Motorista de ligeirinho agride outro motorista

Motorista de ligeirinho agride outro motorista


“O motorista do ônibus prefixo EL071, da empresa São José, e que fazia a linha Barreirinha/São José, desceu do veículo cheio de passageiros e agrediu fisicamente o motorista do automóvel que estava na sua frente. Isso aconteceu por volta das 18h30 de hoje (08/08/2013), em frente ao Carrefour do Parolin, próximo da esquina entre a rua João Viana Seiler e a Avenida Marechal Floriano Peixoto. Ambos estavam parados no sinal fechado.

Não se sabe o que pode ter acontecido entre os dois, mas o que foi visto anterior a isso, foi o ligeirinho fechando mais de uma vez os carros na rua João Negrão. Ali mesmo no cruzamento, a conversão para entrar Marechal, é feita somente pela faixa da esquerda, e como podemos ver, ele estava na faixa do meio, e obrigou os carros a pararem para que ele pudesse entrar na canaleta.”

0 Comments

  1. ja peguei esse busão com um motorista assim, talvez seja o mesmo, aconteceu exatamente uma cena dessas igualzinha no começo do ano no barreirinha sao josé e foi bem ali na frente do Carrefour, isso foi em março de 2013

  2. Peça para a URBS aumentar os horários já apertados e saturados dos ônibus que talvez nã precise entrar na frente de ninguém pra conseguir fazer horário e não levar multa pra casa.. sou motorista de ônibus da mesma empresa desse cabloco, repudio esse tipo de atitude, até porquê, como motorista, sei que a classe é muito desrespeitada e humilhada pelos outros, sinto na pele todo dia um trânsito cada vez mais absurdo, horários muito mais apertados e falta de respeito total.. Mas, convenhamos, eu, como profissional, não posso me exaltar psicologicamente por causa dos outros, é estressante, eu sei, mas levo vidas comigo, e uma atitude dessas só faz aumentar a "má fama" que temos, não é todo motorista e cobrador que é assim, mas por causa de um, todos nós sofremos. A cada dia, fica mais difícil trabalhar no transporte, e se ele fez isso, não foi por nada… Como eu disse, não aprovo esse tipo de atitude, mas temos que ver AMBOS os lados.

  3. Briga de trânsito é uma M mesmo, dá vontade de fazer isto, mas o profissional tem que ter cabeça fria porque ele está carregando muitas vidas ali no ônibus, e quando acontece isto, os passageiros ficam muito inseguros em continuar no ônibus com o motorista. Mas o Diego Rodrigues disse a mais pura verdade, como em todos as profissões, as empresas exigem cada vez mais dos empregados sem levar em conta as variáveis relativas a profissão!

  4. cara eu penso de outra forma quando vc sentou sua bunda na cadeira do RH foi passado pra vc como seria sua vida dentro da empresa quanto vc ganharia enfim vc saberia como seria sua vida virando um motorista de ônibus eu fico puto da cara quando veem querendo fazer grevinha de bosta prejudicar as pessoas por causa de salario quando vc assinou seu contrato estava la tudo certinho o que vc tinha que fazer quanto e quando vc iria receber e todos saber como a vida é estressante então meu velho não velha dizer que temos que ver ambos os lados pois vcs motorista acha que mandam na cidade acha que vcs estão acima de tudo e de todos se não ta bom saia acredito que vc é bem competente e inteligente para arrumar um emprego aonde vc não vai se estressar e precisar reclamar a empresa ta la quem foi atrás foi vc ela não foi la na sua casa pedindo pra vc ir trabalhar pra ela foi vc então fica bem de boa ai deu tempo deu não deu não deu ponto eu duvido q ao invez de vcs descerem do ônibus ou ficarem andando que nem uns loucos pela ruas se vcs se unissem e fizessem as corridas no ritmo do transito a ubs não ia se cossar e colocar mais ônibus mais vcs são muitos pau mandados do sindicato que leva uma grana de vcs sem fazer porra nenhuma vcs são uns otarios do transporte publico deveria ser que nem são Paulo deu deu não deu não deu e se não tiver bom cruza os braços mais não vcs são europeus curitibanos meditos a europeus que vai pra rua de bola Prada e não pinta a cara pq vai fazer mal pra pele duvida se todos vcs andarem no ritmo que uma cidade grande anda que é devagar todos ubrs governantes iriam respeitar mais a classe de vcs não mais vcs são os manchões do transito é mais fácil jogar o ônibus em cima do carro da moto ou agredir uma pessoa até o dia que alguém fazer o que eu fiz dar uma surra em um motorista pra ele toda vez q olhar no espelho ele lembrar que ele é um ser humano igual a todos ali dentro e que se ele se propôs a atralhar com isso que faça de forma honra sem prejudicar ninguem

