Opinião: Prática de atividades físicas dentro de condomínios não é luxo, é necessidade

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda, pelo menos, 150 a 300 minutos de atividade aeróbica moderada a vigorosa por semana para todos os adultos – incluindo quem vive com doenças crônicas ou incapacidade – e uma média de 60 minutos por dia para crianças e adolescentes. Os números foram atualizados pela entidade depois de dez anos, em 2020, com a disponibilização de uma nova versão de suas diretrizes sobre atividade física. Portanto, com base em evidências científicas dos últimos anos, o documento fornece informações atualizadas sobre danos à saúde causados pelo sedentarismo e traz recomendações diferentes a respeito da quantidade de esforço físico que deve ser incluído na rotina e a forma de fazer isso, em diferentes grupos populacionais.

E qual a relação desses dados da entidade com a construção civil? Entender o comportamento do consumidor é um dos principais desafios das construtoras e incorporadoras que buscam constantemente oferecer soluções de moradias. Para auxiliar nos passos dos futuros lançamentos de empreendimentos, as empresas se baseiam em pesquisas e estudos como o “Comportamento do consumidor de imóveis em 2040” – Onde e como habitaremos?”, realizado em 2019 pela Deloitte, em parceria com a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc). A preocupação com o bem-estar figura entre os serviços desejados pelos moradores e é apontada no estudo. Tanto é que academia de ginástica e área para correr foram citadas entre os principais itens de um empreendimento, revelando que os consumidores, especialmente os baby boomers e a geração X, querem comodidade e conveniência para manter a atividade física em dia.

Por isso, atenta às mudanças de comportamento e, a fim de contribuir com a qualidade de vida da sociedade, cada vez mais as construtoras investem em seus projetos com espaços para a prática de atividades físicas e, também, de esportes. Se a famosa “academia de ginástica” ganhou novos modelos e incorporou equipamentos ao longo dos últimos anos, agora, os empreendimentos residenciais oferecem mais áreas de atividades distintas para que o morador não precise sair de casa para manter a saúde em dia. Entre os exemplos estão arena para esportes de areia (como futebol de areia e beach tennis), espaço de treinamento interno e externo (como boxe e outras lutas). Os projetos arquitetônicos contemplam, ainda, espaços para andar de bicicletas, patins e patinetes.

Vale lembrar que, além dos vários benefícios para o corpo, as atividades físicas contribuem na produção e reequilíbrio de hormônios e substâncias importantes, como a serotonina, dopamina e endorfina, importantes na saúde mental. As diretrizes da OMS também apontam que curtas caminhadas ao dia diminuem os riscos de depressão e reduzem os níveis de cortisol, conhecido como hormônio do estresse. É notório, então, que as áreas para práticas esportivas e físicas contribuem diretamente no bem-estar tanto do corpo quanto da mente. Para complementar, moradores ainda têm uma área de lazer à disposição no condomínio, com piscinas e espaços gourmet para confraternizar com amigos e familiares, afinal, descansar e se divertir também são necessários para a qualidade de vida.

Em cidades em que a segurança e mobilidade urbana são desafios, esses espaços dentro do próprio empreendimento residencial tornam-se imprescindíveis. Nessa perspectiva, até mesmo os bichinhos de estimação ganharam espaço exclusivo para diversão e atividade física, já que os animais também estão propensos a desenvolver doenças devido ao sedentarismo e, sendo assim, o melhor remédio é a movimentação. Podemos dizer que praticar atividade física sem sair do condomínio não é luxo, é necessidade: economiza-se tempo, deslocamento e, também, dinheiro, já que não é preciso pagar por escolas ou academias especializadas. Mas, certamente, muito mais importante é a garantia de ganho ou manutenção de um estilo de vida mais saudável com a prática regular de atividades físicas.

Brunno Borghesi é coordenador de marketing na Yticon, construtora do Grupo A.Yoshii.

