Novo meme – O tio do sorvete

Novo meme - O tio do sorvete

Vocês lembram do acidente com o Ford Ká que subiu de ré no poste? Até aí tudo bem! Normal. Acidentes acontecem. Porém tiraram foto no momento em que um cara careca passava e na hora ele estava em uma posição meio ~~estranha tomando sorvete… Pronto! Isso já foi o suficiente pra internet começar a fazer o que ela faz de melhor…

tio do sorvete 1

tio do sorvete 2

tio do sorvete 3

tio do sorvete 4

tio do sorvete 5

tio do sorvete 6

tio do sorvete 7

tio do sorvete 8

tio do sorvete 9

tio do sorvete 10

tio do sorvete 11

tio do sorvete 12

Pra quem não acompanhou o acidente:

Olha o vídeo da proeza de hoje. – Acesse: https://busaocuritiba.com.br//Recebemos por WhatsApp

Posted by Busão Curitiba on Montag, 1. Februar 2016

E como tiraram o carro de lá:

Pior foi o jeito que tiraram o carro do lugar! Olha o perigo! Huaheuhaea. Pqp, um pior que o outro!(enviado por James Tony) – Acesse: https://busaocuritiba.com.br

Posted by Busão Curitiba on Dienstag, 2. Februar 2016

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Primavera deve ter variações bruscas de temperatura e chuvas abaixo da média

A primavera começa às 16h21 desta quarta-feira (22). Segundo a previsão do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), o primeiro dia será parcialmente nublado nas regiões Oeste, Noroeste, Norte e Norte Pioneiro. O tempo fica ensolarado nas regiões Metropolitana de Curitiba, Sul, Sudoeste, Central e Litorânea. As temperaturas devem variar entre 8ºC em Curitiba e Rio Negro e 33ºC em Umuarama. A nova estação encerra em 21 de dezembro às 12h59.

“Para os próximos meses estão previstas variações bruscas da temperatura do ar em curtos períodos devido à passagem de frentes frias sobre o Paraná”, afirma o meteorologista do Simepar, Reinaldo Kneib.

De modo geral, nos períodos secos, o rápido aquecimento diurno formará ondas de calor, sobretudo nas faixas Norte e Oeste. Além disso, massas de ar frio e sistemas de precipitação deslocando-se lentamente nas proximidades da Costa Sul do Brasil manterão as temperaturas amenas na Região Leste, entre Curitiba e as praias. No Litoral, a temperatura média do ar e o regime de chuvas seguirão os padrões climatológicos da estação. Nas demais regiões, a temperatura média do ar tende a ficar entre próxima e acima da média. Já as chuvas devem manter-se abaixo da normal climatológica.

LA NIÑA – O conjunto dos modelos climáticos indica a probabilidade elevada de ocorrência do fenômeno La Niña nas águas do Oceano Pacífico Equatorial ao longo da primavera. O resfriamento da temperatura da superfície das águas altera os padrões globais de chuvas e temperaturas.

O meteorologista observa que o aumento gradual do volume de chuvas e das temperaturas médias são próprios da estação: “Aglomerados de nuvens de tempestade denominados Sistemas Convectivos de Mesoescala (SCM) costumam formar-se na região do Paraguai ou no próprio território paranaense”, explica.

Os maiores valores de temperaturas mínimas e máximas ocorrem habitualmente nas regiões Oeste, Sudoeste, Norte e no Litoral. Já as chuvas são causadas pelas frentes frias e/ou quentes e outros sistemas de curta duração que se desenvolvem em função das altas temperaturas e da maior quantidade de umidade no ar no Estado e em áreas próximas, como Paraguai, norte da Argentina e estados vizinhos.

Por ser uma estação de transição entre os regimes climáticos do inverno e do verão, a primavera favorece eventos meteorológicos severos como fortes rajadas de ventos, granizo, chuvas volumosas e grande quantidade de raios, que só podem ser detectados em curto prazo.

O Simepar faz o monitoramento sistemático das condições do tempo e emite alertas com antecedência de poucas horas, possibilitando a adoção de medidas de prevenção e mitigação dos efeitos na sociedade. Para receber esses alertas no celular, os interessados podem cadastrar-se na Defesa Civil Estadual enviando uma mensagem para o telefone 40199 com o número do seu CEP (Código de Endereçamento Postal).

Primavera começa nesta quarta-feira sem chuvas e com grande amplitude térmica. Foto: Gilson Abreu/AEN

AGROMETEOROLOGIA – A agrometeorologista do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-PR), Heverly Morais, alerta para os impactos da crise hídrica e dos eventos meteorológicos extremos sobre a agricultura e a pecuária no contexto das altas temperaturas previstas para a primavera.

“As grandes culturas como soja, milho e feijão podem sofrer atraso na semeadura, germinação desuniforme da lavoura, crescimento inadequado das plantas e mau desenvolvimento dos grãos”, afirma. Ela recomenda ao produtor escalonar a semeadura em talhões com cultivares de ciclos diferentes, manter o equilíbrio nutricional das plantas, utilizar sementes de boa qualidade, bem como não empregar população de organismos superior à indicada.

