Nova tecnologia em ônibus da RMC permite controle do número de passageiros em tempo real

Uma nova tecnologia implementada nos ônibus do transporte coletivo permitirá a contagem de passageiros no interior dos veículos em tempo real. A tecnologia começou a ser testada esta semana em veículos do transporte coletivo da Região Metropolitana de Curitiba.

Segundo o presidente da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), Gilson Santos, os dados coletados permitirão uma análise mais rápida da operação e, consequentemente, uma tomada de decisão mais ágil e assertiva.

“Nos horários de pico temos cerca de 650 ônibus circulando, mas não conseguimos manter um fiscal em cada um deles. A nova tecnologia, ainda em fase de teste, poderá nos oferecer as informações necessárias para a tomada de decisão e em tempo real, garantindo mais agilidade e assertividade nos ajustes da operação”, explicou Santos.

Além da contagem de usuários, o sistema oferece informações para gestão de frota dos veículos, manutenção preventiva, dados de eficiência da linha, paradas de embarque e desembarque mais utilizadas, entre outros dados.

Um dos destaques é a gravação das imagens no interior dos veículos, proporcionando mais segurança aos usuários. “Como a implementação da tecnologia é feita por meio de câmeras, todo o interior do ônibus estará sendo filmado, intimidando e até espantando pessoas mal-intencionadas”, disse o presidente da Comec.

DISTANCIAMENTO SOCIAL –Os testes são patrocinados pela Associação Comercial do Paraná (ACP), visando garantir o distanciamento social dentro dos veículos do transporte coletivo. O Decreto Estadual 4.951, de julho de 2020, exige que os ônibus transitem com lotação máxima de 65% da capacidade.

“É uma tentativa de garantir mais segurança aos usuários, evitando o aumento na transmissão do vírus e, consequentemente, a adoção de medidas mais restritivas para o comércio geral, além de uma forma de educar a população”, destacou o presidente da ACP, Camilo Turmina.

Os testes serão realizados em dois veículos (um comum e um articulado) da empresa TC Araucária, concessionária de transporte coletivo na RMC. O sistema foi desenvolvido pela startup Milênio Bus. Além de controlar a lotação nos ônibus, em tempo real, um sinal vermelho será aceso caso o ônibus ultrapasse o limite de passageiros permitidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prefeito de Tamandaré é investigado por suposto esquema de propina em troca de crematório

O prefeito de Almirante Tamandaré, Gerson Colodel (MDB), é um dos alvos de uma operação que apura um suposto esquema de propina em troca da instalação de um crematório no município da região metropolitana de Curitiba. Além dele, são investigados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) um vereador e outros três secretários municipais.

À Banda B, Leonir Batisti, coordenador estadual do Gaeco, afirmou, nesta quinta-feira (11), que o suposto esquema está ligado à aprovação de um projeto de um cemitério no município.

“O empresário em questão está pretendendo fazer um projeto de uma instalação de um crematório, de um cemitério, e está tendo dificuldades. Em determinado momento, algumas pessoas mencionam a este empresário que ele deveria tratar com agentes políticos. No caso, especificamente, um vereador e até o próprio prefeito. Segundo estas pessoas, dependeria de pagamento de propina para que o processo de autorização fosse concedido”, iniciou Batisti.

O valor total da propina, de acordo com o coordenador do Gaeco, seria de R$ 350 mil.

Buscas no gabinete do prefeito de Tamandaré

As equipes do Gaeco estiveram, na manhã desta quinta-feira (11), no gabinete do prefeito, de um vereador, que no passado estaria ligado à Secretaria de Arquitetura e Urbanismo da cidade, e outras três empresas ligadas ao membro da Câmara Municipal.

Outras seis residências também foram alvos de buscas dos membros do Ministério Público do Paraná (MP/PR).

“As buscas foram no sentido de arrecadar o computador, celulares e documentos que tenham pertinência com a investigação em questão. Os mandados foram deferidos pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJ/PR)”, afirmou Batisti.

O cumprimento das medidas ocorre no âmbito da Operação Óbolo. Ao todo, segundo o MP/PR, foram 12 mandados expedidos. Além de Almirante Tamandaré, estas empresas e residências também estão localizadas entre os municípios de Curitiba e Colombo (RMC).

“Ao todo são seis investigados: três do poder público e outros três intermediários”, informou Batisti.

Resposta da prefeitura de Almirante Tamandaré

A Banda B entrou em contato com a prefeitura de Almirante Tamandaré. Por meio de nota oficial, a secretaria de Comunicação informou que as diligências realizadas pelo Gaeco nesta quinta-feira “dizem respeito a procedimento de investigação acerca de atos administrativos concernentes à expedição de alvarás de construção e de licença, onde supostamente houve solicitação de valores por agentes públicos, de forma que os mandados de busca e apreensão visavam, precipuamente, a obtenção de processos administrativos”.

O comunicado afirma ainda que “não houve acesso à toda investigação, sendo certo que, em todo o momento, a administração municipalcolocou-se à disposição para contribuir com as investigações, fornecendo toda documentação solicitada, a qual, inclusive, podeia ter sido objeto de requisição anterior”.

A nota finaliza afirmando que “todas as investigações serão acompanhadas e a colaboração necessária será prestada ao Poder Judiciário”.

Denúncias sobre o suposto esquema de propina

Caso você tenha informações sobre o caso, Batisti afirma que você pode informá-las via e-mail.

“A pessoa pode informar ao Gaeco pelo e-mail: gaeco@mppr.mp.br ou o telefone (41) 3254-1195″, finalizou à Banda B.

Mais informações Banda B

Sanepar divulga tabela com programação de rodízio na RMC no modelo de 60 x 36 horas

A partir de segunda-feira (15) o modelo de rodízio no abastecimento de água da Região Metropolitana de Curitiba passa a ser de 60 horas com abastecimento por até 36 horas com a suspensão do fornecimento de água. Nesse modelo, a população é abastecida por 24 horas a mais do que na programação anterior. Os bairros serão divididos em quatro grupos, com cerca de 980 mil pessoas em cada.

A medida, anunciada nesta quinta-feira (11), foi permitida porque o índice do Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba e Região Metropolitana (SAIC) chegou a 68,05%. Além disso, a Sanepar também levou em consideração a conclusão, nesta semana, de obras em Curitiba que ampliam a infraestrutura de reservação e distribuição de água tratada.

Confira a tabela.