Para acelerar retomada do turismo, Ministério inclui Foz no projeto Destino Turístico Inteligente

Anúncio foi feito pelo ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, neste sábado (10), durante visita à cidade, incluída no projeto após análise do potencial turístico. Foz já tem retomado a visitação e deve ser um dos principais destinos brasileiros pós-pandemia

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, anunciou neste sábado (10), na Itaipu, a inclusão de Foz do Iguaçu (PR) na lista de municípios do projeto “Destino Turístico Inteligente”, que impulsionará destinos ofertantes de produtos e experiências inovadoras e de qualidade. A medida deve impulsionar ainda mais a retomada do turismo da região, no pós-pandemia, com ações como ampliação da conectividade à internet nos atrativos e a capacitação de funcionários do setor com inglês instrumental, para melhor atendimento de estrangeiros.

A confirmação ocorreu durante visita da autoridade à cidade, um dos destinos mais importantes do País, na fronteira mais movimentada do Brasil, com o Paraguai e a Argentina. O turismo é a principal atividade econômica local, ancorado por atrativos como as Cataratas do Iguaçu e a Itaipu Binacional, entre outros. Foz é a 11ª cidade do País anunciada no projeto e a segunda sem o status de capital. No Sul, apenas Florianópolis (SC) e Curitiba (PR) já tinham sido selecionadas.

“Foz é um dos principais destinos turísticos da América Latina e receberá muitas ações do Ministério do Turismo, como a busca de turistas internacionais, graças à ampliação da pista do aeroporto [obra custeada pela Itaipu], o que permitirá a operação de jatos de grande porte”, disse Machado Neto, durante entrevista concedida na usina de Itaipu. “Vamos trazer os ministérios de Ciência e Tecnologia para otimizar a conectividade aqui. Turismo inteligente é colocar tudo na palma da mão, celular e conectividade, porque sabemos que o maior motor de um case turístico é a rede social”, completou.

Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

Outra ação anunciada pelo ministro é a oferta de inglês instrumental para operadores do setor turístico. A ideia é capacitar profissionais da área com um vocabulário de 300 a 400 palavras na língua inglesa, de forma a permitir melhor atendimento aos estrangeiros na rede hoteleira. A iniciativa teve sucesso em Manaus, segundo o ministério, e deve contar com o apoio do governo do Paraná, Prefeitura e Itaipu. “Brevemente a questão sanitária estará superada nos países das Américas e vamos fazer de Foz do Iguaçu um polo internacional de turismo”, concluiu.

Em Foz, a agenda do ministro começou pela usina, onde ele foi recepcionado pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira. A usina é a que mais gerou energia no mundo, com 2,8 bilhões de megawatts-hora (MWh) produzidos desde o início de sua operação, em 1984, e importante atrativo turístico regional.

Depois da hidrelétrica, a autoridade e sua comitiva seguiram para o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), também dentro da área da usina. À tarde, o grupo seguiu por outros atrativos, incluindo o Parque Nacional do Iguaçu (PNI), o Parque das Aves e o Marco das Três Fronteiras.

Itaipu preparada

“Estamos trabalhando muito para que o turismo seja retomado da melhor forma possível em Foz do Iguaçu”, disse o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira. “Aproveitamos esse período de menor visitação em função da pandemia para melhorar a infraestrutura de atendimento, com uma série de obras que vão trazer ainda mais conforto e praticidade aos nossos visitantes”, explicou o general. Entre elas, estão as reformas dos mirantes Central e do Vertedouro, duas paradas dos visitantes da usina.

Com as melhorias, o diretor-geral projeta que Itaipu deva se aproximar, cada vez mais, dos números do Parque Nacional do Iguaçu, principal atrativo de Foz. “Além disso, em parceria com diversas entidades e a Prefeitura, estamos desenvolvendo uma série de ações que vão ajudar a impulsionar o setor turístico, como a ampliação do Programa Capacita Foz, que beneficiará diversos trabalhadores, e a campanha Vem pra Foz, de divulgação do destino”, completou general Ferreira. “Juntos ajudaremos o turismo de Foz a se reerguer a patamares até mesmo superiores ao período pré-pandemia.”

