O que bombava em Curitiba nos anos 80

O que bombava em Curitiba nos anos 80

Pra você que não teve a oportunidade de vivenciar os anos 80 curitibanos ou que teve e quer matar a saudade, aí vai um videozinho pra vocês:
Obs.: Se liguem nos passinhos! Hhauehuaheuhuaehaeha

As imagens são da década de 80, das aberturas das danceterias, do Clube Califórnia, Clube Tropical, Sistema X e outras!
Pra quem quer saber quais as músicas, e realmente o que bombava em Curitiba nos anos 80, segura aí:

Aqui vai um trecho extraído do livro “Almanaque KUR’YT’YBA”, de Eduardo Emílio Fenianos, que descreve um pouco como era Curitiba naquela época:

“A capital, que no início do período já possui mais de 900 mil habitantes, ganha seu primeiro shopping Center, troca os cinemas por videocassetes e entra na era da informática.

O Bigorrilho é o bairro que mais cresce, sofrendo uma explosão econômica e imobiliária. Ônibus articulados substituem os expressos pioneiros e transportam até 200 passageiros. O setor Histórico, bloqueado aos veículos, é o novo point dos curitibanos, com seus bares e restaurantes. Novos pólos comerciais surgem a leste, no Hugo Lange ou Jardim Social, bairros que antes abrigavam exclusivamente moradias de luxo.

Em 12 de janeiro de 1984, Curitiba é a primeira cidade brasileira a reunir 50 mil pessoas – na Praça Osório, Boca Maldita e caçadão da Rua 15 de Novembro – num comício pelas “Diretas-Já”. O movimento ganha força, e repete em todo o país nas semanas seguintes.

Ao longo da década, Curitiba renova sua infra-estrutura, construindo novos espaços e revitalizando outros. São dessa época o Museu de Arte Sacra, a Casa da Memória, os cinemas Groff, Ritz e Luz (administrados pela Fundação Cultural de Curitiba), a Casa Culpi, de Santa Felicidade, e o Terminal e Centro Cultural do Portão. Surgem ainda, o Parque General Iberê de Mattos, no Bacacheri, e o das Pedreiras, no Pilarzinho, que abriga o Espaço Cultural Paulo Leminski e a Ópera de Arame.

Desde 1989 separa-se o lixo orgânico do reciclável. À noite, um bom programa é visitar as feiras noturnas que se espalham pelos bairros da cidade, onde são servidas refeições dos mais diversos países do mundo. É do alto da Torre da Telepar, nas Mercês, inaugurada em 1991, que curitibanos e turistas descortinam maravilhados os mais distantes rincões da cidade com direito a uma vista de 360 graus.”

AH, VALE A PENA TAMBÉM CONFERIR OS VÍDEOS QUE O TESÃO PIÁ FEZ SOBRE OS ANOS 80: TESÃO PIÁ – 80’S E TESÃO PIÁ – 80’S (VERSÃO VHS)!

O que bombava em Curitiba nos anos 80

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fábrica dos Sonhos Madalosso, decoração do Paço e outras atrações do Natal de terça

Além da decoração especial no portal de Santa Felicidade, o bairro mais italiano da capital ainda tem outra atração da programação gratuita do Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2021. O espetáculo Fábrica dos Sonhos vem encantando crianças e adultos com performances nos janelões do Restaurante Família Madalosso.

Como no ano passado, a apresentação no Madalosso é drive-in, com o público assistindo de dentro do carro e com agendamento já esgotado.

Já ao entardecer é possível ver o restaurante, considerado o maior das Américas, repleto de personagens clássicos de Natal que esbanjavam simpatia e alegria na recepção aos que chegam. Destaque para o Papai Noel, junto de sua caixa de presentes, que está sempre pronto a tirar fotos e conversar.

Com duração de 25 minutos, o espetáculo nos janelões do Madalosso prende a atenção do público, com os artistas caracterizados de forma lúdica e interpretando músicas natalinas infantis em coro, como Jingle bells, Então é Natal, Bate o Sino, Anoiteceu e muitos outros clássicos. O público acompanha nas 49 vagas de drive-in disponíveis por sessão.