Sobre a Yticon Construção e Incorporação

A Yticon é uma construtora e incorporadora que atua há mais de doze anos nas cidades de Londrina, Maringá e Cambé, no Paraná, além de Presidente Prudente e Campinas, em São Paulo. A empresa do Grupo A.Yoshii desenvolve empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização, especialmente para quem quer conquistar o primeiro imóvel. A Yticon já construiu mais de 5,9 mil unidades, todas entregues rigorosamente no prazo, somando mais de 550 mil metros quadrados de área construída. Mais informações: www.yticon.com.br.

Sobre o Grupo A.Yoshii

Fundado há mais de 55 anos, o Grupo A.Yoshii já construiu mais de 2 milhões de metros quadrados do Sul ao Nordeste do Brasil, entre obras industriais, edifícios corporativos e residenciais, escolas, universidades, teatros e centros esportivos. É composto pela A.Yoshii Engenharia, com sólida atuação em construções de edifícios residenciais e comerciais de alto padrão em Londrina, Maringá, Curitiba e Campinas; pela Yticon Construção e Incorporação, que realiza empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização em municípios do Paraná; e pelo Instituto A.Yoshii, voltado para a inserção social e a democratização cultural. Além disso, atua em Obras Corporativas, atendendo grandes corporações em suas plantas industriais, nos mais variados segmentos da economia, como papel e celulose, alimentício, químico, agronegócio, energia, assim como usinas sucroalcooleiras, centros logísticos, plantas automobilísticas, entre outros. Mais informações: www.ayoshii.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Melhores equipes do estado se enfrentam para decidir quem encaçapa o Paranaense Interclubes de Sinuca

Acontece neste sábado (15), a 3ª e última etapa do Campeonato Paranaense Interclubes Série A, no Clube Curitibano. A competição definirá qual clube tem o melhor time de sinuca do Paraná.

Organizado pela Federação Paranaense de Sinuca, ao todo 9 equipes de 5 jogadores participarão da etapa. A primeira fase será disputada no sistema de chaves de dupla eliminatória, os jogos serão disputados em melhor de 7 partidas, para vencer o confronto 3 jogadores de uma equipe precisam vencer 4 partidas. As 4 equipes que vencerem dois confrontos se classificam para as semifinais.

Nesta temporada, a expectativa é que o título seja disputado pelas equipes Exactus e Círculo Militar A1, ambas empatadas com 35 pontos no ranking. Seguida da equipe Noel Snooker com 18 pontos na terceira colocação.

Segundo o presidente da FPS, Ricardo Caragnato, “Os espectadores podem esperar por grandes jogos. Estarão presentes os melhores atletas do estado do Paraná, o nível se assemelha muito ao patamar nacional”.  

Na competição ainda serão definidas as duas equipes paranaenses que irão representar o estado no Campeonato Brasileiro de Equipes, que será realizado entre os dias 1 e 4 de dezembro, no Círculo Militar.

A etapa de jogos acontecerá durante todo o dia e será transmitida ao vivo na página da entidade no Youtube, a partir das 10h.

SERVIÇO

3ª Etapa de 2022 do Campeonato Paranaense Interclubes Série A

No Clube Curitibano

Dia 15, sábado, a partir das 10h

Organização: Federação Paranaense de Sinuca

Fotos: Agência Vulgata.

Mobilização inédita de professores e alunos mostra força da Escolinha de Triathlon em Curitiba

Uma grande força-tarefa da Escolinha de Triathlon Formando Campeões foi montada para cumprir a missão da Secretaria de Esportes de Curitiba. Toda a equipe técnica dos sete núcleos paranaenses do projeto, junto com atletas dos times de alto rendimento e pré-alto rendimento, se reuniu para realizar competições de triathlon e aquathlon no último fim de semana. As provas integraram a Virada Esportiva.

