No sexto dia de imunizações, Pavilhão da Cura tem movimento tranquilo

O médico Maurício Montemezzo trabalha em três hospitais de Curitiba e foi um dos profissionais de saúde vacinados na manhã deste domingo (31/1), no Pavilhão da Cura, espaço especialmente preparado no Centro de Eventos Positivo, no Parque Barigui, para a vacinação contra o novo coronavírus em Curitiba.

Este domingo foi o sexto dia de imunização dos profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate à covid-19 e que fazem parte das listas enviadas pelos hospitais. O atendimento, em caráter excepcional, foi das 9h às 15h. O centro de vacinação tem funcionado de segunda a sábado, das 8h às 20h.

Montemezzo recebeu a vacina produzida pela Universidade de Oxford e pelo Laboratório AstraZeneca e deverá monitorar pelo aplicativo Saúde Já a data em que deverá comparecer para a segunda dose.

Mesmo trabalhando na linha de frente no enfrentamento à pandemia, ele não teve covid-19 e comemorou a vacinação.

“Três professores meus morreram devido à doença, vi muitos colegas adoecerem seriamente e recentemente um familiar próximo teve covid grave. Apesar disso, pude ajudar muita gente”, contou ele que, após receber a vacina, aguardou até que fosse liberado.

“Geralmente médicos não têm medo. Você é treinado para isso e na maioria das vezes o profissional tem o controle da situação. O coronavírus ainda é algo que estamos aprendendo sobre ele, você encontra jovens obesos que morrem, idosos que se recuperam, situações sobre as quais a gente não tem controle. A pandemia nos leva a repensar o que é a nossa missão, como profissional de saúde”, analisa ele, que é médico há dez anos.

Quanto mais vacina melhor

“Com a vacinação, estamos vendo a esperança agora. Acredito que o mundo vai ser diferente, vamos aproveitar melhor a vida e a família. E não importa a vacina. Ainda bem que temos variedade de vacinas, quanto mais melhor”, detalha Montemezzo, que escolheu a profissão quando viu a mãe enfrentar uma doença grave e ele achou que poderia ajudar.

A técnica de enfermagem Joceane Gadea Soteros, servidora municipal há quase 15 anos, integra a equipe encarregada da vacinação no Pavilhão. Só neste domingo, o grupo disponível para o atendimento era formado por 66 profissionais entre enfermeiros, técnicos de enfermagem, recepção e logística e servidores voluntários.

“Sempre trabalhei na vacinação nas unidades de saúde por onde passei. Este é um momento histórico e um dos mais importantes da minha trajetória profissional. Me sinto feliz e honrada por poder colaborar. Aqui, vejo algumas pessoas se emocionando. São profissionais que perderam colegas e familiares, pessoas que não tiveram a chance de receber a vacina. Também vejo esperança. E alguns pedem até para fazer uma foto comigo”, conta Joceane.

“Sabemos que muitas pessoas estão ansiosas pela vacinação. O importante é que cada um a seu tempo será vacinado”, informou.

Funcionária do setor de limpeza na UPA Fazendinha, Angela Maria Munhoz não teve covid e, enquanto aguardava após a vacinação, disse que muita gente da família dela queria estar em seu lugar neste domingo.

“Agora já tomei, mas eu estava preocupada. Isso tudo é uma coisa nova que estamos vivendo”, declarou.

Funcionárias do Hospital Cruz Vermelha, da higienização, rouparia e hotelaria, formaram um grupo para se vacinar e registrar o momento.

Para evitar o desperdício

Após a verificação das informações de cada profissional agendado, eles aguardam o atendimento no setor indicado para a sua vacinação e são chamados pelo nome no painel eletrônico. O Pavilhão está dividido em quatro cores e há sinalização e comunicação visual indicativa, para facilitar o direcionamento de cada pessoa no momento da sua vacinação.

A equipe envolvida procura dar o melhor aproveitamento possível a todas as doses da vacina disponíveis. Neste domingo, primeiro dia de utilização da vacina AstraZeneca, também foram aplicadas doses da vacina Coronavac, que tem a opção unidose, ou seja, permite a vacinação de uma pessoa, sem que haja perda. “Nosso objetivo é que não tenhamos desperdício de vacinas”, esclarece a superintendente de Gestão da Secretaria Municipal da Saúde, Flavia Quadros.

A concentração inicial no Pavilhão, apenas nesta primeira etapa do programa de vacinação, foi feita justamente para diminuir a possibilidade de desperdício e assegurar o foco integral na vacinação dos grupos prioritários.