  5. Ricardo Camargo tá vendo? é isso que eu falo.. respeito nenhum… pra que esse tom? pra que esse linguajar? eu disse que acho ruim? a falta é de respeito, trabalho no transporte porquê gosto, não estou reclamando, estou falando da categoria. e como eu disse.. na sua frase tem muitos vocês isso, vocês aquilo… é muita generalização… nunca agredi ninguém e não me estresso no volante, por favor, somos trabalhadores e temos direitos também, e como é.. a cada ano impostos sobem mais e queremos ficar com o salário estagnado também? Médicos fazem greve, prejudicando milhares de pessoas, correios, eng. civil, e não podemos, porquê? não somos seres humanos, não trabalhamos pra sustentar nossas famílias? nosso emprego não é digno? reveja seus valores antes de postar tudo isso que você disse meu querido.

  6. Diego amigo, a URBS está repleta de universitários formados e recém formados, que fizeram concurso público ( estudantes ) e estão administrando os horários das linhas de ônibus, gentes supercompetentes ( eu acreditava ), gente que se formou em várias instituições de ensino superior com grande valor ( não é necessário citar as tantas que existem em Curitiba, porque a TV já faz a sua propaganda ), é por isso que pensam de outra forma e se acham os tais atrás de um computador…… Agora quero ver inverter a situação coloca um universitário desse atrás de um volante de um ônibus ou caminhão vê se ele aguenta a pressão?????????? Olhar para a tela do computador, tomando cafezinho preto de garrafa térmica no escritório em copo de plástico feito pela cozinheira. Falo com experiência de ambos os lados, como um profissional do escritório e hoje um profissional do volante do transporte coletivo. Diego assim como muitos motoqueiros e motoristas de veículos menores que só sabem xingar e mostrar gestos obscenos quando a gente passa na frente de um desses não porque queremos mais em alguns casos, a situação nos obriga. É errado, é, mas se os mesmos que nos atacam fossem educados e respeitosos, e agissem de consenso e não de ignorância, não precisaria tudo isso.
    Não só vocês, mas eu também acho que não precisaria chegar a esse ponto, mas quem sabe os playboyzinhos filhinhos de papai que ganham dinheiro do bolso dos seus pais e que pensam diferentes dos demais não aprendem que respeito é tudo do maior para o menor, como do menor para o maior. Se pelo computador o nosso caro colega já é estressado em usar esses tipos de palavras imagine se nós precisar passar na frente do moço hehehehehehehe.

    " Eu também como profissional do volante do transporte coletivo, eu também sou contra esse tipo de situação".

  7. Ah e avisa pra ele que contrato de trabalho é um simples documento, um vínculo por questões de ministério do trabalho não é o que cai na conta de verdade ( dinheiro ) para o sustento da família……

  8. Diego amigo, a URBS está repleta de universitários formados e recém formados, que fizeram concurso público ( estudantes ) e estão administrando os horários das linhas de ônibus, gentes supercompetentes ( eu acreditava ), gente que se formou em várias instituições de ensino superior com grande valor ( não é necessário citar as tantas que existem em Curitiba, porque a TV já faz a sua propaganda ), é por isso que pensam de outra forma e se acham os tais atrás de um computador…… Agora quero ver inverter a situação coloca um universitário desse atrás de um volante de um ônibus ou caminhão vê se ele aguenta a pressão?????????? Olhar para a tela do computador, tomando cafezinho preto de garrafa térmica no escritório em copo de plástico feito pela cozinheira. Falo com experiência de ambos os lados, como um profissional do escritório e hoje um profissional do volante do transporte coletivo. Diego assim como muitos motoqueiros e motoristas de veículos menores que só sabem xingar e mostrar gestos obscenos quando a gente passa na frente de um desses não porque queremos mais em alguns casos, a situação nos obriga. É errado, é, mas se os mesmos que nos atacam fossem educados e respeitosos, e agissem de consenso e não de ignorância, não precisaria tudo isso.
    Não só vocês, mas eu também acho que não precisaria chegar a esse ponto, mas quem sabe os playboyzinhos filhinhos de papai que ganham dinheiro do bolso dos seus pais e que pensam diferentes dos demais não aprendem que respeito é tudo do maior para o menor, como do menor para o maior. Se pelo computador o nosso caro colega já é estressado em usar esses tipos de palavras imagine se nós precisar passar na frente do moço hehehehehehehe.