A atração ainda tem 12 apresentações, com sessões às 19h30, 20h20 e 21h, e ocorre até 23 de dezembro.

Terça-feira

Curitibanos e turistas têm vários programas da temporada natalina nesta terça-feira (7/12), como a Fábrica de Sonhos da Família Madalosso, o Caminho de Luz Copel Telecom no Parque Barigui, o Caminho de Luz Condor no Passeio Público, o Caminho de Luz do Parque Náutico, as feiras de Natal no Centro, atrações da Vila de Natal Electrolux no Mercado Municipal, o Carrossel Muffato no Parque Tanguá e Concerto Luminoso na Estufa do Jardim Botânico. Somente as atrações Caminho de Luz, o espetáculo da Família Madalosso e a Vila de Natal Electrolux no Mercado Municipal precisam de agendamento.

Destaque também, na terça-feira (7/12), para a estreia da decoração do Paço da Liberdade Sesc PR, na Praça Generoso Marques (Centro). Neste ano, o prédio histórico receberá uma lúdica iluminação cênica, das 19h às 21h30, até quinta-feira (9/12). Não é preciso agendamento para apreciar a decoração que valoriza a fachada arte nouveau do Paço, que foi a primeira sede da Prefeitura de Curitiba. 

Além disso, será o segundo dia da caravana Desfile Mágico de Natal, que percorre, a partir das 19h30, bairros da capital até domingo (12/12).  Caminhões transformados em palcos itinerantes sobre rodas, em formato de “quadros de obras de arte”, desfilarão por ruas, trazendo dezenas de personagens e um elenco especial, com direção de cena e coreografias do bailarino carioca Carlinhos de Jesus. A saída diária é do shopping Pátio Batel. 

Imprevistos no trânsito podem alterar o roteiro do Desfile Mágico de Natal e as rotas diárias com as ruas específicas por onde o desfile passará serão divulgadas nas redes sociais.

 

Atrações de terça-feira (7/12) do Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2021

10h – Feira Especial de Natal da Praça Osório (Praça Osório, s/n, Centro)
10h – Feira Especial de Natal da Praça Santos Andrade (Praça Santos Andrade, s/n, Centro)
10h – Atrações interativas, coreto digital do Natal Condor no Passeio Público e decoração à noite (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, s/n, Centro)
14h – Passeios do carrossel veneziano no Parque Tanguá (Rua Oswaldo Maciel, 97, Taboão)
19h – Estreia da decoração do Paço da Liberdade Sesc PR (Praça Generoso Marques, s/n, Centro).
19h – Decoração do Natal O Boticário na Rua XV de Novembro (Rua XV de Novembro, s/n, Centro)
19h – Concerto Luminoso na Estufa do Jardim Botânico (Rua Eng. Ostoja Roguski, 690, Jardim Botânico)
19h – Decoração da Direção da Vida Natal Servopa (Jardinete Heitor Gurgel do Amaral Valente Netto, na Rua Mário Tourinho, Campina do Siqueira)
19h – Caminho de Luz Loterias Caixa no Parque Náutico (Avenida Marechal Floriano no sentido de quem vem de Curitiba)
19h – Caminho de Luz Copel Telecom no Parque Barigui (entrada pela BR-277, no Santo Inácio)
19h – Acender das luzes da decoração do Palácio Avenida (Avenida Luiz Xavier, 11, Centro)
19h30 – Desfile Mágico de Natal (saída shopping Pátio Batel, Avenida do Batel, 1868, Batel)
19h30 – Decoração da Família Moletta (Rua Nicola Pelanda, 5.962, Umbará)
19h30 – O Natal Família Madalosso – Encantando Santa Felicidade (Avenida Manoel Ribas, 5875, Santa Felicidade)
20h – Caminho de Luz do Natal Condor no Passeio Público (entrada pela Rua Luiz Leão, ao lado da Casa do Estudante Universitário do Paraná)

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA NO SITE https://natal.curitiba.pr.gov.br/. A programação está sujeita a alterações.

