O canto e a interpretação musical são fatores fundamentais no desenvolvimento pessoal e social

O conhecimento e o exercício do pensamento são fatores essenciais para o ser humano e para o desenvolvimento de uma sociedade. A cultura, essencial por si só, é um dos principais combustíveis para esta evolução. Dentro de um campo específico neste rótulo, consumir e produzir música está entre as atividades mais desenvolvidas.

Segundo a Abramus, com pesquisa realizada pela Opinion Box, cerca de 80% dos brasileiros ouvem música diariamente, seja pelo rádio, discos ou plataformas de streaming. Uma parcela desta população dá um passo a frente e assume também o papel de intérprete, seja profissional ou amador. Um dos caminhos que levam a isto é o canto.

Além de um fator de enriquecimento pessoal, as aulas de canto ajudam na capacidade de respiração e concentração, além do desenvolvimento social. Democrática, a prática é indicada para todas as idades, gêneros e gostos musicais. A cantora e professora Vanessa Rafaelly é um dos expoentes do ensino, ministrando aulas há anos, e há seis, atuando com a Studio Voz Paraná.

O Studio Voz Paraná é uma referência quando o assunto é aula de música e interpretação. Trabalhando com excelência no ensino de técnicas vocais, o espaço é capitaneado com Vanessa Rafaelly, graduanda em Bacharelado em Canto na Belas Artes do Paraná.

As aulas são desenvolvidas junto a conhecimentos sólidos em fisiologia e saúde vocal, interpretação, técnicas de gravação em estúdio e shows ao vivo. Renomada professora de canto, Vanessa Rafaelly atua em diversos estilos como MPB, Soul, Rock, Metal, Blues, Jazz, Ópera, entre tantos outros. Em 2023, o Studio Voz Paraná seguirá com as aulas oferecendo condições especiais aos alunos, incluindo uma primeira aula experimental gratuita.

Além de atuar como professora de canto, Vanessa Rafaelly é presença constante nos palcos de Curitiba, atuando em diversas bandas e projetos. Uma delas é a Seyren, grupo tributo ao gigante finlandês Nightwish. Vanessa também já dividiu palco, atuando na banda de apoio, com o mundialmente renomado cantor e maestro Andre Matos. É uma história de dedicação total a música, que está ao alcance de todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Exposição celebra a lineart de artista curitibano no Nex

A força da simplicidade nas linhas desenhadas sobre o canvas cria espetáculos visuais na nova exposição artística de Manoel Felipe Doria. A mostra “infinito a infinito” reúne obras do artista, arquiteto e ilustrador, focadas na técnica lineart, e ganharão as paredes do Nex – Casa de Pedra a partir de 26 de janeiro (quinta-feira). Nesta data, acontece o coquetel de lançamento, a partir das 19h30, com bate-papo com o artista. A exposição ficará aberta até 26 de abril.

Graduado em Arquitetura e Urbanismo e sócio do escritório Doria+Arquitetos, Manoel Felipe Doria carrega sua expressão artística tanto na vida profissional como na pessoal, que permitem o uso de seus desenhos em interesses diversos. Com a lineart, técnica focada no uso de linhas, encontrou uma forma de trabalhar as camadas simbólicas da sua percepção sobre a linearidade da vida por meio do traçado ágil e intuitivo, uma expressão que define sua particularidade. Como artista já desenvolveu outros trabalhos variados, que vão do EP musical, “Olhos Nus” (2015) e o material ilustrativo da Bienal Internacional do Cairo (2018) até produções encomendadas para galerias particulares, como o caso da obra “O Mural” (2022).

Em “infinito a infinito”, Doria explora a ideia do movimento que direciona uma narrativa através do espaço ocupado por linhas. “É surpreendente a possibilidade de representar tudo o que é complexo através de uma simples linha”, conta. A técnica aplicada pelo artista pretende revelar sua expressão mais íntima concentrada no essencial.

O título da exposição reflete a característica dessa tipologia de traçado: “linhas paralelas possuem muito em comum, mesmo que jamais se cruzem. Por outro lado, qualquer outro par de linhas retas se encontram somente uma vez e depois se afastam no infinito”, reflete o artista sobre a visão de seus trabalhos. As obras carregam a magnitude da linha, seus movimentos e suas infinitas possibilidades de uso. A curadoria é de Monica Hirano e a produção de Altieres Fim Biela.

A exposição “infinito a infinito”, de Manoel Felipe Doria, será inaugurada no dia 26 de janeiro (quinta-feira), a partir das 19h30, com coquetel e bate-papo com o artista. O Nex – Casa de Pedra fica na Alameda Presidente Taunay (nº 130), no bairro Batel. A exposição pode ser visitada até 26 de abril. Mais informações no perfil oficial do Nex no Instagram (@nexcoworking).

Outono disponibiliza single inédito “Brighter Than The Sun”

A banda OUTONO lançou na primeira sexta-feira 13 deste ano o seu segundo single, “Brighter Than The Sun”, uma peça que confirma sua identidade musical com versos densos e aspectos sonoros surpreendentes. A canção está disponível em todas as principais plataformas de streaming.

Confira o single “Brighter than the Sun”: https://open.spotify.com/track/0sYm0gx6rXwQvBDlZtvGJg

A letra de “Brighter Than The Sun” cria um cenário fantástico ao colocar como protagonistas o primeiro casal do mundo, surgidos do barro, Adão e Eva, como fossem vampiros imortais, que até hoje acompanham as coisas que aconteceram na terra nesta jornada pela eternidade. Segundo o vocalista e baixista Guto Diaz, autor da narrativa,  a letra é “como se fosse a jornada deste casal, que assume diversas identidades”. Em parte da letra, cito que ela é Madalena e ele, o Cristo crucificado. Outra hora, ela é a condessa Bathory, se banhando no sangue dele mesmo. Eles têm este pacto de sangue que os une desde o início dos tempos”.

A OUTONO, que porta consigo um espectro musical bastante rico, é formada, além de Guto Diaz, por Fabiano Cavassin (guitarra) e Wlad Zechner (bateria). Estreando em 2022 com o single “Shades Before Dawn”, o grupo surgiu no cenário como a continuação do trabalho anteriormente desenvolvido pelo The Secret Society, com o álbum Rites of Fire e shows memoráveis – no Brasil e América Latina – ao lado de grandes nomes do rock e do metal mundial, como Dee Snider, Europe, The Sisters of Mercy, Deathstars e Uli Jon Roth, entre outros.

Apostando em climas tétricos e arranjos minimalistas, o OUTONO leva a obra criada por Guto e Fabiano para novos e ramificados caminhos musicais. O primeiro single, “Shades Before Dawn”, foi a declaração de um novo começo e “Brighter Than The Sun”,  a ratificação que o OUTONO é um nome que veio para ficar. Siga o grupo nas redes sociais para acompanhar todas as atividades @outono_band.

Fotos: Dani Duraes

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com