-163. O motorista, que não apresentou documentos pessoais, disse que estava carregado com milho e apresentou a nota fiscal da carga.

Ao se aproximarem do semirreboque, os policiais sentiram odor de maconha e em seguida, solicitaram ao homem que retirasse a lona do veículo para que a carga fosse vistoriada. Ao inspecionarem o milho, os prfs encontraram alguns fardos da droga se sobressaindo em meio à carga de grãos.

De imediato, foi dada voz de prisão ao homem, de 32 anos. Ele disse à equipe que não sabia que se tratava de droga. Também informou que havia carregado o veículo com milho a granel em Dourados (MS) na quarta-feira (20) e, na quinta (21), teria ido até a cidade de Naviraí (MS), local onde lhe foi oferecida uma certa quantia em dinheiro para que ele transportasse uma carga de óculos até Concórdia (SC).

Em vistoria na cabine da carreta foram encontrados 8 comprimidos do medicamento nobésio (popularmente conhecido por rebite).

O preso, a droga e a carreta apreendida foram encaminhados à Delegacia da Polícia Federal em Guaíra/PR.

Informações Banda B.

Com capacidade reduzida e uso de máscara, IAT estabelece regras para entrada nos parques estaduais

Entrada apenas pelas portarias oficiais, com cadastro e uso de máscaras são algumas exigências para quem visita os Parques Estaduais do Paraná. Desde o início das medidas de segurança sanitária e do isolamento social, propostos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), aumentou a procura por informações sobre atrativos em Unidades de Conservação (UCs) do Estado.

Ao todo, são 21 Parques Estaduais para visitação abertos ao público no Paraná, porém com normas a serem seguidas. As orientações estão na Portaria nº 06/2021, publicada no início do mês pelo Instituto Água e Terra (IAT), órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

A Diretoria de Patrimônio Natural do Instituto elaborou, ainda, o Informativo nº 01/2021, com orientações às administrações das Unidades e à população. A fim de evitar transtornos, é indicado que o visitante ligue com antecedência para verificar a disponibilidade de vagas.

A fim de evitar aglomeração, o horário de visitação nas 21 Unidades é das 8h00 às 17h00 e a capacidade máxima de público foi reduzida em 50%.

Ainda de acordo a publicação, é proibida a prática de esportes coletivos nas dependências das UCs, bem como a promoção de eventos. Também estão vetados os acampamentos, fogueiras e comercialização de serviços dentro dos parques.       

“É importante a atenção e o respeito às medidas de combate ao Covid-19 para a segurança de todos. Com o respeito aos protocolos, é possível que as Unidades de Conservação fiquem abertas para que todos possam visitá-las”, afirma o diretor de Patrimônio Natural do IAT, Rafael Andreguetto.

As portarias dos Parques Estaduais devem ter álcool em gel à disposição do público. As administrações devem aumentar a higienização das dependências e medir a temperatura dos visitantes. Turistas com medição de temperatura corporal acima de 37,8ºC terão o acesso negado ao parque.

Todas as medidas exigidas na Portaria nº 06/2021 podem ser consultadas  AQUI

Para consultar o informativo do IAT, basta clicar  AQUI

INFRAÇÃO – Não seguir as determinações impostas pelo órgão ambiental acarreta em infração ambiental prevista no Decreto Federal nº 6.514/08, que dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente.

RMC – Os Parques Estaduais da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) e Serra do Mar ficaram fechados por mais tempo devido à grande procura durante a pandemia e os riscos de focos de incêndios causados pela estiagem.

Foto: AEN

O Pico Paraná é um dos mais famosos destinos do país para os entusiastas de montanhismo e do turismo de aventura. São permitidas 200 pessoas simultaneamente nas trilhas.

Parque Estadual Pico do Marumbi Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

O Parque Estadual Pico do Marumbi abriga três atrativos: Pico Marumbi, Salto dos Macacos e Morro do Canal. A média de procura, especialmente nos finais de semana, é de 100 pessoas no Pico Marumbi e 100 pessoas no Salto dos Macacos. Para o acesso às trilhas do Morro do Canal, o acesso deve ser feito pela propriedade particular Morro do Canal.

Já no Parque Estadual Serra da Baitaca, 500 pessoas em média procuram a unidade nos finais de semana, após a reabertura no início deste mês. O atrativo mais procurado é o Anhangava, que permite 166 pessoas por dia.

Foto: Harvey FS/IAP

O Parque também abriga o Caminho do Itupava, com capacidade de 314 pessoas por dia para visitação, e o Pão de Loth, com capacidade de 166 pessoas por dia.

Para possibilitar o controle de visitantes, os turistas recebem uma pulseira de identificação que pulseira deve ser colocada em local visível durante todo o tempo de permanência no interior da Unidade de Conservação.

Para saber como chegar e outras informações sobre os Parques do Paraná, clique  AQUI

Confira a lista dos Parques Estaduais abertos a visitação:

Parque Estadual Pico do Marumbi

Parque Estadual do Palmito

Parque Estadual Rio da Onça

Parque Estadual Serra da Baitaca

Parque Estadual do Monge

Parque Estadual de Vila Velha

Parque Estadual do Cerrado

Parque Estadual do Guartelá

Parque Estadual do Lago Azul

Parque Estadual Vila Rica do Espírito Santo

Parque Estadual de Ibicatu

Parque Estadual de São Camilo

Parque Estadual Cabeça do Cachorro

Parque Estadual Rio Guarani

Parque Estadual Pico do Paraná

Parque Estadual Serra da Esperança

Ilha do Mel

Monumento Natural Salto São João

Parque Estadual João Paulo II

Parque Estadual Vitório Piassa.

Informações AEN.