A Prefeitura promove o Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2021 com o patrocínio das empresas O Boticário, Ademicon, Volvo, Muffato, Electrolux, Condor, Festval,  Consórcio Servopa, Loterias Caixa/Governo Federal, Copel Telecom e ParkShoppingBarigüi. A programação começa no dia 18 de novembro e a decoração poderá ser vista até 9 de janeiro.

Vai soltar fogos de artifício em Curitiba? Saiba o que é permitido na cidade

Apenas efeitos visuais, sem estampido. Esse deve ser o cenário das festas de fim de ano em Curitiba, pelo segundo ano consecutivo de vigência da lei que proíbe o uso de fogos de artifício com efeitos sonoros na cidade. O consumidor que estiver pensando em adquirir o material para as comemorações, deve estar atento. 

Podem ser usados na capital paranaense fogos de artifício com efeitos de cores, os ditos luminosos, que produzem efeitos visuais sem tiro (fogos de vista, sem estampido). 

“É importante lembrar que a comercialização de fogos com efeito de tiro não é proibida. As lojas fazem a sua parte orientando o consumidor, que deve estar consciente na hora da compra”, explica o superintendente de Controle Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Marcos Traad. 

A orientação por parte do comércio é uma exigência do mais recente decreto que regulamenta a norma. Ações de fiscalização do município vem acontecendo neste caráter informativo, informa a diretora de Pesquisa e Monitoramento da Secretaria do Meio Ambiente, Erica Mielke. 

“As lojas receberam cartazes com as informações para que o consumidor não fique em dúvida”, reforça. Também é necessário que o estabelecimento mantenha o cadastro dos compradores, informando o tipo de produto adquirido, data, local e horário previsto da soltura. 

Esforço conjunto

Além de distribuir os folhetos informativos, manter a legislação visível e orientar o consumidor, a Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifício do Paraná (Aincofapar) criou selos que diferenciam os dois tipos de fogos para facilitar a identificação na prateleira. O verde está presente nos produtos com uso liberado em Curitiba e o vermelho, nos que não podem ser soltos na cidade.

O presidente da entidade, Rodolpho Aymoré Junior, conta que o projeto é piloto e que os selos estão disponíveis aos associados. Ainda de acordo com ele, a Aincofapar tem uma lista para orientar a identificação, conforme a legislação municipal. “É uma espécie de homologação dos ‘fogos ecológicos’ que possuem uma frequência sonora menor e atendem aos requisitos da legislação”, comenta.

Para o consumidor que está na dúvida, Aymoré explica que os fogos sem estampido mantêm a beleza e a plasticidade, sem prejuízo nenhum ao evento. “Com a vantagem de poderem ser utilizados em qualquer cidade do Brasil”, acrescenta e alerta, ainda, para que a compra seja feita, sempre, por maiores de 18 anos, em lojas devidamente autorizadas.

O que diz a lei

As multas para o cidadão que fizer a soltura ou manuseio dos fogos proibidos variam de R$ 400 a R$ 100 mil, conforme a gravidade da infração. O comércio que não cumprir as normas de orientação e cadastro pode ter o alvará cassado.

Selos desenvolvidos para os produtos para facilitar a venda e orientar os consumidores sobre a legislação municipal. Curitiba, 06/12/2021. Foto: Levy Ferreira/SMCS.

A demanda é, principalmente, da proteção animal, mas também beneficia crianças, especialmente aquelas com Transtorno do Espectro Autista, e os idosos, que também sofrem com os barulhos dos fogos.

A lei foi uma proposta da Câmara Municipal, ainda em 2019, com a motivação, em especial, de proteger animais domésticos, a fauna silvestre, bebês e pessoas portadoras de transtornos do espectro autista. Quem flagrar a soltura de fogos com barulho na cidade, deve fazer a denúncia pela Central 156.