Para melhorar a estrutura do solo e o armazenamento da água no sistema, Heverly sugere o cultivo e a incorporação de plantas de cobertura em sistema de plantio direto. “Essa técnica melhora os atributos físicos e químicos do solo, favorece o aumento de infiltração da água, aprofunda as raízes da cultura, reduz a temperatura e a evaporação do solo e mantém a água disponível para as plantas em períodos de estiagem fraca e moderada”, explica a pesquisadora.

Culturas como café, cana-de-açúcar, mandioca e frutíferas correm alto risco de serem prejudicadas pela má distribuição das chuvas ao longo da estação. Além disso, as altas temperaturas podem afetar as hortaliças, sobretudo as folhosas. As olerícolas precisarão de muita água de irrigação – um desafio diante dos baixos níveis dos mananciais como rios, riachos, lagos e nascentes.

Veja a tabela dos valores das médias mensais históricas da faixa de variação da chuva, temperaturas mínimas e máximas por região do Paraná, nos meses de outubro, novembro e dezembro:

Piraquara terá novo terminal de ônibus; confira

Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, vai ganhar um novo e moderno terminal de ônibus. O governador Carlos Massa Ratinho Junior autorizou nesta terça-feira (21), no Palácio Iguaçu, o início do processo de licitação para a construção da estrutura. O investimento estimado pelo Governo do Estado é de R$ 14 milhões, valor que pode ser reduzido conforme a concorrência dentro do processo de licitação. A obra é coordenada pela Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) e deve começar ainda neste ano.

O projeto executivo, também contratado pela Comec, já está pronto e custou R$ 162.779,37. “Piraquara é uma cidade que cresceu muito e já necessita de uma estrutura de transporte mais moderna e adequada para a população. Ao investir em transporte público, o Estado está agindo diretamente para melhorar a qualidade de vida da população de toda a Região Metropolitana de Curitiba, permitindo, por exemplo, uma integração maior entre os municípios”, destacou.

Projeto do novo terminal de Piraquara. Imagem: Comec

Ratinho Junior citou como exemplo prático dessa maior unificação entre cidades a nova linha de ônibus que será instalada na cidade, ligando diretamente Piraquara a São José dos Pinhais – atualmente quem precisa percorrer o trajeto tem de fazer a conexão em Pinhais. “O Estado é parceiro de Piraquara em grandes projetos, um terminal à altura da cidade”, disse.

A nova edificação terá 2.467,35 metros quadrados de área construída e será instalada em um terreno do Governo do Estado com área total de 18.326,54 metros quadrados, no bairro Jardim Esmeralda, no cruzamento das avenidas São Roque e Brasília, próximo a um dos centros médicos de especialidades do município.

O antigo complexo, com área total de 1.857 metros quadrados, dos quais apenas 610 de área coberta, passará a funcionar como um ponto de apoio para linhas alimentadoras. De acordo com a mais recente estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Piraquara conta com 116.852 habitantes.

“O novo terminal será quatro vezes maior que o atual, que foi construído em 1996. Mas, além do tamanho, a localização será estratégica, mais próxima de Curitiba. As instalações também serão mais seguras e confortáveis, permitindo uma reorganização do atendimento em Piraquara, com possibilidade de novas linhas e conexões”, afirmou o presidente da Comec, Gilson Santos.

Segundo ele, atualmente oito linhas operadas pela Comec utilizam o equipamento rodoviário. “O tamanho do terminal e a distribuição das linhas passarão ser condizentes com o desenvolvimento e a necessidade do município”, disse.

ESTRUTURA  A estrutura do novo terminal será em aço, apoiada em pilares também metálicos e com telhas termoacústicas, que proporcionam maior conforto e menos custo de manutenção. O perímetro externo da cobertura terá um anteparo metálico com iluminação em LED embutida, deixando a estrutura mais moderna.

No seu interior, um conjunto de quatro lojas e duas lanchonetes trarão mais comodidade aos passageiros, assim como toda a estrutura de banheiros, incluindo banheiros específicos para pessoas com deficiência. Ele terá também piso tátil, perceptível por pessoas com deficiência visual. “Teremos, sem sombra de dúvidas, um transporte coletivo muito mais eficiente a partir deste terminal”, ressaltou o prefeito de Piraquara, Josimar Fróes.

Projeto do novo terminal de Piraquara. Imagem: Comec

Nos arredores será contratado todo um paisagismo com floreiras em alvenaria, plantas, árvores, incluindo área de recreação com bicicletário, duas quadras poliesportivas e playground. “Acessibilidade, área de lazer, comércio e ônibus novos, tudo funcionando em uma estrutura moderna. Isso mostra o respeito do Governo do Estado para com a população”, afirmou o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega.

OUTRO TERMINAL – A Região Metropolitana ganhará também outro terminal de ônibus. Em São José dos Pinhais, a nova estrutura, em fase final de elaboração do projeto, substituirá o atual terminal Afonso Pena. O equipamento será instalado em novo endereço, na Avenida Rui Barbosa, esquina com a Rua Anneliese Gellert Krigsner, no bairro Iná. Deverá ter cerca de 6.400 metros quadrados.

“É uma das maiores regiões da cidade e o atual terminal ficou pequeno, não atende a realidade atual de São José dos Pinhais”, disse o presidente da Comec.