    " Eu também como profissional do volante do transporte coletivo, eu também sou contra esse tipo de situação".

  9. Ah e avisa pra ele que contrato de trabalho é um simples documento, um vínculo por questões de ministério do trabalho não é o que cai na conta de verdade ( dinheiro ) para o sustento da família……

  10. Ah e avisa para o Ricardo Camargo que contrato de trabalho é um simples documento, um vínculo por questões de ministério do trabalho não é o que cai na conta de verdade ( dinheiro ) para o sustento da família dos motoristas. Não é o contrato que dirige ônibus, e sim um ser humano que transportam vários ser humanos, e inclusive pode até ser o integrante da própria família dele……………

  11. NÃO AOS ABUSOS NO TRÂNSITO. NÃO AOS ABUSOS DOS VEÍCULOS DE GRANDE PORTE EM CIMA DOS DE PORTE MENOR. POR UM TRÂNSITO MAIS HUMANO, SEJA EM CURITIBA, SEJA EM QUALQUER OUTRA CIDADE OU ESTADO DO BRASIL! RESPEITO NO TRÂNSITO JÁ!!!!!

  12. essa filmagem não acrescenta nada na vida de ninguém, só demonstra o ódio e a indignação de ninguém fazer nada. O tempo que ficava filmando podia ter acionado a polícia militar ou a guarda municipal… deixem de bisbilhotar a vida alheia e melhorem suas vidas…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carrossel do Passeio Público e roda-gigante da Santos Andrade já estão reabertos em Curitiba

Carrosséis e roda-gigante voltam a ser montados para celebrar os 330 anos de Curitiba

Três atrações do Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2022 estão de volta para as celebrações dos 330 anos de Curitiba este ano. São os carrosséis venezianos do Passeio Público e do Parque Tanguá e a roda-gigante da Praça Santos Andrade, no Centro. Os brinquedos do Passeio Público e da Santos Andrade já estão em funcionamento desde o último sábado (28/1).

As atrações são gratuitas e funcionam de terça a sexta-feira, das 12h às 20h; e aos sábados e domingos, das 9h às 20h. A previsão é de que o carrossel do Parque Tanguá comece a funcionar no final desta semana. Os brinquedos só não funcionarão nas segundas para manutenção.

De acordo com o superintendente de Obras da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA), Jean Brasil, a previsão é de que os brinquedos estejam abertos para o público por um período de quatro meses.

“Além de serem uma atração para o aniversário da cidade, os carrosséis e a roda gigante também poderão ser usados pelas crianças no período de férias escolares e também pelos turistas que visitam a nossa cidade”, explica ele.

Como ocorreu na temporada natalina, os carrosséis venezianos irão receber crianças de até 12 anos. Adultos poderão acompanhar crianças de 0 a 2 anos. Já a roda-gigante irá receber crianças e adultos (a altura mínima será de 1 metro). Além disso, os brinquedos terão acessibilidade para o público com dificuldade de locomoção.

330 anos de Curitiba

O aniversário dos 330 anos de Curitiba será celebrado com uma ampla programação descentralizada e os eventos e entrega de obras farão parte dela. O aniversário será só no dia 29 de março, mas vários eventos estão agendados.

A programação de aniversário da capital já começou, este mês, com a 40ª Oficina de Música de Curitiba. Além dos cursos voltados para artistas e professores, BNegão, Vanessa da Mata e Gilsons são alguns dos destaques do line up de shows da 40ª edição do evento da Prefeitura de Curitiba.