Desde sexta-feira (29/1) profissionais de saúde também estão sendo vacinados pelas equipes da Secretaria Municipal da Saúde dentro dos locais de trabalho (Pequeno Príncipe, Cajuru, Trabalhador, Evangélico Mackenzie e Hospital das Clínicas).

À medida que a cidade receba mais vacinas e possa estender para outros grupos, o processo será descentralizado, de acordo com o que está estabelecido no Plano Municipal de Imunização.

Até sábado (30/1) a Secretaria da Saúde aplicou 23.078 doses da vacina que imuniza contra o novo coronavírus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fundadora da rede de supermercados Jacomar morre aos 87 anos em Curitiba

Maria Pankratz, conhecida por ser uma das fundadoras do grupo da rede de supermercados Jacomar, morreu aos 87 anos, no último sábado (25), em Curitiba. A família optou por não divulgar a causa do óbito em publicação feita na rede social Facebook, nesta segunda-feira (27).

Dona Maria, como foi conhecida pelo Grupo Jacomar, nasceu no dia 7 de setembro de 1934. O Grupo Jacomar diz em nota a homenagem à Pankratz que ela teve uma vida de muitas batalhas, sendo que desde pequena já trabalhava para ajudar no sustento de sua família.

Ela se casou com Jacob Pankratz Filho em 12 de abril de 1958, e a união durou 63 anos “na qual sempre prevaleceu o amor, o respeito, a cumplicidade, a honestidade e a fidelidade”, aponta parte da homenagem feita pelo Grupo na rede social Facebook.

A vida foi muito desafiadora para ela, pois além de educar os filhos e cuidar da casa, ela sempre foi um apoio incondicional para o marido que batalhava para sustentar a família. Como dizem seus filhos, ela foi um pilar essencial para o desenvolvimento e crescimento da Rede Jacomar. Não há dúvidas de que a Dona Maria era muito amada pela sua família. Com uma fé inabalável e uma dedicação constante no cuidado de todos ao seu redor, ela agora descansa em Deus, deixando seu marido, 8 filhos, noras e genros, netos e bisnetos. É certo que sempre será amada e especial na vida de toda a família Jacomar. Sentiremos saudades!

diz trecho da nota do Grupo em homenagem à Maria, divulgada na Rede Social Facebook.

Maria deixa o esposo e co-fundador do Grupo Jacomar, Jacob Pankratz Filho, e oito filhos. A Banda B presta condolências a amigos e familiares.

Grupo Jacomar

A história do Jacomar teve início em dezembro de 1966, em Curitiba, quando Jacob Pankratz Filho decidiu comprar um Armazém de Secos e Molhados, que recebeu seu nome.

Com muito esforço e dedicação, o armazém foi ampliado e, ao seu lado, foi aberto, em outubro de 1976, o Supermercado Jacomar, nome que deriva de Jacob Maria, proprietários da empresa.

Em 1984, o Jacomar adquiriu mais uma loja, dessa vez em São José dos Pinhais. Com a vontade de crescer e atender às necessidades de seu público, adquiriu, em março de 1993, o imóvel da antiga Cooperativa Mista do Boqueirão, em Curitiba.

Surgiu, então, o desejo de oferecer a seus clientes uma loja mais arrojada e moderna, ampliando ainda mais a qualidade dos serviços. Foi quando teve início a construção de um super projeto, que atenderia sua clientela de modo ainda mais especial, pela confiança que sempre depositaram no Jacomar.

O projeto foi concluído em setembro de 1998, com a inauguração da nova loja no Boqueirão, um amplo espaço com um grande investimento em equipamentos de última geração e com a melhor oferta de produtos e serviços da região.

Desde então, o Supermercado Jacomar não parou mais de crescer e está sempre investindo em inovação, tecnologia e qualidade. A missão é sempre oferecer o melhor atendimento a todos os clientes, sem esquecer de seus costumes e crenças, como a prática de não abrir aos domingos. A intenção é valorizar o colaborador, dando a ele um dia de descanso para “dedicar-se à família”, como diz o fundador.

Vídeo

Veja um vídeo institucional em que o casal de fundadores fala sobre a rede de supermercados.

Autódromo de Curitiba será transformado em bairro planejado

A partir de dezembro, o Autódromo Internacional de Curitiba (AIC), instalado em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba será desativado para dar lugar a um bairro planejado. A nova construção terá residências, comércios e áreas de lazer.

A informação foi confirmada pela administração do local à BandNews FM.

As obras devem iniciar no começo de 2022 e serão divididas em duas etapas. A primeira deve ser concluída em 1 ano e meio e o restante até 2031.