O evento levou atividades e competições em dezenas de modalidades esportivas a vários pontos de Curitiba, entre o sábado e o domingo (dias 24 e 25). O objetivo era promover a prática de esportes na cidade. A prova de Triathlon foi realizada no Centro da Juventude Audi, no bairro Cajuru, enquanto o Clube da Gente Santa Felicidade sediou o Aquathlon. Os dois locais são núcleos da Escolinha de Triathlon.

Para a organização das competições, o projeto reuniu 15 professores na coordenação, montagem do trajeto e das baterias por faixas etárias e no auxílio às crianças nas piscinas. Cerca de 21 atletas da Seleção Escolinha de Triathlon e do grupo de pré-alto rendimento prestaram apoio aos competidores nas etapas de ciclismo e corrida. A Escolinha ainda teve participação maciça nas duas provas, com mais de 180 alunos.

“A Virada Esportiva tinha caráter participativo, mas a Prefeitura de Curitiba premiou de forma simbólica os três primeiros colocados em cada categoria das competições. E as crianças se empenharam muito, todas conseguiram terminar as provas, vivenciando a experiência de fazer um triathlon ou um aquathlon completo”, conta o coordenador do projeto, Ricardo Júnior Cardoso. “Foi muito importante para nós, porque pudemos mostrar o triathlon para toda a comunidade, que compareceu em peso para torcer pelas crianças, e incentivar a prática esportiva.”

Teste para o Brasileiro Infantil

A mobilização inédita da Escolinha de Triathlon Formando Campeões mostrou a força e a união de professores e alunos do projeto. Também foi um grande teste para o Campeonato Brasileiro de Triathlon Infantil, marcado para 20 de novembro em Caiobá, no litoral paranaense. A competição é responsável por apontar os futuros talentos do esporte, vindos das categorias de base, e é o principal objetivo do ano para o projeto. Termômetro do desenvolvimento da criançada ao longo do ano, é também uma confraternização, uma troca de experiências com jovens de outras regiões e muito crescimento.

“A Virada Esportiva nos ajudou preparar a equipe técnica para o Brasileiro Infantil, prevendo qual será o cenário que enfrentaremos na competição”, destaca o coordenador Ricardo Júnior Cardoso.

Metas da Agenda 2030 na Escolinha

A formação de crianças e adolescentes por meio do esporte é a principal missão da Escolinha de Triathlon Formando Campeões. Mais do que as técnicas do nada, pedala e corre, a equipe técnica segue diretrizes pedagógicas para orientar os triatletas mirins em questões como organização pessoal, disciplina e respeito aos pais e professores.

Essas diretrizes também estão de acordo com os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável que integram a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, a ONU, com a qual o projeto está comprometido. A Escolinha busca atingir esses objetivos de forma individual, com ações de conscientização com os alunos, e coletiva. Faz parte do projeto o compartilhamento dos equipamentos de treino, a preocupação com uma educação escolar de qualidade, adoção da igualdade de gêneros no número de alunos e professores.

Formando Campeões

A Escolinha de Triathlon Formando Campeões, iniciada há sete anos em Curitiba (PR), é hoje um modelo de formação da modalidade no País. Idealizado pelo atleta olímpico curitibano Juraci Moreira, contempla 920 crianças e adolescentes em 18 núcleos espalhados por Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Distrito Federal e Ceará.

O Paraná conta com sete núcleos, seis deles em espaços mantidos pela Prefeitura Municipal de Curitiba: Boqueirão, Centro, CIC, Cajuru, Boa Vista e Santa Felicidade, em espaços mantidos pela Prefeitura de Curitiba. Juntos, os seis núcleos atendem 300 alunos. As crianças contam com todos os equipamentos necessários e são treinadas por especialistas na modalidade.

A Escolinha de Triathlon Formando Campeões tem execução da Federação Paranaense de Triathlon, com apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba. Os patrocinadores dos núcleos da prefeitura são Volvo, Uninter e BRQ.

Curta a Fã page – Escolinha de Triathlon – Formando Campeões <https://click.presskit.com.br/url/9008363350/63565599b23>