Segundo o diretor superintendente do PTI, general Eduardo Garrido, o período de baixa visitação também tem sido aproveitado para melhorar a capacitação do pessoal do Complexo Turístico Itaipu (CTI), além das obras nos mirantes feitas em parceria com Itaipu. “Sabemos que, passado esse período da pandemia, o turismo de natureza terá muito mais procura. E não só pelos turistas do Brasil, mas do mundo todo”, afirmou Garrido. “Acreditamos que, por isso, Itaipu e seus atrativos, como o Refúgio Biológico e Visita Panorâmica, terão maior procura.”

Garrido lembrou, ainda, que o Programa Vila A Inteligente, que está transformando a Vila A no primeiro bairro inteligente do País, colabora para que Foz entre no projeto do Ministério do Turismo.

“A Organização Mundial do Turismo, órgão da ONU, acabou de nos incluir no Conselho Executivo, pelo fato de estarmos conduzindo muito bem a questão da vacina. Em breve estará superada a questão sanitária nos países das Américas. E nós vamos fazer de Foz do Iguaçu um polo internacional de turismo”, concluiu Machado Neto.

Vantagens

O pedido de inclusão de Foz na lista de Destinos Turísticos Inteligentes e o convite para a visita foram feitos pelo prefeito Chico Brasileiro e o secretário municipal de Turismo e Projetos Estratégicos, Paulo Angeli, na última terça-feira (6). Na ocasião, eles apresentaram a adoção de ações alinhadas às cidades inteligentes. Entre elas, o projeto Vila A Inteligente, uma parceria entre a Itaipu Binacional, o PTI, o Centro Municipal de Inovação e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

“Essa visita é muito importante. O ministro traz para Foz essa parceria do Ministério para que possamos avançar tanto na parte de tecnologia, no turismo de eventos e quanto na estratégia para retomar o turismo internacional para Foz do Iguaçu”, disse o prefeito Chico Brasileiro. “A articulação da Prefeitura e da Secretaria Estadual de Turismo, com apoio da Itaipu, é muito importante para voltarmos a ser um grande destino de estrangeiros”.

O Destino Turístico Inteligente deve estar amparado em cinco pilares – governança, inovação, tecnologia, sustentabilidade e acessibilidade –, além de ofertar produtos, experiências inovadoras e de qualidade.
Segundo o Ministério do Turismo, as cidades envolvidas nas iniciativas desenvolverão uma metodologia brasileira, a partir de experiências da Espanha e Argentina. Estão previstos diagnósticos da situação de cada destino selecionado para implantação de estratégias que considerem as especificidades regionais.

As outras dez cidades que vão participar do projeto para implantação de Destinos Turísticos Inteligentes no país são: Rio Branco (AC) e Palmas (TO) representando a Região Norte; Recife (PE) e Salvador (BA) que integram o Nordeste; Campo Grande (MS) e Brasília (DF), pertencentes ao Centro-Oeste; Florianópolis (SC) e Curitiba (PR), localizadas na Região Sul; e o Rio de Janeiro (RJ) e Angra dos Reis (RJ), na Região Sudeste.

Itaipu e o turismo

O turismo é um dos pilares da missão da Itaipu Binacional. A usina recebeu mais de 24 milhões de visitantes de todo o mundo. O recorde de visitação ocorreu antes da pandemia, em 2019, quando 1.028.225 turistas passaram pelos atrativos da binacional.