Já em março ocorre o Smart City Expo Curitiba 2023, versão brasileira do maior evento de cidades inteligentes do mundo. Serão três dias, 22, 23 e 24 de março, do congresso e feira organizados pelo hub de negócios e soluções iCities e com apoio da Prefeitura de Curitiba, da Secretaria Municipal de Administração, da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, Gestão de Pessoal e TI (Smap) e do Vale do Pinhão.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Atendimento para pessoas trans avança com novos serviços da Prefeitura de Curitiba

Assessoria de Direitos Humanos - Políticas da Diversidade Sexual promoveu o Ciclo de Debates sobre Visibilidades Trans. Curitiba, 30/01/2023. Foto: Hully Paiva/SMCS

A população transgênera (transexuais e travestis) de Curitiba passou a contar com dois novos serviços da Prefeitura, a partir deste mês de janeiro. O Ambulatório Municipal que fica na Rua do Rosário, 144, 6º andar, Centro, vai atender travestis, mulheres e homens trans que desejam fazer o processo transexualizador. Para ser atendida no Ambulatório, a pessoa precisa primeiro buscar uma Unidade de Saúde que fará o encaminhamento.

Outro importante serviço que começou a funcionar agora em janeiro é o Hotel Social para mulheres trans, que vai fazer o acolhimento para mulheres trans que se encontram em situação de vulnerabilidade. O encaminhamento é feito pelas unidades de atendimento da Fundação de Ação Social (FAS).

Os dois avanços marcam o mês de janeiro, dedicado a dar visibilidade às pessoas trans. “Ambos serviços foram implementados com o objetivo de atender às demandas da população trans, que solicitam serviços de qualidade e que atendam às suas necessidades com respeito, cuidado e dignidade”, explicou o assessor da Diversidade Sexual, Fernando Ruthes.

Ciclo de debates

Também para marcar o mês da visibilidade trans, nesta segunda-feira (30/1) a Assessoria de Direitos Humanos – Políticas da Diversidade Sexual promoveu o Ciclo de Debates – Visibilidades Trans. No dia 29 de janeiro é celebrado o Dia Nacional da Visibilidade Trans.

O evento foi no auditório da Assessoria de Direitos Humanos e reuniu representantes da Fundação de Ação Social (FAS) de Curitiba, Conselho Tutelar, secretarias municipais da Educação, Finanças, de Administração, Gestão de Pessoal e Tecnologia da Informação (Smap), da Saúde, do Governo Municipal, da Guarda Municipal, da Regional Portão, da Agência Curitiba e entidades que atuam com a temática.

Os palestrantes foram Karollyne Nascimento, ouvidora externa geral da Defensoria Pública do Estado do Paraná; Fabian Alegarte da Silva, contador, coordenador Nacional da Área de Homens Trans e Transmasculinidades da Aliança Nacional LGBTI+ e secretário Executivo do Instituto Brasileiro de Transmasculinidades – IBRAT; e Marise Felix – mãe de um homem trans, professora aposentada e membro do grupo Mães pela Diversidade.

“Essa discussão no âmbito dos direitos humanos é fundamental. Não é só discutir a visibilidade trans, é debater políticas públicas através das necessidades dessa população. Ouvir o que eles apresentam e efetivamente enfrentar os desafios, o preconceito, afirmou a assessora de Direitos Humanos da Prefeitura, Elenice Malzoni. “Todos têm os mesmos direitos de ir e vir, trabalhar e de ser feliz. Já conseguimos alguns avanços, mas precisamos continuar”, completou.

Empregabilidade

Para o coordenador de Relações de Trabalho da FAS, Renan Rodrigues, a discussão sobre a visibilidade trans é importante para que os setores de recursos humanos das empresas avancem na área da diversidade.

“Temos contato diretamente com os empresários que ofertam vagas de emprego através dos Sines que estão nas Ruas da Cidadania. Temos conversado com eles para levar as vagas de emprego para essa população”, disse Rodrigues.

Histórico

O dia da visibilidade trans foi instituído em 2004 e tem como objetivo fortalecer e ampliar a discussão sobre a garantia de direitos e da cidadania da população trans.

O direito à vida, e a vida sem discriminação e violência é um dos princípios básicos da Constituição Federal e da Declaração dos Direitos Humanos.

Processo transexualizador

É o atendimento integral de saúde a pessoas trans, incluindo acolhimento, uso do nome social, hormonioterapia e cirurgia de adequação do corpo biológico à identidade de gênero. Esse serviço é oferecido de modo gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com