Na COP26, Curitiba fica no grupo das cidades com compromisso ousado na redução de emissões de carbono

Curitiba está entre as 1.049 cidades do mundo a confirmar um compromisso mais ousado em relação às emissões de carbono. O acordo faz parte da campanha Race to Zero (corrida para o zero, em tradução livre), que teve seu balanço divulgado nesta terça-feira (2/11) pela Rede de Cidades C40 na COP26, a 26ª Conferência das Nações Unidas para o Clima, em Glasgow, na Escócia.

As informações são do prefeito Eric Garcetti, de Los Angeles, ao passar a presidência da Rede C40 ao prefeito de Londres, Sadiq Khan. “Mais de mil cidades seguem unidas pelo histórico compromisso de fazer desta década uma ação exponencial em relação ao futuro”, disse.

Segundo novas estimativas das cidades, ações coletivas têm potencial de reduzir as emissões em pelo menos 1,4 gigatoneladas de carbono até 2030. O acordo prevê que a redução das emissões deva chegar à metade nos próximos nove anos e à neutralidade em 2050.

As 1.049 cidades e governos locais representam, segundo a C40, cerca de 722 milhões de pessoas. Além da capital paranaense, o Brasil tem, entre as signatárias, mais sete capitais: Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo, Recife, Fortaleza e João Pessoa.

Como chegar lá

Curitiba lançou, no final de 2020, o Plano Municipal de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas de Curitiba (PlanClima), que consolida o compromisso da cidade com o enfrentamento às Mudanças Climáticas, com a melhoria da qualidade urbana e ambiental e com a qualidade de vida de seus habitantes. O material teve o apoio da C40 em sua elaboração.

O objetivo é tornar a cidade neutra em carbono, adaptada às mudanças climáticas e resiliente até 2050, alinhando-a às metas internacionais de enfrentamento do aquecimento global. A principal delas, do Acordo de Paris, é de conter o aumento da temperatura média global no limite dos 2°C, com esforços para que o aquecimento estabilize-se em torno de 1,5°C.

Com vocação ambiental, Curitiba já tem uma série de ações que visam a recuperação do ambiente urbano, a redução de emissões de gases e a mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. Entre elas, destacam-se:

Amigo dos Rios e 100 Mil Árvores

Programas que promovem melhorias ambientais com a participação da comunidade e consistem, basicamente, na limpeza dos corpos hídricos e na recomposição da vegetação nativa.

Curitiba Mais Energia

O programa busca popularizar o uso da energia limpa na cidade. Já foi responsável pela implantação de painéis fotovoltaicos no Palácio 29 de Março e pelos projetos para instalação da Usina Solar do Caximba no aterro sanitário desativado, em terminais de ônibus e na rodoferroviária. Os projetos foram selecionados pelo C40, Cities Finance Facility, para apoio na elaboração. O Curitiba Mais Energia ainda conta ainda com painéis no Salão de Atos do Parque Barigui e com a CGH Nicolau Kluppel, que gera energia na queda d’água do Parque Barigui.

Gestão de Risco Climático Bairro Novo do Caximba

Com o financiamento de US$ 57 milhões da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), aborda principalmente a questão de adaptação e do aumento da resiliência urbana, com ações de relocação de famílias de áreas de risco, implantação de um dique para a contenção de cheias, reestruturação urbana e a construção de um parque linear.

Mobilidade urbana

A melhoria da infraestrutura de calçadas e cicloviária para promover a mobilidade ativa e a modernização do Inter 2 e do BRT Leste-Oeste, também são exemplos de projetos que reforçam a importância da redução de emissões de GEE provenientes dos combustíveis fósseis.

Segurança alimentar

Implantação de hortas comunitárias e da Fazenda Urbana, com seus respectivos Jardins de Mel, garantindo a população de abelhas sem ferrão para polinização, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. Além de garantir alimentação de qualidade, reforça a infraestrutura verde da cidade com cultivos naturais.

Reserva Hídrica do Futuro

Projeto busca ampliar a capacidade de reservação de água para o consumo da população, com implantação de caixas d’água em comunidades que sofrem com os problemas do abastecimento e com a reservação hídrica nas áreas das cavas do Rio Iguaçu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voos de balão no Jardim Botânico passam a ser nas manhãs de quartas e sextas

Os voos de balão no Jardim Botânico vão passar a ser no período da manhã, às quartas e sextas, a partir desta semana. A mudança no horário, prevista inicialmente para começar no dia 15/12, busca reduzir a possibilidade de cancelamento do voo devido ao mau tempo. Os passeios vão ocorrer das 8h às 10h.

A prática do balonismo é realizada em condições climáticas favoráveis, tais como ausência de chuva e vento forte. Nos casos de intempéries, o voo cativo poderá ser cancelado.

Até a semana passada, o passeio estava sendo feito das 17h às 19h, às quartas e sextas.

Nos fins de semana (sábado e domingo), o Voo de Balão Ademicon no Jardim Botânico continuará a ser das 16h às 19h.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA NO SITE https://natal.curitiba.pr.gov.br/. A programação está sujeita a alterações.

A Prefeitura promove o Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2021 com o patrocínio das empresas O Boticário, Ademicon, Volvo, Muffato, Electrolux, Condor, Festval,  Consórcio Servopa, Loterias Caixa/Governo Federal, Copel Telecom e ParkShoppingBarigüi. A programação começa no dia 18 de novembro e a decoração poderá ser vista até 9 de janeiro.

Feira traz produtos da agricultura familiar para Curitiba

Com o objetivo de trazer um pouco da agricultura familiar a Curitiba, será realizada, de 8 a 12 de dezembro, a 1ª Feira de Produtos e Serviços da Agricultura Familiar, a Agrifamiliar Paraná 2021. Integrante do Calendário de Natal da Prefeitura de Curitiba, o evento acontece na sede da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Paraná (Fetaep), no Bairro Rebouças. A feira tem apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento e do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná), e patrocínio da Copel, entre outros.

“Sabemos como poucos plantar, colher e transformar. Nossos produtos são de alta qualidade, preenchem os requisitos para comercialização e as regulamentações sanitárias, e agora queremos aproximar o produtor do comprador”, disse o presidente da Fetaep, Marcos Brambilla, organizador da feira. O objetivo é promover a agricultura familiar sustentável, estimular o consumo consciente, a compra de fornecedores próximos e o reconhecimento de produtos artesanais locais, que impacta diretamente no desenvolvimento da economia regional.

Além de oferecer uma série de produtos com qualidade certificada, como doces, compotas, queijos, mel, hortifrutigranjeiros, temperos, embutidos, cerveja e cachaça artesanais, vinhos, cosméticos e flores, a Agrifamiliar terá uma programação cultural e oficinas relacionadas ao setor agro. Todas as atividades serão na Fetaep (Rua Piquiri, 890).

A programação completa pode ser acessada AQUI.