Além de o próprio Complexo Turístico Itaipu (CTI) ser um importante atrativo, a empresa também atua na promoção da atividade turística como forma de estimular o desenvolvimento da região de fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

A Itaipu também lidera diversas ações para o fortalecimento do setor turístico e a preparação da retomada econômica pós-pandemia. O aporte da empresa em infraestrutura regional, na ordem de R$ 2,5 bilhões, em diversas frentes, tem atraído investimentos e gerado emprego, renda e ampliação da arrecadação municipal.
Entre eles, estão a construção da Ponte da Integração, entre Brasil e Paraguai, a ampliação do aeroporto e a duplicação da Rodovia das Cataratas, principal corredor turístico de Foz – entre várias outras obras. Na próxima semana, a empresa também anunciará a nova edição da campanha Vem pra Foz, para a atração de turistas à cidade, e em breve fará a ampliação do Programa Capacita Foz, voltado a trabalhadores do turismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Foz do Iguaçu deve liberar grandes eventos a partir de outubro

A prefeitura de Foz do Iguaçu antecipou o calendário de retomada de eventos na, motivada, principalmente, pelo avanço da vacinação contra a covid-19 e pela Campanha Vem para Foz, da Itaipu Binacional. Quase 80% da população adulta já recebeu a primeira dose dos imunizantes. A partir de agosto, estão liberados eventos corporativos com até 1.000 pessoas e eventos sociais com até 250 convidados.

O decreto que modifica o quantitativo do calendário de retomada dos eventos, divulgado no início de julho, foi publicado no Diário Oficial do Município nesta sexta-feira (30). A decisão da prefeitura toma por base o percentual de pessoas já vacinadas, além da expectativa do recebimento de mais um lote extra de vacinas, já anunciado pelo Ministério da Saúde, e o entendimento de que os eventos são catalisadores do turismo e da economia do município.

“Toda essa flexibilização está sendo possível graças à adesão da população à vacinação e a união do empresariado. É um esforço coletivo da sociedade e todos estão fazendo sua parte para a retomada”, disse o prefeito Chico Brasileiro (PSD).

“O turismo de eventos e negócios é um dos mais importantes do setor e movimenta toda a economia. Traz prosperidade para toda a população diretamente ou indiretamente”, afirma o secretário municipal de Turismo e Projetos Estratégicos, Paulo Angeli.

Em setembro, serão liberados os eventos corporativos com até 1.500 participantes e sociais com até 500 pessoas – nestes casos ficando proibidos bailes e pistas de dança. Também serão permitidos jantares de formatura com até 1.500 pessoas.

A partir de 15 de outubro, com a expectativa de que 70% da população adulta esteja vacinada com as duas doses e conforme o cenário epidemiológico, serão liberados todos os eventos corporativos, independente do número de pessoas, desde que seja respeitada a capacidade máxima de 70% dos espaços.

Também serão permitidos eventos sociais com pista de dança e baile, independente do número de convidados, desde que  respeitada a capacidade de 70% dos espaços.

Horário das atividades

Outra mudança oficializada por meio de decreto e também possibilitada devido ao avanço da vacinação e da redução do número de casos e internamentos por covid foi a ampliação dos horários das atividades gastronômicas até 1h. Também foi revogado o toque de recolher no município.

A prefeitura vai reforçar as fiscalizações de trânsito nos finais de semana, especialmente à noite e de madrugada, em relação ao uso excessivo de álcool, para evitar o aumento do número de acidentes de trânsito e garantir maior segurança à população.

Turismo em Foz do Iguaçu registra aumento em julho

Com certificados sanitários e muitos lugares ao ar livre para visitar, o turismo dá sinais de retomada. Antes mesmo de fechar o mês de julho, as visitas à Itaipu Binacional passaram de 20 mil turistas. As férias escolares impulsionam a visitação e trouxeram um total de 20.808 pessoas à usina de Itaipu, neste mês. De 1º a 26 de julho, 19.651 turistas passaram pelos atrativos da hidrelétrica, como a Visita Panorâmica e os roteiros no Ecomuseu e no Refúgio Biológico Bela Vista. Movimento é reflexo da campanha Vem para Foz, da Itaipu e parceiros, e da vacinação em massa da covid-19 no município. No Complexo Turístico do lado paraguaio da usina, foram 481 visitantes no mesmo período. As visitas institucionais, que também tinham sido afetadas pela pandemia, já voltaram a funcionar. No lado brasileiro, foram 118 no mês de julho. Na margem paraguaia, 558. O cenário de 2021 é muito diferente do ano passado. Como grande parte dos atrativos de Foz, a usina só voltou a receber turistas em 22 de julho, tendo permanecido fechada para visitação devido a um decreto estadual. Na ocasião, foram 579 visitantes entre os dias 22 e 31 de julho. A recuperação também é sentida em outros atrativos de Foz, como no Parque Nacional do Iguaçu, onde estão as Cataratas, carro-chefe do turismo local. Em junho, foram 27.739 visitantes. O Parque permaneceu fechado de 1º de julho a 3 de agosto de 2020, também em função da pandemia.

Vem pra Foz

Considerado destino seguro pela adoção de práticas sanitárias pioneiras, no ano passado, Foz do Iguaçu saiu na frente e conseguiu mitigar os efeitos da pandemia, promovendo uma visitação segura. A campanha ganhou uma nova edição neste ano e foi lançada neste mês. “Estamos trabalhando cada vez mais para que a atividade turística seja retomada. Além da campanha Vem para Foz, estamos investindo em capacitação dos serviços, oferecendo oportunidade de reciclagem para muitos trabalhadores do ramo”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira. “Quando tudo voltar ao normal, como já está ocorrendo, o Destino Iguaçu sairá mais uma vez na frente”, completou. A superintendente de Comunicação Social e de Turismo de Itaipu, Patrícia Iunovich, área responsável pela campanha em construção com todo o trade, acredita que o resultado positivo se deve em boa parte à adesão do público de forma geral. A segunda edição da campanha “Vem pra Foz!” começou a ser divulgada em vários veículos de comunicação no último dia 12. Assim como na primeira edição, divulgada em setembro do ano passado, a campanha incentiva a volta dos turistas ao Destino Iguaçu, um dos mais bonitos de todo o mundo e que foi bastante impactado pela crise provocada pelo novo coronavírus. A iniciativa tem o turismo como principal atividade econômica da região de Foz do Iguaçu, cidade-sede da usina de Itaipu. O turismo é um dos pilares da missão da binacional. Com o mote “Natureza, emoção e muita energia. Várias viagens num só destino”, a ideia da campanha é mostrar que a região tem um grande pacote de atrativos, como as Cataratas do Iguaçu, a Itaipu, o Marco das Três Fronteiras, aliados a shows e diversão para toda as idades, boa hotelaria e estrutura de conforto que inclui compras e gastronomia diversificada em uma região que reúne três fronteiras: Brasil, Paraguai e Argentina. A produção é da agência Gpac com argumentação da Comunicação Social e de Turismo de Itaipu.

Destino seguro

Outro ponto positivo é a celeridade na imunização da comunidade contra o coronavírus. Um total de 73% da população de Foz do Iguaçu já tomou a primeira dose da vacina. A cidade deve ser a primeira a vacinar 100% da população adulta (acima de 18 anos) entre os principais destinos turísticos do País. Pesquisas apontam que a preferência do brasileiro, no pós-pandemia, é por destinos turísticos próximos de casa e, por isso, os atrativos de Foz do Iguaçu já figuram entre os mais procurados. A cidade também tem três grandes eventos marcados até início de dezembro e que devem atrair 12 mil participantes. Para informações sobre os atrativos da Itaipu, acesse https://www.turismoitaipu.com.br. Moradores de Foz do Iguaçu a municípios lindeiros ao lago de Itaipu não pagam (confira o regulamento no site).